.

sábado, outubro 11, 2014

Presos na Corrente - Cachorros.



Presos na Corrente - Cachorros: Está é uma questão dramatica, e uma verdadeira tortura para os cachorros, porem infelizmente é um procedimento ainda muito comum. Pois muitos cachorros praticamente vivem acorrentados pelo pescoço uma vida inteira, e para os cachorro que são animais altamente sociaveis, este é um castigo pior do que a morte. Pois privados de passeio, brincadeiras e interacção social, e sem receberem atenção e carinho, estes cachorros não vivem, limitam-se a existir sem dignidade. E não basta apenas discordar deste abuso, é necessário contesta-ló publicamente, pois e preciso dar voz a estes indefesos e inocentes cachorros que sofrem na pele a ignorância e a insensibilidade dos 'humanos'. 


E é um dever de todos nós que nos importamos com os cachorros, e respeitamos a sua dignidade, pois a realidade dos cachorros que vivem acorrentados é triste e cruel. E são milhares e milhares, os cachorros condenados a prisão perpétua, sem que tenham cometido nenhum crime. E muitas vezes são mantidos acorrentados, por uma vida inteira, o que é uma existência indigna e deplorável, para um ser capaz de tamanha emoção e sentimento. Sendo inúmeros os cachorros que sofrem em silêncio, e muitas vezes as pessoas que os aprisionam, desconhecem e ignoram a crueldade que é manter estes cachorros acorrentados, e outras não se importam ou simplesmente não querem perder tempo ou se “intrometer”. 


Entretanto, muitos cachorros não têm sequer um abrigo, outros dormem dentro de latões, ou em casinhas que mal os protegem da chuva, e do frio, sentam-se sobre a lama ou sobre o cimento gelado, muitas vezes não têm sequer água fresca à disposição, e raramente têm atenção. Quase nenhum destes cachorros conhece outra vida, que não esta existência, que é a de estar amarrado a uma corrente, estes cachorros não sabem o que é passear, o que é correr atrás de uma bola, nem muito menos o que é ser acariciado. E acorrentados o tempo todo pelo pescoço, estes cachorros são obrigados a simplesmente existir, e existem sem respeito, sem carinho, sem exercício, sem interação social e, muitas vezes, sem os cuidados alimentares e higiénicos essências. 

E a medida que os dias, vão se transformando em semanas, as semanas em meses e os meses em anos, a maioria destes cachorros deita-se, senta-se, dorme, come, bebe, urina e defeca dentro do mesmo raio de dois metros. Pois manter um cachorro constantemente acorrentado é o pior castigo que lhe pode dar, pois os cachorros são animais de matilha, são animais sociais, e precisam estar integrados numa família (animal ou humana) com a qual possam interagir. Privar um cachorro de interacção social e de exercício físico é algo extremamente cruel, desumano e que contraria a sua própria natureza. E acorrentar um cachorro tem um efeito muito negativo no seu temperamento, comportamento e saúde. 

Pois um cachorro que passe todo o dia, ou a maior parte do dia preso, começa a desenvolver problemas comportamentais e de temperamento, pois o seu instinto natural de estar em grupo é suprimido. Um cachorro acorrentado ou isolado apenas consegue aprender que detesta o isolamento, e que detesta ter a sua liberdade e os seus movimentos restringidos, o que o torna um cachorro extremamente infeliz e constantemente atormentado. E "Ajudar e Lutar" para ao menos tentar diminuir o terrível sofrimento por que passam estes cachorros em sua triste e indigna existência, é um exercício de solidariedade e cidadania para com criaturas inocentes e indefesas, em uma sociedade que se intitula civilizada e humana. 

E mesmo que haja muitas pessoas, que se preocupam e se sensibilizam com o sofrimento por que passam estes pobres cachorros, entretanto muitas destas pessoas, nunca se manifestam ou participam ativamente. Contudo, è necessário que todos se importem e também participem, ao menos ajudando a consciêntizar as demais pessoas sobre esta questão, pois a vida de muitos cachorros vitimas desta crueldade, melhorou de forma significativa, simplesmente porque alguém se preocupou o suficiente para intervir, e a pressão social da comunidade é um fator decisivo para sensibilizar e ajudar a solucionar ou minimizar esta questão. Pois geralmente, é mais fácil e eficaz sensibilizar a comunidade, do que tentar sensibilizar diretamente os responsáveis pelos cachorros. 

Pois uma comunidade consciente e sensival, para com a situação de sofrimento por que passam os cachorros acorrentados, e que atue e condene efetivamente estes atos cruéis, pode ser o suficiente para que os responsáveis por estes cachorros, mudem a sua atitude para com os mesmos. E sobretudo nas áreas em que sabidamente, hája uma maior ocorrência destes casos , é recomendável uma divulgação concentrada, colocando-se folhetos informativos em locais estratégicos, como farmácias, mercearias, etc. Pois uma comunidade sensibilizada e informada para este problema, é o primeiro passo, para uma mudança para melhor na vida de muitos cachorros acorrentados. 

E quem mantém um cachorro acorrentado, o faz muitas vezes por ignorância, e por desconhecerem as suas potencialidades, como seres com necessidade de interacção, que possuem sentimentos e que são passiveis de sofrimento e tristesa. Ou porque tambem é uma tradição ou costume, pois familiares e vizinhos também mantém seus cachorros acorrentados, sem conciência ou noção de que isto seja um ato de crueldade, e ao abordar essas pessoas, não devemos nunca ter uma atitude de confronto, pois este comportamento, não resultará em nada de positivo para o cachorro. Devemos tentar compreender essas pessoas, e os motivos que as levam a manter seus cachorros naquelas condições, e enquanto lhe perguntamos algo sobre o cachorro. 

Ao mesmo tempo lhe sugerimos amigavelmente formas de melhorar as condições em que ele se encontra. E uma das justificativas mais comuns, para se manter um cachorro acorrentado, é a de o cachorro servir de guarda para a casa e dar sinal de perigo, podemos então explicar à estas pessoas que seria mais eficaz ter o cachorro solto e livre, no quintal ou dentro de casa, juntamente com a família. Pois estando acorrentado, o cachorro nada pode fazer para impedir que estranhos entrem no quintal ou na casa, a não ser latir, porem como normalmente um cachorro acorrentado late sem motivos aparentes, muitas vezes até o seu latido de sinal é ignorado. Além disso, a realidade é que um cachorro acorrentado está completamente indefeso, e pode facilmente ser envenenado ou vítima de algum tipo de ataque. Porem estando livre o cachorro consegue avisar sobre potenciais perigos e agir contra intrusos de forma muito mais eficaz. 

Sendo verdadeiramente um fator inibidor, pois a preferência é sempre para os alvos mais fáceis e sem surpresas. E algumas destas pessoas até gostam de seus cachorros, mas não se apercebem da crueldade que significa mantê-lo acorrentado, nestes casos, podemos tentar explicar-lhes algumas características dos cachorros e como estes sofrem profundamente com o isolamento e a cruel restrição de movimentos que estar acorrentado significa. E muitas vezes tambem, algumas pessoas “desistem” de seus cachorros e acorrentam-nos, porque ficam frustradas com o comportamento deles, como sujar a casa, estragar algo, atacar alguma pessoa. Contudo, a maioria destas situações são facilmente resolvidas ou minoradas com educação, treino de obediência ou a esterilização dos mesmos, procure então informa-los sobre estas possibilidades. Porem como normalmente, a grande maioria destas pessoas perdeu por completo o interesse no seu cachorro, não se importariam de o dar para adoção. 

Nesses casos, podemos tentar explorar essa possibilidade, falando no assunto da adoção à pessoa e procurando um outro responsável para o animal. Não se esqueça que, desde que sejamos simpáticos, e não entremos em confronto, para o próprio bem do cachorro, vale sempre a pena falar com os responsáveis pelos cachorros acorrentados no sentido de tentar melhorar as condições de vida destes cachorros. Pois apesar de não terem feito nenhum mal, a nada, nem a ninguém, são sentenciados a passarem, muitas vezes toda sua triste e indigna existência, acorrentados o tempo todo pelo pescoço, sem receber nenhuma atenção, carinho, afeto ou se interar com outros cachorros ou pessoas. E esta é infelizmente, a lamentável realidade de milhares e milhares de cachorros acorrentados, que tiveram como veredito, a condenação a prisão perpétua, a ser cumprida de forma solitária, sendo que são criaturas totalmente inocentes, e por não terem sequer como ser expressar, só lhes restam se resignar com está miserável existência.

Deficiência Fisica - Cachorros.



Deficiência Fisica - Cachorros: Muitos animais de estimação, principalmente cachorros são abandonados por seus responsáveis, e largados à própria sorte nas ruas todos os dias. E estes cachorros acabam sofrendo maus-tratos, passam fome, frio, ficam doentes e malancolicos, e muitos não resistem e acabam morrendo. Pois para o cachorro, o abandono por parte do seu responsável é uma experiência devastadora, da qual ele dificilmente se recupera, e diversos estudos comprovam que cachorros abandonados podem entrar em depressão, e ate morrer de tristeza. E Infelizmente, para os cachorros sem raça definida, cachorros com doenças cronicas ou cachorros idosos é difícil encontrar um novo lar. 


Porem para um grupo muito especial esta dificuldade é ainda maior, pois raramente conseguem encontrar um novo responsável e um novo lar, e este grupo muito especial é o dos cachorros deficientes físico. Pois entre eles, o número de abandonos é ainda maior, e são justamente estes os cachorros mais carentes, e que mais precisam de um novo lar. E ao contrário do que muitos pensam, o fato de serem portadores de algum tipo de deficiência física, geralmente não afeta em nada a sua rotina, quando comparada a de um cachorro normal, inclusive eles costumam ser até mais independentes e mais carinhosos com os seus responsáveis. E a SAVA (Solidariedade a vida animal) que é uma ONG que realiza um trabalho maravilhoso e louvável. 


Promovendo feiras de animais deficientes em São Paulo, assim define os cachorros especais através das palavras de Roberta Roperto “Eles são seres extraordinários e especiais, que superaram a doença, o abandono, enfrentaram a fase da morte e a venceram. São campeões, que triunfaram sobre a tragédia e nos reafirmam a cada dia o poder do milagre da vida”. E também temos o relato da fisioterapeuta Fernanda Macedo que conta como encontrou com a cadelinha Cacau numa tarde chuvosa de domingo. “Logo percebi que se tratava de um animalzinho especial, pois ela não tem uma das patinhas. Quando eu a vi naquela situação, na chuva e passando frio não pensei duas vezes e a levei para casa”. 


Fernanda conta que ela é uma cachorrinha muito carinhosa, brinca, corre e apesar de ter apenas três patas nada a impede de ter uma vida normal. E é por situações como estas, que apresentam quadros tristes e lastimáveis, que temos que nos indignar, e dizer 'Não ao Abandono', e procurar alertar e concientizar a todos sobre este serio e grave problema que é o abandono de cachorros nas ruas, e o sofrimento por que passam os cachorros que são vitimas inocentes destes atos abomináveis, cruéis e desumanos, e que é uma covardia maior ainda se o cachorro for deficiente fisico. Porem infelizmente praticas como estas só tem aumentado, em todo o Brasil. 

Violência Contra Cachorros.



Violência Contra Cachorros: Você está presenciando ou sabendo de casos de maus tratos de cachorros e outros animais domésticos ou selvagens em sua vizinhança, e não sabe o que fazer? É importante que você não pense duas vezes antes de tomar a decisão de se direcionar a uma delegacia de polícia mais próxima de sua residência para realizar um Boletim de Ocorrências ou então, se preferir você poderá orientar o Promotor de Justiça do Fórum, pertencente a Justiça do Meio Ambiente.


Desta forma, a denuncia de maus tratos será legitimada a partir do artigo 32 da Lei Federal n° 9.605 de 1998, a qual é a Lei de Crimes Ambientes, sendo que se possível antes de recorrer a delegacia tenha em mãos uma cópia da Lei 9.605/98 já que muitas autoridades policiais não possuem o conhecimento da mesma. Além disso, esteja munido com o artigo 139 do Código Penal, pois caso a autoridade se recuse em abrir um Boletim de Ocorrência, já que se trata do Brasil, onde a própria população sofre com o descaso de muitas autoridades, já pensou em relação aos cachorros e outros animais? 


De acordo com o artigo 32 da Lei Federal 9.605 de 1998, é considerado crime a prática do abuso, ferir, maus tratos ou mutilar animais domésticos ou silvestres, nativos ou exóticos. É crime com pena de detenção de três meses a um ano e multa, sendo que em relação ao primeiro parágrafo, incorre nas mesmas penas quem realiza a experiência cruel ou dolorosa em animais vivos, incluindo para fins didáticos e/ou científicos, quando existirem houver recursos alternativos. Já no segundo parágrafo consta que a pena é aumentada de um terço a um sexto se houver a morte do animal ou de animais.

De acordo com a Lei de Proteção Ambiental 9.605 de 1998, os atos considerados maus tratos e crueldades mais comuns são:

-Manter o animal preso por um longo tempo sem comida ou água.

-Abandono.

-Envenenamento.

-Agressão física, exagerada e covarde.

-Mutilação.

-Manter o cachorro ou outro animal em um espaço impróprio e sem higiene.

Não procurar um veterinário caso o animal esteja doente.

-Utilizar o animal em apresentações, show ou trabalho que possa lhe causar sofrimento e pânico.


Estes atos estão relacionados para todo e qualquer animal, seja ele doméstico como cachorros, gatos e outros animais, assim como cavalos utilizados para o trabalho de tração, e ainda para animais criados e domesticados em fazendas, sítios e chácaras como porcos, galinhas e até pássaros também estão inclusos nesta Lei, sendo que há Leis e Portarias específicas criadas pelo o IBAMA (Instituição Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis).

Desta forma, caso você recorra a delegacia ou ao Fórum e não tenha o atendimento satisfatório, é necessário que você denuncie ao Ministério Público.


Assim conte o nome e patente de quem o atendeu, além do número da delegacia e o endereço, além da data, horário e um relato em duas vias solicitando a protocolação de uma delas. Caso você esteja acompanhado por alguém, esta pessoa poderá ser a sua prova testemunhal para o encaminhamento de tal documento para o Ministério Público. É válido lembrar que toas das provas e fatos devem ser anexadas junto à ocorrência para ajudar em seu B. O. È lógico que estes procedimentos demandam tempo e inclusive muitos aborrecimentos. Porem os cachorros e outros animais são seres inocentes e que não sabem sequer falar, e sua única defesa diante destas crueldades e covardias é o seu choro ou os seus gritos de desespero, sofrimento e dor.




Fonte: www.blogdicas.com.br/Maicon.

COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado

.COMO ACABAR COM AS PULGAS!