.

quarta-feira, fevereiro 19, 2014

Correntes para Cachorros.

Correntes para Cachorros: As Correntes para Cachorros são disponíveis no mercado em 08 tamanhos diferentes que variam na espessura do arame (07-1,2 a 00-3,5mm), entretanto mantendo sempre a medida do comprimento padrão de 150cm. E estes diferentes tamanhos, são divididos em uma numeração que vai do 00 até o 07, e abrangem praticamente cachorros de todos os portes e tamanhos. Desde de o tamanho Mini, Pequeno, Médio, Grande até o Gigante. E geralmente são fabricadas em aço carbono, e com acabamento niquelado. Entretanto recomendamos o uso da corrente somente para passeios, inclusive deve-se evitar manter o cachorro preso a corrente por um tempo prolongado ou de forma fixa, pois contraria a própria natureza sociável, dinâmica e inteligente dos cachorros, alem de lhes causar grandes sofrimentos, como tambem problemas de saúde e psico-emocionais.

Unhas de Cachorro.

Unhas de Cachorro: As unhas dos cachorros são naturalmente desgastadas pela própria movimentação destes no piso do seu ambiente, principalmente se o piso for de cimento ou terra, ou tambem por passeios na rua e com o consequente atrito de suas unhas com o asfalto, calçada de cimento ou terra. A exceção são os cachorros que vivem de forma sedentária, devido a estarem presos por correntes, ou os que vivem em locais que tenham piso liso como cerâmica, madeiras ou azulejos e também apartamentos. Estes cachorros devido a estas condições ambientais, onde há pouco atrito das unhas com o solo, não conseguem desgastar naturalmente as suas unhas. E as unhas ao crescerem excessivamente, causam ferimentos nos cachorros e até dores com o próprio movimento natural de suas patas, sendo necessário então que se apare as mesmas, e de preferência com uma lixa especifica para unhas de cachorros.

Deve-se lixar as unhas no sentido diagonal, desgastando-as o suficiente apenas para que não incomodem ou machuquem o cachorro em sua movimentação, entretanto tendo todo cuidado para não atingir a parte da unha que tem vasos sanguíneos e terminações nervosas, o que pode causar uma grande dor e um grande sangramento nos cachorros. Pois as unhas dos cachorros, possuem em seu interior a partir da base até a metade de seu comprimento tecido vivo, que é chamado de leito da unha ou vulgarmente de sabugo. E por isto também que não é recomendável a utilização de cortadores específicos tipo guilhotina ou alicate, pois há um risco muito grande de atingir-se o leito da unha (tecido vivo) causando muita dor e hemorragia no cachorro, estes instrumentos devem ser preferencialmente utilizados por profissionais da área. Em alguns cachorros, há ainda a existência do quinto dedo que se denomina ergot, e que se localiza na parte interna das patas anteriores e posteriores, podendo ser duplos ou unitários. E estes dedos tambem possuem unhas, e que devido a sua localização não sofrem atrito, e consequentemente crescem ilimitadamente, podendo causar lesões no corpo do cachorro, sendo então, necessario tambem lixa-las. 

Dentes de Cachorro.

Dentes de Cachorro: Os cachorros incluindo todas as raças independente de tamanho possuem 42 dentes definitivos, sendo 12 incisivos, 4 caninos, 16 pré-molares e 10 molares. Nos cachorros selvagens principalmente os dentes caninos tem a função de abater a presa, e os molares e pré-molares que ficam nas laterais e no fundo da boca tem como função mastigar e destroçar a sua carne. Nos cachorros domésticos não há mas a necessidade de caçar, entretanto eles mantém este instinto quando atacam pequenos animais como ratos, galinhas, gambas ou ate mesmo gatos. Nos filhotes os dentes começam a aparecer aproximadamente no vigésimo segundo dia de vida, e são dentes temporários que são chamados dentes de leite. E entre o quarto e o sexto mês caem cedendo o lugar aos dentes definitivos, que são estruturalmente mais robustos e resistentes.

Os dentes dos cachorros com o passar do tempo também estão propícios a apresentarem problemas como tártaro devido ao acumulo de resíduos alimentares. O que causa também placa bacteriana e consequente proliferação bacteriana, inflamações na gengiva(gengivite), amolecimento da raiz dos dentes, mau-hálito e dores nas gengivas e nos dentes principalmente ao se alimentarem. Existe também a possibilidade e o risco de uma infecção proveniente da flora bacteriana bucal do cachorro em outras partes ou outros orgões de seu organismo como rins, garganta e ate o coração. Devido a estes graves problemas, ao se notar qualquer anormalidade na boca, nas gengivas ou nos dentes do cachorro, deve-se buscar imediatamente auxilio veterinário.
  

COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado