.

segunda-feira, dezembro 27, 2010

Cachorros - Saude.



Adotar um Cachorro: Ter um novo morador em sua casa trará prazeres e descobertas incontáveis e do primeiro ao último dia da vida de seu cachorro, ele sempre precisará de você! Por isso descrevemos aqui os principais passos e atitudes para que a parceria com seu cachorro se inicie com sucesso e harmonia.  Ao trazer um cachorro para casa, é normal que nas primeiras semanas ele fique um pouco apreensivo, o cachorro pode ter passado por maus momentos e traumas, como ter sido abandonado por seus antigos donos ou ter acabado de deixar sua mãe e irmãos. Agora que o cachorro está em um novo ambiente conhecendo novas pessoas, você irá conquistar sua confiança dia-a-dia, com os cuidados certos, paciência e muito carinho.


Na maioria das vezes, em pouco tempo ele se adaptará ao seu novo lar, os cachorros adultos tem uma aceitação ao novo ambiente quase que imediata, eles podem estranhar um pouco inicialmente, porem logo estarão adaptados ao novo ambiente.  Já os filhotes sentiram a ausência da mãe nos primeiros dias e por isso irão chorar bastante neste período, porém, logo estarão adaptados à rotina da casa. Entretanto os filhotes precisam de uma educação especial, para não saírem mordendo e "destruindo" tudo o que encontrarem, principalmente sapatos, mesas e sofás. E a Interação entre a criança até os 10 anos e o cachorro, no seu convívio com o cachorro deve ser supervisionado por um adulto.



É importante que uma relação saudável entre a criança e o cachorro seja incentivada, convide-a para participar da escovação, do recolhimento das fezes, do passeio, assim, a criança desenvolverá senso de responsabilidade e compaixão, e aos poucos, poderá ter seus próprios momentos com o cachorro.  Deve-se deixar claro para a criança que o animal não é um brinquedo, mas sim um ser vivo, que sente dor, fica doente e que precisa de atenção e carinho, assim como ela mesma.  Se você  adotou um cachorro, mas já tem outro, ou até mesmo um gato, em sua casa, há uma série de precauções a se tomar para fazer uma adaptação saudável entre os dois.


A convivência dependerá da personalidade de ambos os animais e o processo pode durar semanas ou até meses. Animais castrados têm muito mais facilidade de conviver com outros, e Cachorros adultos aceitam filhotes mais facilmente . O procedimento do contato inicial deve ser supervisionado por adultos. Os cachorros se conhecerão e é nesse momento que eles darão o primeiro passo para sua relação, e posteriormente  estabelecerão uma hierarquia, e vão decidir quem é o cachorro que exerce-rá a liderança.  No caso de um deles se mostrar agressivo, repreenda-o, entretanto não deixe de demonstrar a sua vontade de que eles convivam juntos.


Dê a eles tempo, premiando interações apropriadas, tenha certeza de que cada um possua sua própria casa, com seus próprios brinquedos, mantas, cobertores e vasilhames para comida e água. E não deixe os filhotes incomodarem muito os cachorros adultos. E também os cachorros não devem ficar juntos sozinhos enquanto não tiverem aceitado um ao outro completamente. Pois enquanto não houver essa adaptação, acomode-os em lugares diferentes ao deixá-los sozinhos. Os cachorros recem chegados a um ambiente, devem ficar em lugares que não possibilitem a sua fuga. Muros baixos e portões com grades muito distantes umas das outras devem ser evitados.


Entretanto, o cachorro deve ser criado solto, nunca preso por uma corrente, você pode isolá-lo de alguns ambientes (da escada que é perigosa, ou de um tapete que não pode ser estragado) com uma portinhola ou uma grade especial. É importante lembrar que principalmente cachorros grandes precisam de áreas maiores e quando confinados em áreas menores, precisam de pelo menos uma hora de passeio diário para se manterem saudáveis física e mentalmente. Produtos tóxicos ou pequenos suficientes para serem mastigados e provocar engasgos não devem ser deixados ao alcance dos cachorros, principalmente se ainda forem filhotes .


Caso ele viva dentro de casa ou apartamento, objetos quebradiços também devem ser mantidos à distância. Apartamentos com janelas baixas devem ter redes de proteção para evitar quedas. E também recomenda-se que se faça a Castração, Se por algum motivo o cachorro que você adotou ainda não foi castrado, é necessário fazê-lo. O procedimento, preferencialmente, deve acontecer entre o segundo e o sexto mês de vida. Pois a castração evita doenças como o câncer de mama nas fêmeas, certos comportamentos indesejáveis como a marcação de território dos machos.


Comportamentos agressivos, latidos, uivos e o sério problema que é o da super-população de cachorros, que acabam depois abandonados na rua. E também é necessário que se faça o Registro do cachorro, pois ao Identificar o seu cachorro aumentam as chances de que ele volte para o lar no caso de uma fuga, permitindo que se localize os proprietários do cachorro. Em muitos municípios o registro de cachorros é obrigatório e pode ser feito pelo uso de plaquetas ou microship que contêm um número de registro, nome do proprietário e telefones para contato.


Nas cidades onde a prefeitura não realiza o serviço, clínicas particulares podem fazê-lo. E O Brasil tem a lei ambiental (Lei N° 9.605) que fala sobre as relações do homem com os animais e algumas cidades possuem códigos ainda mais específicas para animais domésticos. Em São Paulo e em Santa Catarina, por exemplo, cachorros não registrados que estejam transitando em ambientes públicos podem ser apreendidos e/ou os seus donos multados. Consulte a legislação da sua cidade! E Assim que adotar o seu cachorro deve-se também leve-lo ao Veterinário para um check-up geral para  saber se está tudo bem com ele. De atenção especial para a vacinação, caso ele não esteja com todas as vacinas em dia, é importante atualizá

Fonte: www.arcabrasil.org.br 

COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado

.COMO ACABAR COM AS PULGAS!