sábado, junho 04, 2011

Skye Terrier - Cachorros.



Skye Terrier - Cachorros: Skye terrier é uma raça canina de pequeno porte e de pelos compridos originária da Escócia. Considerada a raça terrier mais antiga que ainda existe, foi nomeada após a ilha de Skye, local no qual é conhecida a mais de 400 anos, desenvolvida pelos fazendeiros locais. Sua função era a de caçar raposas e outros roedores menores. Uma das primeiras raças a participar de exposições em Birminham, mudou sua aparência durante esses anos: antes, suas orelhas eram caídas e menos peludas. De aparência exotica, tornou-se bastante popular. Entre os cães mais famosos desta raça está Greyfriars Bobby, que tornou-se conhecido após a morte de seu dono: por quatorze anos, o pequeno cão recusou-se a ficar longe do cemitério por sequer um dia até sua morte em 1872.
O Skye Terrier é o terriers escocês mais antigo que ainda existe. Deve seu nome a uma ilha chamada Skye, onde se conhece a raça a mais de 400 anos. Originalmente desenvolvida pelos fazendeiros locais, tinha por função a caça das raposas e outros pequenos roedores. No século 19, a raça era bastante diferente do seu aspecto moderno: tinha orelhas dobradas com menos pêlo, a cabeça era menor e pesava somente 6 kg. Faz parte da família dos terriers escoceses juntamente com o Cairn Terrier, o Scottish Terrier e West Highland White Terrier.
Foi no século 19 e graças a dois episódios que o Skye Terrier conquistou espaço e popularidade junto à aristocracia inglesa. Conta-se que em 1840, uma senhora de nome Mrs. Pratt passeava com seus cães no Hyde Park em Londres quando os dois Skies encontraram pegadas de texugo e lançaram-se à caça do animal. Foi tanta a repercussão do fato que a própria rainha Vitória fez questão de conhecer os cães e à Msr. Pratt não restou outra opção senão oferecer à soberana um de seus exemplares. O Skye Terrier ganhava os salões da realeza e sua popularidade cresceu instantaneamente. Sua aparência exótica e sua pelagem exuberante também ajudaram muito no aumento de sua popularidade.
O segundo episódio, ocorreu em Edimburgo em 1858. A emocionante história de Greyfriars Bobby, que mais tarde foi filmada pelos estúdios Disney no filme Greyfriars Bobby. Greyfriars Bobby era um cão da raça Skye terrier que se tornou muito famoso em Edimburgo(Escócia) quando seu dono, John Grey, morreu e foi enterrado no cemitério Greyfriars Kirkyard, em 1858. Por 14 anos após a morte de seu dono, Bobby recusou-se a permanecer longe do cemitério uma noite sequer, até sua morte, em 1872.
A raça foi também uma das primeiras a participar das exposições caninas em 1860, na cidade de Birminham).
Com todo esse histórico, o Skye foi facilmente adotado pela aristocracia inglesa e mais tarde, ganhou espaço como cão de companhia, muitíssimo bem adaptado a espaços urbanos.
No Brasil, a raça ainda é rara mas existem criadores investindo na sua divulgação.
Muito resistente e valente o Skye é do tipo de cão que elege um dono entre os membros de sua família a quem ele se entrega totalmente. É muito extrovertido com os de casa, mas reservado com estranhos.
Muito sociável com crianças, o Skye não deixa de ser um terrier e como tal, é bastante valente e destemido com o relacionamento com outros cães. Assim, caso o proprietário tenha outros animais em casa, deve tomar especial cuidado no relacionamento entre eles.
Apesar de ser, atualmente, um cão de companhia, não é conveniente supor que seus instintos tenham sido apagados. Por isso, deve-se tomar muito cuidado quando o objetivo é um passeio no parque, para que o Skye não desapareça atrás de uma presa.
Sua pelagem longa requer cuidados especiais do dono, principalmente após passeios ao ar livre e no campo, quando poderá ´trazer para casa´ boa parte das folhas e galhos que estiverem caídos no chão.  A raça não deve ser tosada. Possui um subpêlo curto, fechado, macio e lanoso e o pêlo é longo, duro, reto, assentado e sem cachos. Na cabeça, o pêlo é mais curto, mais macio, escondendo a face e os olhos. Misturando-se com os tufos laterais, franjados, circundando as orelhas e permitindo a visualização do seu perfil.
A raça admite as cores preto, cinza escuro ou claro, baio, creme, todos com preto, no focinho e nas orelhas. Todas as cores sólidas podem ter sombreados da mesma cor e subpêlos mais claros, desde que as orelhas e o focinho sejam pretos. Uma pequena mancha branca, no peito, é permitida.
Em seu livro "A Inteligência dos Cães" o psicólogo Stanley Coren classificou o Skye Terrier em 55º lugar entre as raças mais inteligentes.
Nos Estados Unidos os cães da raça costumam participar de diversas atividades incluindo o agility.
Os filhotes são ativos e curiosos e devem ser educados desde cedo, evitando que desenvolvam uma personalidade dominante que prejudique o convívio doméstico. O adestramento básico de obediência é extremamente recomendável para cães que possuam estas características de independência e, de maneira geral, os resultados aparecem tanto mais rápido quanto maior for o envolvimento do dono no processo de treinamento.
Não devem ser deixados sozinhos por longos períodos, uma vez que sua curiosidade e necessidade de atividade farão com que procurem alguma distração, o que nem sempre trará resultados agradáveis para o dono.
E apesar de ser um cão muito rústico e com uma saúde bastante boa, a raça apresenta pré-disposição a algumas doenças:

Atrofia progressiva da retina

Subluxação da patela

Alergias – especialmente à comidas e a pulgas

Perdigueiro Alemão - Cachorros.



Perdigueiro Alemão - Cachorros: A perdigueiro alemão (em alemão: Deutscher Wachtelhund) é uma raça canina originária da Alemanha. Seu surgimento não é exatamente especulado, embora haja uma data para a primeira vez que foi reconhecido, 1720, ano no qual apareceu sob o nome de stober. Apesar de seu faro ser sua principal característica, chegou a beirar a extinção até o começo do século XX, quando um grupo de caçadores alemães resolveu recriar estes caninos. Ainda que se desconheça os cruzamentos realizados, sabe-se que o cocker spaniel inglês o os cães d'água europeus estiveram envolvidos. Mesmo sendo considerada uma raça multifuncionall, é rara fora de sua terra natal.
Fisicamente é um animal de pelagem não muito londa, com um subpelo isolante e repelente a água, de 
cores que variam entre o marrom e o mesclado entre marrom e branco. De porte médio, é mais longo que 
alto podendo chegar a medir 51 cm e pesar 30 kg.

Braco Alemão/Pelo Duro - Cachorros.



Braco Alemão/Pelo Duro - Cachorros: O Braco alemão de pelo duro (em alemão: Deutsch Drahthaar), também conhecido apenas por Drahthaar, é um canino de aponte oriundo da Alemanha. Esta raça foi desenvolvida através de cruzamentos entre pointers, poodle-pointers, airedales e griffons, para tornar-se um canino versátil e praticamente inatingível graças a sua dura pelagem, que o tornam resistente às mudanças climáticas e seus rigores. É ainda considerado o mais polivalente entre os cães de aponte, já que se adapta facilmente a qualquer situação de trabalho, em particular na água. Apesar disso, é pouco comum fora de sua terra natal.
O Braco Alemão de Pelo Duro ou Drahthaar é o cão de aponte germânico mais recente e em seu país de origem, muito popular.
Desenvolvido na Alemanha a partir do acasalamento dos Pointers (Inglês e Alemão), Poodle-Pointers, Airedales e Griffons, os criadores conseguiram desenvolver um cão muito versátil e quase inatingível em sua pelagem dura, que faz com que seja resistente às intempéries do clima.
Com o excelente desempenho da raça no campo, vários criadores de Poodle-Pointer esmeraram-se em desenvolver a nova raça e em 1910, criaram o clube do Deutsch Drahthaar. Com a criação do clube, o sucesso da raça na Alemanha se intensificou e apenas 2 anos depois já haviam 700 cães registrados no livro de origens do clube.
Considerado um dos mais polivalentes cães de aponte, tem enorme facilidade em desenvolver seu trabalho em qualquer ambiente e principalmente enfrenta a água sem medo.
Dotado de grande instinto de caça e realizando um excelente trabalho na tarefa de recuperação da presa abatida, atua bem também na caça de animais de pelo, como o javali e a lebre. Foram estas qualidades que fizeram com que sua população superasse, muitas vezes, a de seu ancestral de pelo curto em seu país de origem.
Apesar de todas estas qualidades, fora da Alemanha a raça não era muito popular, chegando aos Estados Unidos apenas depois da 2ª Guerra. O American Kennel Club reconheceu a raça apenas em 1959 e já em 1961 ganhou pela primeira vez uma competição de caça realizada em solo americano.
No Brasil, em função das restrições à caça é bem menos conhecido do que a variedade de pelo curto, mas, aos poucos, ganha mais adeptos que estão realizando importações de exemplares americanos e alemães.
Além de suas habilidades como cão de caça, o Drahthaar é um cão de grande energia e muita resistência. Estas são as qualidades que fazem com que seja uma estrela nos campos de caça e exijam de seu dono um comportamento compatível.
Trata-se de um cão que precisa de um dono experiente e que saiba como conduzi-lo para que não seja vencido pela ´teimosia´ típica da raça, que, uma vez controlada, faz com que seja um excepcional companheiro.
Sua pelagem dura exige poucos cuidados por parte dos donos, sendo necessária apenas escovação para manter seu brilho natural e evitar o acúmulo de pelos mortos. É aceito, segundo o padrão da raça em diversas cores e padrões, sendo o fígado a cor mais comum.
Na escala de inteligência elaborada por Stanley Coren, em seu livro A Inteligência dos Cães o Drahthaar está na 44ª posição, o que se reflete na sua resistência ao aprendizado ´fácil´.
Além de suas habilidades no campo, seu temperamento o indica também como cão de guarda. É um cão bastante afetuoso com sua matilha doméstica, mas não é recomendado para aqueles que não possam proporcional exercícios constantes e atenção.
Normalmente se dão bem com crianças a quem conquistam com sua energia inesgotável e até mesmo com outros cães, mas seu instinto de caça aguçado não o recomenda para quem possua felinos ou pássaros.
Os filhotes são tão plenos de energia quanto seus exemplares adultos. Podem ser bastante arteiros quando filhotes e por isso mesmo é indispensável que tenham um líder claramente definido a quem possam respeitar.
Para aqueles que pretendem utilizar suas qualidades para caça, recomenda-se um treinamento específico, uma vez que é necessário que haja um "timing" perfeito com o caçador.
Segundo o novo padrão da raça e as determinações do país de origem, os filhotes não devem ter mais sua cauda amputada.
O Drahthaar  é um cão rústico que tem poucos problemas de saúde.

Obesidade

Entrópio

Para cães que vivem em campos deve-se observar constantemente a presença dos carrapatos que podem transmitir diversas e graves doenças, chegando até mesmo a matar os animais por causa de hemorragias e mesmo anemias.

Schipperke - Cachorros.



Schipperke - Cachorros: O Schipperke, cujo significado é "pequeno pastor" no dialeto Flemisch, é uma raça canina de pequeno porte, tendo tido origem do começo do século XVI na Bélgica. De aparência lupóide, ou seja, são cachorros parecidos com os lobos, o Schipperke é conhecido por sua pelagem totalmente negra, vasta e felpuda. Sua origem é a mesma do Pastor Belga, Groeendael, Tervueren, Malinois e Laekenois, sendo provavelmente descende de uma antiga raça de pastores negros de porte médio chamada leauvenaar, que era muito utilizada como cachorro de pastoreio, guarda e caça. Inicialmente criado para também pastorear, caçar e guardar, o skipperke foi supostamente utilizado em barcaças de Flandres e Barbante.

Por conta disso, recebeu a alcunha de "pequeno capitão", apelido este posteriormente classificado como erro de tradução segundo especialistas na raça. Pois estudos do cinófilo Chales Huge, posteriormente identificou os "cachorros barqueiros" como de uma outra raça, levando a origem do skipperke para a região de Lovaina. É dito ainda que esta raça foi a favorita de trabalhadores e sapateiros em um bairro de Bruxelas pelos idos de 1690, sendo popularizada, dois séculos adiante, graças a rainha Maria Henriqueta da Bélgica. O temperamento do schipperke e sua energia tornaram-no um bom cachorro para o agility e provas de obediência.

Descrito como ativo, é um cachorro bastante adaptável, embora necessite de treinamentos e exercícios. Fisicamente seu porte e peso varia entre 3 e 9 kg, porem tem como padrão oficial entre 4 a 7 kg, e medindo de 30 a 36 cm na cernelha. Sua pelagem é abundante e reta com subpelo, formando juba, crina, colar e culote, seu corpo é musculoso e seu tórax é fundo. É ainda classificado como bastante dócil com crianças e outros animais, embora alguns afirmem ser por vezes pouco tolerante com outros cachorros. As características da raça praticamente não sofreram alterações ao logo dos anos, com exceção da cauda que antigamente era amputada e atualmente permitida, sendo inclusive a amputação desaconselhada ou impedida pela maioria dos clubes mundiais.






COMPARTILHE A POSTAGEM.

COMPRE E RECEBA EM CASA! COM TODA COMODIDADE, SEGURANÇA E RAPIDEZ.

,

,

CURSO DE VIOLÃO: EBOOK + VIDEO AULAS - TOTALMENTE GRATIS!