.

sábado, fevereiro 08, 2014

Dipylidium Caninum - Cachorros.

Dipylidium Caninum - Cachorros: É um parasita intestinal que pertence a família das ténias solitárias, nome como são denominados vulgarmente, e tem como vetor a pulga que é a transmissora da verminose para o seu hospedeiro definitivo, que é o cachorro. E este é um verme que tem um comprimento médio entre 16 a 21 centímetros em seu estagio adulto, e possui o corpo em formato achatado e dividido em anéis ou proglodes, sendo classificados zoologicamente como Platelmintos. E por ser este um parasita heteroxeno, o estagio adulto deste parasita só se desenvolve em seu hospedeiro definitivo, pois este parasita necessita trocar de hospedeiro para atingir o seu completo desenvolvimento. Em sua fase adulta já no interior do intestino do cachorro que e o seu hospedeiro definitivo, os anéis (proglodes) que constituem seu corpo ao se desenvolverem e atingirem a parte posterior, se soltam do corpo principal levando em seu interior ovos do parasita e que são denominados de sincicio, e o Dipylidium Caninum tambem tem a sua variante, que é a Zoonose Dilipidiose.

E os sintomas apresentados pelo verminose Dipylidium Caninum, dependem do grau da infecção e da quantidade de parasitas no organismo do cachorro. E que se manifestam como anêmia com consequente perda de peso e prostração, fortes dores abdominais(cólicas), falta de apetite, irritabilidade na região do ânus(prurido), diarreia cronica e em casos de infestação intensa do parasita Dipylidium Caninum pode ate ocasionar ataques epilépticos. 

E o diagnóstico para detecção da presença do parasita Dipylidium Caninum, no organismo do cachorro com suspeitas de infecção. É feito a principio pela observação visual da existência de proglotes, e consequentemente ovos do parasita Dipylidium Caninum nas fezes ou na região próxima ao ânus do cachorro. E também através de exames microscopicos, que são mais precisos para a confirmação da presença de proglotes e ovos nas fezes do cachorro.     

E o tratamento da verminose causada pelo parasita Dipylidium Caninum, é feito com a utilização de medicamentos do tipo vermifugos e anti-helmintico, geralmente de uso oral, e com grande capacidade para eliminar vermes, larvas e ovos. E são diversos o principio ativo destes medicamentos, que utilizam substancias como Albendezol, Prazicantel, Cambedazol, Febantel. Entretanto, somente utilize medicamentos com acompanhamento e prescrição veterinária.

Leptospirose Canina.

Leptospirose Canina: A Leptospirose Canina É uma doença infecciosa provocada por uma bactéria aerobia do genero Leptospira, que tem o corpo em formato cilíndrico e se movimenta de forma ondulante semelhante a um parafuso (espiroquetas). E a leptospira se reproduz exclusivamente em seu hospedeiro, e sua existência fora do hospedeiro só e possível em condições ambientais bastante propicias, como locais com muita umidade ou com agua parada, e em meio a está situação ambiental favorável a bactéria leptospira consegue sobreviver por ate 190 dias. E a Leptospirose Canina acomete comumente os cachorros atigindo orgões vitais como os rins e fígado, mas pode também dependendo do grau de infecção, se disseminar e atingir outros orgões como baço, sistema nervoso central e até os olhos. E em todos as situações pode deixar sequelas graves nos orgões afetados, podendo inclusive, até mesmo dependendo do grau e da extensão da infecção causar o óbito do cachorro. 

E a contaminação, geralmente ocorre pela penetração da bactéria pelas mucosas ou por uma eventual lesão cutânea no cachorro sadio, através do contato com cachorros contaminados, ou em ambientes infectados pela bactéria Leptospira. E os sintomas apresentados pela Leptospirose, e que se manifestam nos cachorros infectados pela bactéria Leptospira, são muito relativos e dependem de alguns fatores como a idade e a capacidade imunológica do cachorro infectado, como tambem a intensidade e o grau de virulência da infecção. E a Leptospira após penetrar no organismo do cachorro, em um prazo médio de 5 a 11 dias já consegue alcançar a corrente sanguínea (bacteremia). E a partir dai, migra e infecciona vários orgões, se multiplicando de forma muito rápida e exponencialmente. 

E criando um quadro de leptospiremia aguda, que em cachorros com baixa resistência imunológica pode levar rapidamente a septicemia ou a insuficiência renal ou hepática e consequentemente ao óbito. No inicio da fase de leptospiremia ocorrem febre, aumento do numero de glóbulos brancos na corrente sanguínea (leucocitose), perda de proteína que é eliminada pela urina (albuminuria), hemorragias em vasos sanguíneos e hematomas com manchas vermelhas e roxas na pele (petequias/equitomoses), alterações na pigmentação  da pele e dos olhos causando uma coloração amarelada da pele e um branco total nos olhos (ictericia) devido a colestase. E estes sintomas são ocasionados pela invasão da bactéria Leptospira em varios orgões como rins, fígado, baço, sistema nervoso central e olhos. 

E na fase final da leptospiremia, que ocorre de 6 a 11 dias do inicio da infecção, os sintomas se abrandam e a bactéria é eliminada da corrente sanguínea pelo sistema imunológico, e o cachorro que conseguir sobreviver a está fase critica, mesmo ficando com sequelas, geralmente se recupera. E esta recuperação se processa de forma mais rápida e abrangente, quanto menores forem os danos causados nos orgões pela bactéria Leptospira. Entretanto as bactérias que invadiram e se fixaram em orgões onde o sistema imunológico não atinge como as córneas e os tubulos renais, podem provocar uma uveite (inflamação dos olhos) crônica e um quadro de leptospiruria. E o diagnóstico da doença infecciosa Leptospirose Canina, é feito através de exames laboratoriais de sangue ou de urina, para a detecção da presença da bactéria Leptospira no organismo do cachorro com suspeita de infecção. E os exames laboratoriais incluem hematologia, sorologia e urinalises completas, e também exame dos tecidos (biopsias) para uma definição do grau, intensidade e variedade da infecção. 

É o tratamento da doença infecciosa Leptospirose Canina, é feito com medicamentos a base de antibióticos, com o propósito de se evitar a multiplicação da bactéria Leptospira. E para se prevenir ou minimizar-se as lesões e complicações nos orgões infectados, principalmente rins e fígado e também tentar extinguir a leptospiruria, utiliza-se simultâneamente um conjunto de antibióticos como a penicilina, ampicilina, amoxicilina, doxiciclina. Para aumentar seu poder anti-bacteriano e viral, visando a eliminação do quadro agudo de leptospiremia e leptospiruria. Entretanto o melhor tratamento para a Leptospirose é o preventivo através da vacinação, pois apesar de todos os medicamentos e tratamento empregados, são altas as percentagens de óbito e sequelas deixadas pela doenças nos cachorro infectados. Entretanto somente utilize medicamentos nos cachorros, com a prescrição e a orientação veterinária.                               



Tricurideo - Cachorros.

Tricurideo - Cachorros: A verminose Tricurideo, é causada pela presença do parasita Trichuris Vultese no intestino delgado dos cachorros acometidos por esta verminose. E os cachorros, são infectados por ovos disseminados através das fezes de outros cachorros contaminados no ambiente. Que são geralmente locais públicos como praias, parques, praças e jardins. E os ovos eclodem dentro do próprio intestino dos cachorros, e após eclodirem e se transformarem em parasitas adultos, fixam-se nas paredes do intestino grosso onde as fêmeas do parasita Trichuris Vultese produzem ovos de forma incessante. E uma infestação intensa do parasita Trichuris Vultese, pode provocar anemia, diarreia cronica com consequencia perda de peso e desidrataçao. 

E o diagnóstico da verminose Tricurideo, é feito pelo exame nas fezes do cachorro com suspeita de infecção, para constatação da existência do parasita Trichuris Vultese no seu organismo. E são necessários algumas vezes, no mínimo de três amostras para a detecção e a constatação precisa da presença do parasita no intestino grosso do cachorro.

E os sintomas causados pela presença da verminose Trucurideo, e que se manifestam no cachorro acometido, são anemia com consequente prostração e perda de peso e pelos, diarreia cronica que pode causar uma grave desidratação. E caso não seja feito um tratamento adequado, este quadro sintomático pode progressivamente enfraquecer o sistema imunológico do cachorro, deixando-o vulnerável e suscetivel a adquirir doenças ou infecções oportunistas e graves.  

E o tratamento da verminose Tricurideo, consiste na utilização de medicamentos específicos para eliminação do parasita Trichuris Vultese do intestino grosso do cachorro acometido pela verminose. Como vermifugos e anti-helmintico para uso oral (comprimidos), e que tem como principio ativo a substancia albendazol. Geralmente repete-se a utilização do medicamento em media quatro vezes para uma maior eficácia deste. Entretanto, somente utilize medicamentos com prescrição e acompanhamento veterinário, pois os mesmos apresentam contra-indicações que podem ser graves.

COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado