.

sexta-feira, janeiro 20, 2012

Diabetis - Cachorros.



Diabetes - Cachorros: O diabetes é uma  doença grave e esta entre as que mais causam óbito nos seus portadores no mundo, e alem de acometer os seres humanos, esta grave enfermidade também se manifesta entre os cachorros.  Neles assim como nas pessoas, o diabetes tem dois tipos comuns que são o diabetes mellitus e o diabetes insipidus.  O diabetes Mellitus e um tipo de diabetes que é caracterizado pelo excesso de glicose (açúcar) no sangue, e o nível normal de glicose presente no sangue dos cachorros é de até 110 mg/dl (miligramas de açúcar por decilitros de sangue), e quando a taxa é superior a esta, o cachorro é diagnosticado como portador da diabetes. E o Mellitus é o tipo mais comum de diabetes, a doença é caracterizada pela baixa produção do hormônio insulina pelo pâncreas, o pâncreas é um órgão que também é responsável pela produção de enzimas digestivas,  e a insulina é a responsável pela regulação dos níveis de glicose no sangue. Por isto, o diabetes mellitus também pode ser definido como uma doença na qual o pâncreas é incapaz de regular a quantidade de açúcar no sangue devido a alterações na produção do hormônio. O problema pode ter origem genética, o que ocorre na grande maioria dos casos, ou ser adquirido ou aparecer como resultado de alguma outra enfermidade no pâncreas. Entre os cachorros, os representantes da raça poodle são os que têm maior pré-disposição genética a desenvolver a doença.   Já o diabetes do tipo insipidus não está relacionado com os níveis de açúcar no sangue, mas sim a uma deficiência do hormônio anti-diurético, que controla a absorção de água nos rins. Quando ocorre esta deficiência, a água deixa de ser absorvida e faz com que o cachorro não somente passe a urinar mais, como também a ter mais sede, fazendo com que os sintomas sejam semelhantes ao do diabetes mellitus. O problema pode levar à deficiência de eletrólitos no organismo e também a alterações de pêlo, sendo caracterizado como uma doença da hipófise (glândula que fica na base do cérebro e é responsável pela produção do hormônio antidiurético). O diabetes do tipo insipidus também pode ser genético ou adquirido, resultando de problemas no rim. O tratamento é feito com base em suplementação hormonal. No organismo do cachorro todo alimento consumido, é eventualmente convertido em açúcar (glicose), que é a fonte de energia para todos  os órgãos. Se muito alimento for consumido, as calorias extras podem ser armazenadas pelo organismo para serem transformadas em açúcar posteriormente, quando necessário. E o açúcar é transportado através do sangue para todas as áreas do corpo, e todas as célula que estejam necessitando  de açúcar se utilizam deste açúcar presente no sangue. Mas para que as células metabolizem o açúcar  presente no sangue, uma substância chamada insulina é necessária. A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas, e é essencial para a vida.A diabetes ocorre quando a insulina não é produzida, ou quando o organismo o produz em baixas quantidades ou tem alguma condição que interfere na ação da insulina. E existem duas formas de diabetes melitus:Diabetes Melitus tipo I ou insulino-dependenteDiabetes Melitus tipo 2 ou não insulino-dependente.  Praticamente a grande maioria dos cachorros ou quase 100% e portador da diabetes tipo I.  E o cachorro que é portador do diabetes, sem ter a insulina para poder absorver e metabolizar o açúcar do seu sangue, ela começa a se acumular, até que ao atingir um certo nível no sistema sanguíneo, começa então a ser extravasado pela urina através do rim, gerando dessa forma uma grande quantidade de urina. Como eles  produzem uma grande quantidade de urina, e acabam perdendo muito volume de água, torna-se necessário repor este volume perdido, e por isso começam beber muita água. Já as células que precisam do açúcar como fonte de energia, ficam  sem acesso a esta fonte, e começam a sofrer de uma severa restrição energética. Com isso enviam mensagens de alerta de que está faltando energia, e o cachorro  diabético começa a comer cada vez mais e mais. E mesmo o cachorro comendo muito, as células continuam não tendo acesso a energia e mandam novas mensagens de alerta ao organismo, que começa degradar gorduras e músculos para obter energia para as células. Porém, mesmo com todo este esforço o organismo ainda não pode utilizar o açúcar proveniente deste processo.Os sinais clínicos dos diabéticos portanto refletem todo este esforço do organismo, e os cachorros acometidos bebem água em excesso, urinam grandes quantidades, aumentam consumo de alimento e emagrecem muito.


COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado

.COMO ACABAR COM AS PULGAS!