sexta-feira, julho 08, 2011

Molossos Assirios - Cachorros.



Molossos Assirios - Cachorros: Os Molossos Assirios tem origens milenares, pois remontam cerca de 3.200 AC, sendo contempôranios dos grandes imperios da historia antiga como os Babilonios, os Assirios, os Romanos, Gregos entre outros. E deles se originaram as outras raças de molossos europeus, sendo entretanto, todos descendentes do Mastim Tibetano, que é a origem de todos os cães molossóides, E o termo Molosso é utilizado para a classificação tipica de todas as raças de cachorros de grande porte, massivo e robusto, que possuem a cabeça grande, o focinho curto, e a pele relativamente solta. Pois existem 4 tipos de Canis Familiaris Leineri, que deram origem aos lebreiros. Os Canis Familiaris Matris Optimae, que deram origem aos pastores. Os Canis Familiaris Intermedius, que deram origem aos bracóides e aos cães de presa. 


E os Canis Familiaris Inostranzewi, que deram origem aos molossóides, e há ainda a variedade de pelo longo como os São Bernardo, que se desenvolveram nas montanhas e os de pelo curto nas planícies. E encontra-se no British Museum, um baixo relevo encontrado no Palácio Real de Nínive, do séc. VII AC. Trata-se de uma cena de caça com o rei Assurbanipal. Os cães que aparecem junto dele, são grandes, fortes, musculosos e compactos, focinho curto e pelo raso. Pois os Sumérios, Babilônios, Hititas, Assírios criaram, aprimoraram e desenvolveram  esses grandes, fortes e ferozes cachorros. Sendo então os molossos difundidos entre todos os povos da antiguidade que viviam no Mediterrâneo adquirindo caractéres étnicos próprios. O filósofo grego, e pai da zoologia, Aristóteles, escreveu sobre este grandes cachorros. 


Pois Já nessa época falava-se e interessava-se muito sobre os tipos e raças de cachorros e suas origens. Chamando-os pelos nomes de regiões de onde vinham ou onde eram encontrados. Como Cão do Egito, Cão de Esparta, por exemplo. O cão grego era conhecido como o molosso de Épiro, um Estado da Grécia Antiga na região da Molosside ou Molossia. Quando Alexandre esteve na Äsia ficou entusiasmado com os portes e tipos de cachorros que encontrou e trouxe muitos para a Grécia. No livro III da obra "De animalisbus história" de Stagirita, temos: "Na verdade, em Épiro, são grandes os quadrúpedes, mas especialmente os bois e cães..." O molosso de Épiro, como ficou conhecido, deu origem alem de outros molossos, tambem ao atual Mastim Napolitano. Ele pode ter entrado na Itália com os conquistadores que formaram a Magna Grécia, ocupando toda a Itália meridional, na altura do séc. VIII AC..De certo, alguns cães já vieram nesta época. 


Podem Ter sido trazidos outros, mais tarde pelos romanos que conquistaram o Oriente em 160 AC e também se encantaram com os animais que viram por lá. Em Roma, conhecidos como lutadores imbatíveis, temidos, ferozes, os mastins acompanharam os romanos pelas terras conquistadas, sendo usados na guerra na caça, na guarda do acampamento e lutavam em arenas e circos contra cristãos e leões. Das arenas, passaram para a guarda pessoal, mantendo os estranhos e indesejáveis, afastados. Em cerâmicas de 1.660 DC, vemos cenas de caças onde estes cães aparecem com as orelhas amputadas. No museu de San Martino por exemplo, em Nápoles, encontramos um presépio feito em argila, belíssimo, com centenas de figuras, bem coloridas, com os mínimos detalhes, feito em mais ou menos 1.700 DC, e entre homes , mulheres e crianças, bois e cabras, vemos os molossos semelhantes aos de hoje.

COMPARTILHE A POSTAGEM.

Visualizações de página do mês passado

.COMPRE E RECEBA EM CASA! COM TODA COMODIDADE, SEGURANÇA E RAPIDEZ.

.COMPRE E RECEBA EM CASA! COM TODA COMODIDADE, SEGURANÇA E RAPIDEZ.
.

.

.
.