domingo, junho 29, 2014

Bilirrubina no Sangue - Cachorros.


Bilirrubina no Sangue - Cachorros:  A Icterícia Canina é causada em decorrência de um acúmulo de bilirrubina no sangue dos cachorros, e cachorros com icterícia têm uma descoloração amarela dos tecidos do corpo como os olhos, gengivas e pele. A condição resulta de aumento dos níveis de bilirrubina no organismo, que é um dos subprodutos do heme, uma proteína de glóbulos vermelhos. Inclusive qualquer cachorro pode vir a desenvolver a icterícia, porem é muito raro, no entanto, observar-se a ocorrência de icterícia em filhotes. Entretanto a Icterícia geralmente não é exatamente uma doença, mas sim, um conjunto de sintoma de uma série de doenças caninas. E as suas causas podem ser desencadeadas por diversos fatores, que que podem vir a ser:

Icterícia pré-hepática - Que é causada pela hemólise dos glóbulos vermelhos, levando consequentemente o cachorro à anemia, e que pode ser originada pela presença de  toxinas, da dirofilariose, e infecções diversas, entretanto muitas outras determinantes podem vir a desencadear esta condição. Exposição a determinadas toxinas e drogas pode causar necrose das células hepáticas e disfunção hepática. Anti-apreensão de drogas, tais como fenobarbital e fenitoína acetaminofeno, sulfa tipo antibióticos e mebendazol, medicamento anti-parasitários, são alguns dos medicamentos comumente prescritos para os cachorros que podem vir a desencadear a icterícia hepática. Vários cânceres de fígado, bem como a sua metástase e sua respectiva disseminação podem tambem causar obstrução intra-hepática e consequentemente causar icterícia. Doenças inflamatórias, tais como hepatite crônica ativa e colangite, e doenças infecciosas do fígado de origem bacteriana, viral ou fúngica, muitas vezes desencadeiam a icterícia nos estágios iniciais do processo da doença. Cirrose, doença onde o tecido funcional do fígado transforma-se cicatrizes nodulares devido a uma série de graves transtornos, tambem causa icterícia hepática. Doenças congênitas de determinadas raças como Bedlington Terrier, Doberman, Pinschers e algumas outras raças relacionadas com problemas genéticos relativos a seus fígados, também podem estar associadas com icterícia hepática.

Icterícia hepática - A Icterícia hepática, ocorre quando o fígado é afetado por uma doença ou infecção que interferem com a sua capacidade e função normal, sendo que as doenças hepáticas primárias e tumores são as causas mais comuns.

Icterícia pós-hepática - A Icterícia pós-hepática, ocorre quando o duto biliar ou da vesícula biliar é obstruído ou não está funcionando corretamente, que pode ser em decorrência de um câncer, de cálculos biliares, pancreatite ou algum trauma.

Sendo que os sintomas caracteristicos da presença da icterícia nos cachorros, se manifestam com a presença de um aparente tom amarelo para o branco em seus olhos, em suas gengivas e dentro de suas orelhas, e tambem a sua urina passa a ter uma aparência escura, com uma cor amarelada quase marrom ou desbotada, devido à presença de bilirrubina na mesma, inclusive a bilirrubinúria pode aparecer antes dos demais sintomas se manifestarem, como nas membranas das mucosas da boca, nos olhos, na pele, no focinho, nas gengivas e outras partes dos tecidos do corpo do cachorro ficarem amarelados, pálidos e descoloridos, que são sinais caracteristicos da presença da icterícia.

Em geral, sinais não específicos tais como letargia, fraqueza e diminuição do apetite podem vir há ocorrer em muitos cachorros, embora alguns cachorros acometidos pela icterícia podem vir a manifesta-la de forma assintomática. E o diagnóstico da presença da icterícia é geralmente baseada na coloração amarela da pele ou membranas mucosas observado pelo veterinário no próprio exame físico. Sendo que após este diagnóstico inicial e parcial, o veterinário deverá fazer a solicitação de um hemograma completo, e exame de urina, para verificar se há presença de anemia, e tambem para uma avaliação das funções hepáticas e dos níveis de bilirrubina.

Poderá também solicitar radiografias ou uma ultra-sonografia, para poder verificar se há presença de tumores ou pedras no trato biliar. E quanto ao seu tratamento, inclusive não há um tratamento específico para a icterícia, sendo que o objetivo principal é identificar a causa da icterícia e tratá-la o mais especificamente possível. Se a icterícia é devida a hemólise excessiva, a causa da hemólise é que deve ditar o seu tratamento. E qualquer potênciais toxinas que podem vir a estar causando hemólise, devem ser identificados e imediatamente removidos, e novas exposições aos mesmos devem ser evitadas. E tambem antibióticos ou agentes anti-parasitários, podem ser necessário para causas infecciosas ou parasitárias de hemólise.

Sistema imune-suprimindo as drogas como os corticosteróides são usados para tratar imune mediada por hemólise. Transfusões de sangue podem ser necessários para tratar a anemia sintomaticamente até a sua causa seja identificada, ou para dar tempo para que outros tratamentos médicos sejam providênciados e atuem. E o tratamento, será baseado nas causas subjacentes e pode incluir antibióticos ou transfusões de sangue caso haja ocorrência de anemia, a uma terapia de apoio para doença hepática, ou se necessário realização de cirurgia para remoção de eventuais pedras no duto biliar. E a realização da biópsia hepática fornece tecidos para detecção de anormalidades microscópicas de tecidos do fígado.

Isto é tipicamente providenciado se anemia não estiver presente, e tambem não há evidências no exame de ultra-som de obstrução do ducto biliar ou doença da vesícula biliar. Porem quando o resultado do ultra-som revela obstrução, como foi dito anteriormente a cirurgia exploratória é muitas vezes necessário para identificar e corrigir a causa da obstrução. Inclusive está cirurgia também é realizada, quando a causa para a icterícia ainda permanece incerta, mesmo após os testes e procedimentos necessários para o diagnóstico já terem sido realizados. E quanto ao prognóstico, como com todos os sinais da doença, o resultado em um cachorro com icterícia depende principalmente da causa subjacente da icterícia e da resposta do cachorro ao tratamento.

Muitos veterinários costumavam pensar que a presença de icterícia em um cachorro, invariavelmente, sinalizavam a manifestação de uma doença fatal. Hoje, porém, o resultado pode ser bem mais favorável para os cachorros eventualmente acometidos, principalmente quando o tratamento é feito à tempo, e de uma forma correta e adequada. Cachorros com pré-hepática icterícia devido à hemólise pode se recuperar completamente de suas respectivas doenças, se as mesmas forem devidamente identificadas e tratados com sucesso. No entanto, a taxa de mortalidade para cachorros com insuficiência hepática pré-icterícia também pode ser bastante elevado, com muitos cachorros podendo vir a sucumbir à sua doença de base. Quando a icterícia é causada por uma doença hepática primária ou secundária, o tratamento é dirigido para o distúrbio subjacente.

Algumas doenças do fígado respondem a tratamentos específicos, enquanto a maioria só pode ser tratada de forma sintomaticamente e embasada. Tratamento da doença hepática em cachorros pode incluir a administração de fluidos, antibióticos, antiácidos, anti-inflamatórios, vitamina K, drogas para suprimir a formação de tecido cicatricial ou para influenciar o fluxo biliar e vitamina E e os suplementos de ácidos graxos. Inclusive algumas doenças do fígado se resolvem com o próprio tempo, mas muitas, como hepatite crônica e cirrose, se não forem devidamente tratadas, pode inclusive evoluir gravemente com o tempo.  E quanto a prevenção da ocorrência da icterícia, inclusive não há meios específicos de prevenção para a maioria das doenças que causam icterícia em cachorros. porem a vacinação preventiva  pode proteger contra a hepatite infecciosa causada por adenovírus, e tambem contra determinadas espécies de bactérias leptospira.











COMPARTILHE A POSTAGEM.

Visualizações de página do mês passado

.COMPRE E RECEBA EM CASA! COM TODA COMODIDADE, SEGURANÇA E RAPIDEZ.

.COMPRE E RECEBA EM CASA! COM TODA COMODIDADE, SEGURANÇA E RAPIDEZ.
.

.

.
.