.

quarta-feira, novembro 23, 2011

Zoonose Dirofilariose - Cachorros.



Zoonose Dirofilariose - Cachorros: A doença Dirofilariose Canina em sua variável Zoonose Dirofilariose nao apresenta a mesma gravidade ou sintomas manifestados pela mesma. Inclusive na grande maioria dos casos a Zoonose Dirofilariose e assintomatica e a pessoa somente descobre os resquícios da doença em forma de nódulos benignos residuais, ocasionalmente ao fazer exames para detecção de outras enfermidades. E mesmo as pessoas que desenvolvem a doença e manifestam os sintomas, em ambos os casos tanto a doença quanto os sintomas são sem gravidade e de fácil tratamento e cura, e dificilmente apresentando gravidade ou complicações mais serias. Nos seres humanos o parasita Dirofilaria Immitis não consegue dar sequência e completar totalmente seu ciclo de vida.  E também sua ação invasiva no organismo das pessoas não tem a gravidade e nem o grau de disseminaçao devastadora por vários orgões como ocorre com a Dirofilariose Canina que acomete os cachorros.  

E a zoonose dirofilariose alem apresentar uma alta taxa percentual de assintomacidade, que chega a ultrapassar mais de 50%, e mesmo assim, quando os sintomas se manifestam são amenos, principalmente quando comparados aos sintomas apresentados pela dirofilariose canina. E geralmente nao passam de febres, dores de cabeça e tosses crônicas, decorrentes da presença de larvas do parasita dirofilaeia immitis no organismo da pessoa contaminada, pois as larvas ao avançarem e se alojarem nos pulmões, posteriormente morrem, porque nao conseguem se transformar no parasitas em sua forma adulta. E a presença nos pulmões de larvas mortas do parasita Dirofilaria Immitis causa Infecções brandas que ocasionam febres cronicas e tosses, e tambem criam nódulos benignos falsos. Que são muitas vezes confundidos equivocadamente, atraves de exames radiográficos ou ultrasonograficos com doenças graves e serias como o câncer, o que acarreta em diagnósticos precipitados com intervenções cirúrgicas invasivas e desnecessárias para se fazer a biopsia, a análise e a avaliação histológica dos tecidos. E o que muitas vezes se confirma em um erro no diagnóstico, sendo que raramente há uma necessidade de intervenção cirúrgica para estirpaçao e eliminação dos nódulos benignos. Pois somente em casos raros em que estes apresentam um maior grau de complicação da doença, juntamente com seus sintomas respectivos.  


COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado