segunda-feira, junho 11, 2012

Cachorros - Parvovirose/Cinomose Vacinas.



Cachorros - Parvovirose/Cinomose Vacinas: As Vacinas V8 e V10 (não confundir com motores de F1), podem evitar muito sofrimento aos cachorros e diminuir consideravelmente o aumento dos casos de Cinomose e Parvovirose, que são doenças gravíssimas e que matam milhares de cachorros todos os anos. E é um procedimento clínico simples, indolor e de baixo custo, com duração média de aproximadamente dez minutos, e o cachorro estará livre destas doenças fatais, que tem um tratamento dispendioso e mesmo tratada são doenças com alto risco de óbito. Entretanto, mesmo os responsáveis estando cientes de todas os benefícios decorrentes da protecão proporcionada pelas vacinas, a vacinação dos cachorros efetivamente na prática, devido a vários motivos simplesmente não acontece. E a falta deste tipo de vacinação responde pelo maior número de entradas em clínicas e hospitais veterinários decorrentes de cachorros acometidos principalmente de Cinomose e a Parvovirose.

Pois de acordo com informações do SINDAN (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal), apenas 17% dos cachorros brasileiros estão imunizados com as vacinas V8 que protegem contra (Cinomose; Hepatite Infecciosa canina; Doença Respiratória causada por Adenovirus tipo2; Coronavirose canina; Parainfluenza canina; Parvovirose canina; e infecções por Leptospira canina e Leptospira icterohemorrhagiae.) e as vacinas V10 que agem contra a Cinomose e a Parvovirose, entre outras doenças. E segundo dados de estatísticas epidemologicas é necessário se vacinar 80% dos cachorros para se eliminar o risco de uma epidemia. Estas doenças infecciosas, que já são considerados erradicados em países como os EUA, e como já foi dito anteriormente, estão entre as principais causas que levam os cachorros a clínicas e hospitais Veterinários no Brasil. Com um grande numero de casos de Cinomose e de Parvovirose gastrenterite hemorrágica (um dos principais sintomas da forma mais comum de Parvovirose).

No primeiro ano de vida o cachorro deve receber três doses. A primeira aos sessenta dias de vida e as outras nos dois meses seguintes. e tambem o cachorro não deve sair na rua antes de ter tomado todas as doses. E segundo depoimentos de médicos veterinários, profissionais e técnicos de hospitais veterinários, laboratórios farmaceuticos e do próprio Sindan, sobre os motivos que levam os responsáveis a deixarem de vacinar os seus cachorros. pois a negligência de um cuidado tão simples, acarreta com que muitos cachorros venham a morrer ou fiquem com sequelas neurológicas irreversíveis. E o primeiro motivo alegado, a principio é o custo da vacinação, é uma economia que depois sai cara, pois são doenças com tratamento de alto custo e de difícil cura. e as vacinas tem um preço médio variando de R$ 60,00 a R$ 90,00 reais/ano. A aplicação do conjunto das duas vacinas (V8/V10), preços estes de vacinas de otima qualidade e produzidas por laboratórios multinacionais.

E no preço da vacina já está inclusa a consulta, podendo até ser paga de até forma parcelada. Mas Apesar da importância vital da vacinação para a saúde dos cachorros, a grande maioria dos responsáveis, não tem a menor preocupação em providênciar aplicação de vacinas nos mesmos. E a questão não é somente financeira, pois muitos responsáveis gastam dinheiro com superfulos inúteis, mas entretanto ignoram, relevam e negligenciam a vacinação, que é necessária e fundamental para a proteção da saúde e da própria vida do cachorro. E em relação as vacinas, os médicos veterinários e os laboratórios classificam as mesmas em duas categorias, as que são vendidas apenas para os veterinários são denominadas vacinas “éticas” e as comercializadas para outros estabelecimentos, como pet shops, casas de agropecuária e avicultoras, são chamadas de “não-éticas”. A justificativa para estas classificações é de que, apesar desses estabelecimentos terem obrigação de contar com um veterinário responsável, no entanto, nem sempre ele está presente ou a loja não segue as normas de armazenagem da vacina (para que não percam o efeito).

E estes procedimentos inadequados acabam alterando e afetando a qualidade da vacina, e consequentemente a imunização do cachorro. E a maioria das vacinas classificadas como “éticas” são produzidas por empresas multinacionais, enquanto que as classificadas como “não-éticas” são feitas por laboratórios brasileiros. E Ambas são aprovadas pelo Ministério da Agricultura, que alega fazer um rigoroso controle sobre os pontos de venda e um acompanhamento do trabalho feito pelos distribuidores. Além de uma de fiscalização intensa sobre a estocagem das vacinas. Mas devido ao motivo de serem comercializadas em pet shops e outros estabelecimentos comerciais, a maioria dos médicos veterinários não utiliza as vacinas nacionais, que inclusive têm um preço mais acessível. E de acordo com o SINDAN, apesar das vacinas produzidas por laboratórios nacionais não possuírem o mesmo avanço tecnológico e o mesmo investimento em pesquisas, tambem são consideradas eficientes.

Entretanto muitos médicos veterinários, reclamam que cachorros que foram "supostamente imunizados" por estas vacinas, acabaram desenvolvendo a doença. E que aproximadamente 50% dos cachorros que chegam em seus consultórios com Cinomose, já tinham sido vacinados anteriormente em casas de ração. A Cinomose é causada por um vírus, o Paramyxoviridae, e por ser originada por um vírus, é uma doença complexa e difícil de ser combatida, e tambem de fácil contagio. A Parvovirose se manifesta lentamente até chegar a manifestação dos sintomas neurológicos, e quando o responsável chega a levar o cachorro ao médico veterinário. Neste momento, ela já está em um estágio difícil de ser tratada, pois nesta fase, estatisticamente somente seis em cada dez cachorros conseguem sobreviver ao tratamento, mas mesmo assim, ficam com sequelas para o resto da vida, além do tratamento ser incerto pelas próprias características da doença. A Parvovirose é ocasionada tambem pela presença de um parvovírus, tendo diferentes tipos de manifestações.gastrenterite hemorrágica, ocasião quando o intestino dos cachorros é atingido, causando sangramentos cronicos e prejudicando a absorção dos alimentos. Podem ocorrer também casos de mortes súbitas, que é na forma miocárdica da doença.

E a Parvovirose por ter agir de forma mais localizada, o combate a está doença é um pouco mais facilitado do que o da Cinomose. A Parvovirose também é altamente contagiosa, podendo ser transmitida inclusive pelo ar. E a melhor maneira de proteger os cachorros, e mante-los afastados dessas fatais e terríveis doenças é imunizá-los através da vacinação e não esquecer de que se deve fazer manutenção anual da imunização. E deve-se em caso de manifestação da doença, se informar junto ao veterinário para uma orientação específica para a necessária e imprescindivel desinfecção do ambiente em que cachorros doentes habitaram. Pois os desinfetantes comuns encontrados no mercado não são suficientes nem eficientes para a desinfecção do local. Caso não sejam tomadas estas providências, todo cachorro não-imunizado que habitar este local posteriormente, terá grandes chances de se contaminar. Pois há relatos de casos de vários cachorros serem contaminados seguidamente por Cinomose de uma mesma casa. pois está família adquiria um novo cachorro sem antes desinfetar o ambiente.





COMPARTILHE A POSTAGEM.

COMPRE E RECEBA EM CASA! COM TODA COMODIDADE, SEGURANÇA E RAPIDEZ.

,

,

CURSO DE VIOLÃO: EBOOK + VIDEO AULAS - TOTALMENTE GRATIS!