.

sábado, setembro 14, 2019


Introdução

Olá!

Tudo bom? Obrigado por se interessar pela leitura deste ebook. Eu o fiz com bastante carinho
e atenção, visando um bom ensino a todos que lerem este material. Em nenhum momento
deste livro, eu pretendo instaurar leis! Principalmente na área de redação para web –
webwriting - , a pluralidade é o que torna os blogs tão ricos em conteúdo.

De todo o modo, há algumas boas práticas e maneiras de criar artigos melhores, mais fáceis de
serem lidos, ricos em conteúdo e escritos em um menor período de tempo. Quanto mais
rápido criarmos um artigo, e sem perder conteúdo, mais dinheiro ganharemos ao longo do
tempo!

Então, temos que encontrar o balanço entre a qualidade e a efetividade. É justamente isso que
abordo neste eBook, dando dicas visando o público leitor e, também, você, redator. Espero,
sinceramente, que goste deste livro virtual e aprenda alguma coisa com ele!

Apesar de curto, tentei colocar o máximo de informações possíveis, para que você já possa
sentir a diferença nos próximos textos que escrever.




Quem e Victor Pãlãndi?


Diretor da agência de conteúdo Palandi Network e idealizador do Redator de Sucesso, Victor
Palandi tem 19 anos e é empresário desde os 18. Com 10 anos de idade, iniciou a criação do
seu primeiro livro: As Grandes Aventuras de Roberto Bozo.

Nesse momento, descobriu que poderia se destacar com a escrita. 4 anos depois, empolgado
com a possibilidade de ganhar dinheiro na internet, passou a trabalhar como freelancer.

A sua experiência permitiu que, ao se tornar maior de idade, criasse a sua empresa, que é
considerada uma das melhores na produção de conteúdo para internet.


Sumãrio

1# - PLANEJAMENTO ............................................................................................................. 5
Comece pelo número de palavras .......................................................................................................... 5
Divida o texto em partes ........................................................................................................................ 6
Pesquise tudo e abra em abas ............................................................................................................... 7
2# - TRECHOS E INFORMAÇÕES DIRETAS ...................................................................... 8
Seja breve nos parágrafos ...................................................................................................................... 8
Abuse dos cabeçalhos e marcadores ...................................................................................................... 9
Não crie frases longas ............................................................................................................................ 9
3# - LINGUAGEM SIMPLES E DE FÁCIL ENTENDIMENTO ........................................ 11
Simplicidade não é empobrecimento! ................................................................................................. 11
Cuidado com as repetições! ................................................................................................................. 12
O objetivo é aniquilar um problema! ................................................................................................... 12
4# - ENRIQUEÇA COM CURIOSIDADES .......................................................................... 13
Tenha cautela! ..................................................................................................................................... 13
Curiosidades complementam o tema principal .................................................................................... 14
5# - DETALHES FAZEM TODA A DIFERENÇA! ............................................................. 16
Formatação do texto ........................................................................................................................... 16
CAPS LOCK É HORRÍVEL .......................................................................................................................... 16
Negrito em excesso não é legal ............................................................................................................. 17
Uso do itálico deve ser pontual .............................................................................................................. 17
Texto não é carnaval .............................................................................................................................. 17
CONCLUSÃO ........................................................................................................................... 19

1# -

Plãnejãmento


Comecemos a nossa série de dicas com o planejamento. O segredo do seu sucesso está aqui!
Um artigo de qualidade não nasce quando eu e você estamos digitando, mas, sim, com a ideia
formulada e organizada. Um texto mesmo que sem erros gramaticas e ortográficos pode ficar
muito ruim, pois a falta de planejamento leva à perda de coesão e inúmeras voltas em torno
de um mesmo ponto.

Por isso, dê mais foco para a “pré-escrita” do que para a escrita em si. Não é exagero! Se você
já tem experiência com redação para blogs, deve saber que o que digo é realmente verdade.
Caso nunca tenha planejado, chegou a hora de fazer uns testes.

Comece pelo número de palavras


Qual o tamanho de texto que você deseja? Não sei se você tem ciência acerca disso, mas esse
fator é muito importante para a construção de um público-alvo. Por exemplo, em um de meus
blogs de maior sucesso, o InfoDiretas, a ideia que eu e meu sócio, Leonardo Caprara, tivemos
foi de transmitir notícias curtas para quem não gosta tanto assim de ler ou que deseja poupar
tempo. Por isso, as informações são diretas (Info...Diretas!), com textos em torno de 100
palavras, apenas, dizendo o básico: “Quem? Como? Quando? O quê? Por quê? Onde?” .

Outros blogs, no entanto, já trabalham com conteúdo mais extenso, que é o caso da Família
Escola (Escola Dinheiro, Escola Freelancer), onde apostam em textos com mais de 2000
palavras, a fim de detalhar ao máximo cada assunto.

Então, por esta razão, você precisa ter uma direção quanto a isso em seu blog. Outro motivo,
que está estritamente relacionado ao webwriting, é a facilidade em desenvolver o tema
quando você já sabe o tamanho que ele terá.

Quando o texto é mais curto, você não pode rodear o assunto; é necessário ir direto ao ponto!
Em contrapartida, em textos mais longos, você pode enriquecê-lo mais (explicaremos em outra
dica), já que há espaço de sobra.

Logo, pensar em quantas palavras, em média, você trabalhará é fundamental no planejamento
de um artigo.


Divida o texto em partes


Antes mesmo de começar a digitar o corpo do artigo, divida-o em diversas partes. Um vício
meu, que até hoje ninguém reclamou, é de fazer diversos tópicos, ou heading (h2, h3).

Em minha opinião, um artigo nessa estrutura fica muito mais fácil de ser lido! Você pode
perceber neste eBook mesmo. Além do capítulo, há diversos outros sub-títulos. Eu acredito
que essa divisão traga benefícios tanto para quem escreve quanto para quem lê!

Para nós, redatores, ter um texto “quebrado” transforma o árduo trabalho da escrita em um
processo muito mais simples. Vamos supor que temos que redigir sobre a cidade de Los
Angeles.

Podemos começar o texto falando sobre os Estados Unidos em geral. Em seguida, detalhar um
pouco sobre o estado da Califórnia. Para, então, escrever sobre a cidade em questão. Dentro
do tema principal, podemos colocar outros tópicos, como, por exemplo, “Turismo em Los
Angeles”, “Economia em Los Angeles” e assim por diante. Tudo depende do foco do artigo!

Los Angeles: um dos maiores centros econômicos do Mundo

[Introdução sobre os EUA]

[Detalhes da Califórnia]

h2- Detalhes sobre Los Angeles

h3 - (Colonização de Los Angeles)

h3 - (Política de Los Angeles)

h3 - (Curiosidade de Los Angeles)

h2 - 3 motivos para você visitar Los Angeles

h3 - 1# - (bla bla bla)

h3 - 2# - (Isso, isso e isso)

h3 - 3# - (Aquilo, aquilo outro e isso)

Percebe? Em uma brincadeirinha simples, coisa de 1 minuto, conseguimos estruturar e
planejar um artigo bastante interessante e completo. Pode ter certeza que você conseguirá
escrever muito mais rapidamente agora que há um “roteiro”.


Pesquise tudo e abra em abas

Acredito que a maioria já faça isso, mas não custa lembrar: pesquise antecipadamente.
Utilizando o mesmo exemplo acima, agora que você já tem definido o que abordará em seu
texto, pesquise por cada um dos tópicos.

Abra cada página em uma aba, pois facilitará a troca entre os blogs, o que significa economia
de tempo. Eu sempre recomendo que a pessoa escreva enquanto lê o texto! Pode ser que
minha memória seja fraca, por isso acredito piamente neste método, mas a verdade é que
creio ser perda de tempo ler tudo antes de escrever.

O único problema é o plágio. Iniciantes copiam demais, muitas vezes sem nem mesmo
perceber. Então, leia um parágrafo e reformule-o em sua cabeça. Caso se sinta melhor, leia um
texto por vez e coloque a mão na massa.

A vida de webwriter é bastante corrida. Não dá para desperdiçar minutos sagrados! Encontrar
meios de otimizar sua produção é fundamental.


2# - Trechos e
Informãções Diretãs


Eu tenho por mim que ninguém que está na internet deseja realmente ler. Tudo bem, dizer
“ninguém” pode ser muito forte. De qualquer modo, a maioria não quer ficar lendo textos
grandes e prolixos. Nosso trabalho como webwriter é facilitar a leitura de modo que a pessoa
consiga entender todo o conteúdo no menor espaço de tempo possível.

Nunca vi essa definição, é algo que eu acredito, consequência da minha experiência. O fato é
que o ócio está muito escasso! E quando temos tempo sobrando, desejamos queimá-lo no
Facebook. Nem por isso, é perda de tempo; é apenas lazer.

Então, quando você faz uma pessoa sair da Rede Social para ler o seu artigo, meu amigo, fique
muito contente! Acima de tudo, torne a leitura uma diversão para este visitante. Como fazer
isso? Propiciando uma leitura dinâmica.

Como assim? Simples: a pessoa deve bater o olho e já descobrir tudo o que o texto vai passar
de informação. Isso é possível e muito fácil! Com um pouco de prática, naturalmente você
conseguirá tornar a leitura algo muito mais gostosa para seu visitante.

Eu vou te ajudar dando uns pitacos, que não são comprovados cientificamente, mas
mostraram-se bem efetivos.

Seja breve nos parágrafos

Não há exemplo melhor disso do que este próprio ebook! Talvez por vício (escrevia mais de
200 artigos por mês), este pequeno livro está formatado nos padrões que aconselho nesta
dica. Perceba que nenhum parágrafo está grande! Todos são bastante curtos, bem definidos e
“limpos”.

Não sei você, mas quando eu vejo um parágrafo longo, com mais de 7 linhas, por exemplo, eu
já fico um pouquinho assustado. A meu ver, o motivo é que você não consegue passar o olho
rapidamente no texto; acaba se perdendo, sendo obrigado a ler linha por linha, a fim de
compreender o conteúdo. Isso cansa!

Parágrafos mais curtos também facilitam para desenvolver o assunto. Fica mais simples para o
redator expor uma ideia, finalizá-la e partir para outra no trecho seguinte. Caso você não


esteja gostando da leitura deste ebook, então abomine esta dica. Do contrário, se está
confirmando tudo o que digo, chegou o momento de coloca-la em prática!

Abuse dos cabeçalhos e marcadores

Na primeira dica, de planejamento, eu disse para dividir o texto em partes, pois facilita no
momento de botar as ideias no papel. Além disso, é uma maneira de facilitar a leitura, já que o
visitante pode ir direto ao ponto que está interessado, ficando mais contente por ter
encontrado o que queria em pouquíssimo tempo.

A divisão por cabeçalho, ou heading, só traz benefícios! E eu adoro abusar dela. Às vezes até
em excesso, mas acho melhor ter de sobra do que faltar. O texto, na minha visão, fica muito
mais bonito e organizado.

Além dele, há outros artifícios que podem ser utilizados para deixar a leitura muito mais rica.
Um dos que mais gosto, mas, de certa forma, utilizo pouco, é a seta, ou marcadores, segundo
o Word.

Eles são interessantes, porque conseguem atrair a atenção do leitor para a informação. Além
disso, são poucas frases que os compõem, o que facilita o entendimento sobre o assunto. Os
marcadores podem ser de numerais ou apenas de desenhos/setas.

Não crie frases longas

Um texto para internet não deve ser complicado de ser lido, e falarei disso na próxima dica.
Aqui, só quero dizer que as informações passadas devem ser diretas! Isso facilita a vida de
quem escreve e de quem lê.

Perceba que minhas frases nunca são longas. Modéstia a parte, isso permite que a pessoa leia
muito mais sem cansar! Caso eu esteja errado, mande-me um email dizendo que não gosta
deste meu estilo. Digo isso porque é o que vejo todos os dias: a preferência por frases mais
curtas e diretas.

Então, se você relacionar as informações, perceberá que a chave para o sucesso é
simplesmente a simplicidade. Simples assim! Parágrafos curtos, frases concisas e subtítulos
indicando o que será abordado logo abaixo dele funcionam muito bem.

Não há segredo! Ninguém precisa ser um mega escritor para criar ótimos textos. Pense sempre
em facilitar a vida de quem lê, pois, assim, ele virará seu fã, seguidor e te trará dinheiro.


Se você é freelancer, conseguirá muito mais jobs, já que seus clientes verão os efeitos
benéficos dos artigos na opinião de seus públicos.




3# - Linguãgem simples
e de fãcil entendimento


Voltando para a máxima de que boa parte dos milhões de internautas não gostam de ler textos
na internet, chegamos à dica 3, que abordará justamente outro conselho para facilitar a leitura
e, também, a criação de conteúdo pelo redator: a utilização de linguagem simples.

Muito além de tornar o texto gostoso de ler, escrever palavras fáceis e já bastante conhecidas
pela população faz com que o conteúdo seja muito bem recebido e divertido. Desculpe-me se
eu estiver equivocado, mas ler livros arcaicos, repleto de vocábulos estranhos, é um pé no
saco!

Ninguém quer ficar com um dicionário ao lado enquanto está lendo um artigo na internet. Isso
levará à perda de tempo! Se na primeira linha, o leitor não entender bulhufas, a força do chat
do Facebook ganhará a disputa e a janela do artigo será fechada.

Além do mais, você tem que levar em conta que o Google apresenta centenas de opções para
o mesmo assunto. Caso ele não ache o seu artigo legal, abrirá o próximo da pesquisa. A
concorrência quer te engolir!

Perceba novamente que não usei nada incompreensível ao longo destas páginas. Pelo
contrário, sempre fui simples e digitei palavras que todos conhecem. Há redatores que
acreditam no poder dos termos complicados como agente de aumento da credibilidade. “Vou
utilizar palavras difíceis, logo, verão que eu manjo dos paranauê!”

Errado! O importante é ser compreendido. O mesmo se aplica com estrutura das frases. Para
que inventar moda alterando posicionamento de sujeito, predicado e todos estes detalhes da
língua portuguesa, se o feijão com arroz funciona tão bem?

Simplicidade não é empobrecimento!

É bom salientar que não estou dizendo para empobrecer um texto com o intuito de torna-lo
simples. Utilizar as mesmas palavras, mesmas pontuações e repeti-las seguidamente não é
sinônimo de simplicidade.

O ideal é ser descomplicado, mas deixando o texto bem interessante! Pronomes devem,
impreterivelmente, ser utilizados ao longo dos parágrafos. Da mesma forma, os conectivos são
fundamentais em um bom texto e devem marcar presença nas suas mais diversas variantes.


Resumindo: a simplicidade está facilitar a leitura do artigo. Enriquecer um texto significa fazer
bom uso das palavras e torna-lo mais fácil de ser lido e compreendido.

Cuidado com as repetições!

Um dos problemas que tornam os textos tão cansativos é a repetição de palavras e conectivos.
Com tantos vocábulos existentes na língua portuguesa, não há motivos para copiá-los tantas
vezes em um curto espaço de tempo!

No parágrafo acima, por exemplo, o “vocábulos” substituiu “palavras”, para evitar a feiura que
eu venho dizendo. Pesquisar e ter um bom conhecimento acerca dos sinônimos das palavras é
bastante interessante, sem sombra de dúvidas.

Apenas tome cuidado para não parecer arrogante, utilizando palavras similares bem
estranhas; e, também, para não confundir a mente do leitor. Pode ter certeza que a cada 10
pessoas que lerem uma palavra e não entendê-la, apenas 1 delas terá a coragem de abrir um
dicionário e ver o significado.

O objetivo é aniquilar um problema!

Quando chegar ao fim do artigo, o leitor deverá ficar feliz por ter sua dúvida sanada. Este é o
objetivo dos textos da internet. Você pode argumentar que nem sempre é assim, e você tem
razão. Em textos opinativos, por exemplo, o objetivo é fazer o visitante refletir sobre o assunto
em questão. No entanto, é pouco usual!

99% dos blogs que recebem muitas visitas ganham acessos, pois têm a resposta para algo ou
oferecem soluções para determinados impasses. “Como fazer batata-frita”, “3 motivos para
visitar São Paulo” e “O que são pirâmides financeiras?” são alguns exemplos de formatos de
artigos que fazem sucesso.

Logo, ninguém deseja filosofar sobre o cozimento da batata! O desejo do leitor é mais do que
claro: saber como cozinhar. E é isso que você deve entregar! O visitante não deseja palavras
difíceis, estruturas complicadas e rodeios desnecessários, mas, simplesmente, a solução para o
pepino.

Estamos entendidos? Você pode até discordar de mim, claro. Por isso, mande-me uma
mensagem com a sua indignação argumentação.


4# - Enriqueçã com
Curiosidãdes


Você pode me achar maluco por dizer isso, mas eu acho que uma das chaves do sucesso no
webwriting é saber trabalhar de maneira bastante eficaz com as curiosidades. Tudo tem suas
peculiaridades, histórias interessantes e desconhecidas pela maioria. O simples logo, origem
ou nome de uma empresa pode ser um assunto interessante!

Então, por que não usar isso ao nosso favor dentro dos artigos? Praticamente todo texto meu
tem curiosidades. Eu costumo começar contando algo instigante, para, então, chegar ao cerne
da questão. E faço isso com qualquer assunto!

O lado bom é que a meu ver, a introdução é um espaço mais livre, onde o webwriter pode
iniciar como bem entender. Você se lembra sobre o exemplo de Los Angeles, da dica 1?
Poderíamos, por exemplo, dizer que o estado a qual ela pertence, a Califórnia, chegou a ser
parte constituinte do México.

Imagino que você não sabia disso! E não é interessante? Não custa nada informar. A Espanha
ficou muito tempo rodeando este local, mas quando o México conseguiu a independência, foi
ele quem se apossou das terras. Por isso, a cidade tem um nome espanhol, que nasceu a partir
da Igreja de Señora Y de Los Angeles de Porciúncula.

Com este início super interessante (pelo menos para mim, é!), você já consegue prender a
atenção do leitor e marcar o artigo na mente dele: “Caramba, não sabia disso!”.

Se falássemos do Fusca, por exemplo, poderíamos dizer que ele surgiu no governo do Hitler, o
que é interessantíssimo também. A verdade é que não há barreiras para as curiosidades!

Tenha cautela!

Antes de sair lotando o texto com informações chocantes, tenha em mente que você não pode
fugir do tema, pois de nada adianta falar coisas legais que não condizem com o que o leitor
busca.

Em textos mais curtos, essa informação deve estar presente no início e de maneira bem
rápida, caso a tenha:


Los Angeles é um dos maiores centros de negócios do Mundo e a principal cidade da Califórnia.
Ao contrário do que muitas pessoas pensam, ela não é a capital do estado! De todo o modo,
não deixa de ser muito importante.

Fundada por espanhóis e, por alguns anos, território pertencente ao México, a cidade de Los
Angeles é atualmente palco da Capital Mundial do Entretenimento, ou seja, de Hollywood.
Vamos conferir mais detalhes sobre esta área marcante da história cinematográfica!

Viu? Em 1 minuto, fizemos uma introdução que, acredito eu, está bem legal, sem desvirtuar e
chegando ao foco deste exemplo, que é falar da região de Hollywood. A verdade é que cada
redator tem as suas preferências e vícios, por isso o mercado tem espaço para todos.

Curiosidades complementam o tema principal

Além de servir apenas como algo impactante, ou ”cultura inútil”, as curiosidades podem ter
um peso muito maior em artigos mais restritos. Diversas notícias interessantes surgem
diariamente, escritas em notas de 100 a 200 palavras, no máximo.

São pequenas, pois não há informações o suficiente para falar sobre tal. No entanto, em blogs
onde os textos costumam ser maiores ou quando o cliente pede um número muito mais alto, é
fundamental que o webwriter tenha um jogo de cintura para driblar esta situação.

E como fazer isso? Depositando as forças nas curiosidades! Agora, uma dica minha:

I. Planeje o artigo seguindo a dica 1;
II. Após escrever todos os tópicos, vá até o principal;
III. Comece por ele, mesmo que esteja no fim;
IV. Escreva o máximo que puder, da maneira mais rica possível;
V. Com o restante de palavras, enriqueça o texto com curiosidades.


Entendeu qual a ideia? Vamos supor que a Toyota disse agora mesmo que o Corolla 2017 terá
motor 3.0, porta-malas gigantesco e a maior economia de combustível dentre todos os
concorrentes. Apenas isso, já que é uma prévia do que virá dentro de 2 anos.

Como criar o artigo? Confira abaixo um exemplo do que poderia ser feito!

Toyota anuncia Corolla 2017 com algumas novidades

[Detalhes da Toyota]

Sobre o Toyota Corolla

[História do Toyota Corolla]


Novidades do Toyota Corolla 2015

1# - Motor

2# - Porta-Malas

3# - Economia de Combustível

Pronto, fizemos o planejamento do artigo! Até o tema principal, tudo é basicamente
curiosidade, já que as informações são interessantes, mas dispensáveis para entender a
notícia.

Você ainda pode me perguntar: “Para que dividir as novidades em 3 tópicos?”. Lembra que eu
disse que um vício meu é usar cabeçalho? Pois é. Todavia, a ideia é desenvolver melhor o
assunto.

* No primeiro tópico, podemos dizer que o motor é 3.0 e explicar o que significa tal
número: é bom ou ruim? Quais carros têm tal motor? O que o motorista ganhará com
isso?

* No segundo tópico, falamos da capacidade de litros do porta-malas e adicionamos as
vantagens e comparações com os concorrentes, para o leitor ter uma noção da
diferença.

* Por fim, o terceiro tópico dirá sobre quantos quilômetros o carro roda com um litro de
combustível e depois explicar o que leva este hipotético Corolla a ser tão econômico.

Neste modelo, uma informação extremamente sucinta, dada por uma nota pela Toyota, pode
virar 500 palavras, facilmente! Eu costumo dizer que as curiosidades servem para encher
linguiça com qualidade, pois o texto não está enrolando ninguém, muito pelo contrário, está
tornando-o muito mais rico e completo, e o redator ganha mais base para desenvolver o
conteúdo.

Aproveite muito bem esta dica!




5# - Detãlhes fãzem
todã ã diferençã!


Eu já mostrei para você, e provei, que apenas conhecimento não é suficiente para ter textos de
sucesso na internet. Uma pessoa com ensino fundamental incompleto pode dominar diversas
técnicas e ser o melhor em várias áreas de atuação. Isso não significa que ela conseguirá expor
tudo o que sabe dentro de um artigo.

Além das dicas que já demos para facilitar a leitura, chegou o momento de dar uns conselhos e
alertá-lo sobre alguns pontos importantes na formatação de um texto. Você já sabe que dividir
o conteúdo em tópicos é muito melhor do que escrever tudo em uma pegada só! Além disso,
parágrafos curtos são bem melhores do que parágrafos longos.

Mas será que isso é o suficiente? Não é! E você verá abaixo que até mesmo os mínimos
detalhes fazem toda a diferença em um artigo. Algumas besteirinhas que webwriters iniciantes
cometem podem trazer consequências bem ruins para um texto.

Mais uma vez, o que eu escrevi abaixo é comprovado com o que pude experienciar ao longo
do tempo em que mantenho contato com a internet. Já trabalhei, e ainda trabalho, com
pessoas que escrevem boas redações na escola, mas cometem alguns equívocos quando vão
para a internet.

Confira!

Formatação do texto

Um texto não deve ter apenas conhecimento; ele deve estar bem escrito e bonito. As dicas
anteriores também servem para deixar o texto visualmente interessante, que é o caso de
separar o conteúdo em tópicos e em parágrafos pequenos, por exemplo.

No entanto, agora vamos falar sobre detalhes mais ligados à beleza mesmo, diretamente ao
visual. Logo que o leitor ver o texto, ele não pode se assustar. Confira alguns conselhos!

CAPS LOCK É HORRÍVEL

VOCÊ NÃO ACHA? Eu tenho certeza. Parece que o redator está gritando! E isso não é apenas
uma crença minha, mas um conceito compartilhado por todos na internet. Em alguns casos, é


interessante utilizar algumas palavras neste tamanho como forma de chamar a atenção. Mas,
APENAS, nestes casos, certo?

Além disso, mais do que duas vezes em um texto já é excesso, em minha opinião. Podemos
chamar a atenção do leitor para alguma sentença de outras maneiras, como as que
mostraremos abaixo. Então, sabendo dividir estes artifícios, utilizando um pouquinho de cada,
o artigo ficará bem menos agressivo.

Negrito em excesso não é legal

O negrito tem uma boa importância em SEO ( <strong> ), para mostrar aos robôs que aquele
termo merece algum destaque na busca, porém, além disso, ele também é interessante como
maneira de destacar algo bastante importante no texto.

Eu mesmo procuro por frases em negrito quando estou fazendo uma leitura dinâmica, pois a
ideia da mesma é atrair os olhares do leitor para a determinada parte. Isso é bastante comum
e funcional!

No entanto, é necessário tomar suas devidas precauções:

. Nem toda frase é importante! – Não adianta querer negritar uma sentença de cada
parágrafo, dizendo que é tudo importante. O uso inteligente do negrito faz com que
algumas regiões do texto sejam destacadas, apenas.
. Feiura visual – Não sei você, mas quando eu vejo um monte de parte escura, até me
assusto. Não é legal, deixa o texto descaracterizado.

Uso do itálico deve ser pontual

Assim como o negrito, o itálico não pode ser usado em excesso. Ele ainda tem um uso mais
restrito do que o anterior. Por exemplo, em palavras de outros idiomas, a utilização é bastante
interessante, pois indica que se trata de uma palavra de outro país, evitando confusão.

Algumas pessoas gostam de colocar em itálico algum vocábulo que tenha uma definição
importante e peculiar para o texto. Principalmente em filosofia, onde cada termo tem uma
função muito exclusiva, utilizá-la faz com que o leitor reflita sobre o uso específico daquela
palavra naquela determinada sentença.

Texto não é carnaval

Não sei o que leva as pessoas a ficarem mudando a cor do texto! O preto está bom demais,
não? Tudo bem, não façamos generalizações; deixar algumas palavras ou frases coloridas têm
lá suas vantagens.


A principal delas, e que é muito comum, é utilizar outras cores mais chamativas para os
hyperlinks. O padrão é o azul, não é mesmo? Mas isso não significa que você não possa utilizar
o verde, laranja, roxo ou qualquer outra.

O importante é dar uma função para a cor, a fim de não sair pintando qualquer coisa que achar
legal. Utilizando-as com sabedoria, só terá a agregar!


Conclusão

Fico feliz que você tenha chegado até aqui! Não sei se foi uma verdadeira tortura ou se você
garantiu uma boa diversão nestas páginas. Espero que o meu objetivo tenha sido cumprido!
Além disso, esse ebook não deixou de ser um desafio para mim.

Não é porque eu, supostamente, estou ensinando, que eu não possa ser corrigido! Você pode
discordar de mim em qualquer ponto que quiser, até porque eu não quis criar uma ciência ou
nada do tipo. Apenas expus o que pude observar ao longo do tempo em que estou
intimamente ligado a esta área.

De qualquer forma, espero que tenha aprendido alguma coisa e desejo, sinceramente, que
entre em contato comigo para dar um feedback. Sem dúvida, você tem algo a me ensinar, que
eu não tenha percebido ou que simplesmente tenha me equivocado.


Obrigado pela sua atenção e até breve!




COMPARTILHE A POSTAGEM.

Visualizações de página do mês passado