.

segunda-feira, agosto 22, 2011

Fisioterapia - Cachorros Idosos.



Fisioterapia - Cachorros Idosos:  Igualmente como ocorre com os seres humanos, com o passar dos anos os cachorros tambem são acometidos e de forma equivalente sofrem os efeitos decorrentes da idade. Pois todo o sistema músculo esquelético, que é constituído pelos músculos, articulações, tendões e ligamentos são extremamente afetados pelo desgaste provocado pela idade. E no caso cachorros que praticam exercícios ou atividades físicas intensas ou participam de jogos ou esportes caninos é muito comum o aparecimento de lesões por esforço repetitivo, e a consequente manifestação e desenvolvimento de processos crônicos como osteoartrose, tendinites, desmites e lombalgias. Nos cachorros ocorre uma diminuição progressiva, porem significativa da movimentação, é quando começam então a se movimentar menos, diminuem a sua frequência de passeios e passam uma maior quantidade de tempo dormindo. Inclusive muitas vezes isto pode estar associado a dores crônicas, principalmente se é notada uma dificuldade do cachorro para se levantar, subir escadas, se posicionar para urinar ou defecar e se tambem apresenta claudicações ou manca intermitente. As causas podem ser as osteoartroses, atrofias por desuso, lesões na coluna e a progressão de afecções como displasia coxo-femoral e a síndrome da cauda equina entre outras. O tratamento e o controle das dores crônicas em cachorros idosos pode se tornar um grande desafio para os médicos veterinários e os responsáveis, pois a grande maioria das afecções o sistema músculo esqueléticas e que acometem os cachorros nesta faixa etária não possuem uma cura definitiva. E o tratamento em geral objetiva o alivio da dor e é feito através de medicações analgésicas como anti-inflamatórios não esteroidais, corticóides e em casos severos opióides. Entretanto, o uso prolongado destes medicamentos, provoca efeitos colaterais que tambem são bastante prejudiciais ao organismo dos cachorros, fazendo com que muitas vezes o controle da dor seja dificultado por outros problemas como, por exemplo, as ulceras gástricas. E a fisioterapia principalmente nestes casos pode ajudar siginificadamente, melhorando as condições do quadro clínico apresentado, não de forma alternativa, mas atuando como complemento ao tratamento clínico. E entre as técnicas mais utilizadas para promover o conforto dos cachorros acometidos, destacam-se a eletro acupuntura e outras modalidades de eletroterapia como a eletro estimulação transcutânea de baixa frequência, massagem, luz infravermelha e crioterapia. Na medicina humana é comum o conceito de que a ausência de movimentos é prejudicial, causando aderências em tecidos, fibroses, diminuição da amplitude de movimento articular e predispondo a obesidade. E o mesmo é válido para os cachorros e outros animais, com a prática de mobilizações passivas, exercícios controlados e hidroterapia é possível melhorar a qualidade de vida e a motivação diária dos cachorros idosos, tornando a sua velhice mais uma parte do processo de existência, sem que está fase de sua faixa etária se transforme em um transtorno, lhe impedindo de poder usufruir de uma plena qualidade de vida. Porém, existem alguns aspectos que são muito importantes e fundamentais para o sucesso deste tratamento, pois é imprencindivel se estabelecer tratamentos diferenciados e individuais que se ajustem as necessidades de cada caso, e se obter um prognóstico o mais rápido possível para não criar falsas expectativas nos responsáveis pelos cachorros, trabalhar em equipe mantendo sempre a troca de informações com os clínicos responsáveis e envolver o responsável como parte do processo de terapia, através de recomendações simples que efetivamente ajudam significativamente na rotina de lidar com estes cachorros especificadamente. E sempre é importante lembrar que na maioria dos casos estamos buscando um meio de conviver com uma condição promovendo melhora da qualidade de vida e não a cura definitiva. Inclusive em muitos casos não é possível se substituir o tratamento através de medicações para o controle da dor, porém pode-se diminuir a sua dose e/ou a frequência de utilização dos mesmos minimizando consequentemente os seus efeitos colaterais. E estes critérios devem ser avaliados e ajustados pelo medico veterinário juntamente com o veterinário fisioterapeuta que analisaram a evolução do quadro, pois trabalhando conjuntamente podem utilizar a fisioterapia como mais uma ferramenta para o tratamento, controle e uma consequente minimizaçaõ da dor crônica. E muitas vezes estes cachorros idosos necessitam de um acompanhamento permanente e um estímulo constante das técnicas de fisioterapia, em geral estes são os casos que não podem ficar sem a prescrição da medicação, e que já se beneficiam, devido ao tratamento fisioterapico com a diminuição e a freqüência do seu uso. Pois inclusive, a aplicação da fisioterapia para estas finalidades não apresenta contra indicações, e o seu emprego ainda tem como aspecto positivo uma maior interação entre o responsável e o seu cachorro, que vai apreciar intensamente a presença do seu responsável durante o ato de fazer exercícios fisioterapicos, e principalmente por parte do responsável é gratificante observar a melhora significativa do cachorro e tambem fazer parte de todo o processo de reabilitação. Com certeza não podemos vencer os efeitos do tempo sobre o organismo dos cachorros, mas é possível conviver com estes e aproveitar cada dia junto aos nossos companheiros propiciando conforto e bem estar em todas as etapas de sua vida.






COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado

.COMO ACABAR COM AS PULGAS!