.

domingo, novembro 09, 2014

Cachorro Sagrado do Tibete.



Cachorro Sagrado do Tibete: O Lhasa Apso é uma raça de origem oriental, e bastante antiga, pois foi criada por séculos apenas pela nobreza e pelos monges do Tibete. Sendo que "Lhasa" é o nome de uma cidade sagrada da região, e "Apso" no idioma local significa cabra, devido a sua pelagem lanosa, ou também "leão", pois era utilizado para proteger os templos,motivo pelo qual o Lhasa Apso é considerado um cachorro sagrado no Tibete. E como guarda de templos e mosteiros, o Lhasa Apso era muito eficiente, sendo bastante agressivos com estranhos, e o Lhasa Apso por ser considerado um animal sagrado, não podia ser comprado nem vendido, mas somente oferecido como um presente especial. Devido a isto, estes cachorros permaneceram desconhecidos do resto do mundo até ao início do século XX.

Mas a partir de 1920 aproximadamente, Dalai Lama buscando apoio internacional para a causa tibetana, ofereceu alguns Lhasa Apso como presente a diplomatas, principalmente aos Britânicos. E a raça começou a ficar conhecida nos Estados Unidos da América uma década mais tarde, entretanto a sua popularidade foi imediata, e já em 1935, apesar de ter sido erronêamente classificado como Terrier, já era reconhecida pelo AKC. O Lhasa Apso é um cachorro de pequeno porte, com altura media de variando entre 20 a 25cm, tendo a  cabeça é larga, o focinho de tamanho médio e o nariz na cor preta. Os olhos são pequenos, de cor escura e são cobertos pela pelagem. As orelhas têm franjas e caem pendentes para cada lado da cabeça. possuem barba e bigodes compridos e de cor mais escura que o restante da pelagem.

O pescoço é curto e recoberto por uma juba, os membros anteriores são verticais, e tal como os posteriores, estão totalmente encobertos por pêlos. A cauda possui franjas e é mantida sobre o dorso. A pelagem é comprida, densa e lisa. E as cores padrões são o dourado, cor de mel, ardósia, areia, cinzenta, preta, branca ou castanha.    E quanto ao temperamento, os Lhasa Apso por terem sido criados como um cachorros de guarda e sentinela dos templos por monges budistas do Tibete, os Lhasa Apsos possuem um forte senso de audição e também são bastante atentos a qualquer intrusão em seu território, e apesar do seu porte, são muito agressivo com os intrusos. A definição do temperamento do Lhasa Apso é de um cachorro inteligente, obediente e muito apegado e fiel ao seu responsável, familiares e amigos, porem avesso e atento a estranhos.

Embora sejam cachorros de pequeno porte, os Lhasa Apso podem apresentar ocasionalmente períodos de excesso de energia, no entanto, não estão entre as raças de cachorros mais ativas, e muitas vezes permanecem por horas descansando ou atentos a possíveis intrusos em seu território, e são pouco exigentes quanto a passeios, não precisando de muita atividade física, pois geralmente preferem uma caminhada curta no quarteirão a fazer medias e longas caminhadas. E apesar de serem originários de locais com temperaturas baixas, como as presentes no Tibete, se adaptam muito bem a temperaturas mais altas. Os Lhasa Apso tem uma alta incidência de instinto alfa, o que os leva a terem traços de personalidade única, e normalmente aceitam e são muito tolerantes à solidão.

E muitos assemelham a sua personalidade com a dos gatos. Pois devido a estas características de personalidade, eles ganharam uma reputação de cachorros destemidos, pois levam muito a serio o seu papel de guardiões da família e muitos podem ser assertivos, assim como os fila brasileiros, sobre permitir ou não a entrada de visitantes estranhos na casa. Esta característica, aliada à sua tolerância à solidão e ao seu baixo nível de energia, tornou a raça popular e preferida entre as pessoas que vivem sós em pequenos apartamentos. O Lhasa Apso é uma raça de vida longa, com alguns chegando a viver mais de 20 anos apresentando uma otima saúde. Entretanto, existem alguns problemas de saúde específicos que são comuns a raça.

Como sua visão, por exemplo, que pode diminuir bastante ou até se extinguir completamente com a idade, porem mas como são cachorros que não se orientam pela visão, eles podem suportar a cegueira com poucas mudanças perceptíveis em seu comportamento. E também devido à sua tendência de alfa no comportamento, um macho Lhasa Apso pode ser extremamente dominante e agressivo com outros cachorros machos, mesmo que estes sejam muito maiores, sendo também obstinado sobre a marcação de seu território com urina.

A castração em idade precoce é o mais recomendado para se resolver estes problemas. Os Lhasa Apso normalmente são cachorros bastante saudáveis, e alguns dos problemas de saúde que comumente acometem a raça dizem respeito a mal formações nas articulações, complicações renais e oculares. E também, a abundante pelagem do Lhasa Apso exige certos cuidados particulares, pois o pêlo deve ser escovado todos os dias ou no máximo alternadamente "dia sim, dia não", de forma a eliminar riças que poderão causar infecções na sua pele.
                                                                        

Incomodo dos Latidos - Cachorros.



Incomodo dos Latidos - Cachorros: Fazer sujeira onde não se deve, ou roer os sapatos ou o pé da cadeira, afeta unica e exclusivamente, a família e o responsavel pelo cachorro. No entanto, os excessos de latidos transpõem os limites da casa e incomodam toda vizinhança ao redor. Pois o cachorro que late de forma excessiva, e muitas vezes sem motivo ou necessidade, incomodando a todos, pode acabar ganhando a antipatia da vizinhança. Pois é muito comum, pessoas serem surpreendidas ao passarem em frente das casas na calçada, por um susto, devido a sonoros latidos de um cachorro que estava na espreita. Ou então acordou no meio da madrugado porque os cachorros da vizinhança (ou os seus próprios) resolveram latir ao mesmo tempo.

Latir é uma forma natural e expontanea do cachorro se expressar, porem em excesso, pode se transformar num grave distúrbio comportamental que precisa ser tratado. Inclusive para a proteção do proprio cachorro, pois o excesso de latidos é um problema que vai além do barulho incômodo. Para as famílias que vivem em apartamentos, a simples pressão do condomínio é capaz de motivar a desistência ou até o abandono do cachorro. Já quem vive em casa está sujeito a fúria e a crueldade de determinados tipos de vizinhos que podem chegar até a cometer a crueldade de envenenar o seu cachorro. Em ambas as situações, quem acaba sendo o maior prejudicado é o próprio cachorro. E em um levantamento feito nos EUA, com uma amostra de aproximadamente 2000 cachorros que vivem em abrigos, os incomodos e inconvenientes do barulho provocado pelos excessos de latidos estão classificados em 10o lugar na lista de motivos e razões para o abandono.

E o repúdio aos latidos incessantes, e sem duvida desagradaveis é algo que pode ser considerado ‘justificável’”, pois este é considerado um dos mais inconvenientes e incomodos disturbios comportamentais nos cachorros segundo os especialistas em Comportamento canino. E a principal gravidade da questão está nas conseqüências negativas, sofridas pelos proprios cachorros, como maus-tratos e o cruel e abominavel abandono, por isso não negligencie ou menospreze este assunto, pois este disturbio comportamental que é o excesso de latidos nos cachorros é uma coisa muito séria, e pode gerar consequencias muito desagradaveis e tristes, para todos. Então, não se precipite, e antes de ter qualquer atitude, como entrar em atrito com os vizinhos ou agredir inutilmente o cachorro, procure um médico veterinário, ou um treinador ou especialista em comportamento canino, para uma orientação e uma avaliação do cachorro de uma forma correta, precisa e profissional.

Pois tudo e somente uma questão de saber orientar e educar o cachorro. Pois está enganado quem acha que a culpa é do cachorro, pois a origem deste comportamento, geralmente está ligada ao proprio responsavel pelo cachorro que dá atenção ao mesmo quando ele expressa este tipo de comportamento. Pois se o responsavel não ensina o filhote a se controlar, nem o estimula a desenvolver outra forma de comunicação, ele dificilmente irá entender que seus latidos incomodam. E o pior é que o cachorro vai usar esse recurso constantemente, principalmente quando estiver se sentindo carente ou sozinho, pois está foi a unica forma que o cachorro aprendeu de comunicar a sua insatisfação com a uma situação que para ele é bastante desagradavel e até assustadora. Diante desta questão, então a primeira coisa a ser feita é descobrir quando, e por quanto tempo o cachorro desenvolve este comportamento de latir de forma escessiva. Se este comportamento aconteçe somente enquanto o responsavel está ausente, ou se é de maneira geral, e independe desta circunstancia. Deve-se identificar o perfil do cachorro, e ver onde ele se enquadra, pois normalmente os cachorros que apresentam este disturbio comportamental, se dividem em dois grupos.

E o grupo que manifesta este disturbio de maneira menos acentuada, e portanto com menor gravidade, é o grupo de cachorros que somente late em situações específicas, como quando ao avistar um estranho ele pode se exceder na freqüência e na intensidade dos latidos, mas é capaz de se controlar, não emitindo latidos excessivos fora da determinada situação. E o outro grupo, já apresenta uma situação comportamental, mais agravada e preocupante, segundo os especialistas em comportamento canino, pois são aqueles cachorros que já perderam o controle sob o motivo e a intensidade dos latidos, e os sons acontecem fora do contexto e mesmo na ausência de estímulos aparentes. Nos dois casos a manifestação deste comportamento pode ser um sintoma ou sinal de que o cachorro precisa liberar energia, está ansioso ou sente alguma ameaça ao próprio território. E então, após classificar em qual grupo o cachorro se enquadra, o fundamental agora, e o mais importante é buscar as causas para este distúrbio. E geralmente são quatro as principais causas e motivos para o cachorro apresentar este grave e irritante disturbio comportamental.

1 - Tédio ou solidão: Devido ao cachorro ficar sozinho por longos períodos de tempo, em um ambiente que não a companhia de outros cachorros ou brinquedos, ter menos de três anos e não tem outros meios para gastar energia. e é de uma raça dinamica, que precisa de uma atividade fisica para extravasar a energia. As recomendações são de que se deve passear com o cachorro pelo menos duas vezes ao dia. pois o exercício o ajuda e o estimula fisica e mentalmente. Dê brinquedos para o cachorro e se divirta com ele, jogue uma bolinha, aproveite e Ensine e pratique tambem comandos ou truques básicos. E se o cachorro latir para chamar sua atenção, dedique um tempo diario suficiente para certos cuidados como (carinhos, higiene, brincadeiras e exercícios). Estas atividades devem ser feitas preferencialmente todos os dias, mas caso não tenha tempo disponivel, contrate um profissional para ao menos caminhar com o cachorro. geralmente os preços são bem acessiveis, e está é uma terapia simples e natural e que surte efeitos bastante positivos, pois socializa e tranquiliza o cachorro,

2 - Questão territorial: Os latidos geralmente acontecem devido a presença ou a proximidade de estranhos no seu territorio, como carteiros, crianças correndo, pessoas na calçada, ou outros cachorros. As recomendações são de quando o cachorro começar a latir para um transeunte, repreenda-o verbalmente, mas sem gritar, interrompendo os seus latidos, e se necessario espirre água no mesmo. Normalmente está atitude cessa os latidos do cachorro imediatamente. E após o cachorro parar com os latidos, e quando já estiver calmo, ensine-o, elogie e recompense a sua obediência. Para que o cachorro possa associar um comportamento tranquilo, equilibrado e obediente com atenção, carinhos, elogios e recompensas. E que coisas boas acontecem para ele Toda vez que ele obedecer e não latir, pois pode ganhar recompensas como biscoitos, brincadeiras, atenção e carinho. E quando estiver em casa e seu cachorro começar a latir, chame-o e pratique os comandos básicos de obediência (“Fica!”, “Senta!”, “Junto!”). Não se esqueça de agradá-lo quando estiver comportado. Não o incentive latir para os estímulos de fora. A esterilização também é um recurso recomendavel e bastante eficiente recomendável, pois cachorros castrados tendem a latir menos.

3 - Medo ou fobia: Acontece quando ele é exposto a ruídos intensos, como tempestades, fogos de artifício, ou barulhos de carros. E s postura caracteristica adotada pelo cachorro mediante uma situação que lhe inspira medo são as orelhas para trás e rabo para baixo. E as recomendações são a que se Identifique o que o assusta e trabalhe para ao menos tentar minimizar estes temores. Se necessario, solicite a ajuda de um profissional durante o processo, que pode ser um treinador ou veterinario, para auxilia-lo no processo de modificação do comportamento do cachorro. Se for necessario, deixa-lo sozinho, Deixe o cachorro em uma área confortável, a televisão ou o rádio ligados tambem ajudam passando a imprensão que tem alguem na casa, E quando o cachorro apresentar um comportamento de medo ou temor, evite mimá-lo, para que ele não associe que está sendo recompensado por seu comportamento medroso.

4 - Ansiedade: O cachorro começa a latir logo após o seu responsavel sair de casa, devido o horario e a rotina do responsavel pelo cachorro ou de seus familiares ter sofrido alterações, como a esposa que passou a trabalhar, e agora o cachorro passa mais tempo sozinho. Esta é a situação que vai exigir mais paciência e dedicação, pois uma mudança na rotina das pessoas que convivem com o cachorro, principalmente nas raças mais sensiveis e apegadas, repercute intensamente no comportamento do cachorro, gerando muita carência e ansiedade no mesmo. E é recomendavel o auxilio de um veterinario para ajudar no processo de adaptação do cachorro a nova situação para diminuir a ansiedade decorrente da falta da presença do responsavel e seus familiares.



E com em relação as coleiras anti-latidos, que se utilizam de choques, sons e spray de citronela, para controlarem os latidos dos cachorros, não são absolutamente recomendadas por não resolverem o problema e principalmente ainda trazerem complicações para a saúde dos cachorros. Pois antes de pensar em corrigir, deve-se entender a causa, e por falta de paciência e tempo para cuidar de seus cachorros, muitas pessoas buscam soluções rapidas e faceis, e reprimir os latidos dos cachorros causando medo e desconforto ao mesmo, pode a principio até funcionar a curto prazo, porem o cachorro não assimila e não aprende nada com estes metodos, e aprender a controlar seus instintos e emoções é mais importante para os cachorros que se condicionar a não ter certo comportamento por medo de choques, sons ou sprays de citronela. Antes de tomar qualquer atitude, consulte um bom profissional e respeite o bem-estar do seu bichinho. Não existe uma saída simples e imediata para solucionar qualquer problema comportamental de cachorros, e certamente a dedicação e o comprometimento dos responsaveis é decisivo. Pois a principio, e da propria natureza do cachorro latir, porque é esta a maneira que eles se comunicam com os seus proximos, que podem ser outros cachorros ou principalmente com as pessoas. E o fundamental é saber reconhecer e controlar os excessos e garantir uma melhor qualidade de vida para o seu cachorro.

Como Evitar Mordidas - Cachorros.



Como Evitar Mordidas - Cachorros: E embora as mordidas de cachorros sejam de ocorrência mais frequente, elas uma menor possibilidade de infeccionar, e são muito menos perigosas do que as mordidas de outros animais domésticos, como por exemplo os gatos, que tem os seus dentes mais afiados e penetram mais profundamente na pele. Porem as mordidas dos cachorros e outros animais domésticos, podem causar uma variedade de problemas, que vão desde infecções leves na pele até doenças mais graves, como tétano e raiva. Devido a estas graves consequencias, não é recomendável se prevenir e não se expor a risco de acidentes, principalmente com cachorros ou outros animais estranhos.


Mas caso ocorra algum acidente, como arranhados e mordidas, lave imediatamente e de forma cuidadosa o local ferido com sabão e agua abundante por alguns minutos, e depois ponha algum antisseptico ou álcool na ferida. E logo após procure procure auxilio medico, principalmente se a mordida ou o arranhão, for nas mãos ou nos dedos, pois mordidas nestes locais são mais propensas a desenvolverem infecções graves, e precisam ser tratadas mais rápido e cuidadosamente. E mesmo que após a consulta medica, nada tenha sido constatado a principio, Se nos próximos dias houver manifestação de febre e/ou inchaço progressivo, vermelhidão e dor no local da mordida, deve-se retornar ao medico imediatamente.

Para que sejam feitos os exames necessários para confirmar e se assegurar de que não houve contaminação e não se contraiu nenhuma infecção através da mordida. Pois há um grande número de bactérias, vírus e germes que podem ser encontrados na boca dos cachorros e outros animais domésticos. Como bactérias estafilococos, estreptococos, e Pasteurella multocida, que podem levar a infecções serias e potencialmente perigosas, que podem se espalhar por todo o organismo como tendões, ossos e corrente sanguínea. e vírus como o Clostridium tetani, que causa de tétano e o vírus Rhabdovirus RNA que causa raiva, que é uma infecção que afeta todo o sistema nervoso e o cérebro e em 99% dos casos é fatal.


E as crianças são as que estão mais propensas a estes acidentes e consequentemente correm um maior risco de serem mordidas ou arranhadas, por cachorros ou outros animais domésticos. Por elas não tem conciencia ou noção de como se deve proceder e tratar e o perigo que representa a possibilidade de uma eventual reação agressiva principalmente por parte dos cachorros a uma brincadeira bruta ou incomoda feita pelas crianças. e crianças do sexo masculino, ou seja meninos com idades variando entre 5 e 9 anos estão mais propensos a sofrerem este tipo de acidente e apresentam um maior risco de serem mordidos por cachorros.

Sendo que a grande maioria dos acidentes são reativos por parte dos cachorros, pois os cachorros apenas reagem ou se defendem de uma brincadeira bruta, ação agressiva ou provocação por parte das crianças. E as medidas e formas mais efetivas de se prevenir estes acidentes e as eventuais infecções é é saber controlar e conter em uma abordagem dupla tanto o comportamento da criança, quanto o comportamento do cachorro. Educando e orientando as crianças de como devem proceder ao lidar com os cachorros e outros animais, e treinar, orientar e conter os cachorros em relação a seu comportamento com as pessoas, principalmente com as crianças da família.


Os cachorros que estão habituados a viver cercados por muitas pessoas são menos propensos a se tornarem agressivos ou se envolverem em acidentes deste tipo. porem cachorros que passam muito tempo sozinhos, e tem pouco contato com crianças, tem um tendência a serem mais impacientes e agressivos, tanto com estranhos, quanto com situações que os incomodem ou os provoquem. Se necessário treine ou contrate um adestrador para ensinar o cachorro a controlar a sua tendência agressiva. E tambem ensinar as crianças que não deve-se brincar ou provocar cachorros ou outros animais estranhos. Pois mesmo um pequeno gatinho, pode reagir com um arranhão ou uma mordida, que podem ser ter graves consequencias.

E principalmente que as crianças evitem provocar os cachorros, com chutes, empurrões, puxões ou ou perseguições. E tambem a nunca incomodar um cachorro que está comendo ou dormindo. E mantenha a vacinação em dia, principalmente a vacina contra raiva, e caso haja algum acidente, não exista a possibilidades de infecção por este vírus fatal. Neutralize tambem a propenso comportamento agressivo do cachorro através do procedimento da Castração, pois cachorros e outros animais castrados são mais calmos e menos propensos a reagirem agressivamente. Se informe com o seu veterinário, sobre as vantagens deste procedimento, e o momento mais apropriado para se fazê-lo.




COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado

.COMO ACABAR COM AS PULGAS!