quinta-feira, fevereiro 02, 2012

Cachorros - Treinos e Comandos.



Cachorros - Treinos e Comandos: Brincar com um cachorro é tão bom, necessário e prazeroso quanto brincar com uma criança, e para efeito de comparação, vale lembrar que um cachorro tem um grau de inteligência mais ou menos semelhante ao de uma criança de dois anos e meio. Obviamente, para se ensinar brincadeiras ao cachorro, ele tem que estar a principio recpitivo e com um certo grau de atenção e obediência. E tambem estar familiarizado com pelo menos os comandos mais simples e essenciais, como “vem”, “senta”, “junto” e “não”. Por sinal, ensinar o cachorro a brincar torna o treinamento “sério”, como ensinamentos para não escavar o jardim nem mexer no lixo, mais fácil, mais agradável e mais divertido.

E mesmo sem grandes pretensões, os donos podem gradualmente orientar e ensinar vários padrões comportamentais ao cachorro, e ao mesmo tempo se divertir. Porem, o ideal é agir naturalmente, considerando e respeitando o ritmo do cachorro, pois não se deve forçar ou estressar o mesmo com “cursos intensivos”. Mantenha as "brincadeiras" ou sessões de treino curtas (no máximo meia hora), ensine apenas um truque por vez e não cobre ou espere que ele assimile e aprenda o ensinamento logo na primeira sessão. Mas vá aumentando o nível de exigência no decorrer das aulas, até o cachorro ter compreendido e dominado o ensinamento e estar pronto para outro. 

Pois cada cachorro tem um grau de capacidade diferenciado para aprender e assimilar o que lhe é ensinado. Alguns têm mais facilidade ou disposição para determinados truques, outros já conseguem aprender mais rapidamente o que lhes foi ensinado, e isto vai depender de vários fatores, que vão desde a raça do cachorro até a educação e os ensinamentos que lhes foi dado anteriormente. E conforme a inteligência do cachorro e o grau de dificuldade do lhes é ensinado, alguns podem levar de uma semana até alguns anos para serem aprendidos. É preciso estar ciente e fazer uma analise do perfil do cachorro, ou seja, observar seu porte, seu grau de atividade, seu temperamento, sua disposição e receptividade para aprender e assimilar o que lhe é ensinado. 

Não pode haver precipitação, querendo transformar prazer em obrigação e forçar o cachorro a aprender. Pelo contrário, deve-se sim, transformar obrigação em prazer, recompensando o cachorro com carinho e ocasionais recompensas (petiscos e brinquedos) a cada etapa que ele venha a cumprir adequadamente. E os equipamentos necessários, para a pratica destes ensinamentos é quase nenhum, ou seja, os já mencionados petiscos e brinquedinhos, além de itens opcionais como apito e um “clicker” para ajudar a marcar o momento exato da tarefa. O ambiente de “estudo” deve ser tranquilo, sem distrações, e não se pode esquecer de que cachorros não têm capacidade de abstração e generalização. Então não se deve forçar o cachorro se ele estiver demasiadamente inquieto ou se tiver acabado de se alimentar. 

E deve-se esquecer do mito de que “não se pode ensinar truques novos a cachorro velho”. pois aprendizado não tem idade, embora possa ser mais lento para cachorros mais idosos. Para começar, tem que se escolher palavras curtas e de fácil sonoridade para os comandos e mante-las sempre, pois constância é essencial para o treinamento dos cachorros. E para iniciar pode-se começar utilizando o comando de “senta”, faça-o sentar-se, pegue uma de suas patas dianteiras e diga “dá a mão”, “bom dia”, “e aí?” ou outro palavra curta equivalente de cumprimento. Segure a pata dele por alguns instantes, diga “bom menino”, “boa menina” ou um incentivo similar; solte então a pata e depois de alguns instantes diga “dá a mão” ou similar e veja se ele te dá a pata sozinho. 

Se não der, repita tudo algumas vezes por dia até ele te estender a pata ao ouvir o cumprimento.  E tambem o comando “Deita”, faça-o se deitar, ponha-lhe diante do focinho um petisco ou brinquedo e diga “Engatinha”. Se ele tentar se levantar, coloque o prêmio mais perto do chão e repita bem devagar “Não, Deita" e se ele engatinhar, por pouco que seja, cumprimente-o afinal, ele obedeceu e e tambem repita tudo algumas vezes ao dia, até ele assimilar. O comando de "cumprimento", deve-se sentar no mesmo plano e nível do cachorro, e mostre-lhe um agrado ou prêmio, ponha outra mão nos joelhos e faça sinal para o cachorro vir buscá-lo. Logo que o cachorro encostar o queixo em seus joelhos, fale a palavra de comando “Diga Olá” ou outro cumprimento, depois diga “Solta” ou “OK”, espere-o levantar a cabeça e dê-lhe o prêmio após soltá-lo. 

Repita algumas vezes por dia, a cada vez aumentando o tempo em que o cachorro mantém a cabeça em seus joelhos. O comando para latir, chame o cachorro para uma atividade de que ele goste muito como passear ou brincar de bola ou de esconder. Mostre-lhe o brinquedo ou a coleira e deixe-o animado até ele latir. quando então ele latir diga “Isso, fale!” e recompense-o com o brinquedo ou um passeio curto. Repita algumas vezes, pois mesmo sendo um processo difícil e trabalhoso, ele pode perfeitamente aprender e se condicionar a só latir quando você disser “fale”. E após o cachorro ter se condicionado com o comando da palavra para latir "fale", e ter aprendido a ficar quieto, você pode até brincar com ele, alternando os comandos de “Fale!” e “Quieto!” várias vezes seguidas. Inicie o treinamento com atividades mais simples sobre as quais já falamos, como corrida, cabo de guerra várias vezes seguidas, recomenda-se nunca deixá-lo ganhar para que ele não se esqueça de quem é o dominante.

Cachorros - Vermifugação.



Cachorros - Vermifugação: Muitos responsáveis por animais, principalmente de animais domésticos como cachorros, não sabem ou não dão a importância devida para a vermifugação destes. E acabam ignorando que a grande maioria dos parasitas que colocam em risco a saúde de seus cachorros,  são parasitas classificados como zoonóticos, isto é, parasitas que também podem contaminar e causar enfermidades aos seres humanos, enfermidades estas que são denominadas de zoonoses.

Geralmente, os sintomas e as lesões estão causadas por estas zoonoses, estão associados com a espécie do parasita e também com a quantidade do mesmo no organismo do cachorro.  Mostrare-mos abaixo, qual é o período e o prazo correto, e a frequência adequada  para se fazer a vermifugação nos cachorros, mas para melhores resultados, e também para uma maior garantia da saúde de seu cachorro, é recomendável consultar um médico veterinário. Para os filhotes de mães não vermifugadas, a primeira dose de vermífugo deve ser administrada aos 21 dias de idade, e a segunda aos 36, e a terceira aos 57 dias de idade.

Em seguida, repete-se 1 ou 2 vezes este procedimento antes do término das vacinas, que geralmente ocorre num prazo de 150 dias. E após os 60 dias de vida, é necessário que se realize o exame de fezes, o chamado coproparasitológico. Para os filhotes de mães vermifugadas, a primeira dose de vermífugo deve ser administrada com 40 a 35 dias de vida, e após 15 dias a dose deve ser repetida, repetindo-se a o procedimento 1 ou 2 vezes ao longo da vacinação. E também, após os 60 dias de vida, é preciso que se realize o exame de fezes, ou coproparasiotológico.

Para os cachorros adultos, a vermifugação deve ser realizada de 2 a 3 vezes por ano, sendo válido ressaltar que a vermifugação é essencial para todos os cachorros. Sendo que o melhor, e o mais recomendado é que a vermifugação, seja realizada logo nos primeiros dias de vida do cachorro e posteriormente durante todas as fases de sua vida, desde a fase jovem, passando por adulto até idoso, e deve ser feita pelo menos 1 vez ao ano. No entanto, a frequência da vermifugação vai depender também do ambiente em que o cachorro vive, e da quantidade de cachorros existentes neste mesmo local. E mais importante, o seu cachorro só deve ser vacinado somente quando estiver totalmente livre dos parasitas causadores de verminoses.

Dentre os sintomas que podem indicar a presença de verminoses encontram-se, falta de apetite, vômitos frequentes, emagrecimento, anêmia, fezes amolecidas ou com sangue, sintomas de pneumônia e tosse, barriga estufada ou abdômem distendido, estes são os sintomas mais comuns e perceptíveis, e que são resultantes do aparecimento de vermes parasitas no intestino do cachorro, inclusive há ainda parasitas extra-intestinais, que circulam pelo organismo do cachorro, atingindo orgões vitais como os pulmões, rins e coração. Consulte um medico veterinário para maiores orientações e esclarecimentos.






COMPARTILHE A POSTAGEM.

COMPRE E RECEBA EM CASA! COM TODA COMODIDADE, SEGURANÇA E RAPIDEZ.

,

,

CURSO DE VIOLÃO: EBOOK + VIDEO AULAS - TOTALMENTE GRATIS!