.

sábado, outubro 23, 2010

Cachorros - Tartaro/Dentes.



Cachorros - Tártaro/Dentes: O tártaro  pode ocasionar sérios problemas de saúde bucal, inclusive desencadeando infecções que se disseminam e podem atingir orgões vitais dos cachorros. E também afeta as gengivas, dando inicio a gengivite, e tambem promove o aparecimento de doenças periodentais que são doenças que atingem os tecidos que revestem, sustentam e envolvem a base dos dentes e ligamentos periodônticos. E o acúmulo de alimentos e bactérias na boca e nos dentes dos cachorros, ocasionam  o desenvolvimento da placa bacteriana e consequentemente a formação do cálculo dentário, mais conhecido como tártaro, e o tártaro é um problema bucal que acomete com maior frequência os cachorros de raças de pequeno porte. 


Principalmente as raças Yorkshire, Dachshund, Poodles que têm uma maior predisposição para desenvolverem esta anomalia. E as doenças bucais periodentais, desencadeadas pelo tártaro podem se disseminar através da circulação sanguínea, se alastrando para  órgãos vitais dos cachorros como o coração, o fígado, os rins e articulações, prejudicando a saúde e diminuindo a sua expectativa de vida. E a melhor forma de prevenirmos, o acumulo de placas bacterianas e o desenvolvimento de tártaros, é através da higienização preventiva bucal nos cachorros. E o tratamento para o tártaro geralmente é feito com uma limpeza através de um aparelho de ultra-som, no qual remove-se todas as placas bacterianas e cálculos dentários (tártaro) com total  segurança através de vibrações. Consulte um veterinário para maiores informações e orientações. 

Cachorros - Proteinas/Aminoacidos.




Cachorros - Proteínas/Aminoácidos: As proteínas possuem numerosas funções, formam as enzimas que catalisam as reações metabólicas digestivas e a assimilação de nutrientes, os hormônios que controlam os sistemas orgânicos e os anticorpos relacionados com o sistema imunológico. Além de serem componentes estruturais na formação e constituição dos tecidos musculares, tecidos conjuntivos, tendões, ligamentos, cartilagens e tambem do sistema  esquelético. As proteínas de alto valor biológico tem como caracteristica uma fácil digestibilidade e um balanço adequado de aminoácidos devendo conter todos os aminoácidos essenciais, garantindo todas as necessidades nutricionais e um bom funcionamento do organismo. As proteínas são formadas por 22 aminoácidos, e se a alimentação  fornecida ao cachorro tiver uma quantidade adequada de nitrogénio, os cachorros são capazes de produzir 12 aminoacidos, que são os aminoácidos não essenciais que podem ser fornecidos através da alimentação ou sintetizados no organismo. 


Já os outros 10 aminoácidos restantes não podem ser produzidos em quantidade suficiente para atender as demandas e necessidades nutricionais dos cachorros, principalmente na fase de crescimento devem então ser acrescentados a sua alimentação, por isso são chamados de essenciais. A deficiência de um aminoácido essencial prejudicará a formação da sequência de aminoácidos que estrutura a proteína, impedindo a síntese completa da mesma. A capacidade da dieta em fornecer aminoácidos em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias está diretamente relacionada às fontes proteicas utilizadas nos alimentos, aos parâmetros de digestibilidade da proteína e balanço de aminoácidos presente na composição estrutural das mesmas. A ausência ou a ingestão inadequada de qualquer um desses aminoácidos resulta em perda de peso e falhas no crescimento. 


E a necessidades de aminoácidos apesar de serem imprencindiveis na fase de crescimento ocorrem em todas as fases da vida dos cachorros, por isso devem estar presentes na alimentação e serem utilizados não somente por cachorros em fase de crescimento, mas tambem por cachorros adultos, cadelas em gestação e lactação e cachorros idosos. O que muda nessas fases é a quantidade necessária de aminoácidos, que pode ser atendida de forma adequada seguindo-se as recomendações do veterinário. O organismo tem capacidade de sintetizar novas proteínas a partir de aminoácidos, desde que todos os aminoácidos necessários estejam disponíveis nas células,  na realidade o organismo não tem uma necessidade específica de proteínas, o que existe é uma necessidade de aminoácidos e nitrogénio, que são os componentes unitários das proteínas. E as proteínas são a principal fonte de nitrogénio do organismo, pois o nitrogénio é essencial para a síntese dos aminoácidos não essenciais e outras moléculas necessárias ao funcionamento do organismo. 


Outra função importante das proteínas na alimentação é dar sabor as mesmas, normalmente quando a quantidade de proteínas é aumentada, aumenta a palatibilidade e a aceitação do alimento. O grau a partir do qual o cachorro é capaz de usar as proteínas da dieta como fonte de aminoácidos e nitrogénio é influenciado pela digestibilidade e pela qualidade da proteína incluída na alimentação. As proteínas que têm uma digestibilidade elevada e contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas relativamente às suas necessidades, são consideradas proteínas de alta qualidade, e quanto maior a qualidade das proteínas na alimentação, menor a quantidade que o cachorro necessita para suprir as suas necessidades de aminoácidos essenciais.

Aminoácidos Não Essenciais – alanina, aspargina, aspartato, cisteína,
glutamato, glutamina, glicina, hidrolisina, hidroxiprolina, prolina,
serina, tirosina.

Aminoácidos Essenciais – arginina, histidina, isoleucina, leucina,
lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, trionina, valina.


As proteínas de origem animal são as que apresentam proteínas de alta qualidade, e por serem facilmente digeridas pelos cachorros maior e o seu valor. A inclusão de subprodutos como o milho e a soja diminuem a qualidade da proteína, uma vez que muitos destes produtos não são digeridos pelos cachorros, e não tendo portanto qualquer valor nutricional. O milho frequentemente encontrado nas rações é deficiente em lisina e triptofano que são aminoácidos essenciais e devido a isto não e considerado um produto com proteínas de elevada qualidade. Outro vegetal muito encontrado nas rações é a soja, a soja por não ser digerida no intestino dos cachorros pode provocar flatulência e diarreias, porque as bactérias do intestino ao digerirem os açucares da soja produzem gás e aumentam a absorção de água. Por outro lado a soja crua, contém fitatos que diminuem a absorção de outros nutrientes. Não utilize suplementos alimentares (aminoacidos) na alimentação de seu cachorro, sem a prescrição e  acompanhamento veterinario. 

Cachorros - Vitamina E.


Cachorros - Vitamina E:  A vitamina E ou tocoferol, é uma vitamina lipossolúvel e os tocoferóis agem como antioxidantes, protegendo as células dos efeitos nocivos das substâncias tóxicas, principalmente dos radicais livres. e também tem uma influencia positiva na prevenção e tratamento da arteriosclerose, das inflamações articulares e das complicações do diabete por bloquearem as modificações oxidativas das lipoproteínas de baixa densidade.  Em cachorros a carência de vitamina E, pode provocar alterações neurológicas degenerativas da medula, com diminuição dos reflexos, diminuição da sensibilidade vibratório, da propriocepção e oftalmoplegia, e tambem as dificuldades visuais podem ser agravadas pela retinopatia pigmentar também provocada pela falta de vitamina E. A vitamina E, mesmo consumida em alta dosagem não e tóxica, pode entretanto reduzir a absorção de outras vitaminas lipossoluveis e de minerais como o ferro. Somente utilize vitaminas com a prescrição e acompanhamento veterinário.   

Cachorros - Vitamina A.



Cachorros - Vitamina A: A vitamina A é de fundamental importância para a promoção e a prevenção da saúde dos cachorros, pois desde a fase de lactante o filhote já ingere esta vitamina através do colostro que é rico em vitamina A. Pois a vitamina A, tem vários efeitos positivos no organismo do cachorro como um perfeito funcionamento dos olhos, na promoção da saúde da pele e dos pelos, no crescimento e também no sistema reprodutor. E a deficiência de vitamina A ou hipovitaminose, no organismo do cachorro ocasiona um aumento da susceptibilidade a infecções bacterianas e virais, pois interferem na função dos macrófagos e reduzem a proliferação de linfócitos. A vitamina A também e essencial na produção, diverssificação e manutenção do tecido epitelial, pois o retinol é fundamental no processo de queratização.





E a ausência de vitamina A, ocasiona também deficiência visual e cegueiras noturna com ressecamento dos olhos, neovascularização da córnea, opacidade e infecções oculares. E no sistema reprodutivo sua ausência pode provocar abortos, mal formação embrionária e degeneração testicular. As fontes naturais de vitamina A são o fígado, e as frutas e verduras de cor amarelo/alaranjadas que contem betacarotenos que são transformados pelo fígado em retinol para suprirem o organismo. Entretanto o excesso de vitamina A pode ocasionar sintomas como pele seca, áspera e descamativa, ceratose folicular, dores ósseas e articulares, queda de pelos, lesões hepáticas com consequente aumentos do baço e do fígado. Somente faça utilização da vitaminas A, com prescrição e acompanhamento veterinário.



Cachorros - Placa Bacteriana/Dentes.

Cachorros - Placa Bacteriana/Dentes: A placa bacteriana é o principal fator causador de doênças periodontais, sendo a placa bacteriana definida como um material resultante da colonização e crescimento de microorganismos sobre a superficie dos dentes. E que apresentam uma estrutura especifica variavel e em constante crescimento composta pela proliferação de numerosas especies de bacterias como a streptococcus sp e a actinomyces e produtos do metabolismo bacteriano, substancias da saliva e residuos alimentares constituidos em sua maioria por glicoproteinas. Ou seja a placa bacteriana e uma substancia aderente que possui uma estrutura variavel e resistente que fixa-se fortemente na superficie dos dentes. Sua presença desencadeia a formação de tartaro, gengivite e doenças periodentais. 


A incidência de placa bacteriana em cachorros e maior na faixa etaria ate 2 e acima dos 6 anos, e os dentes incisivos são os que tem menor ocorrência de placa bacteriana, sendo os caninos e molares os mais afetados. Os cachorros de raças pequenas são acometidos mais frequentemente e tambem de forma mais grave e a gravidade das doenças periodontais esta relacionada principalmente com a quantidade de placa bacteriana presente nos dentes. A falta de higienização bucal e uma alimentação inadequada que facilita o acumulo de residuos são as principais causas da proliferação de bactérias que criam as placas bacterianas e o acúmulo de tártaro. 


E que o tártaro acumulado nos dentes dos cachorros contem varias bacterias e causam infecções que podem alcançar e se desenvolver em varios orgões como o coração, o fígado, os rins, o trato intestinal e até as articulações, se propagando através da corrente sangüínea dos dentes infectados na boca para estes órgãos. Atualmente existem varias formas de se prevenir e evitar a incidência da placa bacteriana, que e atraves da higienização bucal com uma escovação regular dos dentes com escovas e pastas especialmente formuladas para cachorros. Pois creme dental humano contém substâncias nocivas aos cachorros, podendo causar problemas estomacais e até intoxicação. 


A escovação diária é a melhor forma de se previnir o acúmulo de tártaros e conseqüente doenças periodontais. Sintomas como mal hálito, gengivite, sangramento e retração gengival, presença de tártaro, dentes com mobilidade ou ausentes, dor ao abrir a boca, perda de apetite, dificuldade em prender e mastigar os alimentos são fatores que indicam a necessidade de um auxilio veterinário. E o procedimento basico para a retirada da placa bacteriana é feita com uma limpeza atraves de um aparelho de ultra-som, com o qual se remove todas as placas com segurança através de vibrações. Deve-se então ao observar-se a ocorrência destes sintomas bucais no cachorro, procurar imediatemente o auxilio de um veterinario.

COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado

.COMO ACABAR COM AS PULGAS!