.

sexta-feira, março 02, 2012

Cachorros - Yorkeshire Terrier.



Cachorros - Yorkeshire Terrier: Yorkshire é uma raça de cachorros de pequeno porte, da família dos terriers, e que possui um peso médio aproximado de 3,1 kg, sendo  o seu pêlo comprido, sedoso e totalmente liso, sem nenhuma ondulação. E a sua coloração, ao longo do tronco, é azul-aço, que é uma variação de cor entre o preto e o prata, e o fulvo, que é um castanho intenso e brilhante, distribuídas no rosto, patas e peito.  A coloração castanha clareia no trajeto da raiz às pontas, já a azul-aço mantém este tom em todo seu comprimento, sendo mais escura apenas na extremidade da cauda, jamais mesclados de pelos fulvos. 

E os olhos do Yorkshire são simetricamente redondos, bem acomodados, escuros e brilhantes, e as orelhas eretas, pequenas, bem inseridas e em forma de v,  eles ainda têm também como caracteristica, a trufa preta e o focinho curto. E apesar de seu pequeno porte, o Yorkshire é um cachorro bastante ativo, sendo um otimo cachorro de companhia. O surgimento da raça YorKshire esta relacionada a fatos históricos e culturais ocorridos na Grã-Bretanha, mais precisamente na Escócia.  Pois aproximadamente no fim do século XI, servos e trabalhadores adquiriram a permissão para poderem criar cachorros, porém, seu tamanho não deveria ultrapassar o de um aro metálico de sete polegadas de diâmetro. 

E acredita-se ter sido este o fator responsável para o início dos cruzamentos artificias que deram origem às raças posteriormente chamadas de terriers, pois nesta época, o cachorro que passasse sem problemas por este aro, era considerado pequeno o suficiente para não caçar, já que a classe servil à qual pertenciam seus donos não tinham o direito nem à caça de subsistência. E até o século XVIII, a maioria dos britânicos continuavam a trabalhava na agricultura, mas com o advento da revolução industrial houve grandes migrações e deslocamentos de pessoas e famílias, que lavaram juntos seus cachorros, se transferindo do campo para os Condados como o de Yorkshire. Onde cresceram pequenas comunidades ao redor das minas de carvão, dos moinhos têxteis, e das indústrias de lã, e da aglomeração destas pessoas e famílias com seus respectivos cachorros próximos a estes centros de trabalho.  Acarretou a ocorrência de cruzamentos naturais, entre vários raças de cachorros de pequeno porte, já conhecidos desde então como black and tan, skye terrier, dandie dinmont e até mesmo maltês, todas tradicionalmente conhecidas como caçadoras em tocas. E presentes nas regiões de Manchester e Leeds, ocupadas pelo novo cenário surgido então, que era o crescimento urbano, cenário este, que propiciou a junção e o cruzamento de varias raças com caracteristicas especificas e peculiares.

Ocasião esta, que deu inicio ao surgimento dos Yorkshires  Nessas comunidades, principalmente as compostas pelos operários de West Riding, os cachorros passaram a serem vistos não apenas como companhia em casa e nas minas de carvão.  Mas também como úteis na caça aos roedores, que se escondiam por baixo dos terrenos das casas, e nas competições em bares, onde alguns cachorros disputavam o posto de maior caçador e matador de ratos em apostas, e os campeões eram bastante valorizados, conseguindo alcançar um grande preço.  E o sucesso, como otimos companheiros e caçadores dos cachorros de Yorkshire, que já começava a se consolidar como uma raça genuína.

Chamou a atenção de criadores que, entusiasmados, iniciaram um novo processo seletivo, na busca de um melhoramento do padrão, e de suas características como obediência, caça e beleza. Estes processos iniciais, acredita-se, foram os que geraram os primeiros cachorros aprimorados com sucesso, cujo comportamento deveria ser o de um cachorro corajoso, com o tamanho diminuto e com uma bela aparência. Fisicamente estes cachorros acabaram inicialmente por pesar entre 5 e 7 kg, e já tinham como caracteristica, o pêlo macio e rajado como visto na raça moderna, e também  já apresentavam-se menores e de pêlo mais liso que seus antecessores. 

E a especificação, regulamentação e oficialização da raça,  viria a ser feita posteriormente, pelo cavalheiro inglês Peter Eden, um notável criador da época e respeitado juiz de competições oficiais. De sua posse faziam parte exemplares de pelagem longa e acetinada azul e fulva, bem como o ancestral de um dos mais conhecidos Yorkshires de exposição da época, além de ter-lhe sido atribuído o primeiro registro de um Yorkshire no Livro de  Criação, sob o nome "terrier escocês de pêlo curto e yorkshire".  No século seguinte ao início do êxodo para as cidades, por volta do ano de 1861, o yorkshire foi apresentado pela primeira vez à nação inglesa, em Birmingham, quando desfilou como variedade especial de uma outra raça.

Alguns anos mais tarde, apareceu em sua primeira exposição canina, foi reconhecido como raça pelo American Kennel Club, e inserido no Britsh Kennel Club sob o nome de yorkshire terrier, cujo primeiro padrão previa dois grupos distintos, sendo um para os exemplares de até 2,3 kg, preferidos para companhia, e outro para os de até 6 kg, prediletos para a caça aos roedores. Em 1898, foi criado o primeiro clube restrito a raça Yorkshire, e ao fim da Era vitoriana, atingiu sua ascensão social, por ter sido escolhido pela rainha como cachorro de estimação.  Passando então, após isto, a figurar como companhia das senhoras aristocratas e da alta burguesia, que ornamentavam seus animais de acordo com o modelo da roupa que usavam no dia.

Nesse momento, o ora caçador eficiente, tornou-se em definitivo um cachorro de companhia de luxo, como é visto modernamente ao lado de celebridades.  E foi também, devido ao seu diminuto tamanho,  pois ele é o menor de todos os terriers, e a sua aparente fragilidade, que o yorkshireyork, manteve sua popularidade no mundo, sendo frequentemente escolhido por pessoas, que moram em locais pequenos e apartamentos, para serem suas companhias. Em adição ao seu tamanho, sua personalidade também o colocou ao lado de donos que ocupam grandes mansões, não o limitando então, a reduzidos espaços. 

O Yorkshire Terrier como conhecido nos dias atuais, difundiu-se por todo o mundo. Em 1932, apenas trezentos foram registrados no Kennel Clube Britânico, ao passo que em 1957, este número subiu para 2 313 e em 1970 chegou a ser a raça mais popular da Inglaterra. Na década de 1990, atingiu o ápice de exemplares em lares, ao atingir os 25 665. Contudo, este número reduziu-se próximo da metade em apenas quatro anos. No ano de 2009, foi eleita como uma das dez raças mais populares do mundo, devido principalmente, as suas caracteristicas, onde se deve ressaltar o seu temperamento corajoso, o seu companheirismo sem restrição de idade de crianças a idosos, e o seu porte, de tamanho adequado e próprio para companhia. 

A primeira aparição nas exposições foi em 1861, em Birmingham, e a primeira inscrição no livro de registros do Kennel Clube foi feita em 1886, assim sua história atual tem mais de cem anos. Em  1898, o Kennel Club da Inglaterra, que acabava de ser criado, reconheceu-o com o nome de Yorkshire Terrier, em 1874, os primeiros yorkies foram registrados no livro do Kennel Clube Britânico, eles foram chamados de "Terriers Escoceses de Cabelo Quebrado" ou "Yorkshire Terrier".  Até que em 1886, o Kennel Clube Britânico reconheceu o Yorkshire Terrier como uma raça individual, e o primeiro clube da raça Yorkshire Terrier foi formado em 1898.  E durante estes primeiros anos, quem grandemente influenciou a raça foi a Senhora Edite Wyndham-Dawson.

Que por um tempo foi secretária do Clube Yorkshire Terrier, e trabalhou desde então pela melhoria da raça.  Depois, a Senhorita Palmer que era a empregada do canil da Senhora Edith, começou seu próprio canil de yorkies, sob o "prefixo de Winpal".  E quando a Senhora Edith retornou à Irlanda, pelo começo da Primeira Guerra Mundial, a Senhorita Palmer foi trabalhar para a Sra. Crookshank do prefixo Johnstounburn, um nome com uma longa lista de campeões, que atualmente estão aos cuidados de Daphne Hillman, uma entusiasta deste prefixo, o utilizando ainda junto com o seu próprio prefixo de Yorkfold.  Outros nomes também trabalharam arduamente nestes primeiros tempos para a melhoraria da raça, a evolução deve-se a estes primeiros criadores, que se tornaram os fundadores de vários canis na América do Norte e em outros lugares. 

O Yorkshire Terrier atual difunde-se por todo o mundo, em 1932, somente 300 yorkies foram registrados no Kennel Clube Britânico,  já em 1957, o número chegava a 2.313, e na década de 1970, os yorkies já eram a raça mais popular na Inglaterra. Esta tendência continuou até a década de 1990, com um número de registros de 25.665 yorkishires. Porém, esta tendência começou a declinar, e em 1994 havia 12.343 inscrições, com o yorkie sendo a 7ª raça mais popular.  O yorkshire terrier mais famoso dos tempos modernos no Reino Unido, foi o CH Blairsville Royal,  ele veio do CH Beechrise Surprise e sua dam CH Blairsville Most Royale, este exemplar era popularmente conhecido como Tosha, apelido dado por seus admiradores.

E ele foi criado pelo seu proprietário o Sr. Brian Lister e sua esposa, Rita, e durante sua carreira de exposições, Tosha ganhou 50 CCs, todos sob juízes diferentes. Ele foi Best in Show doze vezes e dezesseis vezes reserva de Best in Show. Tosha levou 33 prêmios de Melhor de Grupo e foi reserva de Best in Show em Cruft´s em 1978, assim como sua dam tinha sido antes dele. Tosha foi o Top Dog, de todas as raças, durante dois anos consecutivos.  Ele se tornou o antepassado de muitos campeões, e ainda se caracteriza como um diferencial nos pedigrees de muitos yorkies atuais. 

Quando Royal Seal morreu, aos quinze anos, em 1988, o registro de maior número de CCs da raça foi quebrado por Osman Sameja's CH Ozmilion Dedication Jamie, que terminou sua carreira de exposições com 52 CCs, embora não todos de juízes diferentes.  Jamie também possui dois títulos de campeão de todas as raças, e seus prêmios no grupo de Toy dogs o ajudaram a ganhar o título de Top Dog em 1987.  O canil de Ozmilion é o Canil de yorkshire terrier que ocupa o topo de todos os tempos, e mantém o recorde de registros de maior número de campeões produzidos.  A raça tambem fez sucesso imediato na América do Norte, alguns dos primeiros canis americanos mais notáveis são Janet Bennet e Joan Gordon (Wildweir),

Que importaram muitos yorkies ingleses, inclusive das linhas de Johnstounburn, Haringay e Buranthea. Os canis de Mayfield-Barban, possuídos por Anne Seranne e Barbara Wolferman, também fizeram muito para melhorar a raça.  Outro cachorro que teve influência significativa para os yorkies norte-americanos foi o CH Finstal Royal Icing, criado por Sybil Pritchard no Reino Unido e exportado para os canis de Jentre, depois que Sybil morreu. Ele é proveniente do CH Finstal Johnathan, que ainda tem sua linhagem premiada na Grã-Bretanha, e atualmente, o yorkshire terrier também é muito popular na América do Norte.  Em 1992, os yorkies classificavam-se como os de número catorze na lista do AKC das raças mais populares, com 39,904 registros.

Em 1994 eles subiram para a 11º colocação, embora as inscrições tivessem caído para 38,626, deve-se isso ao fato de, globalmente, os registros AKC terem diminuído entre todas as raças populares. E mesmo sendo considerado um cachorro de pequeno porte, o Yorkshire é bastante dinâmico e muito exigente em termos de atenção.  Pois para o Yorqueshire o melhor lugar para ele estar é próximo ao seu dono, mas não subjugado ou em seu colo, ainda que alguns tenham particular predileção ao colo, principalmente quando em tempo de frio. Passear ou viajar com a "família" também deixa um Yorkie feliz, pois o Yorqueshire não se contenta em ser somente companhia, ele quer compartilhar de todos os momentos

Pois o yorkshire possui um caráter doce e sociável, que permite levá-lo a todos os locais sem inconvenientes. Seu temperamento carinhoso e afável o torna um grande companheiro, divertido e devoto, para com aqueles que o cercam, particularmente seu dono, de quem adora receber todas as atenções. Devido a este apego, o yorkie tem por hábito andar atrás do dono, onde quer que ele vá.  A pelagem dos Yorkieshire por ser bela, longa, lisa e abundante, necessita de cuidados especiais para manter-se limpa e desembaraçada.  E deve-se também ficar atento aos problemas de saúde caracteristicos e comuns a raça, que são o fechamento tardio da moleira, problemas de Hérnia, de Dentição dupla, Luxação de patela, Necrose asséptica, Cerato-conjuntivite seca ( problemas na produção de lágrimas), Tártaro, Hidrocefalia, Prognatismo e Retrognatismo.

COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado