terça-feira, janeiro 31, 2012

Cirurgias Estéticas - Cachorros.



Cirurgias Estéticas - Cachorros: São cirurgias feitas nos cachorros com propósitos puramente estéticos ou comportamentais, como a amputação da cauda ( Caudectomia), mutilação das orelhas(Conchectomia)  e a extração das cordas vocais (Cordotomia). Conheça as consequências que cada uma destas cirurgias pode causar nos cachorros, podendo estas cirurgias inclusive serem classificadas como verdadeiras crueldades praticadas contra estes seres inocentes, devido as complicações na saúde, que cada uma delas pode originar nos cachorros, Tudo isto, apenas para satisfazer a vaidade ou não causar incomodo aos responsáveis pelos cachorros.

A cirurgia para a remoção das cordas vocais ou Cordotomia, é uma cirurgia classificada como uma "medida comportamental" pelos responsáveis dos cachorros que se aborrecem com os latidos deles. O objetivo é retirar as cordas vocais dos cachorros, para resolver os problemas causados pelos seus  latidos definitivamente, Entretanto está cirurgia na realidade alem de mutilar o cachorro, não o deixa mais silencioso, pois ele continuara emitindo grunhidos guturais, que mesmo que tenha um volume mais baixo, exigirão um grande esforço do cachorro, fazendo com que ele fique extremamente agitado e ansioso.

E o procedimento cirúrgico da cordotomia, causa um grande incomodo nos cachorros, e por ser uma modificação interna, abre diversos precedentes para complicações cirúrgicas e infecções. A cordotomia é considerada ilegal em vários países. e a solução para o latido em excesso dos cachorros, pode ser desde fazer um trabalho de treinamento, até passeios e atenção regulares, assim como brinquedos, que ajudam a reduzir bastante a solidão e ansiedade dos cachorros. A cirurgia para a amputação da cauda ou Caudectomia (amputação da cauda), O hábito de cortar a cauda dos cachorros vem da Roma Antiga, época em que os cachorros raramente tomavam banho, e essa medida podia prevenir doenças.

Hoje essas cirurgias são meramente estéticas, mas alguns poucos veterinários ainda alegam que elas têm propósitos higiénicos. Os responsáveis que se incomodarem com o acúmulo de sujeira na área caudal, ao invés de amputá-las, podem realizar a limpeza com algodão úmido ou lenços umedecidos, caso este seja um problema cronico no cachorro, são recomendáveis banhos com maior frequência, entretanto o excesso de banhos pode prejudicar a pele do cachorro. A caudectomia é tida como um processo cruel por tirar do cachorro um dos seus maiores meios de expressão que é a cauda.

Pois a cauda é utilizada tanto para demonstrar alegria ou tristeza, como para comunicação direta com outros cachorros como chamados para brincar, hierarquia entre o grupo, medo e submissão. Este procedimento cirúrgico pode muitas vazes resultar em complicações como deformações e necrose das partes mutiladas, em casos mais complicados, porém não raros, essa cirurgia pode levar à morte do cachorro. Cirurgia de corte da orelha ou Conchectomia, a orelha também tem como função comunicar alguns estados emocionais dos cachorros, como estado de alerta, apreensão ou curiosidade. E ao contrário do que se dizia antigamente, é comprovado que orelhas mutiladas e orelhas intactas apresentam os mesmo índices de infecção e, ainda há mais, uma cirurgia mal feita pode acabar com a proteção do cachorro contra a entrada de água.

O que trará grandes inflamações em decorrência do acúmulo do líquido nessa região. E também esta cirurgia apresenta um dos pós-operatórios mais doloridos que existem. Mas qual é o motivo para se infringir de forma desnecessária aos cachorros tanto sofrimento e dor,existem três “propósitos” para a realização das cirurgias ditas estéticas. Os cachorros usados para segurança como o doberman e boxer são mutilados para parecerem mais ameaçadores. Outros são mutilados por convenções da raça (pintcher, sheepdog) ou para participar de desfiles. Nesse sentido, é preciso criar uma mentalidade de que os cachorros são bonitos por suas próprias características e não podem de forma alguma serem conceituados por aparências criadas artificialmente pelos homens.

segunda-feira, janeiro 30, 2012

Cio - Cachorros.



Cio - Cachorros: A ocorrência de cio nos cachorros, acontece somente nas cadelas pois somente elas entram no cio, porque os machos estão sempre aptos e prontos para cruzar. E as cadelas atingem a sua maturidade sexual em media entre os seis a sete meses de idade, tendo posteriormente repetição destes ciclos em um prazo aproximado que varia de seis em seis meses. E normalmente, com envelhecimento das cadelas, o intervalo de tempo entre estes ciclos tendem a se alongar, porem as cadelas têm cio até o final da sua vida.

E o cio tem uma duração que varia entre  18 a 21 dias, entretanto a fêmea só aceita a cobertura do macho somente durante alguns dias, normalmente após a metade do período. A primeira fase do cio pode ser observada pelo inchaço dos lábios da vulva. ocorrendo também um  sangramento que vai de leve a moderado, porem algumas cadelas não apresentam sangramento durante o cio. Nas fêmeas que apresentam esta caracteristica, que se denomina cio seco é difícil identificar o momento da ocorrência de cio e isso pode se tornar um problema com serias consequências.

Pois acasalamentos indesejáveis poderão acontecer, em cadelas mais velhas e comum também a ocorrência de cio seco. E na segunda metade do cio, há uma diminuição significativa no sangramento com as cadelas permitindo a monta e o acasalamento com os machos . Os machos podem detectar o odor das fêmeas no cio a uma grande distância, um feromônio é eliminado junto com a urina das cadelas nessa fase, e é este feromônio que exala o odor que atrai os machos. E o final  do cio é notado pela diminuição evidente da região genital e durante este período é quando a fêmea passa a rejeitar o macho.

E para se evitar que a cadela fique prenhe durante o período do cio,  não se pode permitir que ela tenha contato com machos, principalmente do 7o. ao 15o. dia e no final do cio. A  castração é uma excelente opção para se evitar definitivamente o cio e a gestação nas cadelas. pois após a castração as fêmeas não terão mas o inconveniente do cio e também o risco de acasalamentos indesejáveis.  E evite também o uso de anticoncepcionais, pois é um método que apresenta varias contra indicações, e o sua utilização acarreta vários problemas de saúde as cadelas. Para maiores informações e esclarecimentos, consulte um veterinário.  

domingo, janeiro 29, 2012

Adoção - Cachorros.



Adoção - Cachorros: Ter um novo morador em sua casa trará prazeres e descobertas incontáveis e do primeiro ao último dia da vida de seu cachorro, ele sempre precisará de você! Por isso descrevemos aqui os principais passos e atitudes para que a parceria com seu cachorro se inicie com sucesso e harmonia.  Ao trazer um cachorro para casa, é normal que nas primeiras semanas ele fique um pouco apreensivo, o cachorro pode ter passado por maus momentos e traumas, como ter sido abandonado por seus antigos donos ou ter acabado de deixar sua mãe e irmãos. Agora que o cachorro está em um novo ambiente conhecendo novas pessoas, você irá conquistar sua confiança dia-a-dia, com os cuidados certos, paciência e muito carinho.

Na maioria das vezes, em pouco tempo ele se adaptará ao seu novo lar, os cachorros adultos tem uma aceitação ao novo ambiente quase que imediata, eles podem estranhar um pouco inicialmente, porem logo estarão adaptados ao novo ambiente.  Já os filhotes sentiram a ausência da mãe nos primeiros dias e por isso irão chorar bastante neste período, porém, logo estarão adaptados à rotina da casa. Entretanto os filhotes precisam de uma educação especial, para não saírem mordendo e "destruindo" tudo o que encontrarem, principalmente sapatos, mesas e sofás. E a Interação entre a criança até os 10 anos e o cachorro, no seu convívio com o cachorro deve ser supervisionado por um adulto.

É importante que uma relação saudável entre a criança e o cachorro seja incentivada, convide-a para participar da escovação, do recolhimento das fezes, do passeio, assim, a criança desenvolverá senso de responsabilidade e compaixão, e aos poucos, poderá ter seus próprios momentos com o cachorro.  Deve-se deixar claro para a criança que o animal não é um brinquedo, mas sim um ser vivo, que sente dor, fica doente e que precisa de atenção e carinho, assim como ela mesma.  Se você  adotou um cachorro, mas já tem outro, ou até mesmo um gato, em sua casa, há uma série de precauções a se tomar para fazer uma adaptação saudável entre os dois.

A convivência dependerá da personalidade de ambos os animais e o processo pode durar semanas ou até meses. Animais castrados têm muito mais facilidade de conviver com outros, e Cachorros adultos aceitam filhotes mais facilmente . O procedimento do contato inicial deve ser supervisionado por adultos. Os cachorros se conhecerão e é nesse momento que eles darão o primeiro passo para sua relação, e posteriormente  estabelecerão uma hierarquia, e vão decidir quem é o cachorro que exerce-rá a liderança.  No caso de um deles se mostrar agressivo, repreenda-o, entretanto não deixe de demonstrar a sua vontade de que eles convivam juntos.

Dê a eles tempo, premiando interações apropriadas, tenha certeza de que cada um possua sua própria casa, com seus próprios brinquedos, mantas, cobertores e vasilhames para comida e água. E não deixe os filhotes incomodarem muito os cachorros adultos. E também os cachorros não devem ficar juntos sozinhos enquanto não tiverem aceitado um ao outro completamente. Pois enquanto não houver essa adaptação, acomode-os em lugares diferentes ao deixá-los sozinhos. Os cachorros recem chegados a um ambiente, devem ficar em lugares que não possibilitem a sua fuga. Muros baixos e portões com grades muito distantes umas das outras devem ser evitados.

Entretanto, o cachorro deve ser criado solto, nunca preso por uma corrente, você pode isolá-lo de alguns ambientes (da escada que é perigosa, ou de um tapete que não pode ser estragado) com uma portinhola ou uma grade especial. É importante lembrar que principalmente cachorros grandes precisam de áreas maiores e quando confinados em áreas menores, precisam de pelo menos uma hora de passeio diário para se manterem saudáveis física e mentalmente. Produtos tóxicos ou pequenos suficientes para serem mastigados e provocar engasgos não devem ser deixados ao alcance dos cachorros, principalmente se ainda forem filhotes .

Caso ele viva dentro de casa ou apartamento, objetos quebradiços também devem ser mantidos à distância. Apartamentos com janelas baixas devem ter redes de proteção para evitar quedas. E também recomenda-se que se faça a Castração, Se por algum motivo o cachorro que você adotou ainda não foi castrado, é necessário fazê-lo. O procedimento, preferencialmente, deve acontecer entre o segundo e o sexto mês de vida. Pois a castração evita doenças como o câncer de mama nas fêmeas, certos comportamentos indesejáveis como a marcação de território dos machos.

Comportamentos agressivos, latidos, uivos e o sério problema que é o da super-população de cachorros, que acabam depois abandonados na rua. E também é necessário que se faça o Registro do cachorro, pois ao Identificar o seu cachorro aumentam as chances de que ele volte para o lar no caso de uma fuga, permitindo que se localize os proprietários do cachorro. Em muitos municípios o registro de cachorros é obrigatório e pode ser feito pelo uso de plaquetas ou microship que contêm um número de registro, nome do proprietário e telefones para contato.

Nas cidades onde a prefeitura não realiza o serviço, clínicas particulares podem fazê-lo. E O Brasil tem a lei ambiental (Lei N° 9.605) que fala sobre as relações do homem com os animais e algumas cidades possuem códigos ainda mais específicas para animais domésticos. Em São Paulo e em Santa Catarina, por exemplo, cachorros não registrados que estejam transitando em ambientes públicos podem ser apreendidos e/ou os seus donos multados. Consulte a legislação da sua cidade! E Assim que adotar o seu cachorro deve-se também leve-lo ao Veterinário para um check-up geral para  saber se está tudo bem com ele. De atenção especial para a vacinação, caso ele não esteja com todas as vacinas em dia, é importante atualizá






sábado, janeiro 28, 2012

Raças de Companhia - Cachorros.



Raças de Companhia - Cachorros: Um cachorro de companhia, é naturalmente designado para proporcionar ao seu responsável, somente companhia e especificamente como um cachorro doméstico, e não tendo que desenvolver outras funções como cachorro de guarda ou vigia. Entretanto porém alguns cachorro que desenvolvem perfeitamente a função de guarda e vigia, apesar do porte, também podem ser utilizados como cachorros de companhia. Como os Retrievers, os Rottweiler e os Pastores Belga e Alemão, que possuem um temperamento tranquilo, sendo bastante sociaveis e tendo muita fidelidade, ao seu responsável e a seus familiares. Os cachorros de companhia, normalmente são de porte pequeno e possuem um temperamento dócil, sendo muito alegres e brincalhões.

E existem diversas raças, que possuem estes prê-requisitos físicos e comportamentais, como caracteristicas. E as principais raças que são utilizadas e se destacam como cachorros de companhia são o YorkShire, Maltês, Pug, Bulldog Francês, Poodle Toy e Miniatura, Yorkshire Terrier, Chihuahua, Pequinês, Lhasa Apso, Maltês, Bichon Frise, Miniatura Pinscher, Lulu da Pomerânia, e Shih Tzu entre outros. Com suas origens genéticas, originadas geralmente, do aprimoramento seletivo das caracteristicas especificas proporcionadas por estas raças. Os cachorros de companhia, foram sendo aprimorados ao longo do tempo, para serem perfeitos no desempenho da função especifica. Que é de servirem de companhia, a seus responsáveis e também a seus familiares.

E normalmente os cachorros de companhia tem como caracteristicas principais serem inteligentes e dóceis, terem o porte pequeno e também serem extremamente fies e dedicados a seus responsáveis e familiares. Porem deve-se observar também o tipo de pelagem dos cachorros, pois cachorros de pêlos curtos exigem menos cuidados do que os que possuem pêlos longos, como escovações constantes e até diárias e tosas frequentes. Nas raças que exigem tosa (Poodles, Cockers, Fox Terrier pêlo duro, Schnauzer, etc..), ela deve ser feita no mínimo a cada 2 meses. E também em regiões onde as temperaturas altas prevalecem na maior parte do ano, recomenda-se também optar por raças de pelagem curta. E não se deve adquirir uma raça de cachorro se baseando em modismos.

Pois a escolha, deve ser feita baseado em questões como espaço e tempo disponíveis, se é casa ou apartamento, clima, crianças e outros critérios. Porque baseando-se em modismos, pode-se cometer erros como colocar um Labrador num apartamento, ou comprar um Husky Siberiano mesmo morando numa cidade de clima quente o ano todo. E independente da raça, para tornar o cachorro dócil e alegre, tem muito a ver com a maneiro que se cria o mesmo. Pois sua personalidade, se forma até os seis meses, e as experiências positivas que tiver, o acompanharão por toda a vida. Ou seja, para se ter um cachorro fiel, companheiro, saudável e feliz, não o isole, deixe-o ter contato com os amigos e demais familiares. Assim ele se desenvolve-ra plenamente, tanto a sua emoção, quanto a sua própria percepção e inteligência, se tornando um companheiro fiel e dedicado a todos.

sexta-feira, janeiro 27, 2012

Feiras de Adoção - Cachorros.



Feiras de Adoção - Cachorros: A realização de eventos, como as Feiras de Adoção de cachorros, são uma contribuição significativa, para auxiliar na minimização dos efeitos causados pelo crescente problema que é o abandono de cachorros no Brasil. E inclusive impedem tambem, que essa situação se agrave, pois geralmente já oferecem os cachorros castrados para adoção. A ideia de levar um cachorro para casa, no entanto, não deve ser oriunda de um mero impulso, o adotante deve considerar entre outros fatores, o tempo de vida do cachorro, os gastos com a sua alimentação, saúde e suas necessidades de espaço e lazer.

O comprometimento é um aspecto fundamental para a guarda responsável, e quem adota deve preencher alguns requisitos básicos, normalmente exigidos pelos entidades promotoras das feiras de adoção. E os problemas que podem impedir a adoção, já são detectados logo durante a realização da entrevista inicial. E o adotante, preenchendo os pré-requisitos e passando na entrevista, assina um termo de comprometimento da adoção. E também é feito, muitas vezes, pelos agentes promotores das Feiras de Adoção, um acompanhamento presencial e por telefone, do cachorro envolvido no processo de adoção.

Já os cachorros oferecidos também cumprem algumas especificações, e todos são vermifugados, vacinados, castrados e precisam ser sociáveis. É uma experiência altamente positiva, e que tem dado muito certo, tanto que uma das principais procedimentos é a repetição da adoção de novos cachorros por pessoas que já adotaram antes, e a indicação destes para novos adotantes. E as feiras de adoção, sempre que ocorrem alem de serem um evento de sucesso, é um trabalho altamente emotivo e gratificante. Pois a grande maioria dos cachorros presentes nas feiras, aproximadamente mais de 90%, são de cachorros recolhidos das ruas,  que foram abandonados como objetos despreziveis e descartáveis, e que sofreram, todas as agruras desta triste e desamparada existência, como frio, sede, fome e abandono.

E a intenção agora, é que estas feiras, que são eventos altamente positivos, benéficos e gratificantes, tanto para os cachorros que são adotados, como para as pessoas que os adotam. E que as Feiras de Adoçâo, se transformem em um evento constante, e se multipliquem por todas as cidades do Brasil. Com o incentivo e apoio de pessoas que são sensíveis a causa , e se possível com a participação de personalidades, artistas, políticos e outras pessoas que são formadores de consciência e opinião. Participem, se unam e se mobilizem, pois promover um evento como este em sua comunidade, não e tão dispendioso financeiramente, e nem tão complexo,  e o resultado é altamente gratificante.

Reúnam e mobilizem moradores de sua cidade, bairro ou comunidade que gostem de cachorros, e também veterinários, comerciantes, empresários, políticos, e entidades como igrejas, clubes entre outros. E organizem e promovam uma feira de adoção, que a principio não precisa necessariamente, seguir um padrão de perfeição de feiras já estabelecidas. Pois o principal, é conseguir conscientizar as pessoas em geral sobre o sofrimento por que passam os cachorros abandonados, e principalmente resgata-los das ruas e encaminha-los a um lar, o que é algo altamente gratificante. E se não for possível a realização de feiras de adoção, então promovam almoços beneficentes, com a renda em prol dos cachorros abandonados. Pois os cachorros que estão largados nas ruas, vitimas inocentes de todo tipo de sofrimento, e que não tem como se defender e não sabem sequer falar, necessitam urgentemente de nossa ajuda.      

quinta-feira, janeiro 26, 2012

Cuidados de Verão - Cachorros.



Cuidados do Verão - Cachorros: Nesta época quente e úmida, é muito comum os cachorros apresentarem problemas advindos do aumento da temperatura corporal, que podem variar de uma simples apatia até sinais graves de desidratação, e cachorros com muito pêlo exigem cuidados redobrados. Os animais sentem o calor da mesma forma que nós, mas especialmente os cachorros, pois não possuem glândulas sudoríparas espalhadas pelo corpo, mas somente algumas glândulas localizadas nas regiões dos coxins (almofadas das patas) e nas narinas. Portanto, trocam calor com o ambiente principalmente através da ofegação.

E em dias muito quentes, nem sempre conseguem fazer uma troca satisfatória dessa maneira, principalmente se estiverem sob exercício intenso e se estiverem em um local muito quente, como um carro fechado sob o sol do meio dia. E muitos cachorros que saem para passear nas horas mais quentes do dia acabam ficando exauridos mais rapidamente que o normal, e se o seu responsável não perceber os primeiros sintomas do aumento da temperatura corpórea, esses cachorros podem desenvolver a chamada Hipertermia Fatal ou “Heat Stroke”.  Pois Cachorros submetidos a passeios longos em horas quentes do dia, principalmente aqueles que não estão condicionados ou acostumados.

Podem começar a apresentar sintomas como respiração rápida, hipersalivação, saliva espessa, mucosas de coloração vermelho escura (cor de tijolo), tremores musculares, vômitos, diarreia, falta de coordenação motora (andar cambaleante) e até perda de consciência, desmaios e convulsões. Esses sinais também podem ocorrer com cachorros que estiverem viajando em carros sem ar-condicionado, ou fechados em locais quentes, sem ventilação, como caixas de transportes, etc, e esses sintomas devem ser identificados rapidamente pelo responsável. E de imediato deve-se  retirar o cachorro do ambiente quente ou da exposição direta ao sol.

Resfriar as suas patas e a região do pescoço e cabeça com toalhas molhadas ou água fresca. E se necessário levar o cachorro ao veterinário, e evite usar água muito gelada ou gelo, pois o resfriamento muito rápido também pode ser prejudicial, ofereça a ele água fresca, mas não o force a tomar líquidos principalmente se estiver inconsciente ou convulsionando. Pois o veterinário irá fazer o tratamento adequado e com a terapia apropriado à base de oxigênio e aplicação de fluido intravenoso com medicamentos específicos como corticosteróides e glicose. Mas se o cachorro já estiver convulsionando, mantenha-o em local baixo e acolchoado até chegar ao veterinário.

Lembre-se: essa é uma condição que necessita de cuidados  médicos emergênciais que só o veterinário pode oferecer. Se não for possível levar o cachorro imediatamente ao veterinário, promova o resfriamento gradual do mesmo até que seja possível seu deslocamento para a uma clínica veterinária.  E Para prevenir e não arriscar expor o seu cachorro a este grave quadro, deve-se evitar passear com ele nas horas mais quentes do dia. E nunca deixe seu cachorro sozinho dentro de carros com os vidros fechados, mesmo em dias não tão quentes.

Evite também exercícios rigorosos ou caminhadas longas em dias quentes e opte sempre por caminhar em áreas com sombra e nunca em áreas com sol direto, pois o chão pode estar muito quente e causar queimaduras nas patas. Ofereça sempre água fresca ao longo do trajeto e não se esqueça de ficar atento a qualquer desses sinais, principalmente em cachorros chamados braquicefálicos, como os bulldogs, pugs e boxers, que são mais predispostos à apresentar a hipertermia, pois têm maior dificuldade de perderem calor por meio da ofegação.

Recomenda-se não usar roupinhas nessas épocas do ano e procure tosar os cachorros muito peludos ou que possuam sub-pêlo, se possível, ligue o ar-condicionado ou ventilador nos ambientes muito quentes. Muitos cachorros que passam pela hipertermia se recuperam totalmente nas primeiras horas após o tratamento ser instituído, outros demoram mais tempo para se recuperar e outros podem ficar com danos cerebrais. Daí ser importante e fundamental tomar os cuidados necessários e fazer a prevenção devida, para que seu cachorro não seja acometido por estes sérios e graves problemas, e que dependendo das circunstâncias podem até ser fatais.

quarta-feira, janeiro 25, 2012

Saúde - Cachorros.




Saúde - Cachorros: Há quem acredita que os cachorros nunca ficam doentes, e quando ficam tem a capacidade de se curar sozinhos. No entanto, quem pensa desta forma está redondamente enganado, pois assim como os humanos os cachorros também adoecem, e para resolver o problema na saúde do cachorro jamais pense em deixar que o tempo ou ele mesmo cuide deste problema. Não importa  qual seja a raça do cachorro, mesmo que seja um vira-latas é necessário que você leve-o ao médico veterinário para saber qual é o problema na saúde de seu cachorro. Mas como saber o momento de levar o cachorro no médico veterinário? Como saber se o cachorro está doente?

Pelo simples fato de que os cachorros não sabem falar, então o responsável pelo cachorro deverá estar atento a tudo, sendo que é possível realizar um exame de rotina, o qual é indicado realizá-lo diariamente ou quando notar que existe algo diferente com o cachorro, para assim certificar-se de que ele necessita de uma ajuda veterinária. No entanto, é de grande importância ressaltar que independente deste exame, o cachorro precisa visitar o médico veterinário periodicamente, ou seja, a cada seis meses para a realização da vacinação, entre outros procedimentos. Desta forma, veja as orientações para a principio visualmente você conseguir saber se o seu cachorro apresenta algum problema de saúde.

Olhos: Você deve começar a analisar o seu cachorro pelos olhos, os quais não devem conter secreção ou inchaço, devendo estar claros e brilhantes. Abaixando a pálpebra inferior é preciso que você veja se a parte interna está rosada, caso não esteja, saiba que pode ser sinal de anêmia. Verifique também se o seu cachorro conta com manchas brancas ou embaçamento na parte escura dos olhos.
Orelhas: É preciso que você examine tanto a parte interna quanto a parte externa, verificando se há ou não falhas ou crostas nos pelos, o que pode indicar a presença de sarna e de ácaros. É interessante lembrar que um ouvido sadio não sofre com odores e nem secreção, e ao notar um cheiro nada agradável ou algum tipo de secreção, é preciso limpar os ouvidos com medicamentos específicos, e com o auxílio de algodão.

Focinho: Normalmente, o focinho deve estar frio e úmido, sem secreção exceto em dias quentes, dias em que o cachorro pode normalmente transpirar pelo focinho. Algo que deve ser ressaltado é que muitos responsáveis acreditam que pelo fato do cachorro estar com o focinho quente e seco, significa que o mesmo está com febre, e isso não passa de engano, pois quando o cachorro está com febre, ele além de ter o focinho quente e seco sofre tambem com perda de apetite, por exemplo.
Boca: Levante os lábios e analise a boca por completa, verificando a gengiva, a qual deve estar com aparência rosada e sem palidez, caso contrário, este tambem poderá ser um sinal de anemia.

Pelagem: Veja se há falhas no pelo e se o seu cachorro se coça demasiadamente, e em caso da não presença de pulgas e carrapatos, estas falhas podem também ser causadas por sarnas.
Patas: Procure por parasitas nas patas, além de certificar de que não há machucados ou feridas, tanto na parte dorsal quanto na ventral, nas laterais e entre os dedos. 
Adotando estas praticas, e fazendo estes procedimentos simples e rápidos e de forma constante, você conseguirá prevenir e evitar diversos problemas de saúde em seu cachorro. 

terça-feira, janeiro 24, 2012

Maus Tratos - Cachorros.



Maus Tratos - Cachorros: Você está presenciando ou sabendo de casos de maus tratos de cachorros e outros animais domésticos ou selvagens em sua vizinhança, e não sabe o que fazer? É importante que você não pense duas vezes antes de tomar a decisão de se direcionar a uma delegacia de polícia mais próxima de sua residência para realizar um Boletim de Ocorrências ou então, se preferir você poderá orientar o Promotor de Justiça do Fórum, pertencente a Justiça do Meio Ambiente.

Desta forma, a denuncia de maus tratos será legitimada a partir do artigo 32 da Lei Federal n° 9.605 de 1998, a qual é a Lei de Crimes Ambientes, sendo que se possível antes de recorrer a delegacia tenha em mãos uma cópia da Lei 9.605/98 já que muitas autoridades policiais não possuem o conhecimento da mesma. Além disso, esteja munido com o artigo 139 do Código Penal, pois caso a autoridade se recuse em abrir um Boletim de Ocorrência, já que se trata do Brasil, onde a própria população sofre com o descaso de muitas autoridades, já pensou em relação aos cachorros e outros animais?

De acordo com o artigo 32 da Lei Federal 9.605 de 1998, é considerado crime a prática do abuso, ferir, maus tratos ou mutilar animais domésticos ou silvestres, nativos ou exóticos. É crime com pena de detenção de três meses a um ano e multa, sendo que em relação ao primeiro parágrafo, incorre nas mesmas penas quem realiza a experiência cruel ou dolorosa em animais vivos, incluindo para fins didáticos e/ou científicos, quando existirem houver recursos alternativos. Já no segundo parágrafo consta que a pena é aumentada de um terço a um sexto se houver a morte do animal ou de animais.

De acordo com a Lei de Proteção Ambiental 9.605 de 1998, os atos considerados maus tratos e crueldades mais comuns são:

-Manter o animal preso por um longo tempo sem comida ou água.

-Abandono.

-Envenenamento.

-Agressão física, exagerada e covarde.

-Mutilação.

-Manter o cachorro ou outro animal em um espaço impróprio e sem higiene.

Não procurar um veterinário caso o animal esteja doente.

-Utilizar o animal em apresentações, show ou trabalho que possa lhe causar sofrimento e pânico.



Estes atos estão relacionados para todo e qualquer animal, seja ele doméstico como cachorros, gatos e outros animais, assim como cavalos utilizados para o trabalho de tração, e ainda para animais criados e domesticados em fazendas, sítios e chácaras como porcos, galinhas e até pássaros também estão inclusos nesta Lei, sendo que há Leis e Portarias específicas criadas pelo o IBAMA (Instituição Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis).

Desta forma, caso você recorra a delegacia ou ao Fórum e não tenha o atendimento satisfatório, é necessário que você denuncie ao Ministério Público.

Assim conte o nome e patente de quem o atendeu, além do número da delegacia e o endereço, além da data, horário e um relato em duas vias solicitando a protocolação de uma delas. Caso você esteja acompanhado por alguém, esta pessoa poderá ser a sua prova testemunhal para o encaminhamento de tal documento para o Ministério Público. É válido lembrar que toas das provas e fatos devem ser anexadas junto à ocorrência para ajudar em seu B. O. È lógico que estes procedimentos demandam tempo e inclusive muitos aborrecimentos. Porem os cachorros e outros animais são seres inocentes e que não sabem sequer falar, e sua única defesa diante destas crueldades e covardias é o seu choro ou os seus gritos de desespero, sofrimento e dor.



segunda-feira, janeiro 23, 2012

Fogos de Artificio - Cachorros.



Fogos de Artificio - Cachorros: Todo último dia do ano costuma ser um verdadeiro pesadelo para os cachorros, que sofrem com o barulho excessivo proveniente das explosões dos fogos de artifício. De audição extremamente aguçada e sem entender o porquê de todo o barulho, eles se assustam, e muitos entram em pânico, correndo em desespero. Isso pode causar tristes infortúnios, como fugas, acidentes (como atropelamentos) e até convulsões ou arritmias seguidas de morte dependendo do stress do cachorro.

Dicas para acalmar o seu animal:
Existem, porém, formas de evitar ou minimizar todo o mal-estar que os cães passam nas festas de Ano Novo. Como a principal causa do nervosismo é o barulho, existem algumas opções para reduzir o ruído, como -Colocar tampões de algodão ou silicone nos ouvidos do animal, para que o barulho seja abafado.

-Colocar o animal em um local fechado e fechar bem todas as janelas, para que ele não possa escutar as explosões com tanta clareza (um quarto ou local em que entre pouco som).

-Estender cobertores pesados nas janelas e no chão desse quarto.

-Cobrir o animal com algum edredom. O importante, nesse caso, é reduzir ao máximo todo o ruído que pode atormentar o seu bichinho. Alguns cachorros se sentirão mais seguros se estiverem no colo do dono. Assim, tente segurá-lo com firmeza e tente acalmá-lo com frases que ele gosta. Para minimizar o stress aja calmamente e fale baixo durante todo o tempo.

Outra opção para acalmar o seu amigo é usar técnicas como os Florais de Bach e a Aromaterapia. Saiba abaixo como utilizá-las corretamente.
Florais de Bach
Florais de Bach: são fórmulas tranqüilizantes que combinam essências florais, e que funcionam tanto para cães quanto para gatos.
As essências abaixo, combinadas, funcionam bem tanto para cães quanto para gatos:
Rescue + Mimulus + Aspen + Rock Rose + Cherry Plum
Mande fazer em qualquer farmácia de manipulação ou homeopática
Atenção: sem álcool, nem glicerina, e guarde na geladeira para uma melhor conservação.
Dosagem:
Para cachorros de pequeno e médio porte e gatos: 4 gotas da fórmula, 4 vezes ao dia, diretamente na boca do animal;
Para cachorros de grande porte e gigantes: 6 gotas, 4 vezes ao dia, diretamente na boca do animal;
Para se ter absoluto sucesso no tratamento, é interessante que se tenha continuidade no mesmo, não esquecendo de ministrar as gotas regularmente. Aconselha-se a começar o tratamento, pelo menos, 5 dias antes do Natal e estendê-lo até o dia 3 de Janeiro, já que algumas pessoas insistem em prolongar a barulheira.

Aromaterapia
Alternativa que promete, através dos aromas, suavizar o nervosismo do animal à meia-noite, no momento dos fogos.
Óleo essencial de Manjerona: coloque 5 gotas em 100 ml de álcool num borrifador e, borrife os cômodos da casa (cuidado com o chão e móveis) 3 vezes ao dia, no dia da festa.
Além disso, você pode pingar 2 gotas na cama do animal à tarde. No horário do foguetório, coloque 2 gotas na cama do animal ou onde ele fica - no caso de aves, passar um pano no fundo da gaiola com o óleo e o álcool. Em animais maiores pingar 5 gotinhas na baia, etc.
Se em sua cidade, você não encontrar o óleo essencial de manjerona, pode usar o óleo essencial de lavanda francesa - mesmas indicações.
Importante: Procure uma boa loja de produtos naturais, ou farmácia de manipulação ou farmácia homeopática - compre óleos essenciais naturais. Os sintéticos, além de não provocarem o efeito desejado, ainda podem causar alergias respiratórias.
Não solte fogos perto de animais. Prevenir é o ideal, porém, se o seu animal apresentar tremores muito intensos e contínuos (mesmo após a queima de fogos), desmaios ou convulsões, procure o seu médico veterinário ou uma clínica 24 horas.

domingo, janeiro 22, 2012

Latidos/Cominicação - Cachorros.



Latidos/Comunicação - Cachorros: Os latidos são uma maneira natural e espontanea de comunicação dos cachorros. Sendo o principal recurso utilizado para interagirem com o meio em que vivem, seja com os seres humanos ou outros cachorros e demais animais. E o motivo principal do latido dos cachorros é para defender as fronteiras de seu território, e impedir qualquer tipo de intromissão ou invasão do mesmo. Os cachorros de rua abandonados que não possuem um endereço fixo, raramente apresentam esta atitude e comportamento, porem quando adotados passam a ter este mesmo comportamento, ou seja, de latirem para defenderem seu território.

As pessoas que convivem com os cachorros, e principalmente o seu responsável passam com o tempo e a convivência, a reconhecerem naturalmente os diferentes tipos de latidos utilizados pelos cachorros para as mais diferentes situações. Por exemplo, o som do latido emitido para pedir ração tem uma tonalidade caracteristica, e o latido para passear já possui outra tonalidade, enquanto que o latido para advertir que há invasão de intruso no seu território é bem agressivo e possuindo uma tonalidade com caracteristicas totalmente diferentes.

Inclusive os lobos selvagens também adquirem este comportamento de latirem quando confinados para defenderem seu território, entretanto este tipo de comportamento é caracteristico dos canídeos domesticados. E o próprio homem com o passar do tempo, natural e automaticamente selecionou essa característica conforme a sua própria conveniência. Existem Alguns tipos de latidos que são caracteristicos e específicos para determinadas situações, sendo comum a todos os cachorros, e isto independendo do tipo e da raça do cachorro.

Por exemplo, latidos fortes e regulares, é quando o cachorro percebe que pessoas ou animais estão se aproximando de seu território, o cachorro então os adverte latindo agressivamente para que se afastem. e também para comunicar a aproximação de estranhos no seu território ao seu responsável e as pessoas de sua convivência. Latidos rápidos e constantes, acontece quando o cachorro avista uma pessoa ou animal que seja estranho mas que não estejam invadindo seu território, o cachorro então fica tenso, em posição de atenção, com orelhas e rabo levantados para acima pode ser um outro cachorro, ou uma criança correndo na rua, e que estão sendo vistos através do portão, é uma forma de aviso que o cachorro emite advertindo, mesmo não podendo alcança-los.

Latidos agudos para pedir algo, são os latidos caracteristicos de quando o cachorro quer alguma coisa, normalmente o cachorro late uma vez, espera para ver se é atendido, e caso não seja, fica latindo desta forma insistentemente até conseguir o que deseja. geralmente este tipo de latido é bastante incomodo e desagradável para as pessoas que convivem com o cachorro e ate para os vizinhos.

Latidos agudos por medo ou solidão, cachorros que estão se sentindo abandonados ou estão com medo. É um comportamento típico de cachorros que sofrem por ficarem sozinhos em casa e com a ansiedade da separação de seu responsável que sai para trabalhar. O medo e a ansiedade são muito grandes, e eles latem para reclamar da situação e também por medo. Este comportamento é bastante comum em raças de cachorros de companhia.

É necessário prestar atenção as diferentes reações dos cachorros em cada latido especifico para perceber a comunicação que se estabelece entre o cachorro e o seu responsável. E esta comunicação quanto melhor entendida e mais clara e objetiva for, melhor será para uma maior interação e um melhor entendimento das reações de emoção, sentimento, proteção e insatisfação emitidas pelo cachorro.

sábado, janeiro 21, 2012

Rações Especificas - Cachorros.



Rações Especificas - Cachorros: As rações especificas, são direcionadas para uso em cachorros que apresentem doenças crônicas, e que seja necessário uma alimentação especial e diferenciada. Ou determinadas raças, com predisposição para problemas genéticos. E tambem para cachorros em periodo convalescente, ou que pratiquem atividades fisicas, ou sejam cachorros idosos e que necessitem de determinados nutrientes imprencindiveis a sua condição organica.  Existem disponíveis no mercado uma infinidade de qualidades e tipos de rações, que são a ração para desmame, ração para faixa etária, ração para tamanho ou porte, para determinadas raças e tambem para uso terapêutico.

As rações de desmame, são de consistência farinácea e são misturadas com água, para fazer um purê e substituir gradualmente o leite materno. As rações especificas são para uma determinada faixa etária, porte ou tamanho, e fazem a adequação genérica das necessidades nutricionais diárias. As rações especificas para raça são mais caras, pois são equilibradas nutricionalmente para a raça a que se destinam, visando prevenir o aparecimento de certas doenças, que lhe são características.

As rações de uso terapêutico são específicas para problemas da saúde do cachorro, tais como obesidade, diabetes, problemas cardíacos e outros, e devem ser utilizadas somente com orientação veterinária. Existem também rações apropriadas aos níveis de atividade do cachorro, como  cachorros farejadores, cachorros policiais, cachorros de busca e salvamento, cachorros atletas competidores. Pois estes, são cachorros que tem um gasto e uma necessidade de calorias e nutrientes, bem maior que um cachorro comum. Entretanto, somente utilize rações especificas com orientação de um medico veterinário.

sexta-feira, janeiro 20, 2012

Diabetis - Cachorros.



Diabetes - Cachorros: O diabetes é uma  doença grave e esta entre as que mais causam óbito nos seus portadores no mundo, e alem de acometer os seres humanos, esta grave enfermidade também se manifesta entre os cachorros.  Neles assim como nas pessoas, o diabetes tem dois tipos comuns que são o diabetes mellitus e o diabetes insipidus.  O diabetes Mellitus e um tipo de diabetes que é caracterizado pelo excesso de glicose (açúcar) no sangue, e o nível normal de glicose presente no sangue dos cachorros é de até 110 mg/dl (miligramas de açúcar por decilitros de sangue), e quando a taxa é superior a esta, o cachorro é diagnosticado como portador da diabetes. E o Mellitus é o tipo mais comum de diabetes, a doença é caracterizada pela baixa produção do hormônio insulina pelo pâncreas, o pâncreas é um órgão que também é responsável pela produção de enzimas digestivas,  e a insulina é a responsável pela regulação dos níveis de glicose no sangue. Por isto, o diabetes mellitus também pode ser definido como uma doença na qual o pâncreas é incapaz de regular a quantidade de açúcar no sangue devido a alterações na produção do hormônio. O problema pode ter origem genética, o que ocorre na grande maioria dos casos, ou ser adquirido ou aparecer como resultado de alguma outra enfermidade no pâncreas. Entre os cachorros, os representantes da raça poodle são os que têm maior pré-disposição genética a desenvolver a doença.   Já o diabetes do tipo insipidus não está relacionado com os níveis de açúcar no sangue, mas sim a uma deficiência do hormônio anti-diurético, que controla a absorção de água nos rins. Quando ocorre esta deficiência, a água deixa de ser absorvida e faz com que o cachorro não somente passe a urinar mais, como também a ter mais sede, fazendo com que os sintomas sejam semelhantes ao do diabetes mellitus. O problema pode levar à deficiência de eletrólitos no organismo e também a alterações de pêlo, sendo caracterizado como uma doença da hipófise (glândula que fica na base do cérebro e é responsável pela produção do hormônio antidiurético). O diabetes do tipo insipidus também pode ser genético ou adquirido, resultando de problemas no rim. O tratamento é feito com base em suplementação hormonal. No organismo do cachorro todo alimento consumido, é eventualmente convertido em açúcar (glicose), que é a fonte de energia para todos  os órgãos. Se muito alimento for consumido, as calorias extras podem ser armazenadas pelo organismo para serem transformadas em açúcar posteriormente, quando necessário. E o açúcar é transportado através do sangue para todas as áreas do corpo, e todas as célula que estejam necessitando  de açúcar se utilizam deste açúcar presente no sangue. Mas para que as células metabolizem o açúcar  presente no sangue, uma substância chamada insulina é necessária. A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas, e é essencial para a vida.A diabetes ocorre quando a insulina não é produzida, ou quando o organismo o produz em baixas quantidades ou tem alguma condição que interfere na ação da insulina. E existem duas formas de diabetes melitus:Diabetes Melitus tipo I ou insulino-dependenteDiabetes Melitus tipo 2 ou não insulino-dependente.  Praticamente a grande maioria dos cachorros ou quase 100% e portador da diabetes tipo I.  E o cachorro que é portador do diabetes, sem ter a insulina para poder absorver e metabolizar o açúcar do seu sangue, ela começa a se acumular, até que ao atingir um certo nível no sistema sanguíneo, começa então a ser extravasado pela urina através do rim, gerando dessa forma uma grande quantidade de urina. Como eles  produzem uma grande quantidade de urina, e acabam perdendo muito volume de água, torna-se necessário repor este volume perdido, e por isso começam beber muita água. Já as células que precisam do açúcar como fonte de energia, ficam  sem acesso a esta fonte, e começam a sofrer de uma severa restrição energética. Com isso enviam mensagens de alerta de que está faltando energia, e o cachorro  diabético começa a comer cada vez mais e mais. E mesmo o cachorro comendo muito, as células continuam não tendo acesso a energia e mandam novas mensagens de alerta ao organismo, que começa degradar gorduras e músculos para obter energia para as células. Porém, mesmo com todo este esforço o organismo ainda não pode utilizar o açúcar proveniente deste processo.Os sinais clínicos dos diabéticos portanto refletem todo este esforço do organismo, e os cachorros acometidos bebem água em excesso, urinam grandes quantidades, aumentam consumo de alimento e emagrecem muito.


quinta-feira, janeiro 19, 2012

Caixas Transportadoras - Cachorros.



Caixas Transportadoras - Cachorros: Levar o cachorro solto dentro do carro pode parecer algo inofensivo e sem perigo, entretanto este procedimento coloca em risco tanto o cachorro quanto os demais ocupantes do carro. Podendo em caso de acidente ou freadas bruscas, causar-lhes graves lesões ou ate mesmo o próprio óbito do cachorro, podendo atingir tambem o motorista e demais ocupantes do carro. Pois o cachorro solto no interior do veiculo, pode ocasionalmente por qualquer motivo, distrair e desviar a atenção do motorista e provocar um acidente. Com o cachorro, tendo o seu corpo projetado para frente com uma força de impacto violenta. Consequentemente se ferindo, e podendo tambem ferir seriamente as pessoas que tambem estejam no carro. 

E a questão tambem, é que o Código Nacional de Trânsito, não possui nenhuma legislação específica para o transporte de cachorros ou outros animais domésticos. Pois pela legislação vigente, os animais domésticos são considerados objetos. Só não podendo serem conduzidos no colo, à esquerda do motorista, ou nas partes externas do veículo. Pois a condução de animais nas partes externas do veículo, como caçambas, ou com parte do corpo para fora da janela, é considerada infração grave. E o condutor pode perder cinco pontos na carteira, e pagar uma multa de R$ 127,69. E se o motorista estiver dirigindo, com animais à sua esquerda ou entre os braços e pernas, tambem pode perder quatro pontos na carteira, e pagar multa de R$ 85,13, sendo considerada uma infração média. 

Entretanto, um cachorro totalmente solto dentro do carro, não é considerado infração. E nenhuma autoridade de transito pode, multar ou ate mesmo advertir o motorista, em cujo carro, esteja solto no banco traseiro ou no do carona um cachorro. Inclusive é comum em clínicas veterinárias, cachorros chegarem com lesões, por terem se desequilibrado dentro dos carros em freadas bruscas ou batidas. E mais frequente ainda, são os cachorros se ferirem gravemente, e terem que geralmente serem submetidos a cirurgias por estarem viajando com a cabeça para fora da janela. Pois muitos dos traumas físicos que ocorrem com os cachorros, acabam acontecendo dentro dos próprios carros. 

Como luxações, além de traumatismo craniano e fraturas do maxilar, acontecendo inclusive ate o esmagamento dos cachorros, como em casos de colisão, devido ao fato de os motoristas insistirem em leva-los no colo enquanto dirigem. Mesmo que a legislação de transito permita este procedimento durante a condução de animais domésticos. Ou seja deixar os cachorros, ou outros animais domésticos totalmente soltos no interior dos carros, pode ser extremamente perigoso, principalmente no caso dos cachorros, que podem ter grandes dimensões e peso, o que torna ainda mais problematico e arriscado, agravando ainda mais as consequencias em caso de acidentes. 

A melhor maneira e a mais recomendada, é a opção pela utilização de acessórios específicos para a condução (transporte) dos cachorros no interior dos veículos, ou ate mesmo na cacamba. Que são as caixas transportadoras, que são especificas e apropriadas para o transporte de cachorros e outros animais domésticos. E que devem ter como padrão um tamanho adequado para proporcinar simultâneamente conforto e segurança aos cachorros. Tendo espaço suficiente, para que o cachorro consiga ficar em pé e tambem se virar, e de preferência tambem ter um cinto, alças ou um ponto de fixação especifico para ser acoplado ao cinto de segurança do carro. Tambem existe a opção por cadeiras especiais, mas seu uso é recomendado somente para pequenos trajetos urbanos, pois para viagens mesmo curtas, a caixa de transporte proporciona um maior conforto e comodidade para o cachorro. 

E sempre que for necessária a permanência do cachorro por longos períodos na caixa transportadora como por exemplo em viagens longas, antes de acomodar o cachorro na caixa deve-se deixar que ele possa fazer suas necessidades fisiológicas, assim tambem como durante a viagem, pois alem de fazer suas necessidades fisiológicas o cachorro tambem precisa exercita-se. Tomando-se certas precauções e cuidados se evita que um simples acidente se transforme em uma tragédia, ao se conduzir cachorros em automóveis durante viagens, ou ate mesmo em um simples passeio. Pois o uso de caixa transportadora ou cadeiras especiais, torna a viagem ou o passeio mais seguro e agradável para todos, tanto para os ocupantes do carro como para próprio o cachorro.

quarta-feira, janeiro 18, 2012

Higiene/Ouvidos - Cachorros.



Higiene/Ouvidos - Cachorros: É muito importante verificar os ouvidos do cachorro semanal ou quinzenalmente para manter a sua audição perfeita e os seus ouvidos limpos e arejados, pois limpar os seus ouvidos é fundamental para a saúde dos cachorros. E o próprio responsável pelo cachorro pode fazer este procedimento de limpeza. E este procedimento é bem simples, basta enrolar um chumaço de algodão no dedo indicador, embebido em uma pequena quantidade de ceruminolítico, que é um produto que dilui a cera, e que é encontrado facilmente em pet shops, e a um preço bem acessível. E evite enfiar objetos pontudos, como cotonetes ou pinças,  pois estes objetos podem causar graves danos ao conduto auditivo do cachorro.

E este produto, o ceruminolitico é apresentado em forma de loção, e contém substâncias emolientes e queratolíticas que agem solubilizando o cerúmen acumulado no conduto auditivo e no pavilhão auricular do ouvido dos cachorros. E vem com uma bula, que explica de maneira simples e objetiva a sua forma de  utilização, sendo melhor e mais seguro limpar os ouvidos do cachorro com este produto, do que álcool ou éter. Que podem causar uma grande irritação ou alergia, e tambem ocasionar uma seria infecção no ouvido do cachorro. Pois o conduto auditivo dos cachorro, é uma região de difícil  acesso e tambem extremamente sensível. Cachorros com orelhas eretas e semi-eretas, têm esta região do corpo mais arejada, portanto menos sujeita a juntar cerume e doenças como sarna, fungos, seborreia excessiva e micoses.

Problemas estes que além de incomodarem muito o cachorro, tambem causam dor, irritação, mau cheiro e mal estar. Já os cachorros com orelhas tombadas e compridas são mais suscetiveis a desenvolve-rem estes problemas, porque as suas orelhas encobrem o conduto auditivo, impedindo desta forma a sua ventilação. Cachorros como Poodles, Yorkshires e Terries em geral ainda possuem pelos ou penugens dentro do conduto auditivo, que devem ser removidos para que o local seja arejado. Uma observação e cuidado semanal, ajudam a evitar sérios problemas nos ouvidos do cachorro. Há diversas marcas de solução de limpeza de ouvidos no mercado. escolha a mais adequada para a raça do cachorro, e certifique-se de que o cachorro não é alérgico a nenhum dos componentes antes de utiliza-lo. Pingue de 2 a 8 gotas nos ouvidos do cachorro dependendo do seu tamanho, pois essa solução soltará o cerume que está preso dentro do conduto auditivo.

Tenha bastante cuidado, pois o conduto auditivo do ouvido e muito sensível e deve-se evitar toca-lo , e o cerume natural é uma proteção para o mesmo, portanto somente o seu excesso deve-rá ser removido pelo produto. E tambem existem algumas raças, que apresentam um certa quantidade de pêlos no interior do conduto auditivo. Contudo não é recomendável a retirado  dos pêlos, pois estes funcionam como uma protecção natural contra umidade. E é preferível, fazer o procedimento de aplicação do produto, no dia anterior ao banho. Para aproveitar, e se fazer uma higienização completa e se eliminar o mau cheiro, e os resíduos de cerume que serão removidas pelo sabonete ou shampoo após o enxague do banho. Para maiores informações e esclarecimentos consulte um veterinário.
                                                        

terça-feira, janeiro 17, 2012

Pelos/Sais Minerais - Cachorros.



Pelos/Sais Minerais - Cachorros: Os sais minerais tem uma importante influência nutricional na saúde, na resistência, no brilho e na aparência geral dos pelos dos cachorros. Pois quando há uma carência nutricional, principalmente de sais minerais, consequentemente pode ocorrer um enfraquecimento da raiz, perda do brilho e provavelmente uma queda de pelos. E esta queda de pelos não é fisiológica devido ao envelhecimento do cachorro, mas sim também em decorrencia de uma deficiência nutricional, que é a chamada queda patológica ou alopecia. E o mineral que é essêncial, e que tem uma ação muito positiva sobre a saúde capilar dos cachorros é o zinco, pois o zinco é um elemento fundamental, e está presente em todo o organismo, principalmente como um constituinte intracelular, está tambem envolvido nas atividades de mais de 300 metalo-enzimas, agindo como co-fator ou catalisador.

Nos cachorros os principais efeitos de sua deficiência estão relacionados com problemas de pele e de pêlos, e atua também como um agente antioxidante, prevenindo contra a formação de radicais livres e evitando assim danos oxidativos nas células e no DNA. E os sintomas típicos de deficiência de zinco por carência nutricional, ou por má absorção intestinal que é motivado principalmente pelo excesso de cálcio na alimentação, são a dermatite seborreica (caspa), perda de pelos e descamações na face, orelhas e patas. E a administração de suplementos de zinco, auxilia na eliminação destas carências nutricionais, e consequentemente na eliminação destes sintomas a curto prazo. Entretanto, somente utilize suplementos alimentares com prescrição e acompanhamento veterinário.

segunda-feira, janeiro 16, 2012

Pelos/Aminoacidos - Cachorros.




Pelos/Aminoácidos - Cachorros: Entre as carências nutricionais que podem determinar a queda de pêlos nos cachorros, pode-se citar também a ausência na alimentação de determinados tipos de aminoácidos principalmente a metionina. Que são, como se fossem os tijolos que formam as moléculas de proteínas mais complexas, pois são fatores determinantes na proteção dos epitelios. E a sua falta, ou a sua quantidade insuficiente na alimentação dos cachorros, ocasiona por consequencia a perda do brilho, da resistência, com o ressecamento da pele e o aparecimento de quadros de seborreia, paraqueratose, e dermatites em geral, culminando consequentemente na queda dos pêlos. A metionina é um aminoácido sulfurado, formador de pontes de enxofre entre os polipeptídios constituintes de pele e de pêlos, dando-lhes resistência, diminuindo a queda de pêlos.

E sendo presença principalmente entre os  elementos envolvidos com a integridade da pele e da pelagem, auxiliando na manutenção do brilho e na maciez da pelagem, e possui ainda uma ação antiinflamatória sistémica, e tambem evita o ressecamento da pele, com uma função essêncial na regeneração e formação de epiderme, derme e mucosas. Sendo importante consequentemente, no bom desenvolvimento da pelagem, evitando a queda de pêlos e proporcionando pele e pêlos brilhantes e resistentes. E tambem Participa ativamente na proteção, reposição e integridade dos pêlos e da pele, prevenindo dermatites. A metionina que juntamente com outros aminoácidos sulfurados, cisteína e cistina, é essencial ao desenvolvimento da epiderme e da derme. para os cachorros em qualquer fase de sua vida. e suas melhores fontes naturais de origem animal são as carnes em geral, peixes, frutos do mar, ovos e leite, incluindo também especificadamente para os cachorros como fonte importante as rações de boa qualidade.

domingo, janeiro 15, 2012

Pelos/Queda - Cachorros.



Pelos/Queda - Cachorros: As quedas de pêlos nos cachorros podem ocorrer por diversos motivos, e um deles é a denominada queda fisiológica, que acontece naturalmente por envelhecimento do próprio pêlo ou de seu folículo (raiz), e assim esse pêlo vai sendo natural e seguidamente substituído por outros. Sendo que esta queda fisiológica, acontece normalmente no verão e não é localizada num único ponto da pelagem, mas sim de forma generalizada, e é uma queda rarefeita, e  com a  pelagem ficando apenas temporariamente rala ou menos densa. E há tambem a queda classificada como patológica (alopécia), que é a queda anormal, e que pode ter diversas causas, que podem ser doenças do próprio pêlo ou da pele do cachorro, como micoses, sarnas, eczemas. Podendo também ocorrer a queda de pelos de forma indireta, por carências nutricionais ou infecções, e entre as carências nutricionais que podem ocasionar a queda de pêlos, pode-se incluir a avitaminose A, pois a ausência da vitamina A, ou sua quantidade insuficiente na alimentação dos cachorros, pode acarretar a perda de seu brilho e resistência dos pelos, culminando até com a sua queda. 

E também a ausência ou a insuficiência de determinados aminoácidos e sais minerais na sua alimentação, podem tambem ter como consequência a queda de pêlos. Devido a origem da queda de pelos serem decorrentes de diferentes fatores, deve-se observar constantemente a pelagem dos cachorros,  pois caso a queda de pêlos seja  originada por parasitas (fungos, sarnas ou outros parasitas). Há a necessidade de que seja imediatamente tratada, e com auxilio veterinário, pois inclusive há o risco do parasita se alastrar, causando uma infestação,  podendo infectar outros cachorros ou ate mesmo as pessoas, podendo causar inclusive graves zoonoses, como a  micose tricofítica ou a sarna por Sarcoptis scabiei (Escabiose). Para maiores esclarecimentos e orientações, consulte um veterinário.

sábado, janeiro 14, 2012

Pelos Sedosos - Cachorros.


Pelos Sedosos - Cachorros: Ha várias raças de cachorros que apresentam diversos tipos de pelagem, variando quanto à textura, densidade, e o comprimento dos pelos. E esta diversidade de raças, com seus respectivos tipos de pelos diferenciados é que pode-se distinguir e classificar de acordo com a pelagem dos cachorros. 

Pois existem cachorros com pelo longo, pelo curto e pelo longo, entretanto nestes grupos podemos destacar os cachorros com pelos longos, sedosos e sem ondulações. E textura deste tipo de pelagem, apresenta uma qualidade de pêlo sedoso e fino variando para um pêlo sedoso e um pouco mais grosso. Que são pêlos mais sensíveis, que requerem, obviamente maiores cuidados tanto no manuseio (escovação e banho). 

Quanto na escolha dos produtos a serem utilizados durante o banho e escovação dos cachorros . Entretanto os cachorros alem de receberem  um tratamento adequado quanto a escovação e a qualidade dos produtos utilizados na mesma, devem tambem receber uma alimentação completa e balanceada com proteinas, carboidratos, vitaminas e sais minerais, para que possam manter os seus pelos constantemente sedosos.

sexta-feira, janeiro 13, 2012

Pelos/Cuidados - Cachorros.



Pelos/Cuidados - Cachorros: Dependendo do tipo de raça, que pode ser uma raça de pelo longo ou curto, as exigências em relação ao tratamento do pelo serão diferentes. Geralmente as raças de pelo longo exigem um tratamento constante e prefenrencialmente diário, e o ato de escovar e pentear o cachorro não propicia somente o tratamento dos seus pelos, mas também massageia a pele dos cachorros. E os cachorros apreciam serem escovados, e adoram este momento de carinho e interação. E em relação aos banhos nos cachorros, não se deve dar banhos excessivos, pois destrói o filtro protector do pelo, o banho pode ser dado no mínimo, com um intervalo de 15 dias.

E os produtos usados deverão ser apropriados para cada tipo de pelagem, e o secador tem de ser utilizado com atenção e cuidado, pois o calor em excesso pode queimar a pele e provocar lesões nas glândulas sebáceas. Cachorros com pelagem muito fina e longa precisam, além da utilização do  xampu, usarem também condicionadores, em casos de pelos muito secos, deve-se utilizar também cremes hidratantes. E o penteado a principio, deve ser feito preferencialmente com pente de metal, desfazendo os nós dos pelos com as mãos e com cuidado para não danifica-los, depois efetua-se uma escovação primeiramente contra o crescimento do pêlo e depois a favor.

Este procedimento deve ser repetido por pelo menos duas vezes na semana, os cachorros de pêlo curto também necessitam de cuidados, pois contrariamente do se imagina de que não dão trabalho, e não soltam pelo na troca da pelagem são os que mais soltam pêlo morto. O banho pode ser dado no prazo normal mínimo de 15 dias,  e uma boa escovação auxilia bastante na eliminação dos pelos mortos. Não se pode ignorar que as verminoses também influenciam e refletem no brilho e textura dos pelos, então deve-se fazer um exame de fezes no cachorro a cada 6 meses, pois alem de evitar verminoses protegendo sua saúde, protege também as pessoas contra zoonoses causadas por determinadas verminoses.

E ectoparasitas como como pulgas e carrapatos, também afetam negativamente o pelo dos cachorros, pois além de transmitirem doenças ocasionam também dermatites alérgicas e lesões de pele, que prejudicam em muito o pelo dos cachorros. Pois  um pêlo bem cuidado não tem influencia somente na estética, funciona também como um indicador da saúde do cachorro, entretanto manter o pêlo do cachorro em bom estado não é apenas uma questão estética, mas principalmente uma questão de saúde canina.  Alimentação, pode-se fazer uma associação  entre a alimentação adequada do cachorro e um pêlo saudável, pois a alimentação do cachorro reflete diretamente na resistência, no brilho e na maciez de seus pelos.

A alimentação deve ter uma correcta proporção entre proteína e carboidratos, mas para o pêlo é sobretudo importante a presença dos óleos omega e vitamina E. Recomenda-se adicionar uma colher de azeite e um ovo cozido ao dia na ração dos cachorros para dar mais brilho aos seus pêlos. É a alimentação do cachorro que fornece os óleos que permitem proteger a pele e o pêlo e também as vitaminas necessárias, para que o pêlo cresça forte e com vitalidade, e qualquer deficiência alimentar vai-se manifestar através dos pelos do cachorro. Consulte um veterinário, para maiores orientações e esclarecimentos.

quinta-feira, janeiro 12, 2012

Pelos/Alimentação - Cachorros.



Pelos/Alimentação - Cachorros: Uma alimentação completa e balanceada, é fundamental para que os pelos do cachorro tenham uma boa aparência e sejam saudáveis. E uma alimentação com ingredientes de alto valor biológico, e que tenha todos os nutriêntes necessários para o desenvolvimento e a saúde dos cachorros, e tem uma grande importância e é essencial para a manutenção de pelos fortes, brilhantes e saudáveis. E entre estes nutriêntes, podemos citar a vitamina A, vitamina que é considerada a protetora dos epitélios, proporcionando aos pelos dos cachorros um maior brilho e uma maior resistência. O Zinco, que é um elemento fundamental, e um mineral essêncial, e que tem uma ação muito positiva sobre a saúde capilar (pelos) e cutânea (pele) dos cachorros.

A Metionina, é um aminoácido importante no bom desenvolvimento da pelagem, sendo formador e constituinte da pele e pêlos, proporcionando uma pele saudavel e pêlos brilhantes e resistentes. E tambem auxilia na  maciez da pelagem,  possuindo ainda uma ação antiinflamátoria sistêmica, evita o ressecamento da pele, e tem uma função essêncial na regeneração e na formação de epiderme, derme e mucosas. Participando ativamente na  proteção, na reposição e na integridade dos pêlo e da pele. A metionina  que juntamente com outros aminoácidos sulfurados, cisteína e cistina, é essêncial ao desenvolvimento da epiderme e da derme, para os cachorros  em qualquer fase da sua vida.            

quarta-feira, janeiro 11, 2012

Sistema Imunologico/Aminoacidos - Cachorros.



Sistema Imunologico/Aminoacidos - Cachorros: O funcionamento adequado do sistema imunologico  dos cachorros é fortemente influenciado pelo estado nutricional de seu organismo e pelos nutrientes ingeridos em sua alimentação. A ingestão de  macronutrientes principalmente aminoacidos ( proteinas) e micronutrientes de baixa qualidade resulta em um efeito supressor (diminuição) das funções imunologicas, aumentando de forma abrangente e significativa os riscos de infecções. São E são diversos os macronutrientes que apresentam propriedades moduladoras do sistema imunológico, como alguns aminoácidos não-essenciais, que são produzidos pelo organismo como a arginina e a glutamina, que podem se tornar essenciais em condições de estresse e apresentar importante efeito no funcionamento da resposta imunológica. 

Exercendo tambem importante efeito modulador em funções imunes, alteram a expressão de moléculas de superfície e produção de citocinas, além de participarem na síntese de mediadores inflamatórios, A arginina aumenta a atividade de células exterminadoras naturais, linfócitos e macrófagos, ajuda no tratamento de tumores e melhora a resposta tardia à hipersensibilidade. A glutamina é uma importante fonte energética para células do sistema imunologico e a sua deficiência ésta associada com uma disfunção imunologica e uma maior incidencia de mortalidade em cachorros em estado de saude crítica. Portanto uma alimentação que contenha todos os aminoacidos (proteinas) necessarios para um bom funcionamento do sistema imunologico é essêncial para a saude e longevidade dos cachorros.


terça-feira, janeiro 10, 2012

Sistema Imunologico/Vitaminas do Complexo B - Cachorros



Sistema Imunologico/Vitaminas do Complexo B - Cachorros: As vitaminas do Complexo-B são constituidas essencialmente pelas 8 (oito) principais vitaminas deste complexo vitaminico, que são a niacina (B3), o ácido pantotênico (B5), a vitamina B6, a riboflavina (B2), a tiamina (B1), o ácido fólico (B9), a biotina (B8), e a vitamina B12. e estas vitaminas que fazem parte do complexo B, tem propriedades funcionais  que favorecem a saúde dos cachorros de um modo geral, atuando positivamente no metabolismo e nas condições da pele, do cabelo, dos músculos, do sistema nervoso,  auxiliam na manutenção da função supra-renal e principalmente no fortalecimento do sistema imunológico, pois as vitaminas do complexo B auxiliam o sistema imunológico a funcionar de forma correta e eficiente. As vitaminas B6 e B12 dão suporte à formação de anticorpos e podem reduzir a gravidade de alergias respiratórias, o ácido fólico (vitamina B9) ajuda a manter fortes aquelas primeiras linhas de defesa (pele, pulmões e intestino) para que possam combater invasores e infecções. 

E deficiências de vitamina B no organismo do cachorro, podem baixar significadamente a sua resistência imunologica, e cachorros que tenham uma alimentação deficiente, e com carência de vitamínas do complexo B, devido a sua desnutrição podem ter uma baixa resistência imunologica, podendo ficar suscetiveis a adquirir diversas infecções viroticas e bacteriologicas. No entanto, os cachorros que têm uma alimentação proveniente de uma ração equilibrada e com nutrientes de boa qualidade, certamente estão supridos das vitaminas do complexo B, e tem consequentemente uma maior resistência imunologica, contra infecções em geral. Somente forneça a seu cachorro, suplementos alimentares ou vitaminicos, com a prescrição e orientação veterinaria.

segunda-feira, janeiro 09, 2012

Sistema Imunológico/Vitamina C - Cachorros.



Sistema Imunológico/Vitamina C - Cachorros: A função essêncial do sistema imunológico a principio consiste em identificar todos os tecidos, células e proteínas que fazem parte e constituem o organismo para distingui-los da infinita variedade de agentes patogénicos e substâncias estranhas que possam tentar invadir este mesmo organismo. Neste processo os linfócitos T, que são células que fazem parte dos glóbulos brancos sanguíneos ( leucócitos) são fundamentais, e durante o processo de desenvolvimento fetal, o sistema imunológico adquire a capacidade de distinguir as substâncias que pertencem ao organismo, mantendo desactivados os linfócitos T.

Porem quando um agente estranho, como uma infecção por bactérias invade este organismo, essas células são ativadas com o propósito de defender este mesmo organismo contra a presença destas infecções, e suas consequencias nocivas no organismo. E desde o momento que nascem, os cachorros estão sujeitos e expostos a diversas infecções através de bactérias, vírus, fungos e outras substâncias estranhas que podem agredir o seu organismo, atacando-o instantaneamente e a qualquer momento. Entretanto, para se defender dos ataques destes agentes patogênicos e das respectivas infecções provocadas por estes no organismo dos cachorros, dispõem do seu sistema imunológico. 

Que é constituído por células específicas (linfócitos T), que agem de forma semelhante ao sistema imunológico de outros animais. Entretanto o sistema imunológico pode muitas vezes ficar fragilizado e debilitado, deixando o cachorro vulnerável e suscetível a adquirir diversas infecções. E um dos fatores que podem ocasionar o enfraquecimento do sistema imunológico, é uma alimentação com deficiência nutricional, principalmente com a carência de vitamina C (Ácido Ascórbico). Que é uma vitamina muito importante para a produção de colágeno, colaborando para a formação dos dentes e ossos e também no processo de cicatrização, auxilia na absorção do ferro, atua como anti -oxidante e também tem uma influência fundamental no sistema imunológico, estimulando a atividade dos leucócitos. 

E a vitamina C que e um poderoso agente anti-oxidante, estimula significadamente a resistência do organismo às infecções através da atividade imunológica dos leucócitos. Aumentando a produção dessas células de defesa, que um tem efeito direto defensivo e destrutivo sobre as bactérias e os vírus, aumentando substancialmente a resistência do organismo as infecções em geral. E as melhores fontes naturais de vitamina C, são a acerola, as frutas cítricas (limão, laranja, lima), o kiwi, o caju, o morango, o tomate e vegetais como couve, repolho e pimentão verde, porem a vitamina C, se deteriora rápido e facilmente na presença do oxigênio, da luz e do calor. Entretanto, somente utilize vitaminas ou complexos vitaminicos com a prescrição e o acompanhamento do veterinário. 

domingo, janeiro 08, 2012

Sistema Imunologico/Vitaminas - Cachorros.



Sistema Imunologico/Vitaminas - Cachorros: O organismo dos cachorros esta a todo momento naturalmente exposto a agressão de bactérias, vírus, fungos e outras substâncias estranhas e possivelmente nocivas. Entretanto, para combater estas agressões o organismo dos cachorros é naturalmente equipado e dispõem do seu complexo sistema imunológico, que são um tipo de células específicas que se agrupam, e estão sempre alertas e prontas para defender o organismo contra infecções ou agentes estranhos. A função do sistema imunológico consiste a principio em reconhecer cada um dos tecidos, células, e proteínas do organismo para distingui-las de uma ampla variedade de agentes patogênicos e substâncias estranhas, para então combaten-los, destrui-los e se opondo natural e automaticamente a sua presença no organismo dos cachorros. 

Neste processo, os linfócitos T, células pequenas que fazem parte dos glóbulos brancos sangüíneos ou leucócitos, têm grande importância. É por este motivo que os linfócitos estão sempre presentes em áreas com inflamação crônica, pois estão  exercendo a sua função imunológica, contudo o sistema imunologico pode casualmente ficar fragilizado e debilitado, deixando o organismo vulnerável e suscetível à agentes estranhos, infecções bacteriologicas, viroses, que podem evoluir para doenças mais sérias, como infecções generalizadas e até mesmo o câncer. E entre os fatores que podem desencadear problemas no sistema imunológico, pode-se citar doenças hereditarias, intoxicações, amamentação deficiente, alimentação desequilibrada entre outras.  

Um cachorro bem nutrido, que amamentou e se alimenta de forma completa e adequada, se nutrindo com uma ração de boa qualidade, está melhor preparado para enfrentar  infecções, agentes extranhos e outras doenças do que um cachorro mal nutrido, cuja alimentação é de má qualidade e consequentemente deficiente principalmente de proteinas, vitaminas e sais minerais que potencializam as defesas orgânicas. As principais vitaminas e minerais que atuam fortalecendo o sistema imunológico são as vitaminas A, C, E e ácido fólico e os minerais zinco e selênio. A seguir mostraremos quais são as principais funções imunológicas de cada um desses nutrientes, sendo que estes nutrientes estão presentes nas rações de boa qualidade. 

Vitamina A - Essa vitamina apresenta um papel muito importante na manutenção da integridade das membranas mucosas. Por isso, a sua deficiência no nosso organismo provoca uma redução do número de linfócitos T circulantes, aumentando a probabilidade de infecções bacterianas, virais ou parasitárias. 

Vitamina C - Essa vitamina antioxidante estimula a resistência às infecções através da atividade imunológica de leucócitos. Ela aumenta a produção dessas células de defesa, que tem efeito direto sobre bactérias e vírus, elevando a resistência a infecções. 

Vitamina E - Essa vitamina tem a capacidade de interagir com as vitaminas A e C e com o mineral selênio, agindo como antioxidante. Sua função primordial é proteger as membranas celulares contra substâncias tóxicas, radiação e os radicais livres que são liberados em qualquer reação química do organismo e podem causar sérios danos às estruturas das células, 

Ácido fólico - Essa vitamina é essencial para a formação dos leucócitos (glóbulos brancos) na medula óssea.

Zinco - Esse mineral atua na reparação dos tecidos e na cicatrização de ferimentos. Uma deficiência de zinco resulta em diversas doenças imunológicas; a deficiência grave causa linfopenia (grande diminuição do número de linfócitos). 



Selênio - Assim como a vitamina E, esse mineral possui grande capacidade antioxidante, ou seja, neutraliza a ação dos radicais livres   evitando o desencadeamento de algumas formas de câncer. 
Somente forneça vitaminas ou suplementos vitaminicos aos cachorros, com orientação veterinaria, e para maiores informações e esclarecimentos, consulte um veterinario.


COMPARTILHE A POSTAGEM.

COMPRE E RECEBA EM CASA! COM TODA COMODIDADE, SEGURANÇA E RAPIDEZ.

,

,

CURSO DE VIOLÃO: EBOOK + VIDEO AULAS - TOTALMENTE GRATIS!