.

segunda-feira, outubro 31, 2011

Cachorros - Doenças Hepaticas/Figado.




Cachorros - Doenças Hepáticas/Fígado: O fígado é a maior glândula do corpo dos cachorros e tambem dos outros animais, e consequentemente exerce funções diversas e extremamente complexas. E devido a isto, por causa de seu papel fundamental em muitos processos metabólicos complexos do organismo, o fígado está sujeito a diversos danos causados por uma grande variedade de doenças. E a doença hepática é caracterizada como qualquer distúrbio destrutivo ou metabólico que possam vir a acometer o fígado, e não se limitam somente a qualquer faixa etária em particular ou há determinadas raças. Inclusive, o conhecimento e os métodos de tratamento dos médicos veterinários sobre doenças hepáticas em cachorros aumentou significativamente nos últimos anos, e em consequência tem havido grandes avanços no tratamento do fígado. E os sintomas manifestados, e que são decorrentes de doenças hepáticas mais comuns em cachorros adultos incluem:





-Falta de apetite e perda de peso

-Depressão (falta de energia ou interesse em rotinas usuais)

-Icterícia (amarelamento das gengivas, parte branca dos olhos e até mesmo a pele)
Aumento da sede

-Urina de cor escura




Outros sinais de doença associadas há doenças hepáticas podem incluir tambem a ascite (acúmulo de fluidos no abdômen), gengivas pálidas e distúrbios hemorrágicas. Inclusive o abdômen do cachorro eventualmente acometido pode tambem ficar inchado e ampliado como resultado do acúmulo de líquido e aumento do fígado. E erroneamente isto leva às vezes os responsáveis a pensar que o seu cachorro está demasiadamente obeso. Entretanto, estes sintomas são muito instáveis em seu desenvolvimento, pois podem aparecer e se desenvolverem muito rapidamente ou tambem se desenvolverem lentamente. 




Inclusive outras doenças tambem podem causar sintomas muito semelhantes. Devido a isto, logo após o aparecimento dos primeiros sintomas, é imprecindivel e muito importante levar o cachorro ao veterinário imediatamente para que sejam feitos os exames necessários, pois caso haja um diagnóstico da presença de qualquer doença hepática, é bem mais fácil tanto o tratamento quanto a cura se for feito um diagnóstico logo no inicio da doença.  Entretanto existem muitas possíveis causas de doença hepática, e muitas vezes, somente um diagnóstico específico pode não ser suficiente para a sua definição, pois algumas causas incluem:






-Infecções virais e bacterianas.

-Substâncias venenosas comido pelo animal de estimação.

-Alteração do fluxo de sangue para o fígado, como resultado de doença cardíaca ou uma anomalia congênita.

-E tambem algumas raças, como Bedlingtons e West Highland White Terrier, não metabolizam e não excretam o cobre do organismo como deveriam.




Pois quando há suspeitas da presença de doenças do fígado, os seguintes testes de diagnóstico podem ser usados pelos veterinários, que incluem a palpação abdominal (sensação de abdômen para anormalidades) que podem dar uma indicação do aumento do fígado. E o exame da língua e gengivas é usado para avaliar a presença ou ausência da descoloração amarela associados a icterícia. Provavelmente será necessário tambem que seja feita a coleta de uma amostra de sangue do cachorro para que seja submetida à um exame e uma avaliação laboratorial, inclusive o nível de algumas enzimas no sangue é frequentemente elevada quando há ocorrência de doença do fígado, e pode indicar precisamente o tipo de doença.  E a outra maneira tambem do veterinário poder conseguir descobrir se há a presença de qualquer doença de fígado e qual o tipo, é através de uma biopsia do fígado. E para determinar a evolução da reação do cachorro e consequentemente a sua resposta ao tratamento, o veterinário pode repetir periodicamente alguns destes testes. Portanto, você terá que levar o seu cachorro para re-exames periódicos, conforme indicado pelo seu veterinário. E o tratamento da doença hepática tem quatro objetivos básicos principais,que são:




-Eliminar ou remover, se possível, o agente prejudicial (como um veneno ou cobre)

-Minimizar os efeitos nocivos do agente nocivo sobre o fígado

-Incentivar a cicatrização e regeneração

-Manter a vida do cachorro até que a função hepática adequada pode ser restaurado




Inclusive o tratamento da doença hepática deverá ser diferenciado, pois dependendo do qual tenha sido a causa do dano inicial da doença do fígado que o cachorro tenha sido eventualmente acometido. Pois caso esta doença hepática tenha sido decorrente de algum trauma, pode requerer somente uma hospitalização básica, com cuidados médicos e um manejo dietético adequado, para que possa haver tranquilamente uma recuperação bem sucedida. Porem se a doença hepática foi ocasionada por uma infecção, a terapia de suporte ao tratamento poderá ser mais complexa e demorada, e tendo que incluir tambem antibióticos. Pois a doença hepática causa danos às células especificas do fígado, e a medida que mais e mais das células especificas do fígado são danificadas, o trabalho do órgão inteiro é cada vez mais reduzido e pode resultar consequentemente em insuficiência hepática. Felizmente, o fígado tem um grande poder de recuperação e uma grande capacidade de reserva e, ao contrário dos outros órgãos do corpo, tem a potencialidade de se regenerar. 




Portanto, conseguindo-se eliminar a causa e o agente nocivo e se instituir uma terapêutica adequada na dieta, as chances são grandes para uma plena recuperação.  E muitas vezes a terapia dietética é a maneira e o o método mais importante de se modificar o curso da maioria das doenças de fígado. Pois os objetivos da terapia nutricional são para reduzir os sinais de doença associada à insuficiência hepática e, ao mesmo tempo, proporcionar condições ideais para a recuperação, reparação e regeneração do fígado. E a terapia nutricional envolve o ajuste da dieta de modo que as quantidades ideais e tipos de proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas e minerais que são fornecidos ao cachorro. O objetivo é proporcionar uma nutrição ideal, no entanto, diminuir a carga de trabalho do fígado. Níveis excessivos de proteína deve ser evitado, uma vez que aumentaria o trabalho do fígado. Particular ênfase deve ser colocada na energia disponível na dieta. Essa energia deve estar presente na forma de carboidratos de fácil digestão e gorduras de alta qualidade. 




E o seu veterinário irá determinar qual a melhor dieta atende às necessidades de seu cachorro, e durante o prazo do tratamento, é fundamental e muito importante que o cachorro consuma apenas a medicação e a dieta prescrita, e nada mais. Caso contrário, a dieta poderá não vir a funcionar corretamente e o seu cachorro certamente sofrerá com essa condição, ainda mais do que o necessário. E após encerrado o período de internação, e uma vez em casa, o seu cachorro precisa-rá de ter atenção e cuidados especiais, e é muito importante que você forneça ao cachorro, livre acesso à água fresca e limpa em todos os momentos. E tambem deve-rá seguir as instruções com toda atenção e cuidado, principalmente com relação a dieta e a medicação prescrita pelo veterinário. Inclusive os medicamentos deve ser fornecidos ao cachorro, durante todo o período para o qual foram prescritos. E deve-se comunicar imediatamente ao veterinário, caso haja algum problema ou reação adversa do cachorro ao tratamento dietético ou medicamentoso. Ou tambem se algum dos sintomas caracteristicos da doença hepática não diminuírem ou se eles voltarem, deve-se contatar o veterinário imediatamente.









Aprenda os Segredos dos Melhores Adestradores ...!

Finalmente! Você poderá adestrar e educar o seu cachorro, com apenas alguns treinamentos básicos, fáceis e de simples execução. 
E o seu cachorro irá lhe obedecer fielmente de uma forma facil e natural.

Você mesmo poderá ensiná-lo a deixar de destruir suas coisas, a latir só quando necessário, ou o melhor a fazer suas necessidades no lugar correto e ainda irão passear sem arrastar você junto...




COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado

.COMO ACABAR COM AS PULGAS!