.

segunda-feira, março 24, 2014

Cultivar Amizade e Carinho - Cachorros.


Cultivar Amizade e Carinho - Cachorros:  Existem varias experiências edificantes e positivas que o seu filho pode obter, ao se relacionar e cultivar amizade e carinho para com os cachorros, e dependendo do grau e da intensidade desta amizade, isto pode tornar essa relação uma experiência positiva e inesquecível, que seu filho leva-rá como uma bonita e emocionante lembrança para a sua vida adulta. Pois a relação entre uma criança e um cachorro pode trazer muitos benefícios para ambos, e além da companhia e amizade, os cachorros podem proporcionar auto-estima ao seu filho, ensina-lo a ter zelo e responsabilidade e inspira-lo a ter empatia e respeito pela vida animal. Tudo começa na escolha de ter ou não um cachorro, a família inteira deve estar disposta a dedicar um pouco do seu tempo às necessidades básicas do novo morador. 

É importantíssimo para a criança participar desta discussão, pois assim, ela terá uma maior noção das necessidades que o novo habitante da casa terá. E se for decidido que este não é o melhor momento para ter um cachorro, poderá entender mais facilmente os motivos dessa decisão. A idade mínima aconselhável para que uma criança comece a conviver com um cachorro é de seis anos. Antes disso, como as crianças ainda não têm noção de sua força, podem sem querer brincando ferir os cachorros, e serem revidados pelo cachorro com mordidas e arranhões. E dependerá dos pais estabelecer o limite das atitudes toleráveis tanto aos filhos como aos cachorros e evitar disputas de espaço e atenção, de um tempo para que ambos se conheçam, porem deve-se ficar atento ao comportamento do cachorro. 

E é preciso deixar claro para a criança, que o cachorro não é um brinquedo, pois eles sentem dor e também se machucam, ficam doentes, e precisam de atenção e carinho, e também deve-se evitar brincadeiras ou agarramentos que possam machuca-los e provocar uma reação defensiva, porem agressiva dos cachorros. E para evitar acidentes, o cachorro preferencialmente deve ter pelo menos seis meses, fase em que já tem capacidade de fugir de uma situação sufocante ou que o coloque em perigo. O melhor tamanho para cachorros que convivem com crianças, são os cachorros de porte médio e grande, e que possuam uma personalidade brincalhona e dinâmica para poderem acompanhar o ritmo das crianças. 

E a criança não deve assumir todas as responsabilidades sobre o cachorro, pois desta maneira as atividades entre os dois ganharão conotação de obrigação e a criança deixará de usufruir e ter um prazer natural com o seu amigo e companheiro. A missão da criança a principio deve ser cuidar para que seus brinquedos não fiquem ao alcance do cachorro para não correr o risco de que o cachorro os danifique ou destrua. E é tarefa dos adultos educarem os cachorros para que respeitem as regras da casa, e como os cachorros dependendo do tamanho, têm brincadeiras um pouco bruscas, devem aprender a serem mais tranquilos e comedidos com as crianças. 

E até os 10 anos, o convívio com os cachorros ou outros animais deve ser supervisionado por um adulto. É importante que uma relação saudável seja incentivada, convide seu filho para participar da escovação, do recolhimento das fezes, do passeio com o cachorro e das brincadeiras. Assim, a criança desenvolverá um senso de responsabilidade e compaixão e, aos poucos, naturalmente cria-ra seus próprios elos de amizade e carinho no relacionamento com o cachorro. Porem se o cachorro começar a demonstrar um comportamento de disputa de espaço com a criança,rosnar e ficar com ciumes é preciso tomar uma atitude imediata para evitar que ocorra um acidente, não permitindo que a criança brinque ou fique sozinha com o cachorro. E gradualmente ir entrosando e acostumando com cuidado a criança com o cachorro, e ir orientando e repreendendo se necessário o cachorro a aceitar a gostar da presença da criança. 

Geralmente este é um comportamento emocional e passageiro nos cachorros, mas caso seja necessário é recomendável que se consulte um veterinário ou um especialista em comportamento de cachorros. Seu filho quer ter um cachorro, porem antes de adotar o seu novo amigo, considere se o seu filho é maior de seis anos, pois assim poderá interagir melhor com o novo companheiro. Analise inclusive se você terá tempo para cuidar do cachorro, e não deixe a criança se sentir totalmente responsável pelo cachorro, pois a relação dos dois deve ser apenas de amizade. E também de preferência a adoção de um cachorro com mais de seis meses de vida, e ensine a criança a ter responsabilidade a cuidar e guardar de seus brinquedos para o cachorro não os danificar. Ensine também seu filho a fazer carinho no cachorro, porem sem machucar, deixando claro para a criança que o cachorro não é um brinquedo, que tem sentimentos, sente dor, fica triste, e que precisa de atenção e carinho para ser feliz.

Experiências Edificantes e Positivas - Cachorros.


Experiências Edificantes e Positivas - Cachorros:  Existem varias experiências edificantes e positivas que o seu filho pode obter, ao se relacionar e cultivar amizade e carinho para com os cachorros, e dependendo do grau e da intensidade desta amizade, isto pode tornar essa relação uma experiência positiva e inesquecível, que seu filho leva-rá como uma bonita e emocionante lembrança para a sua vida adulta. Pois a relação entre uma criança e um cachorro pode trazer muitos benefícios para ambos, e além da companhia e amizade, os cachorros podem proporcionar auto-estima ao seu filho, ensina-lo a ter zelo e responsabilidade e inspira-lo a ter empatia e respeito pela vida animal. Tudo começa na escolha de ter ou não um cachorro, a família inteira deve estar disposta a dedicar um pouco do seu tempo às necessidades básicas do novo morador. 

É importantíssimo para a criança participar desta discussão, pois assim, ela terá uma maior noção das necessidades que o novo habitante da casa terá. E se for decidido que este não é o melhor momento para ter um cachorro, poderá entender mais facilmente os motivos dessa decisão. A idade mínima aconselhável para que uma criança comece a conviver com um cachorro é de seis anos. Antes disso, como as crianças ainda não têm noção de sua força, podem sem querer brincando ferir os cachorros, e serem revidados pelo cachorro com mordidas e arranhões. E dependerá dos pais estabelecer o limite das atitudes toleráveis tanto aos filhos como aos cachorros e evitar disputas de espaço e atenção, de um tempo para que ambos se conheçam, porem deve-se ficar atento ao comportamento do cachorro. 

E é preciso deixar claro para a criança, que o cachorro não é um brinquedo, pois eles sentem dor e também se machucam, ficam doentes, e precisam de atenção e carinho, e também deve-se evitar brincadeiras ou agarramentos que possam machuca-los e provocar uma reação defensiva, porem agressiva dos cachorros. E para evitar acidentes, o cachorro preferencialmente deve ter pelo menos seis meses, fase em que já tem capacidade de fugir de uma situação sufocante ou que o coloque em perigo. O melhor tamanho para cachorros que convivem com crianças, são os cachorros de porte médio e grande, e que possuam uma personalidade brincalhona e dinâmica para poderem acompanhar o ritmo das crianças. 

E a criança não deve assumir todas as responsabilidades sobre o cachorro, pois desta maneira as atividades entre os dois ganharão conotação de obrigação e a criança deixará de usufruir e ter um prazer natural com o seu amigo e companheiro. A missão da criança a principio deve ser cuidar para que seus brinquedos não fiquem ao alcance do cachorro para não correr o risco de que o cachorro os danifique ou destrua. E é tarefa dos adultos educarem os cachorros para que respeitem as regras da casa, e como os cachorros dependendo do tamanho, têm brincadeiras um pouco bruscas, devem aprender a serem mais tranquilos e comedidos com as crianças. 

E até os 10 anos, o convívio com os cachorros ou outros animais deve ser supervisionado por um adulto. É importante que uma relação saudável seja incentivada, convide seu filho para participar da escovação, do recolhimento das fezes, do passeio com o cachorro e das brincadeiras. Assim, a criança desenvolverá um senso de responsabilidade e compaixão e, aos poucos, naturalmente cria-ra seus próprios elos de amizade e carinho no relacionamento com o cachorro. Porem se o cachorro começar a demonstrar um comportamento de disputa de espaço com a criança,rosnar e ficar com ciumes é preciso tomar uma atitude imediata para evitar que ocorra um acidente, não permitindo que a criança brinque ou fique sozinha com o cachorro. E gradualmente ir entrosando e acostumando com cuidado a criança com o cachorro, e ir orientando e repreendendo se necessário o cachorro a aceitar a gostar da presença da criança. 

Geralmente este é um comportamento emocional e passageiro nos cachorros, mas caso seja necessário é recomendável que se consulte um veterinário ou um especialista em comportamento de cachorros. Seu filho quer ter um cachorro, porem antes de adotar o seu novo amigo, considere se o seu filho é maior de seis anos, pois assim poderá interagir melhor com o novo companheiro. Analise inclusive se você terá tempo para cuidar do cachorro, e não deixe a criança se sentir totalmente responsável pelo cachorro, pois a relação dos dois deve ser apenas de amizade. E também de preferência a adoção de um cachorro com mais de seis meses de vida, e ensine a criança a ter responsabilidade a cuidar e guardar de seus brinquedos para o cachorro não os danificar. Ensine também seu filho a fazer carinho no cachorro, porem sem machucar, deixando claro para a criança que o cachorro não é um brinquedo, que tem sentimentos, sente dor, fica triste, e que precisa de atenção e carinho para ser feliz.

Digestibilidade da Proteína - Cachorros.


Digestibilidade da Proteína - Cachorros:  As proteínas possuem numerosas funções, formam as enzimas que catalisam as reações metabólicas digestivas e a assimilação de nutrientes, os hormônios que controlam os sistemas orgânicos e os anticorpos relacionados com o sistema imunológico. Além de serem componentes estruturais na formação e constituição dos tecidos musculares, tecidos conjuntivos, tendões, ligamentos, cartilagens e tambem do sistema  esquelético. As proteínas de alto valor biológico tem como caracteristica uma fácil digestibilidade e um balanço adequado de aminoácidos devendo conter todos os aminoácidos essenciais, garantindo todas as necessidades nutricionais e um bom funcionamento do organismo. As proteínas são formadas por 22 aminoácidos, e se a alimentação  fornecida ao cachorro tiver uma quantidade adequada de nitrogénio, os cachorros são capazes de produzir 12 aminoacidos, que são os aminoácidos não essenciais que podem ser fornecidos através da alimentação ou sintetizados no organismo. 

Já os outros 10 aminoácidos restantes não podem ser produzidos em quantidade suficiente para atender as demandas e necessidades nutricionais dos cachorros, principalmente na fase de crescimento devem então ser acrescentados a sua alimentação, por isso são chamados de essenciais. A deficiência de um aminoácido essencial prejudicará a formação da sequência de aminoácidos que estrutura a proteína, impedindo a síntese completa da mesma. A capacidade da dieta em fornecer aminoácidos em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias está diretamente relacionada às fontes proteicas utilizadas nos alimentos, aos parâmetros de digestibilidade da proteína e balanço de aminoácidos presente na composição estrutural das mesmas. A ausência ou a ingestão inadequada de qualquer um desses aminoácidos resulta em perda de peso e falhas no crescimento. 

E a necessidades de aminoácidos apesar de serem imprencindiveis na fase de crescimento ocorrem em todas as fases da vida dos cachorros, por isso devem estar presentes na alimentação e serem utilizados não somente por cachorros em fase de crescimento, mas tambem por cachorros adultos, cadelas em gestação e lactação e cachorros idosos. O que muda nessas fases é a quantidade necessária de aminoácidos, que pode ser atendida de forma adequada seguindo-se as recomendações do veterinário. O organismo tem capacidade de sintetizar novas proteínas a partir de aminoácidos, desde que todos os aminoácidos necessários estejam disponíveis nas células,  na realidade o organismo não tem uma necessidade específica de proteínas, o que existe é uma necessidade de aminoácidos e nitrogénio, que são os componentes unitários das proteínas. E as proteínas são a principal fonte de nitrogénio do organismo, pois o nitrogénio é essencial para a síntese dos aminoácidos não essenciais e outras moléculas necessárias ao funcionamento do organismo. 

Outra função importante das proteínas na alimentação é dar sabor as mesmas, normalmente quando a quantidade de proteínas é aumentada, aumenta a palatibilidade e a aceitação do alimento. O grau a partir do qual o cachorro é capaz de usar as proteínas da dieta como fonte de aminoácidos e nitrogénio é influenciado pela digestibilidade e pela qualidade da proteína incluída na alimentação. As proteínas que têm uma digestibilidade elevada e contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas relativamente às suas necessidades, são consideradas proteínas de alta qualidade, e quanto maior a qualidade das proteínas na alimentação, menor a quantidade que o cachorro necessita para suprir as suas necessidades de aminoácidos essenciais.

Aminoácidos Não Essenciais – alanina, aspargina, aspartato, cisteína,
glutamato, glutamina, glicina, hidrolisina, hidroxiprolina, prolina,
serina, tirosina.

Aminoácidos Essenciais – arginina, histidina, isoleucina, leucina,
lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, trionina, valina.

As proteínas de origem animal são as que apresentam proteínas de alta qualidade, e por serem facilmente digeridas pelos cachorros maior e o seu valor. A inclusão de subprodutos como o milho e a soja diminuem a qualidade da proteína, uma vez que muitos destes produtos não são digeridos pelos cachorros, e não tendo portanto qualquer valor nutricional. O milho frequentemente encontrado nas rações é deficiente em lisina e triptofano que são aminoácidos essenciais e devido a isto não e considerado um produto com proteínas de elevada qualidade. Outro vegetal muito encontrado nas rações é a soja, a soja por não ser digerida no intestino dos cachorros pode provocar flatulência e diarreias, porque as bactérias do intestino ao digerirem os açucares da soja produzem gás e aumentam a absorção de água. Por outro lado a soja crua, contém fitatos que diminuem a absorção de outros nutrientes. Não utilize suplementos alimentares (aminoacidos) na alimentação de seu cachorro, sem a prescrição e  acompanhamento veterinario. 

Componentes Unitários das Proteínas - Cachorros.


Componentes Unitários das Proteínas - Cachorros:  As proteínas possuem numerosas funções, formam as enzimas que catalisam as reações metabólicas digestivas e a assimilação de nutrientes, os hormônios que controlam os sistemas orgânicos e os anticorpos relacionados com o sistema imunológico. Além de serem componentes estruturais na formação e constituição dos tecidos musculares, tecidos conjuntivos, tendões, ligamentos, cartilagens e tambem do sistema  esquelético. As proteínas de alto valor biológico tem como caracteristica uma fácil digestibilidade e um balanço adequado de aminoácidos devendo conter todos os aminoácidos essenciais, garantindo todas as necessidades nutricionais e um bom funcionamento do organismo. As proteínas são formadas por 22 aminoácidos, e se a alimentação  fornecida ao cachorro tiver uma quantidade adequada de nitrogénio, os cachorros são capazes de produzir 12 aminoacidos, que são os aminoácidos não essenciais que podem ser fornecidos através da alimentação ou sintetizados no organismo. 

Já os outros 10 aminoácidos restantes não podem ser produzidos em quantidade suficiente para atender as demandas e necessidades nutricionais dos cachorros, principalmente na fase de crescimento devem então ser acrescentados a sua alimentação, por isso são chamados de essenciais. A deficiência de um aminoácido essencial prejudicará a formação da sequência de aminoácidos que estrutura a proteína, impedindo a síntese completa da mesma. A capacidade da dieta em fornecer aminoácidos em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias está diretamente relacionada às fontes proteicas utilizadas nos alimentos, aos parâmetros de digestibilidade da proteína e balanço de aminoácidos presente na composição estrutural das mesmas. A ausência ou a ingestão inadequada de qualquer um desses aminoácidos resulta em perda de peso e falhas no crescimento. 

E a necessidades de aminoácidos apesar de serem imprencindiveis na fase de crescimento ocorrem em todas as fases da vida dos cachorros, por isso devem estar presentes na alimentação e serem utilizados não somente por cachorros em fase de crescimento, mas tambem por cachorros adultos, cadelas em gestação e lactação e cachorros idosos. O que muda nessas fases é a quantidade necessária de aminoácidos, que pode ser atendida de forma adequada seguindo-se as recomendações do veterinário. O organismo tem capacidade de sintetizar novas proteínas a partir de aminoácidos, desde que todos os aminoácidos necessários estejam disponíveis nas células,  na realidade o organismo não tem uma necessidade específica de proteínas, o que existe é uma necessidade de aminoácidos e nitrogénio, que são os componentes unitários das proteínas. E as proteínas são a principal fonte de nitrogénio do organismo, pois o nitrogénio é essencial para a síntese dos aminoácidos não essenciais e outras moléculas necessárias ao funcionamento do organismo. 

Outra função importante das proteínas na alimentação é dar sabor as mesmas, normalmente quando a quantidade de proteínas é aumentada, aumenta a palatibilidade e a aceitação do alimento. O grau a partir do qual o cachorro é capaz de usar as proteínas da dieta como fonte de aminoácidos e nitrogénio é influenciado pela digestibilidade e pela qualidade da proteína incluída na alimentação. As proteínas que têm uma digestibilidade elevada e contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas relativamente às suas necessidades, são consideradas proteínas de alta qualidade, e quanto maior a qualidade das proteínas na alimentação, menor a quantidade que o cachorro necessita para suprir as suas necessidades de aminoácidos essenciais.

Aminoácidos Não Essenciais – alanina, aspargina, aspartato, cisteína,
glutamato, glutamina, glicina, hidrolisina, hidroxiprolina, prolina,
serina, tirosina.

Aminoácidos Essenciais – arginina, histidina, isoleucina, leucina,
lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, trionina, valina.

As proteínas de origem animal são as que apresentam proteínas de alta qualidade, e por serem facilmente digeridas pelos cachorros maior e o seu valor. A inclusão de subprodutos como o milho e a soja diminuem a qualidade da proteína, uma vez que muitos destes produtos não são digeridos pelos cachorros, e não tendo portanto qualquer valor nutricional. O milho frequentemente encontrado nas rações é deficiente em lisina e triptofano que são aminoácidos essenciais e devido a isto não e considerado um produto com proteínas de elevada qualidade. Outro vegetal muito encontrado nas rações é a soja, a soja por não ser digerida no intestino dos cachorros pode provocar flatulência e diarreias, porque as bactérias do intestino ao digerirem os açucares da soja produzem gás e aumentam a absorção de água. Por outro lado a soja crua, contém fitatos que diminuem a absorção de outros nutrientes. Não utilize suplementos alimentares (aminoacidos) na alimentação de seu cachorro, sem a prescrição e  acompanhamento veterinario. 

Falhas no Crescimento - Cachorros.


Falhas no Crescimento - Cachorros:  As proteínas possuem numerosas funções, formam as enzimas que catalisam as reações metabólicas digestivas e a assimilação de nutrientes, os hormônios que controlam os sistemas orgânicos e os anticorpos relacionados com o sistema imunológico. Além de serem componentes estruturais na formação e constituição dos tecidos musculares, tecidos conjuntivos, tendões, ligamentos, cartilagens e tambem do sistema  esquelético. As proteínas de alto valor biológico tem como caracteristica uma fácil digestibilidade e um balanço adequado de aminoácidos devendo conter todos os aminoácidos essenciais, garantindo todas as necessidades nutricionais e um bom funcionamento do organismo. As proteínas são formadas por 22 aminoácidos, e se a alimentação  fornecida ao cachorro tiver uma quantidade adequada de nitrogénio, os cachorros são capazes de produzir 12 aminoacidos, que são os aminoácidos não essenciais que podem ser fornecidos através da alimentação ou sintetizados no organismo. 

Já os outros 10 aminoácidos restantes não podem ser produzidos em quantidade suficiente para atender as demandas e necessidades nutricionais dos cachorros, principalmente na fase de crescimento devem então ser acrescentados a sua alimentação, por isso são chamados de essenciais. A deficiência de um aminoácido essencial prejudicará a formação da sequência de aminoácidos que estrutura a proteína, impedindo a síntese completa da mesma. A capacidade da dieta em fornecer aminoácidos em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias está diretamente relacionada às fontes proteicas utilizadas nos alimentos, aos parâmetros de digestibilidade da proteína e balanço de aminoácidos presente na composição estrutural das mesmas. A ausência ou a ingestão inadequada de qualquer um desses aminoácidos resulta em perda de peso e falhas no crescimento. 

E a necessidades de aminoácidos apesar de serem imprencindiveis na fase de crescimento ocorrem em todas as fases da vida dos cachorros, por isso devem estar presentes na alimentação e serem utilizados não somente por cachorros em fase de crescimento, mas tambem por cachorros adultos, cadelas em gestação e lactação e cachorros idosos. O que muda nessas fases é a quantidade necessária de aminoácidos, que pode ser atendida de forma adequada seguindo-se as recomendações do veterinário. O organismo tem capacidade de sintetizar novas proteínas a partir de aminoácidos, desde que todos os aminoácidos necessários estejam disponíveis nas células,  na realidade o organismo não tem uma necessidade específica de proteínas, o que existe é uma necessidade de aminoácidos e nitrogénio, que são os componentes unitários das proteínas. E as proteínas são a principal fonte de nitrogénio do organismo, pois o nitrogénio é essencial para a síntese dos aminoácidos não essenciais e outras moléculas necessárias ao funcionamento do organismo. 

Outra função importante das proteínas na alimentação é dar sabor as mesmas, normalmente quando a quantidade de proteínas é aumentada, aumenta a palatibilidade e a aceitação do alimento. O grau a partir do qual o cachorro é capaz de usar as proteínas da dieta como fonte de aminoácidos e nitrogénio é influenciado pela digestibilidade e pela qualidade da proteína incluída na alimentação. As proteínas que têm uma digestibilidade elevada e contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas relativamente às suas necessidades, são consideradas proteínas de alta qualidade, e quanto maior a qualidade das proteínas na alimentação, menor a quantidade que o cachorro necessita para suprir as suas necessidades de aminoácidos essenciais.

Aminoácidos Não Essenciais – alanina, aspargina, aspartato, cisteína,
glutamato, glutamina, glicina, hidrolisina, hidroxiprolina, prolina,
serina, tirosina.

Aminoácidos Essenciais – arginina, histidina, isoleucina, leucina,
lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, trionina, valina.

As proteínas de origem animal são as que apresentam proteínas de alta qualidade, e por serem facilmente digeridas pelos cachorros maior e o seu valor. A inclusão de subprodutos como o milho e a soja diminuem a qualidade da proteína, uma vez que muitos destes produtos não são digeridos pelos cachorros, e não tendo portanto qualquer valor nutricional. O milho frequentemente encontrado nas rações é deficiente em lisina e triptofano que são aminoácidos essenciais e devido a isto não e considerado um produto com proteínas de elevada qualidade. Outro vegetal muito encontrado nas rações é a soja, a soja por não ser digerida no intestino dos cachorros pode provocar flatulência e diarreias, porque as bactérias do intestino ao digerirem os açucares da soja produzem gás e aumentam a absorção de água. Por outro lado a soja crua, contém fitatos que diminuem a absorção de outros nutrientes. Não utilize suplementos alimentares (aminoacidos) na alimentação de seu cachorro, sem a prescrição e  acompanhamento veterinario. 

Perda de Peso - Cachorros.


Perda de Peso - Cachorros:  As proteínas possuem numerosas funções, formam as enzimas que catalisam as reações metabólicas digestivas e a assimilação de nutrientes, os hormônios que controlam os sistemas orgânicos e os anticorpos relacionados com o sistema imunológico. Além de serem componentes estruturais na formação e constituição dos tecidos musculares, tecidos conjuntivos, tendões, ligamentos, cartilagens e tambem do sistema  esquelético. As proteínas de alto valor biológico tem como caracteristica uma fácil digestibilidade e um balanço adequado de aminoácidos devendo conter todos os aminoácidos essenciais, garantindo todas as necessidades nutricionais e um bom funcionamento do organismo. As proteínas são formadas por 22 aminoácidos, e se a alimentação  fornecida ao cachorro tiver uma quantidade adequada de nitrogénio, os cachorros são capazes de produzir 12 aminoacidos, que são os aminoácidos não essenciais que podem ser fornecidos através da alimentação ou sintetizados no organismo. 

Já os outros 10 aminoácidos restantes não podem ser produzidos em quantidade suficiente para atender as demandas e necessidades nutricionais dos cachorros, principalmente na fase de crescimento devem então ser acrescentados a sua alimentação, por isso são chamados de essenciais. A deficiência de um aminoácido essencial prejudicará a formação da sequência de aminoácidos que estrutura a proteína, impedindo a síntese completa da mesma. A capacidade da dieta em fornecer aminoácidos em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias está diretamente relacionada às fontes proteicas utilizadas nos alimentos, aos parâmetros de digestibilidade da proteína e balanço de aminoácidos presente na composição estrutural das mesmas. A ausência ou a ingestão inadequada de qualquer um desses aminoácidos resulta em perda de peso e falhas no crescimento. 

E a necessidades de aminoácidos apesar de serem imprencindiveis na fase de crescimento ocorrem em todas as fases da vida dos cachorros, por isso devem estar presentes na alimentação e serem utilizados não somente por cachorros em fase de crescimento, mas tambem por cachorros adultos, cadelas em gestação e lactação e cachorros idosos. O que muda nessas fases é a quantidade necessária de aminoácidos, que pode ser atendida de forma adequada seguindo-se as recomendações do veterinário. O organismo tem capacidade de sintetizar novas proteínas a partir de aminoácidos, desde que todos os aminoácidos necessários estejam disponíveis nas células,  na realidade o organismo não tem uma necessidade específica de proteínas, o que existe é uma necessidade de aminoácidos e nitrogénio, que são os componentes unitários das proteínas. E as proteínas são a principal fonte de nitrogénio do organismo, pois o nitrogénio é essencial para a síntese dos aminoácidos não essenciais e outras moléculas necessárias ao funcionamento do organismo. 

Outra função importante das proteínas na alimentação é dar sabor as mesmas, normalmente quando a quantidade de proteínas é aumentada, aumenta a palatibilidade e a aceitação do alimento. O grau a partir do qual o cachorro é capaz de usar as proteínas da dieta como fonte de aminoácidos e nitrogénio é influenciado pela digestibilidade e pela qualidade da proteína incluída na alimentação. As proteínas que têm uma digestibilidade elevada e contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas relativamente às suas necessidades, são consideradas proteínas de alta qualidade, e quanto maior a qualidade das proteínas na alimentação, menor a quantidade que o cachorro necessita para suprir as suas necessidades de aminoácidos essenciais.

Aminoácidos Não Essenciais – alanina, aspargina, aspartato, cisteína,
glutamato, glutamina, glicina, hidrolisina, hidroxiprolina, prolina,
serina, tirosina.

Aminoácidos Essenciais – arginina, histidina, isoleucina, leucina,
lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, trionina, valina.

As proteínas de origem animal são as que apresentam proteínas de alta qualidade, e por serem facilmente digeridas pelos cachorros maior e o seu valor. A inclusão de subprodutos como o milho e a soja diminuem a qualidade da proteína, uma vez que muitos destes produtos não são digeridos pelos cachorros, e não tendo portanto qualquer valor nutricional. O milho frequentemente encontrado nas rações é deficiente em lisina e triptofano que são aminoácidos essenciais e devido a isto não e considerado um produto com proteínas de elevada qualidade. Outro vegetal muito encontrado nas rações é a soja, a soja por não ser digerida no intestino dos cachorros pode provocar flatulência e diarreias, porque as bactérias do intestino ao digerirem os açucares da soja produzem gás e aumentam a absorção de água. Por outro lado a soja crua, contém fitatos que diminuem a absorção de outros nutrientes. Não utilize suplementos alimentares (aminoacidos) na alimentação de seu cachorro, sem a prescrição e  acompanhamento veterinario. 

Sequência de Aminoácidos - Cachorros.


Sequência de Aminoácidos - Cachorros:   As proteínas possuem numerosas funções, formam as enzimas que catalisam as reações metabólicas digestivas e a assimilação de nutrientes, os hormônios que controlam os sistemas orgânicos e os anticorpos relacionados com o sistema imunológico. Além de serem componentes estruturais na formação e constituição dos tecidos musculares, tecidos conjuntivos, tendões, ligamentos, cartilagens e tambem do sistema  esquelético. As proteínas de alto valor biológico tem como caracteristica uma fácil digestibilidade e um balanço adequado de aminoácidos devendo conter todos os aminoácidos essenciais, garantindo todas as necessidades nutricionais e um bom funcionamento do organismo. As proteínas são formadas por 22 aminoácidos, e se a alimentação  fornecida ao cachorro tiver uma quantidade adequada de nitrogénio, os cachorros são capazes de produzir 12 aminoacidos, que são os aminoácidos não essenciais que podem ser fornecidos através da alimentação ou sintetizados no organismo. 

Já os outros 10 aminoácidos restantes não podem ser produzidos em quantidade suficiente para atender as demandas e necessidades nutricionais dos cachorros, principalmente na fase de crescimento devem então ser acrescentados a sua alimentação, por isso são chamados de essenciais. A deficiência de um aminoácido essencial prejudicará a formação da sequência de aminoácidos que estrutura a proteína, impedindo a síntese completa da mesma. A capacidade da dieta em fornecer aminoácidos em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias está diretamente relacionada às fontes proteicas utilizadas nos alimentos, aos parâmetros de digestibilidade da proteína e balanço de aminoácidos presente na composição estrutural das mesmas. A ausência ou a ingestão inadequada de qualquer um desses aminoácidos resulta em perda de peso e falhas no crescimento. 

E a necessidades de aminoácidos apesar de serem imprencindiveis na fase de crescimento ocorrem em todas as fases da vida dos cachorros, por isso devem estar presentes na alimentação e serem utilizados não somente por cachorros em fase de crescimento, mas tambem por cachorros adultos, cadelas em gestação e lactação e cachorros idosos. O que muda nessas fases é a quantidade necessária de aminoácidos, que pode ser atendida de forma adequada seguindo-se as recomendações do veterinário. O organismo tem capacidade de sintetizar novas proteínas a partir de aminoácidos, desde que todos os aminoácidos necessários estejam disponíveis nas células,  na realidade o organismo não tem uma necessidade específica de proteínas, o que existe é uma necessidade de aminoácidos e nitrogénio, que são os componentes unitários das proteínas. E as proteínas são a principal fonte de nitrogénio do organismo, pois o nitrogénio é essencial para a síntese dos aminoácidos não essenciais e outras moléculas necessárias ao funcionamento do organismo. 

Outra função importante das proteínas na alimentação é dar sabor as mesmas, normalmente quando a quantidade de proteínas é aumentada, aumenta a palatibilidade e a aceitação do alimento. O grau a partir do qual o cachorro é capaz de usar as proteínas da dieta como fonte de aminoácidos e nitrogénio é influenciado pela digestibilidade e pela qualidade da proteína incluída na alimentação. As proteínas que têm uma digestibilidade elevada e contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas relativamente às suas necessidades, são consideradas proteínas de alta qualidade, e quanto maior a qualidade das proteínas na alimentação, menor a quantidade que o cachorro necessita para suprir as suas necessidades de aminoácidos essenciais.

Aminoácidos Não Essenciais – alanina, aspargina, aspartato, cisteína,
glutamato, glutamina, glicina, hidrolisina, hidroxiprolina, prolina,
serina, tirosina.

Aminoácidos Essenciais – arginina, histidina, isoleucina, leucina,
lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, trionina, valina.

As proteínas de origem animal são as que apresentam proteínas de alta qualidade, e por serem facilmente digeridas pelos cachorros maior e o seu valor. A inclusão de subprodutos como o milho e a soja diminuem a qualidade da proteína, uma vez que muitos destes produtos não são digeridos pelos cachorros, e não tendo portanto qualquer valor nutricional. O milho frequentemente encontrado nas rações é deficiente em lisina e triptofano que são aminoácidos essenciais e devido a isto não e considerado um produto com proteínas de elevada qualidade. Outro vegetal muito encontrado nas rações é a soja, a soja por não ser digerida no intestino dos cachorros pode provocar flatulência e diarreias, porque as bactérias do intestino ao digerirem os açucares da soja produzem gás e aumentam a absorção de água. Por outro lado a soja crua, contém fitatos que diminuem a absorção de outros nutrientes. Não utilize suplementos alimentares (aminoacidos) na alimentação de seu cachorro, sem a prescrição e  acompanhamento veterinario. 

Fontes Proteicas - Cachorros.


Fontes Proteicas - Cachorros:  As proteínas possuem numerosas funções, formam as enzimas que catalisam as reações metabólicas digestivas e a assimilação de nutrientes, os hormônios que controlam os sistemas orgânicos e os anticorpos relacionados com o sistema imunológico. Além de serem componentes estruturais na formação e constituição dos tecidos musculares, tecidos conjuntivos, tendões, ligamentos, cartilagens e tambem do sistema  esquelético. As proteínas de alto valor biológico tem como caracteristica uma fácil digestibilidade e um balanço adequado de aminoácidos devendo conter todos os aminoácidos essenciais, garantindo todas as necessidades nutricionais e um bom funcionamento do organismo. As proteínas são formadas por 22 aminoácidos, e se a alimentação  fornecida ao cachorro tiver uma quantidade adequada de nitrogénio, os cachorros são capazes de produzir 12 aminoacidos, que são os aminoácidos não essenciais que podem ser fornecidos através da alimentação ou sintetizados no organismo. 

Já os outros 10 aminoácidos restantes não podem ser produzidos em quantidade suficiente para atender as demandas e necessidades nutricionais dos cachorros, principalmente na fase de crescimento devem então ser acrescentados a sua alimentação, por isso são chamados de essenciais. A deficiência de um aminoácido essencial prejudicará a formação da sequência de aminoácidos que estrutura a proteína, impedindo a síntese completa da mesma. A capacidade da dieta em fornecer aminoácidos em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias está diretamente relacionada às fontes proteicas utilizadas nos alimentos, aos parâmetros de digestibilidade da proteína e balanço de aminoácidos presente na composição estrutural das mesmas. A ausência ou a ingestão inadequada de qualquer um desses aminoácidos resulta em perda de peso e falhas no crescimento. 

E a necessidades de aminoácidos apesar de serem imprencindiveis na fase de crescimento ocorrem em todas as fases da vida dos cachorros, por isso devem estar presentes na alimentação e serem utilizados não somente por cachorros em fase de crescimento, mas tambem por cachorros adultos, cadelas em gestação e lactação e cachorros idosos. O que muda nessas fases é a quantidade necessária de aminoácidos, que pode ser atendida de forma adequada seguindo-se as recomendações do veterinário. O organismo tem capacidade de sintetizar novas proteínas a partir de aminoácidos, desde que todos os aminoácidos necessários estejam disponíveis nas células,  na realidade o organismo não tem uma necessidade específica de proteínas, o que existe é uma necessidade de aminoácidos e nitrogénio, que são os componentes unitários das proteínas. E as proteínas são a principal fonte de nitrogénio do organismo, pois o nitrogénio é essencial para a síntese dos aminoácidos não essenciais e outras moléculas necessárias ao funcionamento do organismo. 

Outra função importante das proteínas na alimentação é dar sabor as mesmas, normalmente quando a quantidade de proteínas é aumentada, aumenta a palatibilidade e a aceitação do alimento. O grau a partir do qual o cachorro é capaz de usar as proteínas da dieta como fonte de aminoácidos e nitrogénio é influenciado pela digestibilidade e pela qualidade da proteína incluída na alimentação. As proteínas que têm uma digestibilidade elevada e contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas relativamente às suas necessidades, são consideradas proteínas de alta qualidade, e quanto maior a qualidade das proteínas na alimentação, menor a quantidade que o cachorro necessita para suprir as suas necessidades de aminoácidos essenciais.

Aminoácidos Não Essenciais – alanina, aspargina, aspartato, cisteína,
glutamato, glutamina, glicina, hidrolisina, hidroxiprolina, prolina,
serina, tirosina.

Aminoácidos Essenciais – arginina, histidina, isoleucina, leucina,
lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, trionina, valina.

As proteínas de origem animal são as que apresentam proteínas de alta qualidade, e por serem facilmente digeridas pelos cachorros maior e o seu valor. A inclusão de subprodutos como o milho e a soja diminuem a qualidade da proteína, uma vez que muitos destes produtos não são digeridos pelos cachorros, e não tendo portanto qualquer valor nutricional. O milho frequentemente encontrado nas rações é deficiente em lisina e triptofano que são aminoácidos essenciais e devido a isto não e considerado um produto com proteínas de elevada qualidade. Outro vegetal muito encontrado nas rações é a soja, a soja por não ser digerida no intestino dos cachorros pode provocar flatulência e diarreias, porque as bactérias do intestino ao digerirem os açucares da soja produzem gás e aumentam a absorção de água. Por outro lado a soja crua, contém fitatos que diminuem a absorção de outros nutrientes. Não utilize suplementos alimentares (aminoacidos) na alimentação de seu cachorro, sem a prescrição e  acompanhamento veterinario. 

Sintetizadas no Organismo - Cachorros.


Sintetizadas no Organismo - Cachorros:  As proteínas possuem numerosas funções, formam as enzimas que catalisam as reações metabólicas digestivas e a assimilação de nutrientes, os hormônios que controlam os sistemas orgânicos e os anticorpos relacionados com o sistema imunológico. Além de serem componentes estruturais na formação e constituição dos tecidos musculares, tecidos conjuntivos, tendões, ligamentos, cartilagens e tambem do sistema  esquelético. As proteínas de alto valor biológico tem como caracteristica uma fácil digestibilidade e um balanço adequado de aminoácidos devendo conter todos os aminoácidos essenciais, garantindo todas as necessidades nutricionais e um bom funcionamento do organismo. As proteínas são formadas por 22 aminoácidos, e se a alimentação  fornecida ao cachorro tiver uma quantidade adequada de nitrogénio, os cachorros são capazes de produzir 12 aminoacidos, que são os aminoácidos não essenciais que podem ser fornecidos através da alimentação ou sintetizados no organismo. 

Já os outros 10 aminoácidos restantes não podem ser produzidos em quantidade suficiente para atender as demandas e necessidades nutricionais dos cachorros, principalmente na fase de crescimento devem então ser acrescentados a sua alimentação, por isso são chamados de essenciais. A deficiência de um aminoácido essencial prejudicará a formação da sequência de aminoácidos que estrutura a proteína, impedindo a síntese completa da mesma. A capacidade da dieta em fornecer aminoácidos em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias está diretamente relacionada às fontes proteicas utilizadas nos alimentos, aos parâmetros de digestibilidade da proteína e balanço de aminoácidos presente na composição estrutural das mesmas. A ausência ou a ingestão inadequada de qualquer um desses aminoácidos resulta em perda de peso e falhas no crescimento. 

E a necessidades de aminoácidos apesar de serem imprencindiveis na fase de crescimento ocorrem em todas as fases da vida dos cachorros, por isso devem estar presentes na alimentação e serem utilizados não somente por cachorros em fase de crescimento, mas tambem por cachorros adultos, cadelas em gestação e lactação e cachorros idosos. O que muda nessas fases é a quantidade necessária de aminoácidos, que pode ser atendida de forma adequada seguindo-se as recomendações do veterinário. O organismo tem capacidade de sintetizar novas proteínas a partir de aminoácidos, desde que todos os aminoácidos necessários estejam disponíveis nas células,  na realidade o organismo não tem uma necessidade específica de proteínas, o que existe é uma necessidade de aminoácidos e nitrogénio, que são os componentes unitários das proteínas. E as proteínas são a principal fonte de nitrogénio do organismo, pois o nitrogénio é essencial para a síntese dos aminoácidos não essenciais e outras moléculas necessárias ao funcionamento do organismo. 

Outra função importante das proteínas na alimentação é dar sabor as mesmas, normalmente quando a quantidade de proteínas é aumentada, aumenta a palatibilidade e a aceitação do alimento. O grau a partir do qual o cachorro é capaz de usar as proteínas da dieta como fonte de aminoácidos e nitrogénio é influenciado pela digestibilidade e pela qualidade da proteína incluída na alimentação. As proteínas que têm uma digestibilidade elevada e contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas relativamente às suas necessidades, são consideradas proteínas de alta qualidade, e quanto maior a qualidade das proteínas na alimentação, menor a quantidade que o cachorro necessita para suprir as suas necessidades de aminoácidos essenciais.

Aminoácidos Não Essenciais – alanina, aspargina, aspartato, cisteína,
glutamato, glutamina, glicina, hidrolisina, hidroxiprolina, prolina,
serina, tirosina.

Aminoácidos Essenciais – arginina, histidina, isoleucina, leucina,
lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, trionina, valina.

As proteínas de origem animal são as que apresentam proteínas de alta qualidade, e por serem facilmente digeridas pelos cachorros maior e o seu valor. A inclusão de subprodutos como o milho e a soja diminuem a qualidade da proteína, uma vez que muitos destes produtos não são digeridos pelos cachorros, e não tendo portanto qualquer valor nutricional. O milho frequentemente encontrado nas rações é deficiente em lisina e triptofano que são aminoácidos essenciais e devido a isto não e considerado um produto com proteínas de elevada qualidade. Outro vegetal muito encontrado nas rações é a soja, a soja por não ser digerida no intestino dos cachorros pode provocar flatulência e diarreias, porque as bactérias do intestino ao digerirem os açucares da soja produzem gás e aumentam a absorção de água. Por outro lado a soja crua, contém fitatos que diminuem a absorção de outros nutrientes. Não utilize suplementos alimentares (aminoacidos) na alimentação de seu cachorro, sem a prescrição e  acompanhamento veterinario. 

Fornecidos Através da Alimentação - Cachorros.


Fornecidos Através da Alimentação - Cachorros:  As proteínas possuem numerosas funções, formam as enzimas que catalisam as reações metabólicas digestivas e a assimilação de nutrientes, os hormônios que controlam os sistemas orgânicos e os anticorpos relacionados com o sistema imunológico. Além de serem componentes estruturais na formação e constituição dos tecidos musculares, tecidos conjuntivos, tendões, ligamentos, cartilagens e tambem do sistema  esquelético. As proteínas de alto valor biológico tem como caracteristica uma fácil digestibilidade e um balanço adequado de aminoácidos devendo conter todos os aminoácidos essenciais, garantindo todas as necessidades nutricionais e um bom funcionamento do organismo. As proteínas são formadas por 22 aminoácidos, e se a alimentação  fornecida ao cachorro tiver uma quantidade adequada de nitrogénio, os cachorros são capazes de produzir 12 aminoacidos, que são os aminoácidos não essenciais que podem ser fornecidos através da alimentação ou sintetizados no organismo. 

Já os outros 10 aminoácidos restantes não podem ser produzidos em quantidade suficiente para atender as demandas e necessidades nutricionais dos cachorros, principalmente na fase de crescimento devem então ser acrescentados a sua alimentação, por isso são chamados de essenciais. A deficiência de um aminoácido essencial prejudicará a formação da sequência de aminoácidos que estrutura a proteína, impedindo a síntese completa da mesma. A capacidade da dieta em fornecer aminoácidos em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias está diretamente relacionada às fontes proteicas utilizadas nos alimentos, aos parâmetros de digestibilidade da proteína e balanço de aminoácidos presente na composição estrutural das mesmas. A ausência ou a ingestão inadequada de qualquer um desses aminoácidos resulta em perda de peso e falhas no crescimento. 

E a necessidades de aminoácidos apesar de serem imprencindiveis na fase de crescimento ocorrem em todas as fases da vida dos cachorros, por isso devem estar presentes na alimentação e serem utilizados não somente por cachorros em fase de crescimento, mas tambem por cachorros adultos, cadelas em gestação e lactação e cachorros idosos. O que muda nessas fases é a quantidade necessária de aminoácidos, que pode ser atendida de forma adequada seguindo-se as recomendações do veterinário. O organismo tem capacidade de sintetizar novas proteínas a partir de aminoácidos, desde que todos os aminoácidos necessários estejam disponíveis nas células,  na realidade o organismo não tem uma necessidade específica de proteínas, o que existe é uma necessidade de aminoácidos e nitrogénio, que são os componentes unitários das proteínas. E as proteínas são a principal fonte de nitrogénio do organismo, pois o nitrogénio é essencial para a síntese dos aminoácidos não essenciais e outras moléculas necessárias ao funcionamento do organismo. 

Outra função importante das proteínas na alimentação é dar sabor as mesmas, normalmente quando a quantidade de proteínas é aumentada, aumenta a palatibilidade e a aceitação do alimento. O grau a partir do qual o cachorro é capaz de usar as proteínas da dieta como fonte de aminoácidos e nitrogénio é influenciado pela digestibilidade e pela qualidade da proteína incluída na alimentação. As proteínas que têm uma digestibilidade elevada e contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas relativamente às suas necessidades, são consideradas proteínas de alta qualidade, e quanto maior a qualidade das proteínas na alimentação, menor a quantidade que o cachorro necessita para suprir as suas necessidades de aminoácidos essenciais.

Aminoácidos Não Essenciais – alanina, aspargina, aspartato, cisteína,
glutamato, glutamina, glicina, hidrolisina, hidroxiprolina, prolina,
serina, tirosina.

Aminoácidos Essenciais – arginina, histidina, isoleucina, leucina,
lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, trionina, valina.

As proteínas de origem animal são as que apresentam proteínas de alta qualidade, e por serem facilmente digeridas pelos cachorros maior e o seu valor. A inclusão de subprodutos como o milho e a soja diminuem a qualidade da proteína, uma vez que muitos destes produtos não são digeridos pelos cachorros, e não tendo portanto qualquer valor nutricional. O milho frequentemente encontrado nas rações é deficiente em lisina e triptofano que são aminoácidos essenciais e devido a isto não e considerado um produto com proteínas de elevada qualidade. Outro vegetal muito encontrado nas rações é a soja, a soja por não ser digerida no intestino dos cachorros pode provocar flatulência e diarreias, porque as bactérias do intestino ao digerirem os açucares da soja produzem gás e aumentam a absorção de água. Por outro lado a soja crua, contém fitatos que diminuem a absorção de outros nutrientes. Não utilize suplementos alimentares (aminoacidos) na alimentação de seu cachorro, sem a prescrição e  acompanhamento veterinario. 

Formadas por 22 Aminoácidos - Cachorros.


Formadas por 22 Aminoácidos - Cachorros:  As proteínas possuem numerosas funções, formam as enzimas que catalisam as reações metabólicas digestivas e a assimilação de nutrientes, os hormônios que controlam os sistemas orgânicos e os anticorpos relacionados com o sistema imunológico. Além de serem componentes estruturais na formação e constituição dos tecidos musculares, tecidos conjuntivos, tendões, ligamentos, cartilagens e tambem do sistema  esquelético. As proteínas de alto valor biológico tem como caracteristica uma fácil digestibilidade e um balanço adequado de aminoácidos devendo conter todos os aminoácidos essenciais, garantindo todas as necessidades nutricionais e um bom funcionamento do organismo. As proteínas são formadas por 22 aminoácidos, e se a alimentação  fornecida ao cachorro tiver uma quantidade adequada de nitrogénio, os cachorros são capazes de produzir 12 aminoacidos, que são os aminoácidos não essenciais que podem ser fornecidos através da alimentação ou sintetizados no organismo. 

Já os outros 10 aminoácidos restantes não podem ser produzidos em quantidade suficiente para atender as demandas e necessidades nutricionais dos cachorros, principalmente na fase de crescimento devem então ser acrescentados a sua alimentação, por isso são chamados de essenciais. A deficiência de um aminoácido essencial prejudicará a formação da sequência de aminoácidos que estrutura a proteína, impedindo a síntese completa da mesma. A capacidade da dieta em fornecer aminoácidos em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias está diretamente relacionada às fontes proteicas utilizadas nos alimentos, aos parâmetros de digestibilidade da proteína e balanço de aminoácidos presente na composição estrutural das mesmas. A ausência ou a ingestão inadequada de qualquer um desses aminoácidos resulta em perda de peso e falhas no crescimento. 

E a necessidades de aminoácidos apesar de serem imprencindiveis na fase de crescimento ocorrem em todas as fases da vida dos cachorros, por isso devem estar presentes na alimentação e serem utilizados não somente por cachorros em fase de crescimento, mas tambem por cachorros adultos, cadelas em gestação e lactação e cachorros idosos. O que muda nessas fases é a quantidade necessária de aminoácidos, que pode ser atendida de forma adequada seguindo-se as recomendações do veterinário. O organismo tem capacidade de sintetizar novas proteínas a partir de aminoácidos, desde que todos os aminoácidos necessários estejam disponíveis nas células,  na realidade o organismo não tem uma necessidade específica de proteínas, o que existe é uma necessidade de aminoácidos e nitrogénio, que são os componentes unitários das proteínas. E as proteínas são a principal fonte de nitrogénio do organismo, pois o nitrogénio é essencial para a síntese dos aminoácidos não essenciais e outras moléculas necessárias ao funcionamento do organismo. 

Outra função importante das proteínas na alimentação é dar sabor as mesmas, normalmente quando a quantidade de proteínas é aumentada, aumenta a palatibilidade e a aceitação do alimento. O grau a partir do qual o cachorro é capaz de usar as proteínas da dieta como fonte de aminoácidos e nitrogénio é influenciado pela digestibilidade e pela qualidade da proteína incluída na alimentação. As proteínas que têm uma digestibilidade elevada e contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas relativamente às suas necessidades, são consideradas proteínas de alta qualidade, e quanto maior a qualidade das proteínas na alimentação, menor a quantidade que o cachorro necessita para suprir as suas necessidades de aminoácidos essenciais.

Aminoácidos Não Essenciais – alanina, aspargina, aspartato, cisteína,
glutamato, glutamina, glicina, hidrolisina, hidroxiprolina, prolina,
serina, tirosina.

Aminoácidos Essenciais – arginina, histidina, isoleucina, leucina,
lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, trionina, valina.

As proteínas de origem animal são as que apresentam proteínas de alta qualidade, e por serem facilmente digeridas pelos cachorros maior e o seu valor. A inclusão de subprodutos como o milho e a soja diminuem a qualidade da proteína, uma vez que muitos destes produtos não são digeridos pelos cachorros, e não tendo portanto qualquer valor nutricional. O milho frequentemente encontrado nas rações é deficiente em lisina e triptofano que são aminoácidos essenciais e devido a isto não e considerado um produto com proteínas de elevada qualidade. Outro vegetal muito encontrado nas rações é a soja, a soja por não ser digerida no intestino dos cachorros pode provocar flatulência e diarreias, porque as bactérias do intestino ao digerirem os açucares da soja produzem gás e aumentam a absorção de água. Por outro lado a soja crua, contém fitatos que diminuem a absorção de outros nutrientes. Não utilize suplementos alimentares (aminoacidos) na alimentação de seu cachorro, sem a prescrição e  acompanhamento veterinario. 

Bom Funcionamento do Organismo - Cachorros.


Bom Funcionamento do Organismo - Cachorros:  As proteínas possuem numerosas funções, formam as enzimas que catalisam as reações metabólicas digestivas e a assimilação de nutrientes, os hormônios que controlam os sistemas orgânicos e os anticorpos relacionados com o sistema imunológico. Além de serem componentes estruturais na formação e constituição dos tecidos musculares, tecidos conjuntivos, tendões, ligamentos, cartilagens e tambem do sistema  esquelético. As proteínas de alto valor biológico tem como caracteristica uma fácil digestibilidade e um balanço adequado de aminoácidos devendo conter todos os aminoácidos essenciais, garantindo todas as necessidades nutricionais e um bom funcionamento do organismo. As proteínas são formadas por 22 aminoácidos, e se a alimentação  fornecida ao cachorro tiver uma quantidade adequada de nitrogénio, os cachorros são capazes de produzir 12 aminoacidos, que são os aminoácidos não essenciais que podem ser fornecidos através da alimentação ou sintetizados no organismo. 

Já os outros 10 aminoácidos restantes não podem ser produzidos em quantidade suficiente para atender as demandas e necessidades nutricionais dos cachorros, principalmente na fase de crescimento devem então ser acrescentados a sua alimentação, por isso são chamados de essenciais. A deficiência de um aminoácido essencial prejudicará a formação da sequência de aminoácidos que estrutura a proteína, impedindo a síntese completa da mesma. A capacidade da dieta em fornecer aminoácidos em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias está diretamente relacionada às fontes proteicas utilizadas nos alimentos, aos parâmetros de digestibilidade da proteína e balanço de aminoácidos presente na composição estrutural das mesmas. A ausência ou a ingestão inadequada de qualquer um desses aminoácidos resulta em perda de peso e falhas no crescimento. 

E a necessidades de aminoácidos apesar de serem imprencindiveis na fase de crescimento ocorrem em todas as fases da vida dos cachorros, por isso devem estar presentes na alimentação e serem utilizados não somente por cachorros em fase de crescimento, mas tambem por cachorros adultos, cadelas em gestação e lactação e cachorros idosos. O que muda nessas fases é a quantidade necessária de aminoácidos, que pode ser atendida de forma adequada seguindo-se as recomendações do veterinário. O organismo tem capacidade de sintetizar novas proteínas a partir de aminoácidos, desde que todos os aminoácidos necessários estejam disponíveis nas células,  na realidade o organismo não tem uma necessidade específica de proteínas, o que existe é uma necessidade de aminoácidos e nitrogénio, que são os componentes unitários das proteínas. E as proteínas são a principal fonte de nitrogénio do organismo, pois o nitrogénio é essencial para a síntese dos aminoácidos não essenciais e outras moléculas necessárias ao funcionamento do organismo. 

Outra função importante das proteínas na alimentação é dar sabor as mesmas, normalmente quando a quantidade de proteínas é aumentada, aumenta a palatibilidade e a aceitação do alimento. O grau a partir do qual o cachorro é capaz de usar as proteínas da dieta como fonte de aminoácidos e nitrogénio é influenciado pela digestibilidade e pela qualidade da proteína incluída na alimentação. As proteínas que têm uma digestibilidade elevada e contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas relativamente às suas necessidades, são consideradas proteínas de alta qualidade, e quanto maior a qualidade das proteínas na alimentação, menor a quantidade que o cachorro necessita para suprir as suas necessidades de aminoácidos essenciais.

Aminoácidos Não Essenciais – alanina, aspargina, aspartato, cisteína,
glutamato, glutamina, glicina, hidrolisina, hidroxiprolina, prolina,
serina, tirosina.

Aminoácidos Essenciais – arginina, histidina, isoleucina, leucina,
lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, trionina, valina.

As proteínas de origem animal são as que apresentam proteínas de alta qualidade, e por serem facilmente digeridas pelos cachorros maior e o seu valor. A inclusão de subprodutos como o milho e a soja diminuem a qualidade da proteína, uma vez que muitos destes produtos não são digeridos pelos cachorros, e não tendo portanto qualquer valor nutricional. O milho frequentemente encontrado nas rações é deficiente em lisina e triptofano que são aminoácidos essenciais e devido a isto não e considerado um produto com proteínas de elevada qualidade. Outro vegetal muito encontrado nas rações é a soja, a soja por não ser digerida no intestino dos cachorros pode provocar flatulência e diarreias, porque as bactérias do intestino ao digerirem os açucares da soja produzem gás e aumentam a absorção de água. Por outro lado a soja crua, contém fitatos que diminuem a absorção de outros nutrientes. Não utilize suplementos alimentares (aminoacidos) na alimentação de seu cachorro, sem a prescrição e  acompanhamento veterinario. 

Necessidades Nutricionais - Cachorros.


Necessidades Nutricionais - Cachorros:  As proteínas possuem numerosas funções, formam as enzimas que catalisam as reações metabólicas digestivas e a assimilação de nutrientes, os hormônios que controlam os sistemas orgânicos e os anticorpos relacionados com o sistema imunológico. Além de serem componentes estruturais na formação e constituição dos tecidos musculares, tecidos conjuntivos, tendões, ligamentos, cartilagens e tambem do sistema  esquelético. As proteínas de alto valor biológico tem como caracteristica uma fácil digestibilidade e um balanço adequado de aminoácidos devendo conter todos os aminoácidos essenciais, garantindo todas as necessidades nutricionais e um bom funcionamento do organismo. As proteínas são formadas por 22 aminoácidos, e se a alimentação  fornecida ao cachorro tiver uma quantidade adequada de nitrogénio, os cachorros são capazes de produzir 12 aminoacidos, que são os aminoácidos não essenciais que podem ser fornecidos através da alimentação ou sintetizados no organismo. 

Já os outros 10 aminoácidos restantes não podem ser produzidos em quantidade suficiente para atender as demandas e necessidades nutricionais dos cachorros, principalmente na fase de crescimento devem então ser acrescentados a sua alimentação, por isso são chamados de essenciais. A deficiência de um aminoácido essencial prejudicará a formação da sequência de aminoácidos que estrutura a proteína, impedindo a síntese completa da mesma. A capacidade da dieta em fornecer aminoácidos em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias está diretamente relacionada às fontes proteicas utilizadas nos alimentos, aos parâmetros de digestibilidade da proteína e balanço de aminoácidos presente na composição estrutural das mesmas. A ausência ou a ingestão inadequada de qualquer um desses aminoácidos resulta em perda de peso e falhas no crescimento. 

E a necessidades de aminoácidos apesar de serem imprencindiveis na fase de crescimento ocorrem em todas as fases da vida dos cachorros, por isso devem estar presentes na alimentação e serem utilizados não somente por cachorros em fase de crescimento, mas tambem por cachorros adultos, cadelas em gestação e lactação e cachorros idosos. O que muda nessas fases é a quantidade necessária de aminoácidos, que pode ser atendida de forma adequada seguindo-se as recomendações do veterinário. O organismo tem capacidade de sintetizar novas proteínas a partir de aminoácidos, desde que todos os aminoácidos necessários estejam disponíveis nas células,  na realidade o organismo não tem uma necessidade específica de proteínas, o que existe é uma necessidade de aminoácidos e nitrogénio, que são os componentes unitários das proteínas. E as proteínas são a principal fonte de nitrogénio do organismo, pois o nitrogénio é essencial para a síntese dos aminoácidos não essenciais e outras moléculas necessárias ao funcionamento do organismo. 

Outra função importante das proteínas na alimentação é dar sabor as mesmas, normalmente quando a quantidade de proteínas é aumentada, aumenta a palatibilidade e a aceitação do alimento. O grau a partir do qual o cachorro é capaz de usar as proteínas da dieta como fonte de aminoácidos e nitrogénio é influenciado pela digestibilidade e pela qualidade da proteína incluída na alimentação. As proteínas que têm uma digestibilidade elevada e contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas relativamente às suas necessidades, são consideradas proteínas de alta qualidade, e quanto maior a qualidade das proteínas na alimentação, menor a quantidade que o cachorro necessita para suprir as suas necessidades de aminoácidos essenciais.

Aminoácidos Não Essenciais – alanina, aspargina, aspartato, cisteína,
glutamato, glutamina, glicina, hidrolisina, hidroxiprolina, prolina,
serina, tirosina.

Aminoácidos Essenciais – arginina, histidina, isoleucina, leucina,
lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, trionina, valina.

As proteínas de origem animal são as que apresentam proteínas de alta qualidade, e por serem facilmente digeridas pelos cachorros maior e o seu valor. A inclusão de subprodutos como o milho e a soja diminuem a qualidade da proteína, uma vez que muitos destes produtos não são digeridos pelos cachorros, e não tendo portanto qualquer valor nutricional. O milho frequentemente encontrado nas rações é deficiente em lisina e triptofano que são aminoácidos essenciais e devido a isto não e considerado um produto com proteínas de elevada qualidade. Outro vegetal muito encontrado nas rações é a soja, a soja por não ser digerida no intestino dos cachorros pode provocar flatulência e diarreias, porque as bactérias do intestino ao digerirem os açucares da soja produzem gás e aumentam a absorção de água. Por outro lado a soja crua, contém fitatos que diminuem a absorção de outros nutrientes. Não utilize suplementos alimentares (aminoacidos) na alimentação de seu cachorro, sem a prescrição e  acompanhamento veterinario. 

Alto Valor Biológico - Cachorros.


Alto Valor Biológico - Cachorros:  As proteínas possuem numerosas funções, formam as enzimas que catalisam as reações metabólicas digestivas e a assimilação de nutrientes, os hormônios que controlam os sistemas orgânicos e os anticorpos relacionados com o sistema imunológico. Além de serem componentes estruturais na formação e constituição dos tecidos musculares, tecidos conjuntivos, tendões, ligamentos, cartilagens e tambem do sistema  esquelético. As proteínas de alto valor biológico tem como caracteristica uma fácil digestibilidade e um balanço adequado de aminoácidos devendo conter todos os aminoácidos essenciais, garantindo todas as necessidades nutricionais e um bom funcionamento do organismo. As proteínas são formadas por 22 aminoácidos, e se a alimentação  fornecida ao cachorro tiver uma quantidade adequada de nitrogénio, os cachorros são capazes de produzir 12 aminoacidos, que são os aminoácidos não essenciais que podem ser fornecidos através da alimentação ou sintetizados no organismo. 

Já os outros 10 aminoácidos restantes não podem ser produzidos em quantidade suficiente para atender as demandas e necessidades nutricionais dos cachorros, principalmente na fase de crescimento devem então ser acrescentados a sua alimentação, por isso são chamados de essenciais. A deficiência de um aminoácido essencial prejudicará a formação da sequência de aminoácidos que estrutura a proteína, impedindo a síntese completa da mesma. A capacidade da dieta em fornecer aminoácidos em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias está diretamente relacionada às fontes proteicas utilizadas nos alimentos, aos parâmetros de digestibilidade da proteína e balanço de aminoácidos presente na composição estrutural das mesmas. A ausência ou a ingestão inadequada de qualquer um desses aminoácidos resulta em perda de peso e falhas no crescimento. 

E a necessidades de aminoácidos apesar de serem imprencindiveis na fase de crescimento ocorrem em todas as fases da vida dos cachorros, por isso devem estar presentes na alimentação e serem utilizados não somente por cachorros em fase de crescimento, mas tambem por cachorros adultos, cadelas em gestação e lactação e cachorros idosos. O que muda nessas fases é a quantidade necessária de aminoácidos, que pode ser atendida de forma adequada seguindo-se as recomendações do veterinário. O organismo tem capacidade de sintetizar novas proteínas a partir de aminoácidos, desde que todos os aminoácidos necessários estejam disponíveis nas células,  na realidade o organismo não tem uma necessidade específica de proteínas, o que existe é uma necessidade de aminoácidos e nitrogénio, que são os componentes unitários das proteínas. E as proteínas são a principal fonte de nitrogénio do organismo, pois o nitrogénio é essencial para a síntese dos aminoácidos não essenciais e outras moléculas necessárias ao funcionamento do organismo. 

Outra função importante das proteínas na alimentação é dar sabor as mesmas, normalmente quando a quantidade de proteínas é aumentada, aumenta a palatibilidade e a aceitação do alimento. O grau a partir do qual o cachorro é capaz de usar as proteínas da dieta como fonte de aminoácidos e nitrogénio é influenciado pela digestibilidade e pela qualidade da proteína incluída na alimentação. As proteínas que têm uma digestibilidade elevada e contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas relativamente às suas necessidades, são consideradas proteínas de alta qualidade, e quanto maior a qualidade das proteínas na alimentação, menor a quantidade que o cachorro necessita para suprir as suas necessidades de aminoácidos essenciais.

Aminoácidos Não Essenciais – alanina, aspargina, aspartato, cisteína,
glutamato, glutamina, glicina, hidrolisina, hidroxiprolina, prolina,
serina, tirosina.

Aminoácidos Essenciais – arginina, histidina, isoleucina, leucina,
lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, trionina, valina.

As proteínas de origem animal são as que apresentam proteínas de alta qualidade, e por serem facilmente digeridas pelos cachorros maior e o seu valor. A inclusão de subprodutos como o milho e a soja diminuem a qualidade da proteína, uma vez que muitos destes produtos não são digeridos pelos cachorros, e não tendo portanto qualquer valor nutricional. O milho frequentemente encontrado nas rações é deficiente em lisina e triptofano que são aminoácidos essenciais e devido a isto não e considerado um produto com proteínas de elevada qualidade. Outro vegetal muito encontrado nas rações é a soja, a soja por não ser digerida no intestino dos cachorros pode provocar flatulência e diarreias, porque as bactérias do intestino ao digerirem os açucares da soja produzem gás e aumentam a absorção de água. Por outro lado a soja crua, contém fitatos que diminuem a absorção de outros nutrientes. Não utilize suplementos alimentares (aminoacidos) na alimentação de seu cachorro, sem a prescrição e  acompanhamento veterinario. 

Tendões, Ligamentos e Cartilagens - Cachorros.


Tendões, Ligamentos e Cartilagens - Cachorros:  As proteínas possuem numerosas funções, formam as enzimas que catalisam as reações metabólicas digestivas e a assimilação de nutrientes, os hormônios que controlam os sistemas orgânicos e os anticorpos relacionados com o sistema imunológico. Além de serem componentes estruturais na formação e constituição dos tecidos musculares, tecidos conjuntivos, tendões, ligamentos, cartilagens e tambem do sistema  esquelético. As proteínas de alto valor biológico tem como caracteristica uma fácil digestibilidade e um balanço adequado de aminoácidos devendo conter todos os aminoácidos essenciais, garantindo todas as necessidades nutricionais e um bom funcionamento do organismo. As proteínas são formadas por 22 aminoácidos, e se a alimentação  fornecida ao cachorro tiver uma quantidade adequada de nitrogénio, os cachorros são capazes de produzir 12 aminoacidos, que são os aminoácidos não essenciais que podem ser fornecidos através da alimentação ou sintetizados no organismo. 

Já os outros 10 aminoácidos restantes não podem ser produzidos em quantidade suficiente para atender as demandas e necessidades nutricionais dos cachorros, principalmente na fase de crescimento devem então ser acrescentados a sua alimentação, por isso são chamados de essenciais. A deficiência de um aminoácido essencial prejudicará a formação da sequência de aminoácidos que estrutura a proteína, impedindo a síntese completa da mesma. A capacidade da dieta em fornecer aminoácidos em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias está diretamente relacionada às fontes proteicas utilizadas nos alimentos, aos parâmetros de digestibilidade da proteína e balanço de aminoácidos presente na composição estrutural das mesmas. A ausência ou a ingestão inadequada de qualquer um desses aminoácidos resulta em perda de peso e falhas no crescimento. 

E a necessidades de aminoácidos apesar de serem imprencindiveis na fase de crescimento ocorrem em todas as fases da vida dos cachorros, por isso devem estar presentes na alimentação e serem utilizados não somente por cachorros em fase de crescimento, mas tambem por cachorros adultos, cadelas em gestação e lactação e cachorros idosos. O que muda nessas fases é a quantidade necessária de aminoácidos, que pode ser atendida de forma adequada seguindo-se as recomendações do veterinário. O organismo tem capacidade de sintetizar novas proteínas a partir de aminoácidos, desde que todos os aminoácidos necessários estejam disponíveis nas células,  na realidade o organismo não tem uma necessidade específica de proteínas, o que existe é uma necessidade de aminoácidos e nitrogénio, que são os componentes unitários das proteínas. E as proteínas são a principal fonte de nitrogénio do organismo, pois o nitrogénio é essencial para a síntese dos aminoácidos não essenciais e outras moléculas necessárias ao funcionamento do organismo. 

Outra função importante das proteínas na alimentação é dar sabor as mesmas, normalmente quando a quantidade de proteínas é aumentada, aumenta a palatibilidade e a aceitação do alimento. O grau a partir do qual o cachorro é capaz de usar as proteínas da dieta como fonte de aminoácidos e nitrogénio é influenciado pela digestibilidade e pela qualidade da proteína incluída na alimentação. As proteínas que têm uma digestibilidade elevada e contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas relativamente às suas necessidades, são consideradas proteínas de alta qualidade, e quanto maior a qualidade das proteínas na alimentação, menor a quantidade que o cachorro necessita para suprir as suas necessidades de aminoácidos essenciais.

Aminoácidos Não Essenciais – alanina, aspargina, aspartato, cisteína,
glutamato, glutamina, glicina, hidrolisina, hidroxiprolina, prolina,
serina, tirosina.

Aminoácidos Essenciais – arginina, histidina, isoleucina, leucina,
lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, trionina, valina.

As proteínas de origem animal são as que apresentam proteínas de alta qualidade, e por serem facilmente digeridas pelos cachorros maior e o seu valor. A inclusão de subprodutos como o milho e a soja diminuem a qualidade da proteína, uma vez que muitos destes produtos não são digeridos pelos cachorros, e não tendo portanto qualquer valor nutricional. O milho frequentemente encontrado nas rações é deficiente em lisina e triptofano que são aminoácidos essenciais e devido a isto não e considerado um produto com proteínas de elevada qualidade. Outro vegetal muito encontrado nas rações é a soja, a soja por não ser digerida no intestino dos cachorros pode provocar flatulência e diarreias, porque as bactérias do intestino ao digerirem os açucares da soja produzem gás e aumentam a absorção de água. Por outro lado a soja crua, contém fitatos que diminuem a absorção de outros nutrientes. Não utilize suplementos alimentares (aminoacidos) na alimentação de seu cachorro, sem a prescrição e  acompanhamento veterinario.

Tecidos Conjuntivos - Cachorros.


Tecidos Conjuntivos - Cachorros: As proteínas possuem numerosas funções, formam as enzimas que catalisam as reações metabólicas digestivas e a assimilação de nutrientes, os hormônios que controlam os sistemas orgânicos e os anticorpos relacionados com o sistema imunológico. Além de serem componentes estruturais na formação e constituição dos tecidos musculares, tecidos conjuntivos, tendões, ligamentos, cartilagens e tambem do sistema  esquelético. As proteínas de alto valor biológico tem como caracteristica uma fácil digestibilidade e um balanço adequado de aminoácidos devendo conter todos os aminoácidos essenciais, garantindo todas as necessidades nutricionais e um bom funcionamento do organismo. As proteínas são formadas por 22 aminoácidos, e se a alimentação  fornecida ao cachorro tiver uma quantidade adequada de nitrogénio, os cachorros são capazes de produzir 12 aminoacidos, que são os aminoácidos não essenciais que podem ser fornecidos através da alimentação ou sintetizados no organismo. 

Já os outros 10 aminoácidos restantes não podem ser produzidos em quantidade suficiente para atender as demandas e necessidades nutricionais dos cachorros, principalmente na fase de crescimento devem então ser acrescentados a sua alimentação, por isso são chamados de essenciais. A deficiência de um aminoácido essencial prejudicará a formação da sequência de aminoácidos que estrutura a proteína, impedindo a síntese completa da mesma. A capacidade da dieta em fornecer aminoácidos em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias está diretamente relacionada às fontes proteicas utilizadas nos alimentos, aos parâmetros de digestibilidade da proteína e balanço de aminoácidos presente na composição estrutural das mesmas. A ausência ou a ingestão inadequada de qualquer um desses aminoácidos resulta em perda de peso e falhas no crescimento. 

E a necessidades de aminoácidos apesar de serem imprencindiveis na fase de crescimento ocorrem em todas as fases da vida dos cachorros, por isso devem estar presentes na alimentação e serem utilizados não somente por cachorros em fase de crescimento, mas tambem por cachorros adultos, cadelas em gestação e lactação e cachorros idosos. O que muda nessas fases é a quantidade necessária de aminoácidos, que pode ser atendida de forma adequada seguindo-se as recomendações do veterinário. O organismo tem capacidade de sintetizar novas proteínas a partir de aminoácidos, desde que todos os aminoácidos necessários estejam disponíveis nas células,  na realidade o organismo não tem uma necessidade específica de proteínas, o que existe é uma necessidade de aminoácidos e nitrogénio, que são os componentes unitários das proteínas. E as proteínas são a principal fonte de nitrogénio do organismo, pois o nitrogénio é essencial para a síntese dos aminoácidos não essenciais e outras moléculas necessárias ao funcionamento do organismo. 

Outra função importante das proteínas na alimentação é dar sabor as mesmas, normalmente quando a quantidade de proteínas é aumentada, aumenta a palatibilidade e a aceitação do alimento. O grau a partir do qual o cachorro é capaz de usar as proteínas da dieta como fonte de aminoácidos e nitrogénio é influenciado pela digestibilidade e pela qualidade da proteína incluída na alimentação. As proteínas que têm uma digestibilidade elevada e contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas relativamente às suas necessidades, são consideradas proteínas de alta qualidade, e quanto maior a qualidade das proteínas na alimentação, menor a quantidade que o cachorro necessita para suprir as suas necessidades de aminoácidos essenciais.

Aminoácidos Não Essenciais – alanina, aspargina, aspartato, cisteína,
glutamato, glutamina, glicina, hidrolisina, hidroxiprolina, prolina,
serina, tirosina.

Aminoácidos Essenciais – arginina, histidina, isoleucina, leucina,
lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, trionina, valina.

As proteínas de origem animal são as que apresentam proteínas de alta qualidade, e por serem facilmente digeridas pelos cachorros maior e o seu valor. A inclusão de subprodutos como o milho e a soja diminuem a qualidade da proteína, uma vez que muitos destes produtos não são digeridos pelos cachorros, e não tendo portanto qualquer valor nutricional. O milho frequentemente encontrado nas rações é deficiente em lisina e triptofano que são aminoácidos essenciais e devido a isto não e considerado um produto com proteínas de elevada qualidade. Outro vegetal muito encontrado nas rações é a soja, a soja por não ser digerida no intestino dos cachorros pode provocar flatulência e diarreias, porque as bactérias do intestino ao digerirem os açucares da soja produzem gás e aumentam a absorção de água. Por outro lado a soja crua, contém fitatos que diminuem a absorção de outros nutrientes. Não utilize suplementos alimentares (aminoacidos) na alimentação de seu cachorro, sem a prescrição e  acompanhamento veterinario. 


Componentes Estruturais - Cachorros.


Componentes Estruturais - Cachorros:  As proteínas possuem numerosas funções, formam as enzimas que catalisam as reações metabólicas digestivas e a assimilação de nutrientes, os hormônios que controlam os sistemas orgânicos e os anticorpos relacionados com o sistema imunológico. Além de serem componentes estruturais na formação e constituição dos tecidos musculares, tecidos conjuntivos, tendões, ligamentos, cartilagens e tambem do sistema  esquelético. As proteínas de alto valor biológico tem como caracteristica uma fácil digestibilidade e um balanço adequado de aminoácidos devendo conter todos os aminoácidos essenciais, garantindo todas as necessidades nutricionais e um bom funcionamento do organismo. As proteínas são formadas por 22 aminoácidos, e se a alimentação  fornecida ao cachorro tiver uma quantidade adequada de nitrogénio, os cachorros são capazes de produzir 12 aminoacidos, que são os aminoácidos não essenciais que podem ser fornecidos através da alimentação ou sintetizados no organismo. 

Já os outros 10 aminoácidos restantes não podem ser produzidos em quantidade suficiente para atender as demandas e necessidades nutricionais dos cachorros, principalmente na fase de crescimento devem então ser acrescentados a sua alimentação, por isso são chamados de essenciais. A deficiência de um aminoácido essencial prejudicará a formação da sequência de aminoácidos que estrutura a proteína, impedindo a síntese completa da mesma. A capacidade da dieta em fornecer aminoácidos em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias está diretamente relacionada às fontes proteicas utilizadas nos alimentos, aos parâmetros de digestibilidade da proteína e balanço de aminoácidos presente na composição estrutural das mesmas. A ausência ou a ingestão inadequada de qualquer um desses aminoácidos resulta em perda de peso e falhas no crescimento. 

E a necessidades de aminoácidos apesar de serem imprencindiveis na fase de crescimento ocorrem em todas as fases da vida dos cachorros, por isso devem estar presentes na alimentação e serem utilizados não somente por cachorros em fase de crescimento, mas tambem por cachorros adultos, cadelas em gestação e lactação e cachorros idosos. O que muda nessas fases é a quantidade necessária de aminoácidos, que pode ser atendida de forma adequada seguindo-se as recomendações do veterinário. O organismo tem capacidade de sintetizar novas proteínas a partir de aminoácidos, desde que todos os aminoácidos necessários estejam disponíveis nas células,  na realidade o organismo não tem uma necessidade específica de proteínas, o que existe é uma necessidade de aminoácidos e nitrogénio, que são os componentes unitários das proteínas. E as proteínas são a principal fonte de nitrogénio do organismo, pois o nitrogénio é essencial para a síntese dos aminoácidos não essenciais e outras moléculas necessárias ao funcionamento do organismo. 

Outra função importante das proteínas na alimentação é dar sabor as mesmas, normalmente quando a quantidade de proteínas é aumentada, aumenta a palatibilidade e a aceitação do alimento. O grau a partir do qual o cachorro é capaz de usar as proteínas da dieta como fonte de aminoácidos e nitrogénio é influenciado pela digestibilidade e pela qualidade da proteína incluída na alimentação. As proteínas que têm uma digestibilidade elevada e contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas relativamente às suas necessidades, são consideradas proteínas de alta qualidade, e quanto maior a qualidade das proteínas na alimentação, menor a quantidade que o cachorro necessita para suprir as suas necessidades de aminoácidos essenciais.

Aminoácidos Não Essenciais – alanina, aspargina, aspartato, cisteína,
glutamato, glutamina, glicina, hidrolisina, hidroxiprolina, prolina,
serina, tirosina.

Aminoácidos Essenciais – arginina, histidina, isoleucina, leucina,
lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, trionina, valina.

As proteínas de origem animal são as que apresentam proteínas de alta qualidade, e por serem facilmente digeridas pelos cachorros maior e o seu valor. A inclusão de subprodutos como o milho e a soja diminuem a qualidade da proteína, uma vez que muitos destes produtos não são digeridos pelos cachorros, e não tendo portanto qualquer valor nutricional. O milho frequentemente encontrado nas rações é deficiente em lisina e triptofano que são aminoácidos essenciais e devido a isto não e considerado um produto com proteínas de elevada qualidade. Outro vegetal muito encontrado nas rações é a soja, a soja por não ser digerida no intestino dos cachorros pode provocar flatulência e diarreias, porque as bactérias do intestino ao digerirem os açucares da soja produzem gás e aumentam a absorção de água. Por outro lado a soja crua, contém fitatos que diminuem a absorção de outros nutrientes. Não utilize suplementos alimentares (aminoacidos) na alimentação de seu cachorro, sem a prescrição e  acompanhamento veterinario. 

Catalizam as Reações Metabólicas - Cachorros.


Catalizam as Reações Metabólicas - Cachorros:  As proteínas possuem numerosas funções, formam as enzimas que catalisam as reações metabólicas digestivas e a assimilação de nutrientes, os hormônios que controlam os sistemas orgânicos e os anticorpos relacionados com o sistema imunológico. Além de serem componentes estruturais na formação e constituição dos tecidos musculares, tecidos conjuntivos, tendões, ligamentos, cartilagens e tambem do sistema  esquelético. As proteínas de alto valor biológico tem como caracteristica uma fácil digestibilidade e um balanço adequado de aminoácidos devendo conter todos os aminoácidos essenciais, garantindo todas as necessidades nutricionais e um bom funcionamento do organismo. As proteínas são formadas por 22 aminoácidos, e se a alimentação  fornecida ao cachorro tiver uma quantidade adequada de nitrogénio, os cachorros são capazes de produzir 12 aminoacidos, que são os aminoácidos não essenciais que podem ser fornecidos através da alimentação ou sintetizados no organismo. 

Já os outros 10 aminoácidos restantes não podem ser produzidos em quantidade suficiente para atender as demandas e necessidades nutricionais dos cachorros, principalmente na fase de crescimento devem então ser acrescentados a sua alimentação, por isso são chamados de essenciais. A deficiência de um aminoácido essencial prejudicará a formação da sequência de aminoácidos que estrutura a proteína, impedindo a síntese completa da mesma. A capacidade da dieta em fornecer aminoácidos em quantidades adequadas para atender as necessidades diárias está diretamente relacionada às fontes proteicas utilizadas nos alimentos, aos parâmetros de digestibilidade da proteína e balanço de aminoácidos presente na composição estrutural das mesmas. A ausência ou a ingestão inadequada de qualquer um desses aminoácidos resulta em perda de peso e falhas no crescimento. 

E a necessidades de aminoácidos apesar de serem imprencindiveis na fase de crescimento ocorrem em todas as fases da vida dos cachorros, por isso devem estar presentes na alimentação e serem utilizados não somente por cachorros em fase de crescimento, mas tambem por cachorros adultos, cadelas em gestação e lactação e cachorros idosos. O que muda nessas fases é a quantidade necessária de aminoácidos, que pode ser atendida de forma adequada seguindo-se as recomendações do veterinário. O organismo tem capacidade de sintetizar novas proteínas a partir de aminoácidos, desde que todos os aminoácidos necessários estejam disponíveis nas células,  na realidade o organismo não tem uma necessidade específica de proteínas, o que existe é uma necessidade de aminoácidos e nitrogénio, que são os componentes unitários das proteínas. E as proteínas são a principal fonte de nitrogénio do organismo, pois o nitrogénio é essencial para a síntese dos aminoácidos não essenciais e outras moléculas necessárias ao funcionamento do organismo. 

Outra função importante das proteínas na alimentação é dar sabor as mesmas, normalmente quando a quantidade de proteínas é aumentada, aumenta a palatibilidade e a aceitação do alimento. O grau a partir do qual o cachorro é capaz de usar as proteínas da dieta como fonte de aminoácidos e nitrogénio é influenciado pela digestibilidade e pela qualidade da proteína incluída na alimentação. As proteínas que têm uma digestibilidade elevada e contêm todos os aminoácidos essenciais nas proporções adequadas relativamente às suas necessidades, são consideradas proteínas de alta qualidade, e quanto maior a qualidade das proteínas na alimentação, menor a quantidade que o cachorro necessita para suprir as suas necessidades de aminoácidos essenciais.

Aminoácidos Não Essenciais – alanina, aspargina, aspartato, cisteína,
glutamato, glutamina, glicina, hidrolisina, hidroxiprolina, prolina,
serina, tirosina.

Aminoácidos Essenciais – arginina, histidina, isoleucina, leucina,
lisina, metionina, fenilalanina, triptofano, trionina, valina.

As proteínas de origem animal são as que apresentam proteínas de alta qualidade, e por serem facilmente digeridas pelos cachorros maior e o seu valor. A inclusão de subprodutos como o milho e a soja diminuem a qualidade da proteína, uma vez que muitos destes produtos não são digeridos pelos cachorros, e não tendo portanto qualquer valor nutricional. O milho frequentemente encontrado nas rações é deficiente em lisina e triptofano que são aminoácidos essenciais e devido a isto não e considerado um produto com proteínas de elevada qualidade. Outro vegetal muito encontrado nas rações é a soja, a soja por não ser digerida no intestino dos cachorros pode provocar flatulência e diarreias, porque as bactérias do intestino ao digerirem os açucares da soja produzem gás e aumentam a absorção de água. Por outro lado a soja crua, contém fitatos que diminuem a absorção de outros nutrientes. Não utilize suplementos alimentares (aminoacidos) na alimentação de seu cachorro, sem a prescrição e  acompanhamento veterinario. 

COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado

.COMO ACABAR COM AS PULGAS!