.

domingo, setembro 21, 2014

Cachorros Adultos/Adoção.


                  

Cachorros Adultos/Adoção: Para quem pensa em ter um cachorro, adotar um cachorro já adulto pode ser não uma boa, mas sim a melhor opção. Pois por não terem os atributos de um filhote, que tanto seduz e leva muitas vezes a pessoa a agir por impulso, eles aguardam, durante muito tempo, por uma chance. Mas, a exemplo de outros países como os Estados Unidos, onde a maioria das pessoas preferem os adultos quando vão adotar um cachorro, e em muitos estados norte americanos há carência de cachorros nesta faixa etária para adoção.


E esta é uma prova para desmentir algumas pessoas que dizem que os cachorros adotados já adultos, não reconhecem seus adotantes como donos, pois isto não passa de puro preconceito. A história do motorista Luiz Eduardo é um bom exemplo de que este pensamento não passa de um mito, pois ele adotou um Pastor Alemão de três anos, que morava em uma oficina que iria ser desativada, e era utilizado apenas como cão de guarda. Não interagiam e nem se relacionavam muito com ele, e era tido como um cachorro anti-social e agressivo, conta Luiz Eduardo.


E com o fechamento da oficina, o cachorro que só era utilizado como vigia, e recebia pouca atenção, ficaria sem destino e seria consequentemente abandonado. Para evitar isto, Luiz Eduardo resolveu levá-lo para casa, a adaptação ao novo lar aconteceu em poucos dias e revelou ser falso o estigma que cercava o cachorro. Aos poucos ele foi se adequando ao meio, mostrando gratidão e fidelidade e se tornando um cachorro extremamente carinhoso. Hoje o motorista Luiz Eduardo diz com orgulho que ele é o melhor de todos os sete cachorros que possui, e ainda faz questão de desfazer o preconceito de que cachorros adultos, inclusive os ditos problematicos, não se afeiçoam aos seus donos.


Afinal, o Pastor Alemão de nome Cley, convive em paz com mais seis companheiros, e hoje, alem de ser um cachorro fiel, amoroso e tranquilo, continua a ser um otimo cão de guarda. E Joana Souza, comerciante, também não teve problemas com os cachorros que adotou já adultos, pois dos dez cachorros que ela mantém em sua casa, em suas lojas e no sítio que possui, a maioria foi recolhida das ruas, já adultos, e alguns até idosos, e quanto mais velhos, mais gratos, fies e carinhosos eles são. Bill, outro cachorro da família, um mestiço de Labrador com Pit Bull, é outro exemplo de fidelidade, quando ele tinha dois anos, o irmão da comerciante o resgatou, junto com a polícia, de uma casa onde vivia amarrado com uma corda tão curta que nem permitia que se deitasse.


O cachorro, de porte médio para grande, pesava menos de 20 quilos e estava infestado de verminoses, aos poucos ele foi se recuperando e hoje é cachorro fiel, carinhoso e super protetor. Segundo Joana Souza, é gratificante adotar e recolher cachorros abandonados já adultos, pois eles retribuem com muita fidelidade, amor e carinho, porque cachorros recolhidos de abrigos ou da rua são mais agradecidos. E é muito mais fácil cuidar deles, são mais carinhosos e menos exigentes.


E tambem a grande vantagem de se adotar um cachorro com mais de dois anos é que ele já tem personalidade e tamanho definidos, o que torna possível encontrar o cachorro ideal para cada pessoa. Além disso, geralmente eles já tomaram as primeiras doses de vacina, que são as mais custosas. Joana Souza lembra de que esses cachorros, em sua maioria, são muito carinhosos e podem proporcionar grandes momentos de felicidade. E os lares transitórios, feiras e centros de adoções estão cheios desses cachorros muito fieis e super carinhosos, e que precisam muito de um dono que lhes dê cuidado, carinho, atenção e amizade.

                                                                                                                                                                                

Cachorros - Terrivel Procedimento.



Cachorros - Terrivel Procedimento: Este post descreve a provável sensação de medo, horror e agonia que um cachorro sente ao ser submetido a este terrível procedimento. Que é ser utilizado com vida, em uma aula de dissecação anatómica num curso de medicina veterinária. E antes desta indiferente e cruel experiência derradeira, ele é deixado isolado, numa sala escura preso numa gaiola, juntamente com outros cachorros e demais animais. E todos igualmente aguardando de forma passiva e inconscientemente, o mesmo trágico e tenebroso destino. E no silêncio e na solidão da noite, ele acaba ficando acordado com medo e em agonia, na expectativa e pressentindo algo entranho e sinistro. Pois já se cansou de latir, uivar, e agora apenas espera resignado e sem esperanças, pelo terrível destino.


Que mesmo não conseguindo prever nem saber que destino o aguarda, consegue de forma apavorante pressenti-lo. E ele foi trazido, para está sala fria e escura provavelmente de um Centro de Controle de Zoonoses de alguma prefeitura. E depois de ter sido capturado nas ruas, sem ter um lar, sem ter um nome, esteve próximo da execução no Centro de Controle de Zoonoses. Porem alguém interveio e se apropriou dele, mais precisamente uma faculdade de medicina ou veterinária, entre as muitas que ainda se utilizam deste procedimento abominável e monstruoso, para com os cachorros e outros animais. O tempo parece não passar, só existe a companhia e os e ruídos de lamento e desespero de outros cachorros e demais animais. E para piorar o quadro dramático e dantesco, ainda são privados de alimentos, pois são mantidos em jejum, pois faz parte do procedimento para a aula de dissecação.


E o cachorro se mantém inerte e em silencio, como se anestesiado pela pavorosa e implacável realidade, e a única coisa que os seus olhos conseguem ver, alem das grades da gaiola é a desesperança. Então de repente, uma porta se abre, e um homem vestido com uniforme entra na sala, e todos os cachorros em uma atitude de ansiedade, medo e desespero começam a latir incessantemente. Mas o cachorro se mantem frio e estático na sua gaiola, e apenas pressente impotente o seu trágico destino, e acompanha com os olhos a todo a movimentação. Vê as grades se abrirem, até ser seguro por mãos firmes, e é retirado imediatamente da jaula, sem o menor carinho ou compaixão. E o homem de uniforme, o retira tambem da sala fria e escura, e os latidos de lamento e desespero dos outros cachorros vão ficando cada vez mais distantes.


Cruzam um corredor de paredes brancas e janelas gradeadas, e depois de passarem por uma porta, o cachorro se-vê diante de varias de pessoas, e todos vestidos com jalecos brancos. Sentindo e farejando no ar, o cachorro percebe o ambiente pesado e sinistro, e o pavor, o medo e o desespero tomam conta do seu ser. E ele implora, tremendo e chorando, por algum tipo de compaixão ou ajuda, mas a única resposta que recebe, é o silêncio e a desfaçatez de todos. E um outro homem de jaleco branco, certamente o professor que vai ministrar a aula de dissecação para a turma, toma-o fria e mecânicamente, das mãos do primeiro homem. E absolutamente sozinho e impotente, o cachorro olha ao em redor, mas só vê nas pessoas frieza e indiferença. E ai vê e ouve o professor falar aos estudantes, e vira o alvo da atenção e dos olhares de todos. E todos ficam em silêncio, atentos a cada palavra do homem de branco, que o manipula sem a menor delicadeza, com as suas mãos percorrendo e apertando todo o seu corpo.


Chega então o momento em que o professor, ou o homem de jaleco branco para de falar, e os alunos todos tambem de jalecos brancos acercam-se do cachorro. E juntos, colocam o cachorro sobre uma fria mesa metálica de costas, e enquanto os alunos o seguram, o professor o estende e amarra as suas patas, mantendo-o nesta posição. O cachorro assiste a tudo, tente resistir, lutar, se mover, mas impotente e resignado é obrigado a se submeter. Sentem manipularem e pressionarem sem nenhuma gentileza ou compaixão todo o seu corpo, seu crânio, sua barriga, e seu dorso. E sob um imenso terror, desespero e tensão, o cachorro vê todos os movimentos e escuta todas as palavras e instruções do homem de jaleco branco, mas são movimentos, palavras e instruções que ele não entende. Porem se pudesse entender, o seu sofrimento seria ainda maior, pois teria consciência do terrível, abominável, cruel e desnecessário procedimento de que viria a ser a vitima.


Então, de repente o cachorro sente uma picada, pois estão aplicam-lhe uma injeção anestesica, mas ele continua consciente, porem não pode mais se mover. E ele consegue escutar um som metálico, de uma caixa que é colocada ao seu lado, e um estudante de jaleco, tira um objeto e o entrega ao professor. E o cachorro sente o seu coração batendo no peito, e os seus pulmões respirando com rapidez, e está sensação fica cada vez mais angustiante. Já não consegue ver com muita nitidez, mas consegue ouvir os ruídos e os sons das conversas na sala, e tenta olhar ao redor de si, mas só consegue ver objetos metálicos e frascos escuros e cartazes com desenhos. Nesse momento, o grupo aproxima-se e se fecha ao seu redor, varias pessoas de jalecos brancos, sendo que o mais próximo é o professor. Que a seguir manipula o objeto metalico, brilhante e pontiagudo, que lhe foi entregue por um aluno, em sua direção.


Então logo a seguir o cachorro sente uma terrivel dor aguda, pois de uma forma fria, e sem nenhum sentimento de piedade, o professor começa a corta-lhe a barriga, E o seu coração dispara, e ele tenta em vão desesperadamente soltar-se, mas nada acontece, pois devido a anestesia seu musculos não respondem. E a dor vai ficando cada vez mais insuportável, e os seus pulsos estalam, o seu pescoço incha, seus olhos ficam vermelhos, e um gemido de agonia escapa por sua boca já inerte. Mas impotente ele não consegue ganir ou desabafar a terrivel dor, que se apossa de seu corpo quente e pulsante. So lhe resta a resignação conciente, e a assimilação do sofrimento e da dor, em seu ventre que arde e queima enquanto o bisturi avança. E o cachorro tenta ao menos gemer ou gritar, para tentar dissipar a dor, mas o som perde-se na garganta. Não mas se consegue distinguir nenhum som, apenas o barulho desconexo de um lamento de dor, pois so lhe restou o som das batidas do seu coração.


E as demais pessoas de jaleco branco, com seus rostos serios e rigidos, com um olhar atento e indiferente, mas que porem evitam cruzar os seus olhares, com o olhar de agonia, desespero e dor expressado pelo cachorro. Que agora quase inconsciente, já tem a sua visão vacilante e embaçada e sua respiração ofegante, e sobre a mesa fria, só consegue tremer e gemer de dor. Mas ainda está vivo e consciente, e sua mente delira de agonia, e seu sangue vivo e quente jorra escorrendo pelo seu dorso. E ele ainda consegue sentir o bisturi rasgando suas entranhas, e suas vísceras sendo manuseadas. Porem o seu coração bate cada vez mais fraco, e seus olhos se escurecem, e se fecham lentamente, a sua respiração diminui drasticamente, quando então, ele inerte ele dá o seu ultimo e quase silencioso gemido de dor, e o seu ultimo e derradeiro suspiro, que o liberta desta desumana, pavorosa e agoniante experiência. E a questão crucial, e a que fica é, não existe outra alternativa que não está, de submeter os inocentes e indefesos animais a tamanha crueldade e sofrimento? Sera que os seres humanos, tem o direito de tratar os animais desta maneira repugnante, indgina, impiedosa e desumana? E você o que acha?


Cachorros - Pequenos Parasitas.



Cachorros - Pequenos Parasitas: Não são apenas o calor e as chuvas que aumentam com o verão, uma legião de pequenos parasitas que podem trazer graves problemas são tambem mais frequentes nessa época. Pulgas, carrapatos, Sarnas, Miíases (mais conhecida como bicheira), berne e até as moscas de ponta de orelha podem comprometer gravemente a saúde do seu cachorro, sendo necessário precaução e cuidados especiais.É necessário inspecionar regularmente a pele do cachorro e observar atentamente os principais sintomas como coceira, vermelhidão, descamação e feridas, inclusive o local onde o cachorro vive, sendo estas são as principais medidas preventivas necessárias e indispensáveis.


As pulgas, os carrapatos e as moscas de ponta de orelha podem ser observados no pelo do animal ou localizados no ambiente, enquanto sarnas, bernes (larvas de moscas no tecido subcutâneo) e miases (bicheiras) nem sempre são tão evidentes, mas podem ser notados por vistoria direta da pele ou quando os sinais já estão mais avançados. Banhos regulares, com higienização dos ouvidos e a limpeza frequente do ambiente onde o cachorro vive, como a retirada imediata das fezes, reduzem o risco de infestações. Para afastar bernes também pode ser utilizado um comprimido especifico à base de Lufenuron (Program) uma vez por mês e, no caso das moscas de ponta de orelha, pomadas repelentes e citronela.


Caso já tanha ocorrido as infestações é de fundamental importância o controle dos parasitas no próprio ambiente, Para isso podem ser usados produtos parasiticidas específicos para serem aplicados no ambiente, e que nunca devem ser aplicados diretamente nos cachorros. Na prevenção e controle de pulgas e carrapatos existem formulações já consagradas e seguras para cachorros. Outras à base de inseticidas piretroides (observar a fórmula dos produtos) necessitam maior cuidado na aplicação. Já o tratamento da bicheira depende do grau de infestação, se tiver poucos dias, com larvas e dano  tecidual pequenos, pode ser usado o Capstar comprimidos, lembrando sempre de antes retirar todo pelo ao redor da ferida , limpá-la diariamente com solução anti-séptica e proteger o local e aplicar sprays repelentes (produtos disponíveis em lojas especializadas) ao redor da miase para evitar nova infestação.


Porem no caso de miases (bicheiras) mais graves, em locais mais complicados como boca, anus e regiões próximas aos olhos e ouvidos, é necessário o uso de anestesia, que deve ser realizada por um médico veterinário, para retirada de todas as larvas e limpeza total da ferida. No caso da berne (originária da mosca Dematobia hominis) é melhor evitar sprays ou inseticidas que matam a larva. Tirá-la por conta própria também é desaconselhável, pois ela possui espinhos e deve ser extraída por inteiro, sob o risco de o cachorro desenvolver quistos, abscessos e infecções. O correto e o mais indicado é procurar um veterinário assim que forem observadas as primeiras lesões para que ele indique o melhor tratamento.


O combate às sarnas (causadas por tipos específicos de ácaros) se baseia na administração subcutânea ou oral de medicamentos a base de ivermectina, mas depende do tipo de sarna. Se for a sarna negra ou demodécica, o tratamento leva meses e necessita de um acompanhamento do médico veterinário, pois é uma doença que não tem cura, existe somente o controle dos sintomas. Já no caso da sarna vermelha ou escabiose , o tratamento consiste somente em 2 aplicações de ivermectina, com intervalos de 15 a 21 dias e desinfecção do ambiente. e em relação às moscas de ponta de orelha, o controle e o tratamento é a base de repelente. Há tambem, o perigo das doenças parasitárias causadas por carrapatos , pulgas e ácaros.

Pois este conjunto de parasitas pode transmitir muitas doenças para os cachorros e também para os seres humanos. E são desde graves hemoparasitoses (babesiose e erlichiose, doença de lyme), até  processos alérgicos que causam grandes sofrimentos aos cachorros e demais animais predispostos e até feridas que podem levar à infecções bacterianas, sepse (infecção geral grave do organismo por germes) e até o óbito do cachorro. E as pulgas ainda causam a DAPP (dermatite alérgica à picada de pulga) que pode apresentar feridas avermelhadas e queda de pelo, principalmente na região ventro-dorsal.


A melhor solução é sempre prevenir, e evitar a auto-medicação, pois o melhor caminho é consultar o profissional de veterinária que saberá reconhecer o que está incomodando o cachorro e a maneira mais adequada de tratá-lo. Existem no mercado sabonetes, shampoos e sprays com efeito residual preventivo, e também produtos que agem pelo contato (spot-on) de maior duração. Os produtos com efeito residual podem, eventualmente, acabar com a infestação por efeito indireto, quando usados por mais de um ano. Consulte sempre o seu veterinário antes da utilização de qualquer produto parasiticida.



COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado

.COMO ACABAR COM AS PULGAS!