.

quinta-feira, janeiro 20, 2011

Castração-Mitos-Cachorros.



Castração-Mitos-Cachorros: Existem muitos mitos e preconceitos infundados a respeito dos efeitos que a castração pode provocar nos cachorros. Com ideias pré-concebidas como por exemplo, de que os cachorros castrados tendem a engordar de forma excessiva após a castração, o que é uma inverdade e um exagero, pois o cachorro após a castração, realmente por ficar mais tranquilo e caseiro, tem consequentemente uma sensível diminuição nas suas atividades físicas, mas sem uma influencie tão significativa no peso corporal do cachorro, e para compensar esta diminuição no ritmo no ritmo, basta fazer mais exercícios, caminhar um pouco mais ou diminuir a quantidade de ração oferecida ao cachorro.


Fazem também um calculo errado e precipitado em relação aos custos da castração, com alegações do tipo "E caro, e eu não posso pagar!", outro engano, pois os custos para o procedimento de uma operação de castração, serão amplamente compensados por futuros custos como despesas com veterinários, alimentação, vacinas, etc. do cachorro e suas crias, e também posteriormente eventuais despesas com cirurgias e medicamentos decorrentes de doenças em cachorros não castrados como a Piometria entre outras. E atualmente, não tem nem o que se alegar, pois há várias clínicas que realizam castrações a preços reduzidos e também, inclusive facilitam o pagamento.


Outra desculpa comum, é de que “eu dou um jeito, e sempre arrumo pra quem dar os filhotes", entretanto ao invés de se tentar remediar, é muito mais simples e seguro se evitar. Pois uma fêmea pode ter até 10 filhotes por gestação, e que depois cresceram e terão outras crias, multiplicando geometricamente o problema. Então para quê deixar novos filhotes nascerem, se não há uma certeza ou segurança sobre seu futuro, pois se já não há responsáveis ou lares suficientes para os que já existem. Então fazer o que com os filhotes que ninguém quiser? E os futuros donos ou responsáveis, tratarão dos cachorros tão bem como você? Não se deve esquecer que muitas vezes um cachorro só é atraente enquanto é um filhote.


E mesmo que a pessoa prometa trata-lo bem, o cachorro pode muitas vazes vir a ser maltratado, negligenciado e até abandonado. E provavelmente se juntará a legião de cachorros abandonados nas ruas que passam por todo tipo de privação e sofrimento.  E também há um receio de que o cachorro perdera sua coragem e vivacidade, com argumentos como “Ele não tomará mais conta da casa.” No entanto, estes são receios e argumentos que não procedem, pois os cachorros castrados não perdem o seu instinto de proteger seu território. O que eles realmente perdem positivamente falando é o seu instinto de demarcar território, e consequentemente o costume de urinar em diversos lugares da casa.


Outra alegação comum sobre as fêmeas e de que “Mas ela precisa ter pelo menos uma cria”, ou também  porem ter uma cria não acrescenta nada de positivo a saúde da cadela, e sim mais problemas. Pois diversas pesquisas mostram que, quanto mais cedo for realizada a castração, menores as chances da fêmea desenvolver câncer de mama, e a castração também prevenirá o surgimento de Piometria, doença frequente em fêmeas adultas.


Ou também que “Eu estarei interferindo na natureza do cachorro”, não, o cachorro(a) não tem escolha quanto à natalidade, segue apenas o seu instinto. E e dever do dono ou responsável, intervir e prevenir nascimentos indesejados, agindo da maneira mais correta. O cachorro(a) será beneficiado e não subtraído de algo. Outro argumento comum, é a de que o "cachorro vai sofrer", absolutamente não, pois a cirurgia é feita sob efeito de anestesia geral, sendo portanto indolor para o cachorro. É também é relativamente simples e rápida, e com um pronto reestabelecimento, só precisando de alguns poucos cuidados no pós-operatório.

COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado

.COMO ACABAR COM AS PULGAS!