.

segunda-feira, maio 21, 2012

Problemas/Doenças Oculares/Catarata - Cachorros.



Problemas/Doenças Oculares/Catarata - Cachorros: A catarata é uma doença ocular que provoca uma opacidade no cristalino, e o cristalino dos cachorros é uma lente biconvexa com pouca capacidade de distinção visual variável, ou seja, tem pouca capacidade de focar objetos a distâncias variadas. E entre as causas da catarata se incluem, os defeitos genéticos, as inflamação intra-oculares, as doenças da retina, os traumatismos, a diabetes e a senilidade. E as raças que possuem uma tendência e uma pré-disposição hereditária a desenvolverem a catarata são a raça Afghan Hound, Beagle, Cavalier, Cocker Spaniel, Golden Retriever, Husky Siberiano, Labrador Retriever, Old English Sheepdog, Pastor Alemão, Pointer, Poodle Toy e Miniatura, Schnauzer Miniatura, Setter Irlandês, Welsh Corgi, e o West Highland White Terrier. E catarata é o termo que designa a doença que afeta a opacidade do cristalino, pois o cristalino a principio  é uma lente biconvexa responsável pela importante função da acomodação visual, ou seja o ajuste do olho para focalizar distancias variáveis. 

Alguns animais possuem essa faculdade mais desenvolvida que outros, daí a maior acuidade visual de alguns predadores como as aves de rapina e alguns felinos. O cristalino possui duas cápsulas, que são a anterior que se confronta com a íris, e a posterior que se confronta com a membrana hialóide intimamente aderida ao corpo vítreo. E o seu interior pode ser classificado como região cortical (córtex) e região nuclear (núcleo), e o desenvolvimento das cataratas ocorre pôr diversas etiologias, mas quaisquer que sejam as causas temos sempre o envolvimento de alterações bioquímicas complexas relacionadas com a coagulação de protêínas. As fibras ( camadas simples ou em linhas de células especializadas cuboidais) do cristalino recebem energia e oxigénio através do humor aquoso que atravessa a cápsula bastante permeável. Por isto alterações na composição do humor aquoso, pôr diversas causas podem resultar em perda da transparência ( catarata ).  

A classificação das cataratas pode ser quanto a sua localização, podendo ser capsular, sub -capsular, nuclear e cortical, quanto a idade em que ocorrem podem ser, até 2 anos de idade congénita ou hereditária, sendo que a congénita pode ser deflagrada pelo estado materno (infecção, toxemia). E de 2 anos até 5 ou 6 anos são classificadas como cataratas juvenis ( hereditária, diabétogênica, Traumática), e de 6 anos em diante são classificamos como cataratas senis.  Seu estado relativo a transparência é classificado como catarata incipiente, imatura, madura e hipermadura. E o melhor e o mais adequado tratamento para a catarata, é o cirúrgico, pois ainda não existem medicamentos ou substâncias disponíveis capazes de tratar a catarata de uma forma eficiente e concreta. E apesar da utilização de uma gama variada de drogas (Bendalina, Clavirsol, Cinerária Marítima), na tentativa de um tratamento que surta efeito significativo, a ação terapêutica destas drogas e incipiente ou inócuo, enquanto que a cirurgia retira o cristalino, resolvendo de forma definitiva o problema e devolvendo a visão ao cachorro.  

Atualmente utilizam-se técnicas modernas, e que  estão disponíveis a nível mundial, que são técnicas de facoemulsificação, com o auxílio de microscópio cirúrgico, sob anestesia geral volátil, e um aparelho sofisticado é inserido no interior do olho pôr uma incisão de apenas 3 mm e emite vibrações ultra-sônicas que destroem o cristalino, pulverizando-o e tornando possível sua aspiração pelo mesmo instrumento. E mesmo que o olho dos cachorros, apresentem maiores dificuldades cirúrgicas que o olho humano (exposição do olho ruim, mais hemorragia, mais aderências, maiores reações inflamatórias, cristalino firmemente aderido pôr robustas estruturas,etc...). A utilização da técnica de facoemulsificação, possibilita facilmente superar estas dificuldades apresentadas pelos olhos dos cachorros, e é indiscutivelmente de uma superioridade avassaladora em relação a outras técnicas tradicionais empregadas no passado (Aspiração/Dissecação, Intra-Capsular, Extra-Capsular). 

Não só pelo refinamento técnico, mas principalmente pelos resultados finais relativos ao recobramento da função visual, mesmo que ainda existam complicações na percentagem de aproximadamente 10 % dos casos. Sendo que estas complicações, incluem glaucoma pós-operatório, sangramento secundário a descolamento de retina, infecções e inflamações que podem se tornar crônicas. e apesar da utilização de todas as precauções existentes e necessarias para superar esses riscos, entretanto eles ainda existem. E após a cirurgia o cachorro fica sem o cristalino (afácico), e se mantém enxergando bem de longe e pouquíssimo de perto, entretanto aos poucos ele consegue se adaptar a eventuais limitações ou dificuldades visuais a curta distancia. E o fator positivo e mais importante, é que recupera sua visão funcional, rê-adquirindo um grau de visão suficiente para voltar a ter uma certa liberdade e autonômia, para poder sem grandes dificuldades voltar a ser um cachorro ativo, feliz e rê-integrado à sua rotina normal .

COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado

.COMO ACABAR COM AS PULGAS!