.

sexta-feira, julho 20, 2012

Reumatismo - Cachorros.



Reumatismo - Cachorros: A origem e as causas das dores musculares ou afecções reumáticas nos cachorros podem ser em decorrência do desenvolvimento ou a presença de outras doenças, ou até pela propria faixa etária dos cachorros. Entretanto até hoje, os pesquisadores ainda não conseguiram definir e esclarecer cientificamente uma causa unica ou inicial do reumatismo em todas as suas formas agudas e crônicas, sendo considerado então como uma doença decorrente de diversas causas distintas, e que podem ser devido a mudanças bruscas de temperatura, devido a alérgias,e tambem devido a pre-existencia de outras doenças.  E alem de ter ocasionado por diversas origens. 

O reumatismo tambem se manifesta de diversas formas, pois existe um grande número de quadros clínicos relacionados entre si, pois todos eles manifestam de maneira semelhantes os sintomas principais do reumatismo, que são as dores e os edmas ou inflamações musculares. Podendo tambem se apresentar em um estado agudo ou crônico, sendo que no estado cronico as dores deslocam-se pelas articulações, manifestando-se de forma rápida e em partes distintas do organismo provocando dores e tumefações, que podem se manifestar com varios graus de intensidade e persitir tenazmente ou desaparecer tão rapidamente como chegaram, para voltarem a aparecer instanteanamente em outro local diferente. 

E estas manifestações ocorrem com maior preferência na musculatura, nas articulações ou nos nervos.  E conforme o tecido em que se apresenta a dor, pode se chamar o reumatismo de muscular, articular, ou nervoso. E as afecções reumaticas e as dores ou distúrbios musculares são problemas bastante comuns que acometem frequentemente os cachorros, estando entre as dores de maior incidência juntamente com as dores osseas e dores de ouvido. E podem inclusive serem muito debilitantes, especialmente em cachorros na faixa etária acima de sete anos ou idosos. Em geral, as dores acarretam um grande dificuldade ou até a incapacidade do cachorro em andar normalmente. 

O que provoca a necessidade de um perceptivel e considerável esforço por parte do mesmo para tentar amenizar as dores musculares ao se movimentar, devido principalmente aos musculos acometidos estarem constantemente muito inflamados, duros e tensos. E uma medicação especifica e adequada, prescrita por um veterinário pode ajudar a resolver ou melhorar em muito as dores musculares, eliminando-as ou aliviando consideravelmente a sua intensidade. Proporcionando um efeito analgesico, restabelecendo as funções do tecido muscular, diminuindo consequentemente a dor, a tensão e o desconforto muscular.

Permitindo que os musculos voltem a ficar mais maleaveis e flexiveis, e possibilitando uma mobilidade normal ao cachorro.  Entretanto, em muitos casos os medicamentos especificos prescritos pelos medicos veterinários  que geralmente são antiinflamatórios ou analgésicos, são pouco eficientes ou totalmente ineficazes ou mesmo sendo eficientes produzem grandes efeitos colaterais, principalmente quando se utilizam injeções de corticoteroides. e para os quais a intervenção cirúrgica não seria benéfica ou envolveria riscos associados com outras condições preexistentes.






Alimentação/Duvidas - Cachorros.



Alimentação/Duvidas - Cachorros: Qual a quantidade de ração que eu devo dar ao meu cachorro?
A quantidade de ração que você deve dar depende da ração que você está adotando. Em tese, quanto melhor a qualidade da ração, maior será o aproveitamento do cão e menor a quantidade necessária.
Todas as rações trazem nas embalagens as quantidades diárias recomendadas de acordo com o grau de atividade do cão e sua idade. Na dúvida, a melhor coisa é consultar o veterinário que cuida do seu cão e que conhece o tipo de atividade que você proporciona a ele.

Tenho um cachorro e um gato. O cão adora a ração do gato. Faz mal?
As necessidades nutricionais de cães e gatos são COMPLETAMENTE diferentes. Por isso existem alimentos diferentes. Não se deve substituir as rações em nenhum dos dois casos.

Posso deixar a ração o dia todo?
A não ser que não haja outra forma, é preferível estabelecer horários para as refeições. Estabelecendo horários fixos, além de você controlar a quantidade de comida ingerida pelo cão, você evita que outros animais e insetos contaminem a ração do seu cão.
O que nunca deve faltar ao seu cão é água limpa e fresca.

Quantas refeições eu devo dar para o meu cachorro?
O ideal para um cão adulto é que a porção diária de ração seja dividida em duas refeições. Lembrando sempre que no caso dos cães de guarda, a refeição deve ser evitada nos horários em que ele deve ´trabalhar´, uma vez que após as refeições o metabolismo tende a diminuir para que o organismo se ocupe da digestão.
Filhotes após o desmame devem comer de 3 a 4 vezes por dia.

Posso usar leite para amolecer a ração? É verdade que os cachorros não podem tomar leite?
Em primeiro lugar, a não ser que estejamos falando de filhotes em processo de desmame ou de cães idosos em que os dentes caíram, não há a menor necessidade de amolecer a ração. Amolecer a ração com água ou com leite faz com que ela em pouco tempo azede o que pode causar grandes diarréias ao cão.
Os cães não digerem bem o leite de vaca porque o leite de vaca é rico em lactose. Por isso, normalmente após o processo de desmame não há nenhuma recomendação para que leite faça parte da dieta do cão. E neste caso, estamos falando de qualquer leite: desnatado, gordo ou semi-desnatado.

Meu cachorro enjoou da ração. Posso trocar?
Poder, pode, mas é importantíssimo entender que, ao contrário de nós, que possuímos um aparelho digestivo capaz de digerir qualquer alimento, o aparelho digestivo do cão desenvolve uma flora intestinal específica para o tipo de alimento que ele está recebendo. Por isso, ao trocar a ração é importante fazer a adaptação paulatinamente, misturando a ração nova e a antiga em partes iguais e aos poucos ir deixando só a nova.
Caso a adaptação seja impossível, esteja preparado para enfrentar uma bela diarréia.

Até quando devo dar ração de filhote para o meu cachorro?
Normalmente para raças pequenas, considera-se adulto um cão de 12 meses. Em raças maiores este prazo vai até 18 meses. A troca de ração de filhote deve ser acompanhada e autorizada pelo veterinário, que é quem conhece o ciclo de desenvolvimento do seu cão.

Que outros alimentos posso dar para o meu cachorro?
De maneira geral, prefira sempre os petiscos e latinhas formuladas especialmente para cães. 
Frutas, exceto as cítricas, podem ser dadas com moderação e após consulta ao seu veterinário. O importante, sempre, é que o cão não troque o petisco pela refeição balanceada.

Posso dar restos de comida para os cachorro?
Não se deve dar restos de comida para cães. Especialmente diante da variedade de rações existentes.
Existem pessoas que, através de um programa alimentar balanceado, alimentam seus cães com a chamada Alimentação Natural, mas esse programa alimentar não tem nada a ver com dar restos de comida aos cães.

Meu cachorro está gordo. Como fazer para emagrecê-lo?
A primeira coisa é ter certeza se a quantidade que ele está comendo é adequada. 
Veja mais sobre obesidade e como emagrecer seu cachorro

   

terça-feira, julho 17, 2012

Alimentação - Cachorros.



Alimentação - Cachorros: Falar sobre alimentação, mais especificamente de ração para cachorros pode parecer um tema bastante simples, afinal estamos falando de uma embalagem que se compra em pet-shop ou supermercado e já vem pronta para servir. Na verdade não é bem assim, afinal aquela prateleira está cheia de tipos diferentes de rações, qual será a mais indicada para o seu cachorro?

Rações Premium? Super Premium?

Vamos começar falando em qualidade do alimento. As rações estão agrupadas conforme o tipo da matéria prima utilizada na sua fabricação. As chamadas super-premium são as que possuem melhor fonte, seguidas pelas rações premium. Vamos usar como exemplo as fontes de proteína, os cachorros apresentam um aproveitamento maior se a base da proteína for o frango ou o ovo. Essa proteína do frango pode ser dos pés, das víceras, da carcaça ou da carne propriamente dita, é claro que existe proteína em todas essas partes mas a existente na carne é de qualidade superior a todas as outras, então temos uma matéria prima de melhor qualidade na ração que utiliza essa fonte do que as rações que usam as outras, embora todas contenham proteína na sua formulação. É por isso que muitas vezes achamos uma ração muito cara perto de outra mas se formos procurar saber o porquê dessa diferença é muito provável que a matéria prima utilizada por uma seja bastante superior a outra, isso com certeza é um dos fatores.

Agora que escolhemos uma ração de boa qualidade ela estará dividida em diversos sub tipos como filhotes, adultos, alta energia, diet, e tamanho dos cachorros.

De maneira geral, um cão é considerado filhote até um ano de idade, salvo em algumas raças muito grandes onde podemos considerar ate um ano e meio, nesse período ele deverá comer a ração apropriada à sua idade e porte da raça quando adulta, isso acontece porque um filhote de maltês terá necessidades diferentes de um filhote de Dog Alemão, tanto no aporte de nutrientes quanto no tamanho do grão da ração, afinal, um cão do tamanho de um maltês terá, por volta dos seis meses, um tamanho já definido enquanto o dog alemão estará em plena fase de crescimento.

Adultos e filhotes... cada um na sua...

Muitas pessoas que já tem um cão e acabam adquirindo outro querem comprar uma mesma ração para os dois, isso é possível quando os cães ficam adultos e tem tamanhos no mínimo parecidos. Caso não exista a possibilidade de separá-los nem no momento da alimentação é mais indicado que o adulto coma a ração do filhote que está em pleno desenvolvimento, mas isso pode acarretar alguns problemas como a obesidade do mais velho devido ao aporte maior de nutrientes na ração do filhote.

No caso de cadelas prenhes o que acontece é um gasto exagerado de energia devido, principalmente, à produção do leite, que faz com que mudem as necessidades calóricas da fêmea sendo necessário alterar a ração durante essa fase fornecendo rações próprias para filhotes, o que deve ser corrigido na fase de desmame.

Existem também rações apropriadas aos níveis de atividade dos cachorros, um animal de trabalho como um cachorro que ande ao lado de um policial precisa de mais energia do que o cachorro que esta em casa esperando o seu responsável chegar do trabalho.

Diet? Light?

Quanto às rações diet, diferente do que muitos pensam, ela não é indicada somente para manter a forma. Existem rações diet para regimes ou até para manutenção do peso ideal mas o termo diet está diretamente relacionado a tratamentos como por exemplo um cachorro que apresenta problemas cardíacos vai precisar de uma dieta sem sal ou um problema renal uma dieta com menos proteína, então temos as rações com formulações já prontas.

As rações são especificas, sem duvida, o alimento mais indicado para estes cachorros, pois já vem prontas e totalmente balanceadas para serem usadas mas para isso e necessário um certo critério na escolha e conhecimento tanto do cachorro e suas necessidades quanto dos produtos que o mercado oferece, portanto caso você tenha duvidas procure o veterinário e peça a indicação do melhor tipo de alimentação para o seu cachorro, afinal ele é único e só quem o conhece pode indicar com precisão as necessidades dele.

Violência/Agressividade - Cachorros.



Violência/Agressividade - Cachorros: Esse é um problema que ocorre frequentemente entre muitos cachorros, e que preocupa muitos aos responsáveis por cachorros, principalmente os que passam diretamente por este problema. Pois há alguns cachorros que simplesmente não podem nem cruzar com outros na rua, que já demonstram imediatamente uma atitude extremamente furiosa e agressiva, enquanto outros vivem em constante conflito com os demais cachorros da mesma casa. E tanto numa situação quanto na outra, é necessário entender onde se originou esta atitude comportamental para se poder corrigi-la, vamos então analisar melhor as situações mais comuns. 

-Em que uma delas é o caso de cachorros que brigam com quaisquer outros que encontram pela rua, este é o típico caso de cachorros que foram mal socializados, e com isso acreditam que a simples aproximação de outro cachorro significa um perigo real. Isto faz com que eles sempre reajam agressivamente quando confrontado com outro cachorro. E para resolver este problema, o responsável pelo cachorro tem que fazer um trabalho de modo a acostuma-lo à presença de outros cachorros por perto, ou seja, este cachorro precisa passar pelo processo de socialização. E quanto mais jovem for o cachorro, mais fácil será este processo, e melhores serão os resultados. Um cachorro adulto que passar por este aprendizado possivelmente nunca chegará a ser um cachorro super  sociável, mas é muito possível que se consiga fazer com que ele seja capaz de cruzar com outro na rua sem atacá-lo.

-E outra situação muito comum, mas que entretanto não requer qualquer preocupação por parte dos responsáveis. São os cachorros que reagem agressivamente sempre que outro passa pelo seu portão na rua. Pois esta é uma manifestações agressiva, que não é nada mais do que a forma do cachorro da casa mostrar ao cachorro passante que aquele território é dele, e por ele será bravamente defendido. Porem em alguns casos, esta situação pode gerar a chamada agressividade redirecionada, pois o cachorro por não conseguir ou ser impedido de atacar o outro que passa na rua, acaba por atacar outro cachorro da própria casa. Se esta situação, porém, provocar grandes problemas, o melhor é afastar estes cachorros do portão, ou adaptar o portão de forma que os cachorros de dentro da casa não possam ver a rua. , eliminando-se desta forma a origem da agressividade.

-E tem a situação de cachorros machos que brigam com outros machos em locais públicos, esta é uma briga que envolve dominância, e originada muitas vezes uma má socialização. Quando o macho se desenvolve sexualmente costuma disputar as posições hierárquicas mais altas com os demais machos da matilha. Pois os cachorros dominantes conquistam a prerrogativa de poder copular com as fêmeas no cio antes dos demais, assim como tambem ter acesso à comida também antes dos subordinados, portanto ocupar uma posição hierárquica alta é muito importante para os machos. E o problema ocorre principalmente porque certos machos muito dominantes não suportam conviver com outros machos, atacando-os sempre. Estes casos podem ser resolvidos com bastante facilidade, mas requer que o responsável saia da postura de mero espectador da briga, para tomar uma postura de líder, e fazer com que seu cachorro passe a obedecê-lo,  comportando-se melhor em público.  E este cachorro tem que ser vigiado bem de perto, e na menor demonstração de contrariedade, seu responsável deve reprimi-lo, e a liderança do responsável deve ser reforçada o tempo todo. Inclusive quando este tipo de cachorro não é brecado a tempo, ele se torna bastante inconveniente, passando a ser um cachorro de dificil obediencia e quase incontrolavel.

-E tambem de cachorros que brigam com os outros da mesma casa,
e esta é uma situação cronica e bastante seria e delicada envolvendo cachorros briguentos,  e vários são os relatos de cachorros que se digladiam no quintal da casa, muitas vezes sendo inclusive necessário que tais cachorros fiquem em quintais separados definitivamente.
Algumas vezes estes comportamentos podem acontecer até com as femeas, e ser desaencadeados devido a alterações hormonais, pois algumas fêmeas quando no cio assumem uma atitude muito agressiva com outras fêmeas da mesma casa. Porem esta é uma situação provisória que dura enquanto durar o cio, ou ainda, dura enquanto durar a alteração hormonal. Nestes casos o melhor a fazer é optar pela castração da fêmea. Se ela não entra no cio, não terá esta mudança de comportamento, pois não terá alterações hormonais. Situações parecidas podem ser observadas também quando certas fêmeas logo após o parto, e no ímpeto de proteger sua ninhadas, tais fêmeas viram verdadeiras feras com os demais cachorros da casa, e até mesmo com humanos. O melhor aqui é evitar que outros cachorros tenham acesso aos filhotes, e que o menor número possível de humanos se aproxime da cria até que os filhotes tenham pelo menos 25 dias.

-Há tambem o caso de cachorros que brigam sempre, mas somente quando seus responsáveis estão por perto, trata-se claramente de um problema de hierarquia. O problema ocorre pelo fato dos responsáveis por tais cachorros se esforçarem sempre em trata-los igualmente, e então a confusão se instala definitivamente. Pois a sociedade canina é composta por posições hierárquicas muito rígidas e muito bem definidas, e por isso mesmo funciona perfeitamente. E quando os humanos resolvem tratá-los de forma igual, os cachorros recebem a mensagem de que seus responsáveis não entenderam quem é o líder canino, com isso eles brigam constantemente na frente do responsável para que este perceba quem é o líder, e o trate como tal. Outras vezes não há tratamento igual, mas os responsáveis privilegiam o cachorro subordinado, invertendo a hierarquia canina. E enquanto tais responsáveis não obedecerem a hierarquia que os cachorros naturalmente estabeleceram, jamais irão acabar com as brigas dos cachorros em casa. E para se resolver e se melhorar significadamente a convivência entre 2 cachorros em uma mesma casa, e evitar que estas brigas ocorram, deve-se procurar entender como funciona a estrutura hierarquica canina, como ela se desenvolve e como se pode agir para reforçá-la. 

-A principio deve-se procurar e identificar quem é o cachorro líder, e a melhor maneira é se ficar muito atento ao comportamento dos cachorros. Entretanto não se deve esperar, e nem se usar criterios em que a definição da liderança seja feita segundo a lógica humana. Pois nem sempre o cachorro mais velho irá ser o líder, nem sempre o cachorro maior será o líder, e nem sempre o cachorro de guarda dominará o cachorro de companhia. A lógica canina é outra, 
e deve-se ficar bastante atento no acesso dos cachorros aos brinquedos, à comida, à água, etc... 
Pois quando dois cachorros correm atrás de uma bolinha, e um deles recua na hora de abocanhar essa bolinha, para que o outro pegue, é por que o que pegou a bolinha é o líder.
E tambem quando dois ou mais cachorros passam por uma porta, ou outra passagem qualquer, o líder sempre passará primeiro que os demais.
Ou quando dois deles vão tomar água, o líder tomará água primeiro, e o subordinado irá esperar até que o líder termine, para se aproximar da água.
E quanto mais clara for a hierarquia entre os cachorros da sua matilha, mais harmoniosa e tranqüila será a convivência entre eles.

Comer Ração - Cachorros.


Comer Ração - Cachorros: É bastanter comum haver casos em que os cachorros não aceitam comer ração, porem geralmente, exceto devido a problemas de saúde ou alergia. Entretanto é bem simples e natural habituar os cachorros a se alimentarem com ração.  De maneira geral a ração industrializada é o meio mais simples, eficaz e recomendado para alimentar os cachorros. São práticas para os responsáveis e contém todos os nutrientes de maneira balanceada para que o cachorro se desenvolva bem. Inclusive principal obstáculo para que o cachorro se acostume com a ração, exceto nos raros casos em que alguns cachorros são  alérgicos a algum ingrediente contido na ração, é o proprio responsável, que sente ´culpado´ por obrigar o cachorro a comer ração. 

E como os cachorros são mestres na arte do drama, enquanto eles perceberem que se fizerem escândalo ou greve de fome ao lado da mesa vão sempre ganhar alguma coisa diferente, não vão querer comer a ração mesmo. Até porque nunca se viu um cachorro morrer de fome numa casa em que se tenha comida, portanto o caso simples, basta criar o hábito no cachorro de comer ração. Inclusive se ele sempre comeu comida caseira, o ideal é ir misturando ração à comida e aos poucos ir diminuindo a quantidade de comida e aumentando a de ração. Fixar horários de alimentação também é essencial, o ideal é forneçer a ração duas vezes ao dia, para cachorros adultos. Porem, caso ele não coma, simplesmente retire o prato, certamente na próxima vez ele vai pensar melhor. Evitar dar petiscos fora dos horários das refeições também é um otimo começo. 

quarta-feira, junho 13, 2012

Doenças/Carrapatos - Cachorros.



Doenças/Carrapatos - Cachorros: O carrapato, é um ectoparasita hematofago, que alem de ter entre suas vitimas animais como cachorros, gatos, bovinos, equinos e até galinhas , também pode parasitar e transmitir doenças para os seres humanos. Mas entretanto a importância que é dada a tal fator, isto é, aos carrapatos e suas doenças, ainda é muito limitada. Pois as doenças infecciosas transmitidas pelos carrapatos, precisam  ser vistas através de uma ótica mais seria, e no Brasil a questão relacionada às doenças humanas transmitidas pelos carrapatos, e mesmo a existências de algumas delas, ainda carece de que seja dada a importância devida.

E precisam ser analisadas, e trabalhadas de uma forma mais abrangente e com maior eficiência.
E entre os agentes causadores das doenças humanas transmitidas pelos carrapatos temos:
-Bactérias: erlíquias (erliquiose granulocítica e erliquiose monócita), bacilos Gram-negativos (tularemia), borréias (doenças de Lyme, frebe), riquétsias (frebers maculosas).
-Vírus: febre hemorrágica do Congo-Criméia, encefalite, febre hemorrágica de Omsk, febre transmitida por carrapatos colorado, encefalite louping ill, encefalite Langat.
-Protozoários: babesiose.

Em todo mundo, existem aproximadamente 850 espécies de carrapatos, onde todos possuem características semelhantes, como artrópodes aracnídeos, ectoparasitas de vertebrados terrestres. Dentre estas espécies, 680 delas pertencem à família ixodidae e 170 a família agarsidae, desta forma, os carrapatos são mais do que simples vetores de doenças, ao quais agem como reservatórios, transmitindo a infecção para sua progênie através de via transovariana. Pois os carrapatos são os principais vetores de doenças animais, perdendo apenas para os mosquitos como transmissor de doenças humanas. E o seu potencial de transmitir doenças é amplo, devido a sua voracidade, a sua grande resistência ao meio externo, e a sua longevidade.

E também a capacidade de transmissão transovariana, e a manutenção da transmissão das doenças contam com períodos indeterminados. Pois o controle e o extermínio deste ectoparasita é dificultado por suas próprias caracteristicas, que são a sua grande voracidade e a diversidade de suas vitimas, sua grande capacidade reprodutiva e tambem sua grande resistência ao meio ambiente. No entanto, no Brasil, o seu grande potencial vem sendo desconsiderado, já que a única doença humana considerada como transmitida pelo carrapato é a febre maculosa brasileira.

E os tipos de carrapatos que tem maior incidência, e o que também podem parasitar os seres humanos, são  o carrapato de cavalo ou carrapato estrela, o carrapato de boi, o carrapato de galinha, e que tem como habitat normalmente as regiões rurais, e o carrapato vermelho do cão encontrado normalmente nas grandes regiões urbanas, mas também com grande ocorrência nas áreas rurais. Caso haja algum acidente envolvendo a ocorrência de picadas de carrapatos, deve-se procurar auxilio medico imediato, para um diagnóstico, e caso seja necessário, proceder com as providências devidas, como exames e medicação. 






terça-feira, junho 12, 2012

Cachorros - DAG (Doença Articular Degenerativa).



Cachorros - DAG (Doença Articular Degenerativa): Não são apenas os seres humanos que mudam os hábitos do dia a dia conforme a idade vem chegando, os cachorros também passam por isso, e é por esse motivo que é preciso ficar atento. Se o seu cachorro começar a mancar, diminuir suas atividades físicas, relutar ou ter dificuldade de subir escadas ou pular, ele pode estar com os sintomas da chamada Doença Articular Degenerativa (DAD), e esta doença é o quarto motivo que mais leva os cachorros a visitarem os veterinários.

Normalmente, os cachorros de porte grande e gigantes são os mais propensos a manifestarem a doença, entretanto observa-se tambem a DAD em cachorros de pequeno e médio porte. E segundo veterinarios especialistas em ortopedia, as causas mais freqüentes que dão inicio a DAD em cachorros são as rupturas do ligamento cruzado cranial e displasias, mas qualquer doença envolvendo as articulações pode desencadear a DAD, até mesmo a falta de movimentos articulares (sedentarismo) provoca degeneração articular.

E o diagnóstico precoce facilita o tratamento indicado em cada caso, que pode ser clínico ou cirúrgico, o primeiro sinal de dificuldade de locomoção por parte do cachorro, deve ser motivo para procurar a opinião de um médico veterinário, especialmente em filhotes, pois há o perigo da doença passar desapercebida pelos proprietários e causar problemas mais sérios com o passar do tempo. Um dos principais fatores envolvidos no aparecimento da doença é o peso do animal, que implica na carga aplicada em suas articulações, hoje em dia sabe-se que cachorros em forma, apresentam menos possibilidades de desenvolverem lesões articulares.

E tambem cachorros com idade avançada, e que tem o costume de fazer movimentos não-naturais, como pulos em excesso ou andar sobre as patas traseiras, também tem maior sucetibilidade de desenvolver a doença. Há a necessidade de exercícios e de medidas preventivas, e o ideal é que os cachorros sejam criados em pisos não lisos, com espaço para brincarem, se exercitarem, e tambem fazerem passeios diários, terem um controle do peso e uma alimentação de boa qualidade. Além disso, existem reguladores de posição da comida para cachorros altos e acolchoados que podem evitar os famosos calos de apoio nos cachorros de grande porte.

E em relação ao Tratamento, existem várias opções, que vão desde medicamentos para a amenizar a dor ou para reduzir a velocidade da degeneração articular, até cirurgias. Há também, tratamentos complementares como reabilitação física, acupuntura e homeopatia, todos vizando melhorar a qualidade de vida do cachorro e retardar a progressão da doença. pois estes são os objetivos do tratamento, porem infelizmente a Doença Articular Degenerativa não apresenta cura.

E por recomendação de médicos veterinários, deve-se evitar que o cachorro com DAD, fique subindo e descendo escadas, mesmo que ele não manifeste desconforto ou dor, pode-se manter os passeios, porem algumas brincadeiras que exijam muito esforço ou energia devem ser abandonadas. E em casa deve-se evitar que o cachorro faça movimentos que não sejam naturais, para impedir o agravamento de seu quadro, pois a DAD alem de incuravel tambem é crônica.









segunda-feira, junho 11, 2012

Cachorros - Parvovirose/Cinomose Vacinas.



Cachorros - Parvovirose/Cinomose Vacinas: As Vacinas V8 e V10 (não confundir com motores de F1), podem evitar muito sofrimento aos cachorros e diminuir consideravelmente o aumento dos casos de Cinomose e Parvovirose, que são doenças gravíssimas e que matam milhares de cachorros todos os anos. E é um procedimento clínico simples, indolor e de baixo custo, com duração média de aproximadamente dez minutos, e o cachorro estará livre destas doenças fatais, que tem um tratamento dispendioso e mesmo tratada são doenças com alto risco de óbito. Entretanto, mesmo os responsáveis estando cientes de todas os benefícios decorrentes da protecão proporcionada pelas vacinas, a vacinação dos cachorros efetivamente na prática, devido a vários motivos simplesmente não acontece. E a falta deste tipo de vacinação responde pelo maior número de entradas em clínicas e hospitais veterinários decorrentes de cachorros acometidos principalmente de Cinomose e a Parvovirose.

Pois de acordo com informações do SINDAN (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal), apenas 17% dos cachorros brasileiros estão imunizados com as vacinas V8 que protegem contra (Cinomose; Hepatite Infecciosa canina; Doença Respiratória causada por Adenovirus tipo2; Coronavirose canina; Parainfluenza canina; Parvovirose canina; e infecções por Leptospira canina e Leptospira icterohemorrhagiae.) e as vacinas V10 que agem contra a Cinomose e a Parvovirose, entre outras doenças. E segundo dados de estatísticas epidemologicas é necessário se vacinar 80% dos cachorros para se eliminar o risco de uma epidemia. Estas doenças infecciosas, que já são considerados erradicados em países como os EUA, e como já foi dito anteriormente, estão entre as principais causas que levam os cachorros a clínicas e hospitais Veterinários no Brasil. Com um grande numero de casos de Cinomose e de Parvovirose gastrenterite hemorrágica (um dos principais sintomas da forma mais comum de Parvovirose).

No primeiro ano de vida o cachorro deve receber três doses. A primeira aos sessenta dias de vida e as outras nos dois meses seguintes. e tambem o cachorro não deve sair na rua antes de ter tomado todas as doses. E segundo depoimentos de médicos veterinários, profissionais e técnicos de hospitais veterinários, laboratórios farmaceuticos e do próprio Sindan, sobre os motivos que levam os responsáveis a deixarem de vacinar os seus cachorros. pois a negligência de um cuidado tão simples, acarreta com que muitos cachorros venham a morrer ou fiquem com sequelas neurológicas irreversíveis. E o primeiro motivo alegado, a principio é o custo da vacinação, é uma economia que depois sai cara, pois são doenças com tratamento de alto custo e de difícil cura. e as vacinas tem um preço médio variando de R$ 60,00 a R$ 90,00 reais/ano. A aplicação do conjunto das duas vacinas (V8/V10), preços estes de vacinas de otima qualidade e produzidas por laboratórios multinacionais.

E no preço da vacina já está inclusa a consulta, podendo até ser paga de até forma parcelada. Mas Apesar da importância vital da vacinação para a saúde dos cachorros, a grande maioria dos responsáveis, não tem a menor preocupação em providênciar aplicação de vacinas nos mesmos. E a questão não é somente financeira, pois muitos responsáveis gastam dinheiro com superfulos inúteis, mas entretanto ignoram, relevam e negligenciam a vacinação, que é necessária e fundamental para a proteção da saúde e da própria vida do cachorro. E em relação as vacinas, os médicos veterinários e os laboratórios classificam as mesmas em duas categorias, as que são vendidas apenas para os veterinários são denominadas vacinas “éticas” e as comercializadas para outros estabelecimentos, como pet shops, casas de agropecuária e avicultoras, são chamadas de “não-éticas”. A justificativa para estas classificações é de que, apesar desses estabelecimentos terem obrigação de contar com um veterinário responsável, no entanto, nem sempre ele está presente ou a loja não segue as normas de armazenagem da vacina (para que não percam o efeito).

E estes procedimentos inadequados acabam alterando e afetando a qualidade da vacina, e consequentemente a imunização do cachorro. E a maioria das vacinas classificadas como “éticas” são produzidas por empresas multinacionais, enquanto que as classificadas como “não-éticas” são feitas por laboratórios brasileiros. E Ambas são aprovadas pelo Ministério da Agricultura, que alega fazer um rigoroso controle sobre os pontos de venda e um acompanhamento do trabalho feito pelos distribuidores. Além de uma de fiscalização intensa sobre a estocagem das vacinas. Mas devido ao motivo de serem comercializadas em pet shops e outros estabelecimentos comerciais, a maioria dos médicos veterinários não utiliza as vacinas nacionais, que inclusive têm um preço mais acessível. E de acordo com o SINDAN, apesar das vacinas produzidas por laboratórios nacionais não possuírem o mesmo avanço tecnológico e o mesmo investimento em pesquisas, tambem são consideradas eficientes.

Entretanto muitos médicos veterinários, reclamam que cachorros que foram "supostamente imunizados" por estas vacinas, acabaram desenvolvendo a doença. E que aproximadamente 50% dos cachorros que chegam em seus consultórios com Cinomose, já tinham sido vacinados anteriormente em casas de ração. A Cinomose é causada por um vírus, o Paramyxoviridae, e por ser originada por um vírus, é uma doença complexa e difícil de ser combatida, e tambem de fácil contagio. A Parvovirose se manifesta lentamente até chegar a manifestação dos sintomas neurológicos, e quando o responsável chega a levar o cachorro ao médico veterinário. Neste momento, ela já está em um estágio difícil de ser tratada, pois nesta fase, estatisticamente somente seis em cada dez cachorros conseguem sobreviver ao tratamento, mas mesmo assim, ficam com sequelas para o resto da vida, além do tratamento ser incerto pelas próprias características da doença. A Parvovirose é ocasionada tambem pela presença de um parvovírus, tendo diferentes tipos de manifestações.gastrenterite hemorrágica, ocasião quando o intestino dos cachorros é atingido, causando sangramentos cronicos e prejudicando a absorção dos alimentos. Podem ocorrer também casos de mortes súbitas, que é na forma miocárdica da doença.

E a Parvovirose por ter agir de forma mais localizada, o combate a está doença é um pouco mais facilitado do que o da Cinomose. A Parvovirose também é altamente contagiosa, podendo ser transmitida inclusive pelo ar. E a melhor maneira de proteger os cachorros, e mante-los afastados dessas fatais e terríveis doenças é imunizá-los através da vacinação e não esquecer de que se deve fazer manutenção anual da imunização. E deve-se em caso de manifestação da doença, se informar junto ao veterinário para uma orientação específica para a necessária e imprescindivel desinfecção do ambiente em que cachorros doentes habitaram. Pois os desinfetantes comuns encontrados no mercado não são suficientes nem eficientes para a desinfecção do local. Caso não sejam tomadas estas providências, todo cachorro não-imunizado que habitar este local posteriormente, terá grandes chances de se contaminar. Pois há relatos de casos de vários cachorros serem contaminados seguidamente por Cinomose de uma mesma casa. pois está família adquiria um novo cachorro sem antes desinfetar o ambiente.





domingo, junho 10, 2012

Cachorros - Tratamento/Vermes.



Cachorros - Tratamento/Vermes: Muitos responsáveis por animais, principalmente de animais domésticos como cachorros, não sabem ou não dão a importância devida para a vermifugação destes. E acabam ignorando que a grande maioria dos parasitas que colocam em risco a saúde de seus cachorros,  são parasitas classificados como zoonóticos, isto é, parasitas que também podem contaminar e causar enfermidades aos seres humanos, enfermidades estas que são denominadas de zoonoses.

Geralmente, os sintomas e as lesões estão causadas por estas zoonoses, estão associados com a espécie do parasita e também com a quantidade do mesmo no organismo do cachorro.  Mostrare-mos abaixo, qual é o período e o prazo correto, e a frequência adequada  para se fazer a vermifugação nos cachorros, mas para melhores resultados, e também para uma maior garantia da saúde de seu cachorro, é recomendável consultar um médico veterinário. Para os filhotes de mães não vermifugadas, a primeira dose de vermífugo deve ser administrada aos 21 dias de idade, e a segunda aos 36, e a terceira aos 57 dias de idade.

Em seguida, repete-se 1 ou 2 vezes este procedimento antes do término das vacinas, que geralmente ocorre num prazo de 150 dias. E após os 60 dias de vida, é necessário que se realize o exame de fezes, o chamado coproparasitológico. Para os filhotes de mães vermifugadas, a primeira dose de vermífugo deve ser administrada com 40 a 35 dias de vida, e após 15 dias a dose deve ser repetida, repetindo-se a o procedimento 1 ou 2 vezes ao longo da vacinação. E também, após os 60 dias de vida, é preciso que se realize o exame de fezes, ou coproparasiotológico.

Para os cachorros adultos, a vermifugação deve ser realizada de 2 a 3 vezes por ano, sendo válido ressaltar que a vermifugação é essencial para todos os cachorros. Sendo que o melhor, e o mais recomendado é que a vermifugação, seja realizada logo nos primeiros dias de vida do cachorro e posteriormente durante todas as fases de sua vida, desde a fase jovem, passando por adulto até idoso, e deve ser feita pelo menos 1 vez ao ano. No entanto, a frequência da vermifugação vai depender também do ambiente em que o cachorro vive, e da quantidade de cachorros existentes neste mesmo local. E mais importante, o seu cachorro só deve ser vacinado somente quando estiver totalmente livre dos parasitas causadores de verminoses.

Dentre os sintomas que podem indicar a presença de verminoses encontram-se, falta de apetite, vômitos frequentes, emagrecimento, anêmia, fezes amolecidas ou com sangue, sintomas de pneumônia e tosse, barriga estufada ou abdômem distendido, estes são os sintomas mais comuns e perceptíveis, e que são resultantes do aparecimento de vermes parasitas no intestino do cachorro, inclusive há ainda parasitas extra-intestinais, que circulam pelo organismo do cachorro, atingindo orgões vitais como os pulmões, rins e coração. Consulte um medico veterinário para maiores orientações e esclarecimentos.


sábado, junho 09, 2012

Cachorros - Fezes Rua/Calçada.



Cachorros - Fezes Rua/Calçada: Todo mundo praticamente já passou pelo inconveniente, de pisar em dejetos ou fezes de cachorros em plena calçada, que é uma experiência bastante desagradável e malcheirosa. E a primeira reação normalmente, é praguejar e culpar o cachorro, e o pior é que se xinga e se condena o cachorro, quando ele se quer tem consciência do ato. Pois o verdadeiro culpado por essa atitude que é de total desrespeito, irresponsabilidade e desconsideração para com os outros, é o próprio dono do cachorro. Que deveria ter a conciencia e a dignidade, de retirar as fezes do cachorro da calçada ou da via pública.

Desde 2001 em todo o Brasil, varias prefeituras, criaram diversas leis municipais que prevê-em a aplicação de multas, para quem não recolher os dejetos do seu cachorro nas vias publicas. Estas multas ou penalidades, de valor irrisório, teriam a principio a função, de orientar e educar os responsáveis pelos cachorros, quanto aos procedimentos necessários e devidos em relação a esta questão. E não de causar prejuízos financeiro aos infratores. Entretanto, de 2001 ate a data atual, foram raras as autuações feitas sobre este tipo de infração.

E também nas próprias prefeituras, há uma confusão sobre qual o orgão deveria ser o responsável e atuar de maneira efetiva na fiscalização deste tipo de infração. Fica a duvida se seria o Centro de Controle de Zoonoses (CZZ), a Guarda Municipal ou até a Defesa Civil, e a todo este jogo de empurra e descaso do poder publico municipal. Soma-se a incivilidade, o desrespeito, a desconsideração e a falta educação dos responsáveis pelos cachorros que cometem este tipo de atitude. Só Para efeitos de comparação, na cidade de Nova York nos Estados Unidos, a multa para os responsáveis pelos cachorros que não retiram os dejetos de seus cachorros das vias publicas é de 100 dólares.

E a fiscalização é feita de forma rigorosa, implacável e efetiva, por profissionais designados especialmente para atuarem e autuarem este tipo de ocorrência. Entre todas as cidades do Brasil, que criaram leis relativas a esta questão, vamos tomar como exemplo a cidade de São Paulo. Onde foi promulgado um artigo que integra uma lei mais ampla, estabelecendo alem da obrigatoriedade da retirada das fezes dos cachorros, tambem a criação de um Registro Geral Animal (RGA), ou seja, o cadastramento dos cachorros junto ao CCZ. Esse procedimento, fundamental, visando principalmente no caso de perdas, o resgate e a entrega rápida e facilitada dos cachorros aos seus donos legítimos.

Também torna possível punir os maus cidadãos, que se recusarem a retirar as fezes de seus cachorros das ruas. E o mesmo princípio, pode ser aplicado aos casos de maus-tratos, acidentes e toda uma série de ocorrências, uma vez que permite de forma imediata a identificação dos responsáveis pelo cachorro. Contudo, foi mais uma lei, como tantas outras no Brasil que não “colou”, pois em todo esse tempo de vigência da mesma, somente uma quantidade irrisória de registros foram efetuados. Em comparação, com a população média estimada de cachorros na cidade de São Paulo, que é de aproximadamente 2 milhões.

Talves por questões burocráticas, e tambem a cobrança pelo registro pode ter dificultado a adesão das clínicas veterinárias, que, para serem autorizadas a expedir os RGAs, foram tambem obrigadas a pagar previamente por um lote de registros. A este quadro, somam-se outras leis, que tentam suprir os anseios dos amantes dos animais, mas não são acompanhadas de instrumentos para sua implementação. É o caso do código que obriga cachorros de certas raças, principalmente as de grande porte, a usarem obrigatoriamente focinheiras e coleiras.

E tambem, da proibição da venda de cachorros e gatos não-castrados ou da lei estadual que não permite a eutanásia de cachorros e outros animais saudáveis pelos CCZs de todo Estado de São Paulo, isto somente para citar algumas. Enquanto as duas primeiras viraram letra-morta em virtude da falta de fiscalização. A última pressupõe um programa eficiente de controle de natalidade de cachorros e gatos, algo que inexiste nos municípios do Brasil, incluindo as cidades do Estado de São Paulo. Enquanto isso, o que se resta é apelar para recursos como placas de alerta, e câmaras de segurança.

Para chamar a atenção, e tentar impedir estes verdadeiros seres primitivos, ignorantes e irracionais de cometerem estas atitudes defectivas, tão defectivas quanto seus próprio carater. Procedimentos e recursos estes, que já vem sendo utilizado em muitas cidades do Brasil, principalmente as litorâneas, que dependem do turismo. Entretanto na maioria das cidades do Brasil ainda é preciso bastante atenção ao caminhar pelas ruas, lembrando-se sempre de que o cachorro, alem de "pagar o pato", sendo xingado e responsabilizado por muitos pelos dejetos nas calçadas, acaba sendo tambem mais uma vitima inocente.

Pois não tem noção nem consciência, das consequencias de praticar suas necessidades fisiológicas em local inadequado. Inclusive tambem, não tem como andar com um saquinho na patinha para limpar a própria sujeira de seus dejetos. Entretanto o seu responsável sim, é o verdadeiro culpado, pois assim como a sujeira do cachorro deve ser retirada da calçada, este individuo agindo desta forma no mínimo incivilizada, deveria ser retirado da sociedade, pois não passa de um dejeto social.





quinta-feira, junho 07, 2012

Cachorros Idosos.



Cachorros Idosos: Quando o Bill chegou, ele era um lindo e charmoso filhotinho de poodle, com pêlo espesso e macio, todo preto, e era tão bonito que rendia elogios por onde passava. Entretanto cerca de 10 anos depois, o mascote da família começou a dar sinais que não era mais o mesmo, não tinha mas aquela energia e vitalidade de antes.  Mesmo que aos olhos dos responsáveis, os cachorros nunca envelhecem, e os filhotes nunca crescem. No entanto, a realidade surgiu de repente, ao reverem uma foto antiga, o seu pêlo que era motivo de tanto orgulho, não exibia mais a mesma cor e brilho, as manchas ao redor dos olhos e os cílios também se tornaram totalmente grisalhos, e os indícios eram mais que evidentes, Bill estava envelhecendo.


E saber identificar os sinais que os cachorros apresentam nessa fase da vida, é estar consciente dos cuidados que devem ser tomados nesta fase vulnerável e delicada de sua vida, fase esta em que o cachorro precisa-rá de todo amor e carinho. Pois para os cachorros, os sinais do tempo do relógio da vida tem uma contagem diferente, sendo que no caso dos cachorros eles também são divididos pelo tamanho, os maiores são considerados idosos a partir dos 7 anos e os menores depois dos 9, e a senilidade pode aparecer a partir do nono ano. Porem velhice não é sinônimo de doença, mas pede uma maior atenção, e deve-se ficar atento, sempre que o cachorro sinalizar quando sente alguma dor ou desconforto. 


Os sintomas manifestados na velhice, e que são apontados como os mais comuns, são o cansaço, a tosse noturna, o emagrecimento sem causas aparentes, aumento na ingestão de líquidos e na produção de urina, dificuldades para defecar, diminuição da audição e visão, dificuldades em subir e descer escadas. E estes sintomas, são indicativos que podem camuflar doenças graves como diabetes, câncer e até Doença Articular Degenerativa (DAD). O cansaço, tosse noturna e intolerância ao exercício, podem ser indícios de uma alteração cardíaca, e o tratamento e a terapia são feitos a base de dieta, atividade fisica especifica, medicamentos, controladores de pressão e diuréticos.

O emagrecimento progressivo pode ser indicio de verminose, doença periodontal, diabetes, insuficiência renal, doenças metabólicas e infecciosas, e o tratamento é feito com soroterapia, alimentação parenteral e vitaminas. Muita sede e excesso de urina, podem ser indícios de Diabetes e/ou insuficiência renal, o tratamento é feito com uma dieta específica, insulinoterapia, e castração. E volumes internos, abcessos, verrugas, cistos, tumores e câncer, o tratamento é feito com quimioterapia, laserterapia e cirurgia.Dificuldade em defecar, obstrução intestinal, constipação, hérnias, problemas de coluna, neoplasias e vermes, tratamento é feito com cirurgias, alterações na dieta, enemas e medicamentos. Opacidade ocular, menor produção de lágrimas, secreção ocular crônica e "olhos vermelhos" catarata, tratamento feito com cirurgias, e colirios específicos

Diminuição da audição, otites e surdez, tratamento feito a base de medicamentos. Dificuldade em locomover-se, andar enrijecido e problemas nas articulações, tratamento a base de Condroitina, antiinflamatórios especificos, acupuntura, homeopatia, fisioterapia e deve-se também evitar-se escadas. Aumento de peso, obesidade, tratamento a base de dieta com ração específica e fisioterapia Mau-hálito, perda de dentes, dificuldade mastigatória e acúmulo de tártaro, doença periodontal, tratamento com remoção cirúrgica, limpeza periodíca com escovação e produtos comestíveis E um simples exame de sangue e urina pode diagnosticar problemas nos rins, fígado e diabetes, já a insuficiência cardíaca pode ser detectada com auscultação, eletrocardiogramas e radiografias.

Reveja também o tipo de ração fornecida, inclusive existem no mercado muitas opções de rações especificas para cachorros idosos. Uma nutrição adequada fortalece o organismo e a saúde do cachorro, controla o seu peso evitando a obesidade e impede a formação de tártaro. E este problema bucal que é o principal causador de mau-hálito nos cachorros, e pode levar a perda de seus dentes e também facilita a entrada de bactérias em sua corrente sanguínea, causando problemas cardíacos e renais. Então evite fornecer ao seu cachorro, alimentos que facilitem o acumulo de resíduos na sua gengiva e nos seus dentes, de preferência por oferecer ração, e evite dar comida caseira ao cachorro, pois ela deixa muitos resíduos.

E escove os dentes do cachorro ao menos uma vez por semana, e a limpeza e remoção do tártaro deve ser feita anualmente no veterinário. E além de contar com os remédios tradicionais, atualmente os peludos dispõem também de tratamentos alternativos. Como a acupuntura e a homeopatia, que retardam o aparecimento de enfermidades e aliviam as dores, aumentando o bem-estar e a qualidade de vida dos cachorros. A acupuntura ajuda no tratamento de problemas articulares, e os colírios homeopáticos podem diminuir a progressão de processos oftálmicos senis etc...

Entretanto esgotadas todas as possibilidades de cura e tratamento de uma enfermidade, que compromete a qualidade de vida do cachorro, juntos o responsavel e veterinário devem decidir o que fazer. E esta decisão de extrema responsabilidade e nada simples, feita sempre com o devido acompanhamento médico veterinário, pode significar a última demonstração de amor ao querido companheiro, que é o procedimento da eutanásia. Pois qualquer sentimento de culpa deixa de existir, quando todas as possibilidades de tratamento foram levantadas, e esta é uma necessidade que se mostra absoluta, a eutanásia, que é uma palavra de origem grega, que significa Boa Morte.





Cachorros - Dedicação/Cuidados.



Cachorros - Dedicação/Cuidados: A quantidade de pessoas que desejam ter um cachorro em casa é muito grande, não importando a finalidade. Mas é importante ressaltar que ter um cachorro demanda tempo, cuidados, atenção e muito mais, fatores que infelizmente muitos donos de cachorros se esquecem. E independente do cachorro que você pretenda ter em casa, seja ele um cachorro de raça ou um vira-latas, todos necessitam de alimento, de água fresca, sentem dor e principalmente, necessitam de carinho e amor, sentimentos estes os quais ele terá sempre por você.


Desta forma, se você está interessado em adquirir um cachorro e não possui o tempo necessário para cuidar do mesmo, nem pense em adquiri-lo apenas para trancá-lo no fundo do quintal e assim dizer a todos que você possui um cachorro. Lembre-se de que um cachorro ou qualquer outro animal é uma vida, a qual necessita de cuidados básicos para viver com saúde e com bem-estar. Assim como as pessoas, os cachorros também adoecem e precisam ir ao médico veterinário para a realização de um diagnóstico e para identificar a enfermidade, para que seja realizado o melhor tratamento para a cura da mesma.

Desta forma, eles também precisam de cuidados especiais redobrados durante a presença de uma doênça, e necessitam de medicamento e tudo mais. Por este motivo, caso você não queira gastar dinheiro com eventuais problemas de saúde de seu cachorro, saiba que o melhor é você adquirir um bicho de pelúcia ou até mesmo criar um bichinho virtual, os quais não proporcionam nenhum tipo de gasto. Não adquira um cachorro para maltratar, pois você pode não ter conciência ou perceber, mas deixar um cachorro sem uma moradia digna e sem alimento é considerado maus tratos, é o que diz a Lei 9.695 de 1998.


A partir desta Lei, quando denunciado, o responsável pelo animal que é vitima de maus tratos poderá responder por crime pagando multa ou até mesmo ser preso, sendo que se houver a morte do animal, a pena pode ser multiplicada. Não seja como muitos donos de cachorros despreparados e sem responsabilidade, ou seja, não adquira um cachorro se você não tem a certeza de que conseguirá cuidar dele, pois o filhote cresce e deixa de ser fofinho e bonitinho e depois perde a graça. E abandoná-los na rua alem de ser uma crueldade e uma covardia também é considerado crime, e muito mais do que crime, é desumano.

Então, pense muito bem antes de ter ou não um cachorro ou qualquer outro animal de estimação. Pois a finalidade deste post não é te desanimar e fazer com que você não tenha um cachorro em casa, mas sim chamar a sua atenção para a posse responsavel, e mostrar que um cachorro ou qualquer outro animal, não são objetos e assim como as pessoas tem sentimentos, e necessitam tambem de atenção e cuidados para poderem viver de forma saudavel e feliz. E diferentemente dos humanos, eles dependem de alguém, e este alguém é você.









terça-feira, junho 05, 2012

Mutilaçao/Amputação - Cachorros.



Mutilação/Amputação - Cachorros: São cirurgias feitas nos cachorros com propósitos puramente estéticos ou comportamentais, como a amputação da cauda ( Caudectomia), mutilação das orelhas(Conchectomia)  e a extração das cordas vocais (Cordotomia). Conheça as consequências que cada uma destas cirurgias pode causar nos cachorros, podendo estas cirurgias inclusive serem classificadas como verdadeiras crueldades praticadas contra estes seres inocentes, devido as complicações na saúde, que cada uma delas pode originar nos cachorros, Tudo isto, apenas para satisfazer a vaidade ou não causar incomodo aos responsáveis pelos cachorros.

A cirurgia para a remoção das cordas vocais ou Cordotomia, é uma cirurgia classificada como uma "medida comportamental" pelos responsáveis dos cachorros que se aborrecem com os latidos deles. O objetivo é retirar as cordas vocais dos cachorros, para resolver os problemas causados pelos seus  latidos definitivamente, Entretanto está cirurgia na realidade alem de mutilar o cachorro, não o deixa mais silencioso, pois ele continuara emitindo grunhidos guturais, que mesmo que tenha um volume mais baixo, exigirão um grande esforço do cachorro, fazendo com que ele fique extremamente agitado e ansioso.

E o procedimento cirúrgico da cordotomia, causa um grande incomodo nos cachorros, e por ser uma modificação interna, abre diversos precedentes para complicações cirúrgicas e infecções. A cordotomia é considerada ilegal em vários países. e a solução para o latido em excesso dos cachorros, pode ser desde fazer um trabalho de treinamento, até passeios e atenção regulares, assim como brinquedos, que ajudam a reduzir bastante a solidão e ansiedade dos cachorros. A cirurgia para a amputação da cauda ou Caudectomia (amputação da cauda), O hábito de cortar a cauda dos cachorros vem da Roma Antiga, época em que os cachorros raramente tomavam banho, e essa medida podia prevenir doenças.

Hoje essas cirurgias são meramente estéticas, mas alguns poucos veterinários ainda alegam que elas têm propósitos higiénicos. Os responsáveis que se incomodarem com o acúmulo de sujeira na área caudal, ao invés de amputá-las, podem realizar a limpeza com algodão úmido ou lenços umedecidos, caso este seja um problema cronico no cachorro, são recomendáveis banhos com maior frequência, entretanto o excesso de banhos pode prejudicar a pele do cachorro. A caudectomia é tida como um processo cruel por tirar do cachorro um dos seus maiores meios de expressão que é a cauda.

Pois a cauda é utilizada tanto para demonstrar alegria ou tristeza, como para comunicação direta com outros cachorros como chamados para brincar, hierarquia entre o grupo, medo e submissão. Este procedimento cirúrgico pode muitas vazes resultar em complicações como deformações e necrose das partes mutiladas, em casos mais complicados, porém não raros, essa cirurgia pode levar à morte do cachorro. Cirurgia de corte da orelha ou Conchectomia, a orelha também tem como função comunicar alguns estados emocionais dos cachorros, como estado de alerta, apreensão ou curiosidade. E ao contrário do que se dizia antigamente, é comprovado que orelhas mutiladas e orelhas intactas apresentam os mesmo índices de infecção e, ainda há mais, uma cirurgia mal feita pode acabar com a proteção do cachorro contra a entrada de água.

O que trará grandes inflamações em decorrência do acúmulo do líquido nessa região. E também esta cirurgia apresenta um dos pós-operatórios mais doloridos que existem. Mas qual é o motivo para se infringir de forma desnecessária aos cachorros tanto sofrimento e dor,existem três “propósitos” para a realização das cirurgias ditas estéticas. Os cachorros usados para segurança como o doberman e boxer são mutilados para parecerem mais ameaçadores. Outros são mutilados por convenções da raça (pintcher, sheepdog) ou para participar de desfiles. Nesse sentido, é preciso criar uma mentalidade de que os cachorros são bonitos por suas próprias características e não podem de forma alguma serem conceituados por aparências criadas artificialmente pelos homens.






segunda-feira, junho 04, 2012

Cachorros - Verdades e Mitos/Castração.



Cachorros - Verdades e Mitos/ Castração: Existem muitos mitos e preconceitos infundados a respeito dos efeitos que a castração pode provocar nos cachorros. Com ideias pré-concebidas como por exemplo, de que os cachorros castrados tendem a engordar de forma excessiva após a castração, o que é uma inverdade e um exagero, pois o cachorro após a castração, realmente por ficar mais tranquilo e caseiro, tem consequentemente uma sensível diminuição nas suas atividades físicas, mas sem uma influencie tão significativa no peso corporal do cachorro, e para compensar esta diminuição no ritmo no ritmo, basta fazer mais exercícios, caminhar um pouco mais ou diminuir a quantidade de ração oferecida ao cachorro.

Fazem também um calculo errado e precipitado em relação aos custos da castração, com alegações do tipo "E caro, e eu não posso pagar!", outro engano, pois os custos para o procedimento de uma operação de castração, serão amplamente compensados por futuros custos como despesas com veterinários, alimentação, vacinas, etc. do cachorro e suas crias, e também posteriormente eventuais despesas com cirurgias e medicamentos decorrentes de doenças em cachorros não castrados como a Piometria entre outras. E atualmente, não tem nem o que se alegar, pois há várias clínicas que realizam castrações a preços reduzidos e também, inclusive facilitam o pagamento.

Outra desculpa comum, é de que “eu dou um jeito, e sempre arrumo pra quem dar os filhotes", entretanto ao invés de se tentar remediar, é muito mais simples e seguro se evitar. Pois uma fêmea pode ter até 10 filhotes por gestação, e que depois cresceram e terão outras crias, multiplicando geometricamente o problema. Então para quê deixar novos filhotes nascerem, se não há uma certeza ou segurança sobre seu futuro, pois se já não há responsáveis ou lares suficientes para os que já existem. Então fazer o que com os filhotes que ninguém quiser? E os futuros donos ou responsáveis, tratarão dos cachorros tão bem como você? Não se deve esquecer que muitas vezes um cachorro só é atraente enquanto é um filhote.

E mesmo que a pessoa prometa trata-lo bem, o cachorro pode muitas vazes vir a ser maltratado, negligenciado e até abandonado. E provavelmente se juntará a legião de cachorros abandonados nas ruas que passam por todo tipo de privação e sofrimento.  E também há um receio de que o cachorro perdera sua coragem e vivacidade, com argumentos como “Ele não tomará mais conta da casa.” No entanto, estes são receios e argumentos que não procedem, pois os cachorros castrados não perdem o seu instinto de proteger seu território. O que eles realmente perdem positivamente falando é o seu instinto de demarcar território, e consequentemente o costume de urinar em diversos lugares da casa.

Outra alegação comum sobre as fêmeas e de que “Mas ela precisa ter pelo menos uma cria”, ou também  porem ter uma cria não acrescenta nada de positivo a saúde da cadela, e sim mais problemas. Pois diversas pesquisas mostram que, quanto mais cedo for realizada a castração, menores as chances da fêmea desenvolver câncer de mama, e a castração também prevenirá o surgimento de Piometria, doença frequente em fêmeas adultas.

Ou também que “Eu estarei interferindo na natureza do cachorro”, não, o cachorro(a) não tem escolha quanto à natalidade, segue apenas o seu instinto. E e dever do dono ou responsável, intervir e prevenir nascimentos indesejados, agindo da maneira mais correta. O cachorro(a) será beneficiado e não subtraído de algo. Outro argumento comum, é a de que o "cachorro vai sofrer", absolutamente não, pois a cirurgia é feita sob efeito de anestesia geral, sendo portanto indolor para o cachorro. É também é relativamente simples e rápida, e com um pronto reestabelecimento, só precisando de alguns poucos cuidados no pós-operatório.





domingo, junho 03, 2012

Cachorros - Hipoalergia.



Cachorros - Hipoalergia: Existem muitas pessoas que adoram cachorros, mas que devido a sua alergia não podem nem sonhar em chegar perto, pois o seu contato ou proximidade com um cachorro, pode desencadear vários processos alérgicos. Entretanto saiba que existem várias raças de cachorros que podem ser considerados como hipoalergênicos ou “não alérgicos”, que segundo especialistas, devido o fato dos cachorros pertencentes a estas raças trocarem seus pelos com mais frequência. Esta caracteristica dos mesmos acaba possibilitando e permitindo a sua convivência com pessoas alérgicas.  Ou seja, cachorros que trocam pelos com mais frequência tendem a prejudicar menos as pessoas que sofrem de alergia. 

E as raças que possuem estas caracteristicas e tambem mais indicadas para pessoas alérgicas são as seguintes, Bedlington Terrier, Cão d’água Português, Bichon Frisé, Cristado Chinês, Maltês, Kerry Blue Terrier, Soft Coated Wheaten Terrier, Schnauzer, Pelado Mexicano e Spaniel D´água Irlandês. Entretanto não basta simplesmente escolher uma dessas raças e levar pra casa sem nenhuma preocupação, pois por mais que sejam indicados para pessoas alérgicas, deve-se levar em consideração que existem casos e casos. O que pode fazer mal pra uma pessoa, as vezes, pra outra pessoa talvez não faça. e vice-versa.Por isso, pessoas que tenham pré-disposição a alergias devem sempre consultar um médico e um veterinário antes de adquirir um cachorro, mesmo que este cachorro seja de uma raça considerado hipoalêrgicas, para evitar que haja qualquer tipo de complicação posteriormente.

Cachorros - Castração Coletiva.



Cachorros - Castração Coletiva: Todas as pessoas envolvidas e que analisam e convivem com esta questão, como veterinários, especialistas de Ongs e protetores de animais. Tem plena consciência e experiência do dia a dia, para poder afirmar com toda certeza, que a castração é o método mais pratico e efetivo. Para controlar o crescimento descontrolado da população de cachorros e gatos, e se evitar os consequentes abandonos. Pois os dados são claros e explícitos, em um prazo de seis anos, uma cadela principalmente as abandonada nas ruas ou mesmo as que tenham um responsável, porem sem o devido controle.

Pode normalmente gerar aproximadamente 64.000 descendentes, e este número é ainda maior em relação às gatas, devido a esta triste e real estatística, é de fundamental importância o controle populacional de cachorros e gatos. Para que haja uma redução no numero, de cachorros e gatos sofrendo abandonados nas ruas. E a defesa da esterilização cirúrgica (castração) é feita por este grupo de pessoas de forma atuante e constante. O que é um passo muito importante para a concientização da população, e tambem uma forma de pressionar e cobrar uma maior participação positiva por parte do poder publico.


Pois já existe uma participação efetiva que gera resultados positivos, na questão da raiva canina que esta praticamente erradicada e sob controle nas principais cidades do Brasil. Entretanto somente depois de métodos crueis,erróneos e precipitados como a pratica do extermínio nas décadas anteriores. Em nome de um suposto controle da doença, de que nada adiantou, pois o numero de cachorros e gatos continuou a crescer e se multiplicar, e a população de cachorros e gatos abandonados nas ruas acabou aumentando ainda mais. E somente após a cobrança e a intervenção das Ongs, das Sociedades Protetoras dos Animais e das pessoas que se dedicam e defendem a causa animal.

É que o poder publico mudou a extrategia de extermínio em massa, para a vacinação em massa, e que resultou em uma politica com um programa altamente abrangente, satisfatoria e eficiente. No entanto, a política adotada pelo poder público para controlar o número de cachorros e gatos abandonados nas ruas, ainda guarda resquícios dos métodos empregados anteriormente para a erradicação da raiva. E é uma herança do modelo anterior, ou seja, continuou a mesma de antes, que é a pura e simples eliminação dos cachorros e gatos recolhidos das ruas e entregues aos CCZs.


E a castração, ou a esterilização cirúrgica é uma solução viável e efetiva, para a médio prazo minimizar e diminuir de forma considerável e significativa o cruel e gravíssimo problema, que são os cachorros e gatos abandonados nas ruas. E acabar definitivamente com a pratica da eliminação ou eutanásia, que é o sombrio e triste destino dos cachorros e gatos que são recolhidos nas ruas e entregues as CCZs, em decorrencia tambem de os abrigos de cachorros e gatos abandonados estarem superlotados. E há um consenso entre as ongs, os veterinários, a midia em geral e a própria sociedade.

De que a castração cirúrgica é o meio mais eficaz de se evitar a procriação sem controle, e o consequente abandono e dramático sofrimento de cachorros e gatos nas ruas. Falta somente a vontade politica, e a participação e a atuação concreta e efetiva do poder publico, lançando campanhas nacionais de esterilização de cachorros e gatos com atuação conjunta do governo federal, estados e municípios, assim como é feito com a campanha anti-rabica. Pois o problema dos cachorros e gatos abandonados nas ruas, não afeta e faz sofrer somente os mesmos, por ser tambem um serissimo problema de saúde publica.

E já está mais do que provado, que o método puro e simples do recolhimento e eliminação, através da eutanazia dos cachorros e gatos não ameniza, muito menos resolve o problema. Pois alem de ser um método cruel e ineficaz, tambem perpetua um ciclo de sofrimento de gerações e gerações de cachorros e gatos abandonados nas ruas. Faz-se então necessário uma maior pressão e cobrança por parte da midia e da sociedade em geral, já que que está atitude já existe através das Ongs, das Sociedades Protetoras dos Animais, veterinários e ativistas da causa animal.

De ações publicas preventivas desta magnitude, como campanhas nacionais de castração de cachorros e gatos através do poder publico em suas três esferas, federal, estadual e municipal. Para resolver definitivamente este grave problema de saúde publica, e tambem acabar com o drama do abandono e sofrimento por que passam cachorros e gatos cruel e covardemente largados nas ruas.





sábado, junho 02, 2012

Cachorros - Canis Municipais.



Cachorros - Canis Municipais: Tem sido muito frequentes os casos de maus-tratos para com os cachorros e outros animais, assim como os casos de abandono, negligência, indiferença e toda a espécie de atos que conduzem a consequências de flagrante desrespeito para com a vida principalmente dos cachorros, que devido a sua maior integração, proximidade e dependência para com as pessoas, e tambem pela sua capacidade de sentir e se emocionar com maior intensidade que outros animais de estimação, são os que mais sentem o trauma e a dor dos maus tratos e principalmente do abandono. E este tipo de atitude atroz e cruel é cometida frequentemente e em ritmo muito maior e mais rápido do que se imagina. Pois infelizmente, a uma legião de milhares de cachorros abandonados e carentes de tudo, largados e perdidos pelas ruas.

A espera de um simples gesto de carinho, de um pouco de alimento, ou de um lugar que os proteja de chuva e do frio. E esta realidade cruel e dantesca, só tem aumentado, principalmente se considerarmos a tendência crescente do número de recolhimentos de cachorros abandonados nas ruas que os canis municipais fazem, e que são mantidos nestes verdadeiros depósitos de cachorros, em condições miseráveis e indignas até chegar a hora do terrível destino que é a eutanásia, ou morte pelo abate.Em canis municipais do país encontram-se, não raras vezes, situações deploráveis de más condições de tratamento para com os cachorros, seja em questões mínimas e essenciais como a alimentação, higiene e espaço físico, pois é um numero muito acima da quantidade máxima aceitável de cachorros nesta situação deplorável e dividindo o mesmo espaço. e sentem o que qualquer um sentiria num lugar atroz, ameaçador e terrífico.

E os cachorros, são seres dotados de grande sensibilidade e também sentem ansiedade e, em um lugar abominável ,terrível e ameaçador onde os cachorros não têm o mínimo de atenção e carinho, eles pressentem que o destino que lhes aguarda é cruel. Sentem inclusive a ausência dos companheiros mais próximos que são levados para serem sacrificados, sentem o isolamento e a agonia de quando chegará a vez de tambem serem sacrificados, mais talves tambem nutram alguma esperança de poderem se salvar deste destino cruel e aterrador. Mas devido a incerteza que sentem, só lhes resta o desespero pois sabem que não tornarão a ver  seus companheiros que partiram, e a pessoa que os leva geralmente é fria e insensível, sem o menor gesto de carinho ou piedade para com eles. E os cachorros pressentem a fatalidade pelo faro, pelo tato, pela própria ausência de afeto.

Pois raramente recebem visitas e em seus pensamentos qualquer humano que seja diferente do habitual é um sinal de esperança, de salvação e liberdade. Mas tantas vezes essa esperança se torna vã, quando não vão com essa pessoa que está de passagem. E que por muitas vezes vai embora sem ficar com nenhum cachorro, pois de tão tristes e maltratados que estão, as pessoas acabam preferindo adquirir ou comprar um cachorro de melhor aparência e mais saudável em outro local.E tantas estes miseráveis e infelizes cachorros ladram sem parar, sendo-lhes apenas atirados indiferentemente os pratos de ração, e que por muitas vezes,nem os come, por estarem tristes e prostrados diante de sua cruel e inevitável realidade. Pois tal como as pessoas, os cachorros também tem sentimentos.

E sentem a frieza, e o vazio do ambiente, e sentem quando alguém os trata mal ou bem, ficam agradecidos com um simples gesto de afeto, mas sentem profundamente quando são ignorados e desprezados.E há muitas pessoas que trabalham nos abrigos de animais municipais , que até são sensíveis e se esforçam em dar condições, o mais dignas possíveis, aos cachorros até a chegada da hora fatal. Cuidam de seu agasalho, fazem-lhes gestos de carinho, demonstram piedade, e acompanham os cachorros até ao seu momento final, mas não tem o poder de mudar o triste e cruel destino que lhes é imposto. São impotentes para lutar contra um sistema legal que vigora em todos os abrigos municipais.  É que na realidade acabam funcionando como verdadeiros campo de concentração, para extermínio de cachorros que já foram vitimados anteriormente pelo abandono.

E agora recebem o golpe fatal do destino cruel que é a eutanásia. a não ser que alguém os adotem e os salvem deste destino aterrador. Infelizmente são poucas as pessoas que fazem está opção, preferindo comprar cachorros em pet-shops ou adquirir em outros locais e situações. Talves até porque desconheçam esta triste realidade e não tem as informações necessárias para saber da deplorável situação em que vivem os cachorros em um abrigo municipal. Que para piorar, inclusive, a grande maioria destes abrigos não revela sequer quantos cachorros tem em sua posse, e qual o estado deles, ou possuem registros de quantos foram adotados, demonstrando claramente que a cultura vigente e o propósito da existência destes abrigos é a captura para o posterior extermínio destes infelizes cachorros.

E não há a menor motivação e o mínimo interesse em promover a adoção dos cachorros ali reclusos ou "depositados" a espera do momento da execução. E os cachorros acabam refletindo este ambiente infernal, pesado e sinistro, demonstrando um abatimento e uma tristeza que estão explícitos em sua aparência. Sofrendo muitas vezes de emagrecimento súbito, de irritabilidade constante, de ansiedade extrema e até de fobias. E nestes casos os cachorros acabam ficando agressivos, pois é uma reação desesperada, porem impotente contra uma realidade cruel e inevitável. É está é umas das consequencias horríveis, entre tantas outras de efeito igualmente cruéis de se abandonar um cachorro nas ruas, e não afeta somente os cachorros. Mas tambem as pessoas e a sociedade em geral.

Pois enquanto não se parar os abandonos em massa e não se punir eficazmente as pessoas que abandonam e maltratam os cachorros e outros animais, a realidade nos abrigos municipais não mudara. E enquanto a lei do abate não for abolida, o destino dos cachorros capturados e confinados nos abrigos municipais não se alterará. É necessário mudar a cultura a mentalidade, denunciar atos de violência e de indiferença para com os cachorros e outros animais, pois isso viola claramente os Direitos Universais dos Animais, proclamados pela UNESCO!  Mas enquanto as próprias instituições publicas não mudarem as suas atitudes.

As proprias pessoas, ao verem os maus exemplos, irão achar que não fazem mal nenhum em largar abandonado o seu cachorro nas ruas., ou até amarrado a um poste, ou jogado em caixas de papelão no lixo. E tantos outros casos que se poderiam descrever, e que revelam a indiferença e a covardia das pessoas para com os cachorros e outros animais. E o mais dramatico, é que os cachorros são seres dotados de grande sensibilidade e emoção, e o trauma do abandono, é algo que os afeta profundamente e dramaticamente, sendo que muitos acabam não resistindo e acabam morrendo de malancolia. morrendo.  Por isto, nunca abandone o teu cachorro! E quando eventualmente pensar em adquirir um cachorro, não compre, adote um cachorro , de preferencia um que esteja num abrigo municipal. Pois alem de ser uma atitude extremamente gratificante, este cachorro lhe será fiel, amoroso e grato pelo resto da vida!


COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado