.

segunda-feira, agosto 18, 2014

Cachorros - Oxigênio.


                    Cachorros - Oxigênio.


Cachorros - Oxigênio: Apesar de ainda não ser muito conhecida o seu uso em animais, a terapia hiperbárica é bastante utilizada no tratamento de humanos, e inclusive também pode ser aplicada em animais. E a sua atuação e o seu principio de funcionamento, e baseado em que todos os tecidos de um organismo vivo precisam de oxigênio. Pois durante a respiração, o ar entra pelos pulmões e é transportado para as células através do sangue. E cientificamente, conseguiu-se comprovar que quando o organismo é submetido a altas pressões, a taxa de oxigênio no sangue aumenta bastante. 

                     Cachorros - Oxigênio.



E o resultado disto é o aumento imediato da oxigenação nas células e nos tecidos do organismo, e tendo como consequencia os vários efeitos benéficos decorrentes de uma melhor oxigênação em todo o organismo. Partindo desse conceito, na terapia hiperbárica o paciente é submetido a uma pressão muito superior à pressão atmosférica, dentro de um compartimento hermetico, devidamente fechado e selado. E este compartimento hermético é pressurizado com oxigênio puro, sendo que o paciente passa a respirar 100% de oxigênio, saturando então consequentemente todo o seu sistema sanguineo com este indispensável, fundamental e benefico gás. E os efeitos da terapia hipérbarica são vários, como:

                     Cachorros - Oxigênio.



Ação antibacteriana.

Ação antitóxica.

Diminuição de edemas (inchaços).

Melhora na ação de muitos medicamentos, como antibióticos, etc..

Melhora na cicatrização.

Maior eficiência de mecanismos do sistema de defesa do organismo.

                      Cachorros - Oxigênio.



E a terapia hiperbárica, é indicada em muitos casos como auxiliar no tratamento de infecções, intoxicações, ferimentos e queimaduras extensas, complicações em pós-operatórios, enxertos ou transplantes de tecidos, anemias profundas, edema pulmonar entre outros. E durante as sessões, que duram cerca de uma hora e meia, os cachorros mais agitados recebem sedação leve, sendo feitas sessões diárias, e o tratamento pode ser repetido semanalmente, se necessário, até a completa recuperação do paciente. 

                     Cachorros - Oxigênio.



O intuito do tratamento em câmaras hiperbáricas é auxiliar e acelerar o processo de cura, no entanto, cada organismo responde de maneira diferente e a velocidade de recuperação pode variar muito de um indivíduo para outro. E tambem os efeitos adversos são bastante difíceis de ocorrer nesse tipo de terapia, e estão diretamente ligados ao tempo de exposição e a pressão utilizadas. Sendo assim, é necessário então ter um profissional habilitado, que possa avaliar cada caso individualmente, e que saiba administrar um tratamento especifico para cada caso.
                      Cachorros - Oxigênio.








Tuberculose em Cachorros.


             Tuberculose em Cachorros.


Tuberculose em Cachorros: A tuberculose é uma doença causada pela espécie Mycobacterium tuberculosis, que é um unicelular microorganismo em forma de bastonete. Este patógeno tem três variedades conhecidas: o M. tuberculosis var. avium causa a tuberculose, entre aves, o M. tuberculosis var. bovis causa tuberculose em gado, e do M. tuberculosis var. hominis causa a tuberculose entre os humanos.
Infelizmente, um tipo de tuberculose não se limita a um tipo de animal. Tuberculose gado pode infectar outros animais, como papagaios, gatos, porcos e cães. Os seres humanos também podem contrair a tuberculose do gado. Na maneira mórbida, a tuberculose humana pode induzir a doença em bovinos, papagaios, porcos e cães. E tuberculose aviária tem sido conhecido por causar estragos em suínos e ovinos. Animais de sangue frio, como jacarés, iguanas, tartarugas, sapos, peixes e cobras podem também contrair tuberculose.

            Tuberculose em Cachorros.

Os cães são imunes à tuberculose aviária, mas são muito suscetíveis a tipos humanos e bovinos. Por que devemos estar preocupados com o cão tuberculoso? Um cão com tuberculose representa um grande perigo para as pessoas, especialmente as crianças, que muitas vezes brincar com cães.
A maioria dos cães tuberculosa vão desde a idade de 1-5 anos. Mas um cão mais velho ainda pode contrair a doença. Não há nenhuma maneira distinta para dizer se um cão tem ou não tuberculose. Um cão com tuberculose aparecerá saudável enquanto vivo. Somente quando os cães morrem e seus corpos examinados vai lesões nos pulmões mostram a presença da doença. No entanto, existe a possibilidade de infecção quando o cão está em contato com uma pessoa (talvez um dos seus mestres), que tem tuberculose pulmonar ativa. Um cão também pode adquirir a doença bebendo leite de vaca contaminada é.

                Tuberculose em cachorros.

Perda de peso e tosse podem indicar a tuberculose. Mas a maneira mais confiável até o momento, para determinar a presença da doença é através do uso do teste tuberculínico. Tuberculina foi desenvolvido por Koch a partir do extrato de glicerina com o bacilo da tuberculose.
Quando um cão (ou qualquer animal ou pessoa) tem tuberculose, ela se torna altamente alérgica à substância tuberculina, Quando injetada, a pele vai imediatamente mostrar esta hipersensibilidade. Nos Estados Unidos, isso é chamado o teste de Mantoux, enquanto no Reino Unido, é conhecido como teste Heaf.
Para os cães, a substância é conhecida como a tuberculina PPD (derivado de proteína purificada). Mas quando o cão tem sarna ou em fase terminal da doença, o teste tuberculínico podem não funcionar mais. Infelizmente, um cão tuberculosa deve ser destruído para impedir a propagação da doença.

              Tuberculose em Cachorros.

Tuberculose, uma vez que facilmente controlada com antibióticos, está ressurgindo com força renovada e resistência aos antibióticos. A doença é incomum, pois passa facilmente entre seres humanos e seus animais de estimação. A tuberculose é incomum em cães, mas quando acontece pode ser devastador. É difícil de diagnosticar em cães, não tem tratamento eficaz e representa um potencial de infectar outros membros da família, especialmente crianças.
A infecção da tuberculose em cães
Infecção por tuberculose em cães é semelhante ao da doença em seres humanos. Os cães são suscetíveis à mesma estirpe da bactéria da tuberculose, que infecta os humanos, cães e seres humanos podem passar a infecção para o outro. A maioria dos cães que a tuberculose contrato são um a cinco anos de idade, embora os cães mais velhos também podem ser infectados. A tuberculose é primariamente uma doença pulmonar, mas também pode afetar o intestino.

               Tuberculose em Cachorros.

Como funcionam os cães infectados
A tuberculose é altamente contagiosa e propaga-se facilmente através do ar através da tosse. Cães também podem ser infectados com a bactéria que causa a tuberculose em vacas, se beberem leite de uma vaca contaminada. Os cães são imunes a uma cepa que infecta aves terceiro. Cães mais frequentemente infectados por contato com humanos e cães podem transmitir a infecção para outros membros da família. As crianças são especialmente vulneráveis. Porque os cães são suscetíveis à tuberculose, tenha cuidado em torno de animais de estimação se você ou um membro da família é diagnosticado com tuberculose
Sinais de Tuberculose
Um cão infectado com tuberculose podem parecer saudáveis, sem sinais óbvios de doença. Sinais de infecção são gerais e incluem tosse, depressão, perda de peso, vômitos, diarréia, aumento da sede e urina, desidratação e icterícia.

                Tuberculose em Cachorros.

Diagnóstico
A tuberculose é difícil de diagnosticar em cães. O teste de pele utilizado para o diagnóstico nas pessoas (o teste de Mantoux) pode ser usado em cães. No entanto, o teste é impreciso em cães com problemas de pele como sarna ou fase final de tuberculose, e os resultados não são confiáveis. Outros exames podem diagnosticar a infecção. Estes incluem um hemograma completo para detectar elevados de glóbulos brancos, perfis bioquímicos para determinar a função do órgão e culturas de escarro para identificar a bactéria. Radiografia de tórax pode ser feito para cães com problemas respiratórios para detecção de pneumonia, tuberculose, mas não aparece nas radiografias. A biópsia pulmonar pode fornecer um diagnóstico definitivo, no entanto, é um procedimento arriscado e deve ser feito sob anestesia. A maioria dos casos de tuberculose em cães são diagnosticados durante uma autópsia.
Tratamento


A tuberculose é uma infecção bacteriana e pode ser tratada com terapia a longo prazo de antibióticos. O sucesso não podem ser garantidos e que o tratamento é associado com toxicidade e não é recomendado. Devido ao potencial de alta para o cão para transmitir a tuberculose a outros membros da família, a maioria dos animais com tuberculose são sacrificados.

Cachorros - Corte das Unhas.




Cachorros - Corte das Unhas: As unhas dos cachorros são naturalmente desgastadas pela própria movimentação destas no piso do seu ambiente, principalmente se o piso for de cimento ou terra, ou também por passeios na rua e com o consequente atrito de suas unhas com o asfalto, calçada de cimento ou terra. Cachorros - Corte das Unhas. Cachorros - Corte das Unhas.

A exceção são os cachorros que vivem de forma sedentária, devido a estarem presos por correntes, ou os que vivem em locais que tenham piso liso como cerâmica, madeiras ou azulejos e também apartamentos. Estes cachorros devido a estas condições ambientais, onde há pouco atrito das unhas com o solo, não conseguem desgastar naturalmente as suas unhas. Cachorros - Corte das Unhas. Cachorros - Corte das Unhas.

E as unhas ao crescerem excessivamente, causam ferimentos nos cachorros e até dores com o próprio movimento natural de suas patas, sendo necessário então que se apare as mesmas, e de preferência com uma lixa especifica para unhas de cachorros. Cachorros - Corte das Unhas. Cachorros - Corte das Unhas.

Deve-se lixar as unhas no sentido diagonal, desgastando-as o suficiente apenas para que não incomodem ou machuquem o cachorro em sua movimentação, entretanto tendo todo cuidado para não atingir a parte da unha que tem vasos sanguíneos e terminações nervosas, o que pode causar uma grande dor e um grande sangramento nos cachorros. Cachorros - Corte das Unhas. Cachorros - Corte das Unhas.

Pois as unhas dos cachorros, possuem em seu interior a partir da base até a metade de seu comprimento tecido vivo, que é chamado de leito da unha ou vulgarmente de sabugo. Cachorros - Corte das Unhas. Cachorros - Corte das Unhas.

E por isto também que não é recomendável a utilização de cortadores específicos tipo guilhotina ou alicate, pois há um risco muito grande de atingir-se o leito da unha (tecido vivo) causando muita dor e hemorragia no cachorro, estes instrumentos devem ser preferencialmente utilizados por profissionais da área. Cachorros - Corte das Unhas.  Cachorros - Corte das Unhas.

Em alguns cachorros, há ainda a existência do quinto dedo que se denomina ergot, e que se localiza na parte interna das patas anteriores e posteriores, podendo ser duplos ou unitários. Cachorros - Corte das Unhas.

E estes dedos também possuem unhas, e que devido a sua localização não sofrem atrito, e consequentemente crescem ilimitadamente, podendo causar lesões no corpo do cachorro, sendo então, necessário também lixa-las. Cachorros - Corte das Unhas.




COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado