.

segunda-feira, abril 14, 2014

Escovação Regular dos Dentes - Cachorros.


Escovação Regular dos Dentes - Cachorros:  A placa bacteriana é o principal fator causador de doênças periodontais, sendo a placa bacteriana definida como um material resultante da colonização e crescimento de microorganismos sobre a superficie dos dentes. E que apresentam uma estrutura especifica variavel e em constante crescimento composta pela proliferação de numerosas especies de bacterias como a streptococcus sp e a actinomyces e produtos do metabolismo bacteriano, substancias da saliva e residuos alimentares constituidos em sua maioria por glicoproteinas. Ou seja a placa bacteriana e uma substancia aderente que possui uma estrutura variavel e resistente que fixa-se fortemente na superficie dos dentes. Sua presença desencadeia a formação de tartaro, gengivite e doenças periodentais. 

A incidência de placa bacteriana em cachorros e maior na faixa etaria ate 2 e acima dos 6 anos, e os dentes incisivos são os que tem menor ocorrência de placa bacteriana, sendo os caninos e molares os mais afetados. Os cachorros de raças pequenas são acometidos mais frequentemente e tambem de forma mais grave e a gravidade das doenças periodontais esta relacionada principalmente com a quantidade de placa bacteriana presente nos dentes. A falta de higienização bucal e uma alimentação inadequada que facilita o acumulo de residuos são as principais causas da proliferação de bactérias que criam as placas bacterianas e o acúmulo de tártaro. 

E que o tártaro acumulado nos dentes dos cachorros contem varias bacterias e causam infecções que podem alcançar e se desenvolver em varios orgões como o coração, o fígado, os rins, o trato intestinal e até as articulações, se propagando através da corrente sangüínea dos dentes infectados na boca para estes órgãos. Atualmente existem varias formas de se prevenir e evitar a incidência da placa bacteriana, que e atraves da higienização bucal com uma escovação regular dos dentes com escovas e pastas especialmente formuladas para cachorros. Pois creme dental humano contém substâncias nocivas aos cachorros, podendo causar problemas estomacais e até intoxicação. 

A escovação diária é a melhor forma de se previnir o acúmulo de tártaros e conseqüente doenças periodontais. Sintomas como mal hálito, gengivite, sangramento e retração gengival, presença de tártaro, dentes com mobilidade ou ausentes, dor ao abrir a boca, perda de apetite, dificuldade em prender e mastigar os alimentos são fatores que indicam a necessidade de um auxilio veterinário. E o procedimento basico para a retirada da placa bacteriana é feita com uma limpeza atraves de um aparelho de ultra-som, com o qual se remove todas as placas com segurança através de vibrações. Deve-se então ao observar-se a ocorrência destes sintomas bucais no cachorro, procurar imediatemente o auxilio de um veterinario.

Mal Hálito, Gengivite, Sangramento e Retração Gengival - Cachorros.


Mal Hálito, Gengivite, Sangramento e Retração Gengival - Cachorros:  A placa bacteriana é o principal fator causador de doênças periodontais, sendo a placa bacteriana definida como um material resultante da colonização e crescimento de microorganismos sobre a superficie dos dentes. E que apresentam uma estrutura especifica variavel e em constante crescimento composta pela proliferação de numerosas especies de bacterias como a streptococcus sp e a actinomyces e produtos do metabolismo bacteriano, substancias da saliva e residuos alimentares constituidos em sua maioria por glicoproteinas. Ou seja a placa bacteriana e uma substancia aderente que possui uma estrutura variavel e resistente que fixa-se fortemente na superficie dos dentes. Sua presença desencadeia a formação de tartaro, gengivite e doenças periodentais. 

A incidência de placa bacteriana em cachorros e maior na faixa etaria ate 2 e acima dos 6 anos, e os dentes incisivos são os que tem menor ocorrência de placa bacteriana, sendo os caninos e molares os mais afetados. Os cachorros de raças pequenas são acometidos mais frequentemente e tambem de forma mais grave e a gravidade das doenças periodontais esta relacionada principalmente com a quantidade de placa bacteriana presente nos dentes. A falta de higienização bucal e uma alimentação inadequada que facilita o acumulo de residuos são as principais causas da proliferação de bactérias que criam as placas bacterianas e o acúmulo de tártaro. 

E que o tártaro acumulado nos dentes dos cachorros contem varias bacterias e causam infecções que podem alcançar e se desenvolver em varios orgões como o coração, o fígado, os rins, o trato intestinal e até as articulações, se propagando através da corrente sangüínea dos dentes infectados na boca para estes órgãos. Atualmente existem varias formas de se prevenir e evitar a incidência da placa bacteriana, que e atraves da higienização bucal com uma escovação regular dos dentes com escovas e pastas especialmente formuladas para cachorros. Pois creme dental humano contém substâncias nocivas aos cachorros, podendo causar problemas estomacais e até intoxicação. 

A escovação diária é a melhor forma de se previnir o acúmulo de tártaros e conseqüente doenças periodontais. Sintomas como mal hálito, gengivite, sangramento e retração gengival, presença de tártaro, dentes com mobilidade ou ausentes, dor ao abrir a boca, perda de apetite, dificuldade em prender e mastigar os alimentos são fatores que indicam a necessidade de um auxilio veterinário. E o procedimento basico para a retirada da placa bacteriana é feita com uma limpeza atraves de um aparelho de ultra-som, com o qual se remove todas as placas com segurança através de vibrações. Deve-se então ao observar-se a ocorrência destes sintomas bucais no cachorro, procurar imediatemente o auxilio de um veterinario.

Limpeza através de um Aparelho de Ultra-Som - Cachorros.


Limpeza através de um Aparelho de Ultra-Som - Cachorros:  A placa bacteriana é o principal fator causador de doênças periodontais, sendo a placa bacteriana definida como um material resultante da colonização e crescimento de microorganismos sobre a superficie dos dentes. E que apresentam uma estrutura especifica variavel e em constante crescimento composta pela proliferação de numerosas especies de bacterias como a streptococcus sp e a actinomyces e produtos do metabolismo bacteriano, substancias da saliva e residuos alimentares constituidos em sua maioria por glicoproteinas. Ou seja a placa bacteriana e uma substancia aderente que possui uma estrutura variavel e resistente que fixa-se fortemente na superficie dos dentes. Sua presença desencadeia a formação de tartaro, gengivite e doenças periodentais. 

A incidência de placa bacteriana em cachorros e maior na faixa etaria ate 2 e acima dos 6 anos, e os dentes incisivos são os que tem menor ocorrência de placa bacteriana, sendo os caninos e molares os mais afetados. Os cachorros de raças pequenas são acometidos mais frequentemente e tambem de forma mais grave e a gravidade das doenças periodontais esta relacionada principalmente com a quantidade de placa bacteriana presente nos dentes. A falta de higienização bucal e uma alimentação inadequada que facilita o acumulo de residuos são as principais causas da proliferação de bactérias que criam as placas bacterianas e o acúmulo de tártaro. 

E que o tártaro acumulado nos dentes dos cachorros contem varias bacterias e causam infecções que podem alcançar e se desenvolver em varios orgões como o coração, o fígado, os rins, o trato intestinal e até as articulações, se propagando através da corrente sangüínea dos dentes infectados na boca para estes órgãos. Atualmente existem varias formas de se prevenir e evitar a incidência da placa bacteriana, que e atraves da higienização bucal com uma escovação regular dos dentes com escovas e pastas especialmente formuladas para cachorros. Pois creme dental humano contém substâncias nocivas aos cachorros, podendo causar problemas estomacais e até intoxicação. 

A escovação diária é a melhor forma de se previnir o acúmulo de tártaros e conseqüente doenças periodontais. Sintomas como mal hálito, gengivite, sangramento e retração gengival, presença de tártaro, dentes com mobilidade ou ausentes, dor ao abrir a boca, perda de apetite, dificuldade em prender e mastigar os alimentos são fatores que indicam a necessidade de um auxilio veterinário. E o procedimento basico para a retirada da placa bacteriana é feita com uma limpeza através de um aparelho de ultra-som, com o qual se remove todas as placas com segurança através de vibrações. Deve-se então ao observar-se a ocorrência destes sintomas bucais no cachorro, procurar imediatemente o auxilio de um veterinario.

Prevenir e Evitar - Cachorros.


Prevenir e Evitar - Cachorros:  A placa bacteriana é o principal fator causador de doênças periodontais, sendo a placa bacteriana definida como um material resultante da colonização e crescimento de microorganismos sobre a superficie dos dentes. E que apresentam uma estrutura especifica variavel e em constante crescimento composta pela proliferação de numerosas especies de bacterias como a streptococcus sp e a actinomyces e produtos do metabolismo bacteriano, substancias da saliva e residuos alimentares constituidos em sua maioria por glicoproteinas. Ou seja a placa bacteriana e uma substancia aderente que possui uma estrutura variavel e resistente que fixa-se fortemente na superficie dos dentes. Sua presença desencadeia a formação de tartaro, gengivite e doenças periodentais. 

A incidência de placa bacteriana em cachorros e maior na faixa etaria ate 2 e acima dos 6 anos, e os dentes incisivos são os que tem menor ocorrência de placa bacteriana, sendo os caninos e molares os mais afetados. Os cachorros de raças pequenas são acometidos mais frequentemente e tambem de forma mais grave e a gravidade das doenças periodontais esta relacionada principalmente com a quantidade de placa bacteriana presente nos dentes. A falta de higienização bucal e uma alimentação inadequada que facilita o acumulo de residuos são as principais causas da proliferação de bactérias que criam as placas bacterianas e o acúmulo de tártaro. 

E que o tártaro acumulado nos dentes dos cachorros contem varias bacterias e causam infecções que podem alcançar e se desenvolver em varios orgões como o coração, o fígado, os rins, o trato intestinal e até as articulações, se propagando através da corrente sangüínea dos dentes infectados na boca para estes órgãos. Atualmente existem varias formas de se prevenir e evitar a incidência da placa bacteriana, que e atraves da higienização bucal com uma escovação regular dos dentes com escovas e pastas especialmente formuladas para cachorros. Pois creme dental humano contém substâncias nocivas aos cachorros, podendo causar problemas estomacais e até intoxicação. 

A escovação diária é a melhor forma de se prevenir o acúmulo de tártaros e conseqüente doenças periodontais. Sintomas como mal hálito, gengivite, sangramento e retração gengival, presença de tártaro, dentes com mobilidade ou ausentes, dor ao abrir a boca, perda de apetite, dificuldade em prender e mastigar os alimentos são fatores que indicam a necessidade de um auxilio veterinário. E o procedimento basico para a retirada da placa bacteriana é feita com uma limpeza atraves de um aparelho de ultra-som, com o qual se remove todas as placas com segurança através de vibrações. Deve-se então ao observar-se a ocorrência destes sintomas bucais no cachorro, procurar imediatemente o auxilio de um veterinario.

Falta de Uma Higienização Bucal e uma Alimentação Inadequada - Cachorros.


Falta de Uma Higienização Bucal e uma Alimentação Inadequada - Cachorros: A placa bacteriana é o principal fator causador de doênças periodontais, sendo a placa bacteriana definida como um material resultante da colonização e crescimento de microorganismos sobre a superficie dos dentes. E que apresentam uma estrutura especifica variavel e em constante crescimento composta pela proliferação de numerosas especies de bacterias como a streptococcus sp e a actinomyces e produtos do metabolismo bacteriano, substancias da saliva e residuos alimentares constituidos em sua maioria por glicoproteinas. Ou seja a placa bacteriana e uma substancia aderente que possui uma estrutura variavel e resistente que fixa-se fortemente na superficie dos dentes. Sua presença desencadeia a formação de tartaro, gengivite e doenças periodentais. 

A incidência de placa bacteriana em cachorros e maior na faixa etaria ate 2 e acima dos 6 anos, e os dentes incisivos são os que tem menor ocorrência de placa bacteriana, sendo os caninos e molares os mais afetados. Os cachorros de raças pequenas são acometidos mais frequentemente e tambem de forma mais grave e a gravidade das doenças periodontais esta relacionada principalmente com a quantidade de placa bacteriana presente nos dentes. A falta de higienização bucal e uma alimentação inadequada que facilita o acumulo de residuos são as principais causas da proliferação de bactérias que criam as placas bacterianas e o acúmulo de tártaro. 

E que o tártaro acumulado nos dentes dos cachorros contem varias bacterias e causam infecções que podem alcançar e se desenvolver em varios orgões como o coração, o fígado, os rins, o trato intestinal e até as articulações, se propagando através da corrente sangüínea dos dentes infectados na boca para estes órgãos. Atualmente existem varias formas de se prevenir e evitar a incidência da placa bacteriana, que e atraves da higienização bucal com uma escovação regular dos dentes com escovas e pastas especialmente formuladas para cachorros. Pois creme dental humano contém substâncias nocivas aos cachorros, podendo causar problemas estomacais e até intoxicação. 

A escovação diária é a melhor forma de se previnir o acúmulo de tártaros e conseqüente doenças periodontais. Sintomas como mal hálito, gengivite, sangramento e retração gengival, presença de tártaro, dentes com mobilidade ou ausentes, dor ao abrir a boca, perda de apetite, dificuldade em prender e mastigar os alimentos são fatores que indicam a necessidade de um auxilio veterinário. E o procedimento basico para a retirada da placa bacteriana é feita com uma limpeza atraves de um aparelho de ultra-som, com o qual se remove todas as placas com segurança através de vibrações. Deve-se então ao observar-se a ocorrência destes sintomas bucais no cachorro, procurar imediatemente o auxilio de um veterinario.

Causam Infecções que Podem Alcançar e se Desenvolver em Vários Orgões - Cachorros.


Causam Infecções que Podem Alcançar e se Desenvolver em Vários Orgões - Cachorros:  A placa bacteriana é o principal fator causador de doênças periodontais, sendo a placa bacteriana definida como um material resultante da colonização e crescimento de microorganismos sobre a superficie dos dentes. E que apresentam uma estrutura especifica variavel e em constante crescimento composta pela proliferação de numerosas especies de bacterias como a streptococcus sp e a actinomyces e produtos do metabolismo bacteriano, substancias da saliva e residuos alimentares constituidos em sua maioria por glicoproteinas. Ou seja a placa bacteriana e uma substancia aderente que possui uma estrutura variavel e resistente que fixa-se fortemente na superficie dos dentes. Sua presença desencadeia a formação de tartaro, gengivite e doenças periodentais. 

A incidência de placa bacteriana em cachorros e maior na faixa etaria ate 2 e acima dos 6 anos, e os dentes incisivos são os que tem menor ocorrência de placa bacteriana, sendo os caninos e molares os mais afetados. Os cachorros de raças pequenas são acometidos mais frequentemente e tambem de forma mais grave e a gravidade das doenças periodontais esta relacionada principalmente com a quantidade de placa bacteriana presente nos dentes. A falta de higienização bucal e uma alimentação inadequada que facilita o acumulo de residuos são as principais causas da proliferação de bactérias que criam as placas bacterianas e o acúmulo de tártaro. 

E que o tártaro acumulado nos dentes dos cachorros contem varias bacterias e causam infecções que podem alcançar e se desenvolver em varios orgões como o coração, o fígado, os rins, o trato intestinal e até as articulações, se propagando através da corrente sangüínea dos dentes infectados na boca para estes órgãos. Atualmente existem varias formas de se prevenir e evitar a incidência da placa bacteriana, que e atraves da higienização bucal com uma escovação regular dos dentes com escovas e pastas especialmente formuladas para cachorros. Pois creme dental humano contém substâncias nocivas aos cachorros, podendo causar problemas estomacais e até intoxicação. 

A escovação diária é a melhor forma de se previnir o acúmulo de tártaros e conseqüente doenças periodontais. Sintomas como mal hálito, gengivite, sangramento e retração gengival, presença de tártaro, dentes com mobilidade ou ausentes, dor ao abrir a boca, perda de apetite, dificuldade em prender e mastigar os alimentos são fatores que indicam a necessidade de um auxilio veterinário. E o procedimento basico para a retirada da placa bacteriana é feita com uma limpeza atraves de um aparelho de ultra-som, com o qual se remove todas as placas com segurança através de vibrações. Deve-se então ao observar-se a ocorrência destes sintomas bucais no cachorro, procurar imediatemente o auxilio de um veterinario.

Dentes Incisivos são os que tem a Maior Ocorrência - Cachorros.


Dentes Incisivos são os que tem a Maior Ocorrência - Cachorros:  A placa bacteriana é o principal fator causador de doênças periodontais, sendo a placa bacteriana definida como um material resultante da colonização e crescimento de microorganismos sobre a superficie dos dentes. E que apresentam uma estrutura especifica variavel e em constante crescimento composta pela proliferação de numerosas especies de bacterias como a streptococcus sp e a actinomyces e produtos do metabolismo bacteriano, substancias da saliva e residuos alimentares constituidos em sua maioria por glicoproteinas. Ou seja a placa bacteriana e uma substancia aderente que possui uma estrutura variavel e resistente que fixa-se fortemente na superficie dos dentes. Sua presença desencadeia a formação de tartaro, gengivite e doenças periodentais. 

A incidência de placa bacteriana em cachorros e maior na faixa etaria ate 2 e acima dos 6 anos, e os dentes incisivos são os que tem menor ocorrência de placa bacteriana, sendo os caninos e molares os mais afetados. Os cachorros de raças pequenas são acometidos mais frequentemente e tambem de forma mais grave e a gravidade das doenças periodontais esta relacionada principalmente com a quantidade de placa bacteriana presente nos dentes. A falta de higienização bucal e uma alimentação inadequada que facilita o acumulo de residuos são as principais causas da proliferação de bactérias que criam as placas bacterianas e o acúmulo de tártaro. 

E que o tártaro acumulado nos dentes dos cachorros contem varias bacterias e causam infecções que podem alcançar e se desenvolver em varios orgões como o coração, o fígado, os rins, o trato intestinal e até as articulações, se propagando através da corrente sangüínea dos dentes infectados na boca para estes órgãos. Atualmente existem varias formas de se prevenir e evitar a incidência da placa bacteriana, que e atraves da higienização bucal com uma escovação regular dos dentes com escovas e pastas especialmente formuladas para cachorros. Pois creme dental humano contém substâncias nocivas aos cachorros, podendo causar problemas estomacais e até intoxicação. 

A escovação diária é a melhor forma de se previnir o acúmulo de tártaros e conseqüente doenças periodontais. Sintomas como mal hálito, gengivite, sangramento e retração gengival, presença de tártaro, dentes com mobilidade ou ausentes, dor ao abrir a boca, perda de apetite, dificuldade em prender e mastigar os alimentos são fatores que indicam a necessidade de um auxilio veterinário. E o procedimento basico para a retirada da placa bacteriana é feita com uma limpeza atraves de um aparelho de ultra-som, com o qual se remove todas as placas com segurança através de vibrações. Deve-se então ao observar-se a ocorrência destes sintomas bucais no cachorro, procurar imediatemente o auxilio de um veterinario.

Fixa-se Fortemente na Superfície dos Dentes - Cachorros.


Fixa-se Fortemente na Superfície dos Dentes - Cachorros:  A placa bacteriana é o principal fator causador de doênças periodontais, sendo a placa bacteriana definida como um material resultante da colonização e crescimento de microorganismos sobre a superficie dos dentes. E que apresentam uma estrutura especifica variavel e em constante crescimento composta pela proliferação de numerosas especies de bacterias como a streptococcus sp e a actinomyces e produtos do metabolismo bacteriano, substancias da saliva e residuos alimentares constituidos em sua maioria por glicoproteinas. Ou seja a placa bacteriana e uma substancia aderente que possui uma estrutura variavel e resistente que fixa-se fortemente na superficie dos dentes. Sua presença desencadeia a formação de tartaro, gengivite e doenças periodentais. 

A incidência de placa bacteriana em cachorros e maior na faixa etaria ate 2 e acima dos 6 anos, e os dentes incisivos são os que tem menor ocorrência de placa bacteriana, sendo os caninos e molares os mais afetados. Os cachorros de raças pequenas são acometidos mais frequentemente e tambem de forma mais grave e a gravidade das doenças periodontais esta relacionada principalmente com a quantidade de placa bacteriana presente nos dentes. A falta de higienização bucal e uma alimentação inadequada que facilita o acumulo de residuos são as principais causas da proliferação de bactérias que criam as placas bacterianas e o acúmulo de tártaro. 

E que o tártaro acumulado nos dentes dos cachorros contem varias bacterias e causam infecções que podem alcançar e se desenvolver em varios orgões como o coração, o fígado, os rins, o trato intestinal e até as articulações, se propagando através da corrente sangüínea dos dentes infectados na boca para estes órgãos. Atualmente existem varias formas de se prevenir e evitar a incidência da placa bacteriana, que e atraves da higienização bucal com uma escovação regular dos dentes com escovas e pastas especialmente formuladas para cachorros. Pois creme dental humano contém substâncias nocivas aos cachorros, podendo causar problemas estomacais e até intoxicação. 

A escovação diária é a melhor forma de se previnir o acúmulo de tártaros e conseqüente doenças periodontais. Sintomas como mal hálito, gengivite, sangramento e retração gengival, presença de tártaro, dentes com mobilidade ou ausentes, dor ao abrir a boca, perda de apetite, dificuldade em prender e mastigar os alimentos são fatores que indicam a necessidade de um auxilio veterinário. E o procedimento basico para a retirada da placa bacteriana é feita com uma limpeza atraves de um aparelho de ultra-som, com o qual se remove todas as placas com segurança através de vibrações. Deve-se então ao observar-se a ocorrência destes sintomas bucais no cachorro, procurar imediatemente o auxilio de um veterinario.

Proliferação de Numerosas Especies de Bactérias - Cachorros.


Proliferação de Numerosas Especies de Bactérias - Cachorros:  A placa bacteriana é o principal fator causador de doênças periodontais, sendo a placa bacteriana definida como um material resultante da colonização e crescimento de microorganismos sobre a superficie dos dentes. E que apresentam uma estrutura especifica variavel e em constante crescimento composta pela proliferação de numerosas especies de bactérias como a streptococcus sp e a actinomyces e produtos do metabolismo bacteriano, substancias da saliva e residuos alimentares constituidos em sua maioria por glicoproteinas. Ou seja a placa bacteriana e uma substancia aderente que possui uma estrutura variavel e resistente que fixa-se fortemente na superficie dos dentes. Sua presença desencadeia a formação de tartaro, gengivite e doenças periodentais. 

A incidência de placa bacteriana em cachorros e maior na faixa etaria ate 2 e acima dos 6 anos, e os dentes incisivos são os que tem menor ocorrência de placa bacteriana, sendo os caninos e molares os mais afetados. Os cachorros de raças pequenas são acometidos mais frequentemente e tambem de forma mais grave e a gravidade das doenças periodontais esta relacionada principalmente com a quantidade de placa bacteriana presente nos dentes. A falta de higienização bucal e uma alimentação inadequada que facilita o acumulo de residuos são as principais causas da proliferação de bactérias que criam as placas bacterianas e o acúmulo de tártaro. 

E que o tártaro acumulado nos dentes dos cachorros contem varias bacterias e causam infecções que podem alcançar e se desenvolver em varios orgões como o coração, o fígado, os rins, o trato intestinal e até as articulações, se propagando através da corrente sangüínea dos dentes infectados na boca para estes órgãos. Atualmente existem varias formas de se prevenir e evitar a incidência da placa bacteriana, que e atraves da higienização bucal com uma escovação regular dos dentes com escovas e pastas especialmente formuladas para cachorros. Pois creme dental humano contém substâncias nocivas aos cachorros, podendo causar problemas estomacais e até intoxicação. 

A escovação diária é a melhor forma de se previnir o acúmulo de tártaros e conseqüente doenças periodontais. Sintomas como mal hálito, gengivite, sangramento e retração gengival, presença de tártaro, dentes com mobilidade ou ausentes, dor ao abrir a boca, perda de apetite, dificuldade em prender e mastigar os alimentos são fatores que indicam a necessidade de um auxilio veterinário. E o procedimento basico para a retirada da placa bacteriana é feita com uma limpeza atraves de um aparelho de ultra-som, com o qual se remove todas as placas com segurança através de vibrações. Deve-se então ao observar-se a ocorrência destes sintomas bucais no cachorro, procurar imediatemente o auxilio de um veterinario.

Colonização e Crescimento de Micro Organismos - Cachorros.


Colonização e Crescimento de Micro Organismos - Cachorros:  A placa bacteriana é o principal fator causador de doênças periodontais, sendo a placa bacteriana definida como um material resultante da colonização e crescimento de micro organismos sobre a superficie dos dentes. E que apresentam uma estrutura especifica variavel e em constante crescimento composta pela proliferação de numerosas especies de bacterias como a streptococcus sp e a actinomyces e produtos do metabolismo bacteriano, substancias da saliva e residuos alimentares constituidos em sua maioria por glicoproteinas. Ou seja a placa bacteriana e uma substancia aderente que possui uma estrutura variavel e resistente que fixa-se fortemente na superficie dos dentes. Sua presença desencadeia a formação de tartaro, gengivite e doenças periodentais. 

A incidência de placa bacteriana em cachorros e maior na faixa etaria ate 2 e acima dos 6 anos, e os dentes incisivos são os que tem menor ocorrência de placa bacteriana, sendo os caninos e molares os mais afetados. Os cachorros de raças pequenas são acometidos mais frequentemente e tambem de forma mais grave e a gravidade das doenças periodontais esta relacionada principalmente com a quantidade de placa bacteriana presente nos dentes. A falta de higienização bucal e uma alimentação inadequada que facilita o acumulo de residuos são as principais causas da proliferação de bactérias que criam as placas bacterianas e o acúmulo de tártaro. 

E que o tártaro acumulado nos dentes dos cachorros contem varias bacterias e causam infecções que podem alcançar e se desenvolver em varios orgões como o coração, o fígado, os rins, o trato intestinal e até as articulações, se propagando através da corrente sangüínea dos dentes infectados na boca para estes órgãos. Atualmente existem varias formas de se prevenir e evitar a incidência da placa bacteriana, que e atraves da higienização bucal com uma escovação regular dos dentes com escovas e pastas especialmente formuladas para cachorros. Pois creme dental humano contém substâncias nocivas aos cachorros, podendo causar problemas estomacais e até intoxicação. 

A escovação diária é a melhor forma de se previnir o acúmulo de tártaros e conseqüente doenças periodontais. Sintomas como mal hálito, gengivite, sangramento e retração gengival, presença de tártaro, dentes com mobilidade ou ausentes, dor ao abrir a boca, perda de apetite, dificuldade em prender e mastigar os alimentos são fatores que indicam a necessidade de um auxilio veterinário. E o procedimento basico para a retirada da placa bacteriana é feita com uma limpeza atraves de um aparelho de ultra-som, com o qual se remove todas as placas com segurança através de vibrações. Deve-se então ao observar-se a ocorrência destes sintomas bucais no cachorro, procurar imediatemente o auxilio de um veterinario.

Causador de Doênças Periodentais - Cachorros.


Causador de Doênças Periodentais - Cachorros:  A placa bacteriana é o principal fator causador de doênças periodontais, sendo a placa bacteriana definida como um material resultante da colonização e crescimento de microorganismos sobre a superficie dos dentes. E que apresentam uma estrutura especifica variavel e em constante crescimento composta pela proliferação de numerosas especies de bacterias como a streptococcus sp e a actinomyces e produtos do metabolismo bacteriano, substancias da saliva e residuos alimentares constituidos em sua maioria por glicoproteinas. Ou seja a placa bacteriana e uma substancia aderente que possui uma estrutura variavel e resistente que fixa-se fortemente na superficie dos dentes. Sua presença desencadeia a formação de tartaro, gengivite e doenças periodentais. 

A incidência de placa bacteriana em cachorros e maior na faixa etaria ate 2 e acima dos 6 anos, e os dentes incisivos são os que tem menor ocorrência de placa bacteriana, sendo os caninos e molares os mais afetados. Os cachorros de raças pequenas são acometidos mais frequentemente e tambem de forma mais grave e a gravidade das doenças periodontais esta relacionada principalmente com a quantidade de placa bacteriana presente nos dentes. A falta de higienização bucal e uma alimentação inadequada que facilita o acumulo de residuos são as principais causas da proliferação de bactérias que criam as placas bacterianas e o acúmulo de tártaro. 

E que o tártaro acumulado nos dentes dos cachorros contem varias bacterias e causam infecções que podem alcançar e se desenvolver em varios orgões como o coração, o fígado, os rins, o trato intestinal e até as articulações, se propagando através da corrente sangüínea dos dentes infectados na boca para estes órgãos. Atualmente existem varias formas de se prevenir e evitar a incidência da placa bacteriana, que e atraves da higienização bucal com uma escovação regular dos dentes com escovas e pastas especialmente formuladas para cachorros. Pois creme dental humano contém substâncias nocivas aos cachorros, podendo causar problemas estomacais e até intoxicação. 

A escovação diária é a melhor forma de se previnir o acúmulo de tártaros e conseqüente doenças periodontais. Sintomas como mal hálito, gengivite, sangramento e retração gengival, presença de tártaro, dentes com mobilidade ou ausentes, dor ao abrir a boca, perda de apetite, dificuldade em prender e mastigar os alimentos são fatores que indicam a necessidade de um auxilio veterinário. E o procedimento basico para a retirada da placa bacteriana é feita com uma limpeza atraves de um aparelho de ultra-som, com o qual se remove todas as placas com segurança através de vibrações. Deve-se então ao observar-se a ocorrência destes sintomas bucais no cachorro, procurar imediatemente o auxilio de um veterinario.

Capacidade para Eliminar Vermes, Larvas e Ovos - Cachorros.


Capacidade para Eliminar Vermes, larvas e Ovos - Cachorros:  É um parasita intestinal que pertence a família das ténias solitárias, nome como são denominados vulgarmente, e tem como vetor a pulga que é a transmissora da verminose para o seu hospedeiro definitivo, que é o cachorro. E este é um verme que tem um comprimento médio entre 16 a 21 centímetros em seu estagio adulto, e possui o corpo em formato achatado e dividido em anéis ou proglodes, sendo classificados zoologicamente como Platelmintos. E por ser este um parasita heteroxeno, o estagio adulto deste parasita só se desenvolve em seu hospedeiro definitivo, pois este parasita necessita trocar de hospedeiro para atingir o seu completo desenvolvimento. Em sua fase adulta já no interior do intestino do cachorro que e o seu hospedeiro definitivo, os anéis (proglodes) que constituem seu corpo ao se desenvolverem e atingirem a parte posterior, se soltam do corpo principal levando em seu interior ovos do parasita e que são denominados de sincicio, e o Dipylidium Caninum tambem tem a sua variante, que é a Zoonose Dilipidiose.

E os sintomas apresentados pelo verminose Dipylidium Caninum, dependem do grau da infecção e da quantidade de parasitas no organismo do cachorro. E que se manifestam como anêmia com consequente perda de peso e prostração, fortes dores abdominais(cólicas), falta de apetite, irritabilidade na região do ânus(prurido), diarreia cronica e em casos de infestação intensa do parasita Dipylidium Caninum pode ate ocasionar ataques epilépticos. 

E o diagnóstico para detecção da presença do parasita Dipylidium Caninum, no organismo do cachorro com suspeitas de infecção. É feito a principio pela observação visual da existência de proglotes, e consequentemente ovos do parasita Dipylidium Caninum nas fezes ou na região próxima ao ânus do cachorro. E também através de exames microscopicos, que são mais precisos para a confirmação da presença de proglotes e ovos nas fezes do cachorro.     

E o tratamento da verminose causada pelo parasita Dipylidium Caninum, é feito com a utilização de medicamentos do tipo vermifugos e anti-helmintico, geralmente de uso oral, e com grande capacidade para eliminar vermes, larvas e ovos. E são diversos o principio ativo destes medicamentos, que utilizam substancias como Albendezol, Prazicantel, Cambedazol, Febantel. Entretanto, somente utilize medicamentos com acompanhamento e prescrição veterinária.

Ploglotes e Ovos nas Fezes do Cachorro.


Ploglotes e Ovos nas Fezes do Cachorro:  É um parasita intestinal que pertence a família das ténias solitárias, nome como são denominados vulgarmente, e tem como vetor a pulga que é a transmissora da verminose para o seu hospedeiro definitivo, que é o cachorro. E este é um verme que tem um comprimento médio entre 16 a 21 centímetros em seu estagio adulto, e possui o corpo em formato achatado e dividido em anéis ou proglodes, sendo classificados zoologicamente como Platelmintos. E por ser este um parasita heteroxeno, o estagio adulto deste parasita só se desenvolve em seu hospedeiro definitivo, pois este parasita necessita trocar de hospedeiro para atingir o seu completo desenvolvimento. Em sua fase adulta já no interior do intestino do cachorro que e o seu hospedeiro definitivo, os anéis (proglodes) que constituem seu corpo ao se desenvolverem e atingirem a parte posterior, se soltam do corpo principal levando em seu interior ovos do parasita e que são denominados de sincicio, e o Dipylidium Caninum tambem tem a sua variante, que é a Zoonose Dilipidiose.

E os sintomas apresentados pelo verminose Dipylidium Caninum, dependem do grau da infecção e da quantidade de parasitas no organismo do cachorro. E que se manifestam como anêmia com consequente perda de peso e prostração, fortes dores abdominais(cólicas), falta de apetite, irritabilidade na região do ânus(prurido), diarreia cronica e em casos de infestação intensa do parasita Dipylidium Caninum pode ate ocasionar ataques epilépticos. 

E o diagnóstico para detecção da presença do parasita Dipylidium Caninum, no organismo do cachorro com suspeitas de infecção. É feito a principio pela observação visual da existência de proglotes, e consequentemente ovos do parasita Dipylidium Caninum nas fezes ou na região próxima ao ânus do cachorro. E também através de exames microscopicos, que são mais precisos para a confirmação da presença de proglotes e ovos nas fezes do cachorro.     

E o tratamento da verminose causada pelo parasita Dipylidium Caninum, é feito com a utilização de medicamentos do tipo vermifugos e anti-helmintico, geralmente de uso oral, e com grande capacidade para eliminar vermes, larvas e ovos. E são diversos o principio ativo destes medicamentos, que utilizam substancias como Albendezol, Prazicantel, Cambedazol, Febantel. Entretanto, somente utilize medicamentos com acompanhamento e prescrição veterinária.

Pode até Ocasionar Ataques Epilépticos - Cachorros.


Pode até Ocasionar Ataques Epilépticos - Cachorros:  É um parasita intestinal que pertence a família das ténias solitárias, nome como são denominados vulgarmente, e tem como vetor a pulga que é a transmissora da verminose para o seu hospedeiro definitivo, que é o cachorro. E este é um verme que tem um comprimento médio entre 16 a 21 centímetros em seu estagio adulto, e possui o corpo em formato achatado e dividido em anéis ou proglodes, sendo classificados zoologicamente como Platelmintos. E por ser este um parasita heteroxeno, o estagio adulto deste parasita só se desenvolve em seu hospedeiro definitivo, pois este parasita necessita trocar de hospedeiro para atingir o seu completo desenvolvimento. Em sua fase adulta já no interior do intestino do cachorro que e o seu hospedeiro definitivo, os anéis (proglodes) que constituem seu corpo ao se desenvolverem e atingirem a parte posterior, se soltam do corpo principal levando em seu interior ovos do parasita e que são denominados de sincicio, e o Dipylidium Caninum tambem tem a sua variante, que é a Zoonose Dilipidiose.

E os sintomas apresentados pelo verminose Dipylidium Caninum, dependem do grau da infecção e da quantidade de parasitas no organismo do cachorro. E que se manifestam como anêmia com consequente perda de peso e prostração, fortes dores abdominais(cólicas), falta de apetite, irritabilidade na região do ânus(prurido), diarreia cronica e em casos de infestação intensa do parasita Dipylidium Caninum pode ate ocasionar ataques epilépticos. 

E o diagnóstico para detecção da presença do parasita Dipylidium Caninum, no organismo do cachorro com suspeitas de infecção. É feito a principio pela observação visual da existência de proglotes, e consequentemente ovos do parasita Dipylidium Caninum nas fezes ou na região próxima ao ânus do cachorro. E também através de exames microscopicos, que são mais precisos para a confirmação da presença de proglotes e ovos nas fezes do cachorro.     

E o tratamento da verminose causada pelo parasita Dipylidium Caninum, é feito com a utilização de medicamentos do tipo vermifugos e anti-helmintico, geralmente de uso oral, e com grande capacidade para eliminar vermes, larvas e ovos. E são diversos o principio ativo destes medicamentos, que utilizam substancias como Albendezol, Prazicantel, Cambedazol, Febantel. Entretanto, somente utilize medicamentos com acompanhamento e prescrição veterinária.

Irritabilidade na região do Anus - Cachorros.


Irritabilidade na Região do Anus - Cachorros:  É um parasita intestinal que pertence a família das ténias solitárias, nome como são denominados vulgarmente, e tem como vetor a pulga que é a transmissora da verminose para o seu hospedeiro definitivo, que é o cachorro. E este é um verme que tem um comprimento médio entre 16 a 21 centímetros em seu estagio adulto, e possui o corpo em formato achatado e dividido em anéis ou proglodes, sendo classificados zoologicamente como Platelmintos. E por ser este um parasita heteroxeno, o estagio adulto deste parasita só se desenvolve em seu hospedeiro definitivo, pois este parasita necessita trocar de hospedeiro para atingir o seu completo desenvolvimento. Em sua fase adulta já no interior do intestino do cachorro que e o seu hospedeiro definitivo, os anéis (proglodes) que constituem seu corpo ao se desenvolverem e atingirem a parte posterior, se soltam do corpo principal levando em seu interior ovos do parasita e que são denominados de sincicio, e o Dipylidium Caninum tambem tem a sua variante, que é a Zoonose Dilipidiose.

E os sintomas apresentados pelo verminose Dipylidium Caninum, dependem do grau da infecção e da quantidade de parasitas no organismo do cachorro. E que se manifestam como anêmia com consequente perda de peso e prostração, fortes dores abdominais(cólicas), falta de apetite, irritabilidade na região do ânus(prurido), diarreia cronica e em casos de infestação intensa do parasita Dipylidium Caninum pode ate ocasionar ataques epilépticos. 

E o diagnóstico para detecção da presença do parasita Dipylidium Caninum, no organismo do cachorro com suspeitas de infecção. É feito a principio pela observação visual da existência de proglotes, e consequentemente ovos do parasita Dipylidium Caninum nas fezes ou na região próxima ao ânus do cachorro. E também através de exames microscopicos, que são mais precisos para a confirmação da presença de proglotes e ovos nas fezes do cachorro.     

E o tratamento da verminose causada pelo parasita Dipylidium Caninum, é feito com a utilização de medicamentos do tipo vermifugos e anti-helmintico, geralmente de uso oral, e com grande capacidade para eliminar vermes, larvas e ovos. E são diversos o principio ativo destes medicamentos, que utilizam substancias como Albendezol, Prazicantel, Cambedazol, Febantel. Entretanto, somente utilize medicamentos com acompanhamento e prescrição veterinária.

Fortes Dores Abdominais(Cólicas) - Cachorros.


Fortes Dores Abdominais(Cólicas) - Cachorros:  É um parasita intestinal que pertence a família das ténias solitárias, nome como são denominados vulgarmente, e tem como vetor a pulga que é a transmissora da verminose para o seu hospedeiro definitivo, que é o cachorro. E este é um verme que tem um comprimento médio entre 16 a 21 centímetros em seu estagio adulto, e possui o corpo em formato achatado e dividido em anéis ou proglodes, sendo classificados zoologicamente como Platelmintos. E por ser este um parasita heteroxeno, o estagio adulto deste parasita só se desenvolve em seu hospedeiro definitivo, pois este parasita necessita trocar de hospedeiro para atingir o seu completo desenvolvimento. Em sua fase adulta já no interior do intestino do cachorro que e o seu hospedeiro definitivo, os anéis (proglodes) que constituem seu corpo ao se desenvolverem e atingirem a parte posterior, se soltam do corpo principal levando em seu interior ovos do parasita e que são denominados de sincicio, e o Dipylidium Caninum tambem tem a sua variante, que é a Zoonose Dilipidiose.


E os sintomas apresentados pelo verminose Dipylidium Caninum, dependem do grau da infecção e da quantidade de parasitas no organismo do cachorro. E que se manifestam como anêmia com consequente perda de peso e prostração, fortes dores abdominais(cólicas), falta de apetite, irritabilidade na região do ânus(prurido), diarreia cronica e em casos de infestação intensa do parasita Dipylidium Caninum pode ate ocasionar ataques epilépticos. 

E o diagnóstico para detecção da presença do parasita Dipylidium Caninum, no organismo do cachorro com suspeitas de infecção. É feito a principio pela observação visual da existência de proglotes, e consequentemente ovos do parasita Dipylidium Caninum nas fezes ou na região próxima ao ânus do cachorro. E também através de exames microscopicos, que são mais precisos para a confirmação da presença de proglotes e ovos nas fezes do cachorro.     

E o tratamento da verminose causada pelo parasita Dipylidium Caninum, é feito com a utilização de medicamentos do tipo vermifugos e anti-helmintico, geralmente de uso oral, e com grande capacidade para eliminar vermes, larvas e ovos. E são diversos o principio ativo destes medicamentos, que utilizam substancias como Albendezol, Prazicantel, Cambedazol, Febantel. Entretanto, somente utilize medicamentos com acompanhamento e prescrição veterinária.


Sincicio - Cachorros.


Sincicio - Cachorros:  É um parasita intestinal que pertence a família das ténias solitárias, nome como são denominados vulgarmente, e tem como vetor a pulga que é a transmissora da verminose para o seu hospedeiro definitivo, que é o cachorro. E este é um verme que tem um comprimento médio entre 16 a 21 centímetros em seu estagio adulto, e possui o corpo em formato achatado e dividido em anéis ou proglodes, sendo classificados zoologicamente como Platelmintos. E por ser este um parasita heteroxeno, o estagio adulto deste parasita só se desenvolve em seu hospedeiro definitivo, pois este parasita necessita trocar de hospedeiro para atingir o seu completo desenvolvimento. Em sua fase adulta já no interior do intestino do cachorro que e o seu hospedeiro definitivo, os anéis (proglodes) que constituem seu corpo ao se desenvolverem e atingirem a parte posterior, se soltam do corpo principal levando em seu interior ovos do parasita e que são denominados de sincicio, e o Dipylidium Caninum tambem tem a sua variante, que é a Zoonose Dilipidiose.

E os sintomas apresentados pelo verminose Dipylidium Caninum, dependem do grau da infecção e da quantidade de parasitas no organismo do cachorro. E que se manifestam como anêmia com consequente perda de peso e prostração, fortes dores abdominais(cólicas), falta de apetite, irritabilidade na região do ânus(prurido), diarreia cronica e em casos de infestação intensa do parasita Dipylidium Caninum pode ate ocasionar ataques epilépticos. 

E o diagnóstico para detecção da presença do parasita Dipylidium Caninum, no organismo do cachorro com suspeitas de infecção. É feito a principio pela observação visual da existência de proglotes, e consequentemente ovos do parasita Dipylidium Caninum nas fezes ou na região próxima ao ânus do cachorro. E também através de exames microscopicos, que são mais precisos para a confirmação da presença de proglotes e ovos nas fezes do cachorro.     

E o tratamento da verminose causada pelo parasita Dipylidium Caninum, é feito com a utilização de medicamentos do tipo vermifugos e anti-helmintico, geralmente de uso oral, e com grande capacidade para eliminar vermes, larvas e ovos. E são diversos o principio ativo destes medicamentos, que utilizam substancias como Albendezol, Prazicantel, Cambedazol, Febantel. Entretanto, somente utilize medicamentos com acompanhamento e prescrição veterinária.

Grau da Infecção e da Quantidade de Parasitas - Cachorros.


Grau da Infecção e da Quantidade de Parasitas - Cachorros:  É um parasita intestinal que pertence a família das ténias solitárias, nome como são denominados vulgarmente, e tem como vetor a pulga que é a transmissora da verminose para o seu hospedeiro definitivo, que é o cachorro. E este é um verme que tem um comprimento médio entre 16 a 21 centímetros em seu estagio adulto, e possui o corpo em formato achatado e dividido em anéis ou proglodes, sendo classificados zoologicamente como Platelmintos. E por ser este um parasita heteroxeno, o estagio adulto deste parasita só se desenvolve em seu hospedeiro definitivo, pois este parasita necessita trocar de hospedeiro para atingir o seu completo desenvolvimento. Em sua fase adulta já no interior do intestino do cachorro que e o seu hospedeiro definitivo, os anéis (proglodes) que constituem seu corpo ao se desenvolverem e atingirem a parte posterior, se soltam do corpo principal levando em seu interior ovos do parasita e que são denominados de sincicio, e o Dipylidium Caninum tambem tem a sua variante, que é a Zoonose Dilipidiose.

E os sintomas apresentados pelo verminose Dipylidium Caninum, dependem do grau da infecção e da quantidade de parasitas no organismo do cachorro. E que se manifestam como anêmia com consequente perda de peso e prostração, fortes dores abdominais(cólicas), falta de apetite, irritabilidade na região do ânus(prurido), diarreia cronica e em casos de infestação intensa do parasita Dipylidium Caninum pode ate ocasionar ataques epilépticos. 

E o diagnóstico para detecção da presença do parasita Dipylidium Caninum, no organismo do cachorro com suspeitas de infecção. É feito a principio pela observação visual da existência de proglotes, e consequentemente ovos do parasita Dipylidium Caninum nas fezes ou na região próxima ao ânus do cachorro. E também através de exames microscopicos, que são mais precisos para a confirmação da presença de proglotes e ovos nas fezes do cachorro.     

E o tratamento da verminose causada pelo parasita Dipylidium Caninum, é feito com a utilização de medicamentos do tipo vermifugos e anti-helmintico, geralmente de uso oral, e com grande capacidade para eliminar vermes, larvas e ovos. E são diversos o principio ativo destes medicamentos, que utilizam substancias como Albendezol, Prazicantel, Cambedazol, Febantel. Entretanto, somente utilize medicamentos com acompanhamento e prescrição veterinária.

Interior do Intestino do Cachorro.


Interior do Intestino do Cachorro:  É um parasita intestinal que pertence a família das ténias solitárias, nome como são denominados vulgarmente, e tem como vetor a pulga que é a transmissora da verminose para o seu hospedeiro definitivo, que é o cachorro. E este é um verme que tem um comprimento médio entre 16 a 21 centímetros em seu estagio adulto, e possui o corpo em formato achatado e dividido em anéis ou proglodes, sendo classificados zoologicamente como Platelmintos. E por ser este um parasita heteroxeno, o estagio adulto deste parasita só se desenvolve em seu hospedeiro definitivo, pois este parasita necessita trocar de hospedeiro para atingir o seu completo desenvolvimento. Em sua fase adulta já no interior do intestino do cachorro que e o seu hospedeiro definitivo, os anéis (proglodes) que constituem seu corpo ao se desenvolverem e atingirem a parte posterior, se soltam do corpo principal levando em seu interior ovos do parasita e que são denominados de sincicio, e o Dipylidium Caninum tambem tem a sua variante, que é a Zoonose Dilipidiose.

E os sintomas apresentados pelo verminose Dipylidium Caninum, dependem do grau da infecção e da quantidade de parasitas no organismo do cachorro. E que se manifestam como anêmia com consequente perda de peso e prostração, fortes dores abdominais(cólicas), falta de apetite, irritabilidade na região do ânus(prurido), diarreia cronica e em casos de infestação intensa do parasita Dipylidium Caninum pode ate ocasionar ataques epilépticos. 

E o diagnóstico para detecção da presença do parasita Dipylidium Caninum, no organismo do cachorro com suspeitas de infecção. É feito a principio pela observação visual da existência de proglotes, e consequentemente ovos do parasita Dipylidium Caninum nas fezes ou na região próxima ao ânus do cachorro. E também através de exames microscopicos, que são mais precisos para a confirmação da presença de proglotes e ovos nas fezes do cachorro.     

E o tratamento da verminose causada pelo parasita Dipylidium Caninum, é feito com a utilização de medicamentos do tipo vermifugos e anti-helmintico, geralmente de uso oral, e com grande capacidade para eliminar vermes, larvas e ovos. E são diversos o principio ativo destes medicamentos, que utilizam substancias como Albendezol, Prazicantel, Cambedazol, Febantel. Entretanto, somente utilize medicamentos com acompanhamento e prescrição veterinária.

Parasita Heteroxeno - Cachorros.


Parasita Heteroxeno - Cachorros:  É um parasita intestinal que pertence a família das ténias solitárias, nome como são denominados vulgarmente, e tem como vetor a pulga que é a transmissora da verminose para o seu hospedeiro definitivo, que é o cachorro. E este é um verme que tem um comprimento médio entre 16 a 21 centímetros em seu estagio adulto, e possui o corpo em formato achatado e dividido em anéis ou proglodes, sendo classificados zoologicamente como Platelmintos. E por ser este um parasita heteroxeno, o estagio adulto deste parasita só se desenvolve em seu hospedeiro definitivo, pois este parasita necessita trocar de hospedeiro para atingir o seu completo desenvolvimento. Em sua fase adulta já no interior do intestino do cachorro que e o seu hospedeiro definitivo, os anéis (proglodes) que constituem seu corpo ao se desenvolverem e atingirem a parte posterior, se soltam do corpo principal levando em seu interior ovos do parasita e que são denominados de sincicio, e o Dipylidium Caninum tambem tem a sua variante, que é a Zoonose Dilipidiose.

E os sintomas apresentados pelo verminose Dipylidium Caninum, dependem do grau da infecção e da quantidade de parasitas no organismo do cachorro. E que se manifestam como anêmia com consequente perda de peso e prostração, fortes dores abdominais(cólicas), falta de apetite, irritabilidade na região do ânus(prurido), diarreia cronica e em casos de infestação intensa do parasita Dipylidium Caninum pode ate ocasionar ataques epilépticos. 

E o diagnóstico para detecção da presença do parasita Dipylidium Caninum, no organismo do cachorro com suspeitas de infecção. É feito a principio pela observação visual da existência de proglotes, e consequentemente ovos do parasita Dipylidium Caninum nas fezes ou na região próxima ao ânus do cachorro. E também através de exames microscopicos, que são mais precisos para a confirmação da presença de proglotes e ovos nas fezes do cachorro.     

E o tratamento da verminose causada pelo parasita Dipylidium Caninum, é feito com a utilização de medicamentos do tipo vermifugos e anti-helmintico, geralmente de uso oral, e com grande capacidade para eliminar vermes, larvas e ovos. E são diversos o principio ativo destes medicamentos, que utilizam substancias como Albendezol, Prazicantel, Cambedazol, Febantel. Entretanto, somente utilize medicamentos com acompanhamento e prescrição veterinária.

Comprimento Médio entre 16 à 21 centímetros - Cachorros.


Comprimento Médio entre 16 à 21 centímetros - Cachorros:  É um parasita intestinal que pertence a família das ténias solitárias, nome como são denominados vulgarmente, e tem como vetor a pulga que é a transmissora da verminose para o seu hospedeiro definitivo, que é o cachorro. E este é um verme que tem um comprimento médio entre 16 a 21 centímetros em seu estagio adulto, e possui o corpo em formato achatado e dividido em anéis ou proglodes, sendo classificados zoologicamente como Platelmintos. E por ser este um parasita heteroxeno, o estagio adulto deste parasita só se desenvolve em seu hospedeiro definitivo, pois este parasita necessita trocar de hospedeiro para atingir o seu completo desenvolvimento. Em sua fase adulta já no interior do intestino do cachorro que e o seu hospedeiro definitivo, os anéis (proglodes) que constituem seu corpo ao se desenvolverem e atingirem a parte posterior, se soltam do corpo principal levando em seu interior ovos do parasita e que são denominados de sincicio, e o Dipylidium Caninum tambem tem a sua variante, que é a Zoonose Dilipidiose.

E os sintomas apresentados pelo verminose Dipylidium Caninum, dependem do grau da infecção e da quantidade de parasitas no organismo do cachorro. E que se manifestam como anêmia com consequente perda de peso e prostração, fortes dores abdominais(cólicas), falta de apetite, irritabilidade na região do ânus(prurido), diarreia cronica e em casos de infestação intensa do parasita Dipylidium Caninum pode ate ocasionar ataques epilépticos. 

E o diagnóstico para detecção da presença do parasita Dipylidium Caninum, no organismo do cachorro com suspeitas de infecção. É feito a principio pela observação visual da existência de proglotes, e consequentemente ovos do parasita Dipylidium Caninum nas fezes ou na região próxima ao ânus do cachorro. E também através de exames microscopicos, que são mais precisos para a confirmação da presença de proglotes e ovos nas fezes do cachorro.     

E o tratamento da verminose causada pelo parasita Dipylidium Caninum, é feito com a utilização de medicamentos do tipo vermifugos e anti-helmintico, geralmente de uso oral, e com grande capacidade para eliminar vermes, larvas e ovos. E são diversos o principio ativo destes medicamentos, que utilizam substancias como Albendezol, Prazicantel, Cambedazol, Febantel. Entretanto, somente utilize medicamentos com acompanhamento e prescrição veterinária.

COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado

.COMO ACABAR COM AS PULGAS!