.

segunda-feira, janeiro 12, 2015

Cachorros - Inflamação das Mamas..





Cachorros - Inflamação das Mamas: A Mastite é uma inflamação das mamas, que acomete as cadelas lactantes frequentemente em um grande percentual,  e que traz graves conseqüências, tanto para a cadelas lactantes quanto para os filhotes por ela alimentados. E a cadela que manifesta a presença da mastite perde o apetite, torna-se apática e desenvolvendo tambem febre, e apresenta consequentemente uma aceleração do seu ritmo cardio-respiratório. Além disso, podem aparecer também sintomas relacionados com o aparelho digestivo, como diarréia e vômitos. E as mamas da cadela ficam avermelhadas, tornando-se inflamadas e rigidas e durante a apalpação a cadela demonstra dor e desconforto. E a inflamação inicia-se da base da mama até envolve-la por inteiro e pode tambem estender-se pelos tecidos cutâneos vizinhos, e quando se pressiona a mama atingida, sai um líquido seroso ou hemorrágico. 

Algumas vezes pode-se notar também a presença de abcessos na massa de tecido da mama. Forma-se pus e, quando o abcesso está maduro, elimina-se progressivamente o conteúdo deixando uma cavidade cheia de restos de tecido conjuntivo. Neste caso, os sintomas diminuem de intensidade e começa o processo de cicatrização. No entanto, às vezes, este processo progride chegando à causar a gangrena, o que pode rapidamente em 2 ou 3 dias provocar a morte da cadela se não foi tratada adequadamente. E os filhotes amamentados pelas fêmeas que são acometidas pela mastite, tambem sofrem as consequencias da presença da doença na fêmea lactante. Pois principalmente nesta fase de suas vidas a saúde dos filhotes dependem diretamente da qualidade do leite da mãe, sendo eles afetados imediatamente por qualquer processo infamatório ou infeccioso manifestado e desenvolvido pela cadela. 

Assim, se o leite da cadela lactante está infeccionado com agentes patogénicos, que é denomina como a síndrome do leite tóxico, os filhotes consequentemente serão afetados rapidamente e se não forem tratados imediatamente correm um grande risco de morrerem intoxicados. Devido a isto, quando forem observados indícios que possam levar a suspeita da presença da mastite como filhotes da ninhada que estejam debilitados e que repentinamente passem a perder peso rapidamente, que chorem intensa e constantemente ou sofram com transtornos digestivos ou apresentem irritações e descamações cutâneos, deve-se apalpar e verificar qualquer anormalidade nas mamas da cadela lactante, e as suas condições de saúde, como a presença de febre, apatia e a falta de apetite. 

E para se avaliar a qualidade do leite, pode-se medir o seu PH ou o grau de acidez que em condições normais é neutro e com a presença da mastite torna-se ácido.  Outro exame tambem muito importante para se detectar a presença mastite é o exame bacteriológico que confirmará a existência de agentes infecciosos no leite. Em todos os casos, é imprencindivel e necessária a presença de um veterinário. Como em outras espécies animais de mamíferos, a mastite nas cadelas se manifesta apenas quando elas estejam lactantes ou produzindo leite, e inicia-se geralmente após o parto, podendo ocorrer tambem excepcionalmente durante uma gravidez falsa ou psicológica. 

E a mastite pode ter entre as suas causas diversas possibilidades, como as lesões ocasionadas na pele da mama ou do mamilo, pelas pequenas unhas dos filhotes, que podem permitir a invasão de agentes patogênicos, com o consequente desenvolvimento de inflamação e dor localizada. O que pode fazer com que a cadela evite amamentar os filhotes e, como conseqüência, haverá uma retenção do leite, o que pode vir a favorecer o desenvolvimento da infecção, que pode-rá atingir as glândulas mamarias atraves da via linfática. Porem, geralmente a infecção atinge a mama por via sanguínea, sendo originada por outro foco infeccioso, sendo o mais frequente uma inflamação do útero em conseqüência de problemas no parto e que, por descuido ou desconhecimento, não foi tratado. 

Existem tambem muitos outros focos causadores da mastite e, entre eles, pode-se citar transtornos digestivos como diarréia e prisão de ventre, e em consequencia destes transtornos os agentes patogênicos conseguem alcançar e invadir o tecido mamário. E o tratamento para a mastite, apos o diagnóstico da confirmação de sua presença, é feito com a prescrição e orientação do veterinário, com anti-inflamatórios para se combater a inflamação e analgésicos para combater a dor, caso hajá a presença de abcessos, dependendo da gravidade pode háver a necessidade da utilização de antibióticos, tambem devidamente prescritos por um veterinário, porem normalmente os abcessos podem ser tratados somente com uma higienização diária e com a colocação de compressas umidas e quentes para eliminação do material pustulento até a posterior cicatrização.   

quarta-feira, janeiro 07, 2015

Sarna Vermelha - Cachorros.



Sarna Vermelha - Cachorros:  É vulgarmente conhecida também como Sarna Negra dos Cachorros ou Sarna Vermelha e e transmitida pelo ácaro Demodex canis, e ao contrario da Sarna Sarcoptica (Escabiose) não e uma Zoonoze, ou seja não e transmissivel dos cachorros para os seres humanos. O ciclo de vida do acaro Demodex canis possui vários estágios, semelhantes ao acaro Sarcoptes Scabiel canis(Sarna Sarcoptica - Escabiose) que começa na fase ovular (ovo) passa pelas fases de larva e ninfa e fecha o ciclo na fase adulta ( Macho/Fêmea). A conclusão Total destes ciclos leva em media de 18 a 25 dias. O Demodex canis em todas as suas fases vive nos folículos pilosos dos cachorros parasitados (hospedeiros). Onde inclusive as fêmeas põem seus ovos e onde também todos os ácaros(larvas/ninfas/adultos) se alimentam das secreções sebaceas e das células epteliais do folículo piloso.

E devido as lesões causadas no hospedeiro pela ação parasitaria do Demodex canis ao se alimentar das células epteliais dos folículos pilosos pode haver a possibilidade de infecções por fungos ou bactérias. Estas lesões podem ser locais como no dorso, nas partes internas das patas, entre os dedos e em volta da boca do cachorro. Ou generalizadas que acometem geralmente cachorros idosos, anémicos ou com baixa imunidade. A Sarna Demotica ou demodicose, pode produzir dois tipos de lesões que são a Carcinoma, que provoca queda de pelos (alopecia) e espessamento da pele e a Pustulosa que é o pior tipo e o mais grave,e que causa infecções de vários tipos (fungos/vírus/bactérias), e produz lesões com secreções pústulosas na pele.

A Sarna Demodecica e uma doença cronica, ou seja pode ser tratada mas não curada, e através do tratamento consegue-se controla-la, e com o cachorro após o tratamento podendo ter uma vida plena. Existem também teorias de que Sarna Demodecida seja hereditária, entretanto não há qualquer tipo de prova concreta que confirme que a Sarna Demodecica seja transmitida pelo sangue ou pelo leite da fêmea genitora para seu filhote, nem de que a Sarna Demodecica seja uma doença hereditária. Como a transmissão ocorre principalmente pelo contato direto entre os cachorros.

A proximidade constante e intensa da fêmea genitora infectada com seu filhote propicia condições para que o filhote logo após o nascimento seja contagiado pela doença. Principalmente durante a amamentação, passando a impressão e criando a teoria de que o filhote herdou geneticamente a doença, teoria esta que carece de comprovação  cientifica e consequente credibilidade. Evite a auto-medicação e tratamento sem acompanhamento veterinário, pois isto poderá agravar a doença e retardar o tratamento adequado. O diagnóstico, o tratamento e a medicação devem ser feitos com a prescrição e o acompanhamento de um veterinário.

sábado, janeiro 03, 2015

Cachorros - Griffon Korthals.



Cachorros - Griffon Korthals: O Korthals Griffon é um cachorro de origem europeia, a raça foi desenvolvida na Alemanha em 1887 pelo holandês Eduard Karel Korthals, resultando em uma raça peluda e desgrenhado, sendo que o seu padrão foi definido na França. A raça é um cruzamento entre o Français Braque,o Barbet e o Pointer, é um essencialmente um cachorro de caça, e que pode ser usado tanto para caçar animais grandes, quanto pequenos. Porem o Korthals Griffon também pode tranquilamente ser usado como um cachorro de companhia. E quanto ao seu porte Um adulto do macho tem em media cerca de 58 centímetros de altura, e uma femea cerca de 53 centímetros.



É uma raça de porte médio, bastante resistente e forte, e que é coberta com uma pelagem de comprimento médio, bastante resistente e que não está propenso a queda, mas ele tem um sub pêlo macio relativamente grosso que não é o ideal para climas mais quentes. É a pelagem desta raça não que requer maior quantidade de cuidados, pois todos os cachorros que têm pelagens grossos como está. Tem necessidade de ser verificada ao longo do tempo, para se certificar de que não pegaram rebarbas, especialmente em torno de seus olhos e pés. Eles tendem tambem a perderem muito pouco pelo, porem precisam ser escovados ocasionalmente para remover-se o pelo solto e dar espaço para um novo crescimento.



Também os banhos não são um problema, devido ao fato de que eles não sofrem de doenças da pele, que são comuns em outras raças. Entretanto não se dão muito bem em climas extremamente quentes, devido a isto, devem sempre terem a sua disposição um lugar fresco. Esta raça tambem possui distintivos olhos  com sobrancelhas grossas e cavanhaque espesso no final de seu focinho visivelmente quadrados. E é um cachorro de campo qualificado, que realmente adora caçar na água, o que faz dele um cachorro ideal para a caça de aves aquáticas. Ao contrário de outras raças de cachorros de caça, que tendem a vaguear por grandes parte do território, o Korthals Griffon tende a ser mais paciente e metódico, e na maior parte do tempo fica aguardando e observando a melhor ocasião para apontar a presa.



Ele também tem diversos atributos que o tornam um ótimo cachorro, para a casa e para a família, principalmente a sua tranqüilidade. Também tende a ser curioso e amigável, com convidados e amigos que chegam na casa, principalmente se tiver sido socializado quando filhote. Este cachorro também tende a ser bastante gentil com as crianças, com quem geralmente é muito brincalhão. Uma de suas deficiências, porém, é que não pode ficar confinado a um quintal, pois tendem a desenvolver problemas comportamentais e se tornarem bastante destrutivos, tambem necessitam de passeios regulares. No entanto, são facilmente treináveis e estão sempre ansiosos para agradar, e pouco inclinados a concorrerem e desafiarem o domínio já estabelecido de outros cachorros.



Pois naturalmente tendem a se darem bem com os demais cachorros e outros animais em seu ambiente, incluindo gatos. E assim que a raça foi criada e desenvolvida, havia na época um grande interesse do público para criação de muitos tipos de raças tipicamente Griffons, que resultou em muitas das várias raças que estão conosco atualmente. No entanto, foi nas sociedades antigas, como os gregos e os romanos que foram os primeiros a tomar a ciência da criação de cachorros, que inclusive não é nenhuma surpresa de que a primeiras menções e representações a respeito dos Griffons tenham sido na Grécia a mais de 2500 anos atrás.  A raça se tornou imediatamente popular com os desportistas do continente norte-americano, mas assim como aconteceu com tantas outras raças de cachorros, no decorrer das duas Grandes Guerras Mundiais.



Parou-se completamente qualquer programa de aprimoramento e melhoramento da raça. Isso se deveu ao fato de que os grandes cachorros da raça esportivos, devido a sua presteza e inteligência estavam em grande demanda nos serviços armados e foram levados para ambas as guerra em grande número. E somente em 1950, que foi despertado, e houve um interesse renovado na raça, quando novamente diversos filhotes foram formados, com exemplares remanescentes desta que é considerada uma das únicas raças de cachorro desportivo polivalente. Inclusive ele permanece popular até hoje, mas devido a mudanças demográficas e as necessidades especiais desta raça em relação ao clima, pode em alguns países ser um cachorro muito raro.














sexta-feira, janeiro 02, 2015

Pequeno Cão Schnauzer.




Pequeno Cão Schnauzer: O Schnauzer Miniatura é uma raça de pequeno cão do Schnauzer tipo que se originou na Alemanha na-de-final 19 meados do século. Schnauzers diminuto desenvolvido a partir de cruzamentos entre o Schnauzer Standard e um ou mais raças menores, como o Poodle e Affenpinscher .

A raça continua sendo um dos mais populares do mundo ampla, principalmente por seu temperamento e tamanho relativamente pequeno. Globalmente, o Schnauzer miniatura vem em quatro cores: preto, sal e pimenta, preto e prata e branco. A partir de 2008 é a raça mais popular em 11 os EUA,  embora o American Kennel Club reconhece apenas três cores sólidas e considera a desqualificação de um branco. 

Cores como o chocolate, o fígado, e parti (multi-cor ou manchado) estão disponíveis no comércio de animais e pode ser registrado como puro-mulas por algumas organizações, mas atualmente não são reconhecidos por todos os clubes legítima para shows de conformação. 

Adulto preto e prata com cauda e orelhas naturais desacopladas em um show Europeia Schnauzers diminuto normalmente têm um pequeno quadrado de proporções construir, medindo 12 a 14 polegadas (30-36 cm) de altura e pesando 11 a 15 libras (5,0 a 6,8 kg) para o sexo feminino e 14 a 18 libras (6,4-8,2 kg) para o sexo masculino. 

Eles têm uma pelagem dupla. A pelagem exterior é dura e o subpêlo é suave. A pelagem é aparada curta no corpo, mas o cabelo nas orelhas, pernas, e borda do corpo, também conhecido como o "mobiliário", são mantidas. O primeiro padrão para a raça Schnauzer, fundado em 1907, exigiu a formação de cor específica: "Cor:. 

Todas as tonalidades de cor sal e pimenta ou similar misturas de cores iguais e eriçados preto sólido Faltas: ... Tudo branco, salpicado, tigrado, vermelho, ou farelo de cores. " Schnauzer miniatura são freqüentemente descritos como não- derramamento cães, e enquanto isso não é inteiramente verdade, a sua queda é mínima e, geralmente, imperceptíveis. 

Eles são caracterizados por uma longa cabeça, com espessa barba, bigode e sobrancelhas, dentes que se reúnem em uma "mordida de tesoura", oval e olhos escuros e coloridos, e em forma de V, natural orelhas para a frente, dobrando-se. 

Quando cortadas, as orelhas ponto reto para cima e chegar a um ponto afiado. Suas caudas são naturalmente finos e curtos, e pode ser encaixado (quando permitido). Eles também têm muito em linha reta, pernas dianteiras rígidas, e os pés que são curtos e redondos (os chamados "pés de gato"), com espessura, almofadas pretas.

Temperamento:
Sal e pimenta a execução completa, o padrão oficial da raça Schnauzer miniatura descreve o temperamento como o "alerta e espirituoso, mas obediente ao comando. Ele é simpático, inteligente e disposto a agradar. Ele nunca deve ser
excessivamente agressivo ou tímido." 

Normalmente, fácil de treinar, elas tendem a ser cães de guarda excelentes, com um bom instinto territorial, mas mais inclinado para a notificação de ataque vocal (mais casca do que a mordida). Elas são muitas vezes guardados em relação a estranhos até os donos da casa aos seus hóspedes, sobre o qual eles normalmente são muito amigáveis ​​com eles; ao contrário de alguns de seus primos terrier, eles não são normalmente agressivos. 

No entanto, eles vão se expressar oralmente, e pode latir para cumprimentar seu dono, ou para expressar alegria, excitação ou desprazer.
Adequada socialização com outros cães e pessoas é importante.  A raça é geralmente boa com as crianças, mas como acontece com qualquer cão, brincar com crianças pequenas devem ser
supervisionadas. 

São cães muito brincalhão, e se não for dada a saída necessária para a energia que pode tornar-se aborrecido e inventar as suas próprias "diversão". Schnauzers tem um "drive de caça alto" (adequado para um cão ratting), o que significa que eles podem atacar outros pequenos animais, como pássaros, cobras e roedores. 

Muitos também irá atacar os gatos, mas isso pode ser combatido com a formação, ou se o cão é criado com gatos.  Atividades, schnauzers diminuto pode competir em agilidade do cão ensaios, obediência , exibicionismo , flyball, acompanhamento e pastoreio eventos. 

Pastoreio instintos e treinabilidade podem ser medidos em testes não-competitivo de pastoreio. Schnauzers exibindo básicos instintos de pastoreio podem ser treinados para competir em provas de pastoreio. 

História:
Os registros mais antigos em torno do desenvolvimento do Schnauzer Standard (ou Mittelschnauzer) na Alemanha vêm do século 19. Eles foram originalmente criados para serem cães de porte médio fazenda na Alemanha, ideal para ratting, pastoreio, guarda e propriedade e crianças.  
tempo passou, os agricultores raça Schnauzer estabelece o padrão em um menor tamanho mais compacto, perfeito para ratting ao redor da casa eo celeiro.  Diversas raças de pequeno porte foram empregados em cruzamentos para derrubar o tamanho do bem estabelecida Schnauzer Standard. 

Com o objetivo de criar uma duplicata em miniatura.  Crossing a outras raças, como o Affenpinscher e Poodle , teve o efeito colateral da
introdução de cores que não foram considerados aceitáveis ​​para a meta final - e como os criadores
trabalhou para a estabilização do pool genético, particolors falta marcada (cores misturadas) e
filhotes brancos foram retirados dos programas de melhoramento. 

Desde 1950, os filhotes brancos têm re-emergiu como uma variante de cor potencial, dando origem ao Schnauzer Branco Controvérsia da América do Norte (veja abaixo).

Reconhecimento:
O primeiro registro Schnauzer surgiu em 1888, ea primeira exposição foi realizada em 1899.
O AKC aceita o registo da nova geração em 1926, dois anos após Schnauzers diminuto foram
introduzidos nos Estados Unidos. 

O AKC grupos raciais isso com o Terriers , porque foi desenvolvido para um propósito semelhante e tem um caráter semelhante ao das raças terrier da
Grã-Bretanha e Irlanda. Embora o Schnauzer Miniatura foi criado para ser um caçador de ratos, como os terriers britânicos, é mais corretamente chamado de pinscher (um termo descritivo como Setter ou Retriever).

O Schnauzer Miniatura foi reconhecido pelo United Kennel Club em 1948 e também os grupos da raça como um terrier. O Reino Unido The Kennel Club no entanto, não aceita o Schnauzer miniatura como um verdadeiro Terrier, pois não se originam das raças terrier das Ilhas Britânicas. 

Como o terrier tibetano e Boston Terrier, ele lista o Schnauzer diminuto no grupo utilitário para executar programas no âmbito do Kennel Club britânico regras como Crufts . A Organização Mundial Canina aceita as raças Schnauzer, mas, novamente, não lista o Schnauzer miniatura como um Terrier, embora admita o Schnauzer Branco para a conformação.

Saúde e Higiene:
Adulto preto e prata com orelhas naturais, as sobrancelhas longas e barba são marcas características do aliciamento.  Embora geralmente uma raça saudável, Schnauzers diminuto podem sofrer problemas de saúde associados com altos níveis de gordura. 

Tais problemas incluem a hiperlipidemia , o que pode aumentar a possibilidade de pancreatite , embora tanto pode formar de forma independente. Outras questões que podem afetar esta raça são a diabetes , pedras na bexiga e problemas oculares. Alimentando o cão de baixa ou não-gordos e os alimentos sem açúcar pode ajudar a evitar esses problemas.

Schnauzer miniatura também são propensos a comedão síndrome, uma condição que produz pus solavancos cheia, geralmente nas costas, que pode ser tratada com uma variedade de protocolos. Schnauzer Miniatura deve ter as orelhas secas após o banho devido ao risco de infecção, especialmente aqueles com orelhas não cortadas, devem ser parte de exames regulares de check-up anual no ouvido  

As outras duas doenças comuns observados em Schnauzers diminuto é displasia da anca e da doença de von Willebrand (DvW) em cães, a DvW é uma doença hemorrágica hereditária que ocorre devido à deficiência quantitativa ou qualitativa do fator de von Willebrand (vWF), uma proteína multimérica que é necessário para a adesão das plaquetas.

Schnauzers tem um corte específico noivo que é padrão entre a raça Schnauzer. Schnauzers requerem cuidados regulares, quer por stripping (maioritariamente observadas em cães de exposição), ou por corte (um pequeno corte geralmente reservado para animais de estimação da família). 

Stripping remove o casaco, solta mortos, que pode ser feito à mão, chamado de dedo descascando, ou arrancar, ou com uma faca de descascar, de qualquer forma, é um processo trabalhoso. Muitos Schnauzers diminuto que são animais de estimação têm regular e aliciamento para ter seu cabelo cortado; recorte, usando um cortador mecânico (ou máquina), produz um pano macio, sedoso, pele perto da guarnição. 

Se descascada ou cortada, o casaco está próximo do corpo, e cai em uma fundação como a franja em seu trem de pouso, chamado de mobiliário, que pode ser deixado de crescer, mas devem ser penteados regularmente.

Todos os Schnauzers, sejam eles ministros, Normas , ou gigantes , muitas vezes, um esporte barba, criado por permitir que o cabelo volta a crescer o nariz para fora. Esquerda ou unclipped
unstripped, o cabelo corpo vai crescer 2-4 polegadas, e, muitas vezes, emaranhado em esteiras e cachos.

Controvérsia Schnauzer Branco da América do Norte. O Schnauzer Branco é uma das quatro variedades de cor do Schnauzer miniatura reconhecido pelo-Schnauzer Klub Pinscher da Alemanha e da Organização Mundial Canina . Nem todos os criadores de cães aceitam a variedade branca como uma variação legítima para conformação (show) e as normas não são aceitos nem pela American Kennel Club ou o Canadian Kennel Club. 

A controvérsia repousa sobre as origens disputada da variação branco, se é uma ocorrência natural, embora a cor, recessiva, uma característica albinos, ou uma mutação genética insalubres.
A partir de pesquisas genealógicas, o "branco" (Gelb ou "amarelo", como era chamado no início de registros alemão) gene foi introduzido na raça Schnauzer miniatura, principalmente através de um

Negro Campeão Alemão schnauzer miniatura chamado Pedro V Westerberg (PZ604), nascidos em novembro 1902. [ carece de fontes? ] Peter estava carregando obviamente um gene "e" porque está registrado que ele foi criado para uma fêmea chamada Gretel VD Werneburg (PZ1530) (cor desconhecida). 

E produziu um amarelo "fêmea filhote" chamado Mucki VD Werneburg ( PSZ 8), nascido em outubro de 1914. Mucki foi cruzada com um neto de Pedro, chamado Pucki VD Werneburg, sal e pimenta escura PSZ12 variação, que por sua vez, produziu o Campeão Alemão Negro Peterle VD Werneburg, PSZ11 nasceu 02 de junho de 1916, que também teve que ter a "e" gene , pois sua mãe era amarela. 

Pedro V Westerburg ou o seu neto, Peterle (literalmente, Pedrinho), pode ser rastreada para quase todas as linhas Schnauzer Miniatura pesquisados ​​nos registros AKC. Por exemplo, o rastreamento cada antepassado de 5 ªgeração de Dorem Display [ esclarecimentos necessários ] revela cada cão volta para Peter Von Westerberg. 

Toda vez que uma raça estabelecida é cruzado com outro, ou quando as raças são criados ao longo de gerações para características específicas, por qualquer motivo, parte das características desta raça são herdadas através da estrutura do DNA, seja ele de cor, estrutura, capacidade de trabalho, o temperamento, a doença , ou qualquer outra característica hereditária. 

única maneira de provar se um cão da raça carrega uma característica hereditária é determinada por testes de DNA e teste de DNA não estava disponível quando o branco apareceu pela primeira vez como a cor da pelagem em Schnauzer miniatura. criadores de Schnauzer afirmaram terem erradicado o gene branco no início do século 20. 

Com tantos cruzamentos de linha de raça, é estatisticamente impossível erradicar o "branco" e do gene ", por avaliação visual sozinho. Compondo a controvérsia, não se conhecem dados concretos para apoiar a afirmação de que Gelb é igual a 'branca'. Os criadores da raça no final dos anos 19 e início do século 20 na Alemanha queria uma cópia exata do Schnauzer Standard. 

O Schnauzer Standard nunca apareceu no branco, ou mesmo a variedade de cores Gelb. O original Schnauzer Club em desclassificado brancos Alemanha e contou criadores de cores Parti e brancos sólida para não continuar a produzir essas cores, pois ia contra os padrões da raça ideal. 

Herança da cor do revestimento, show de qualidade branco com uma cauda e orelhas naturais desencaixado
Veja também: Hereditariedade
Depois de testar vários cães brancos independentes de todo o mundo, foi recentemente comprovada por testes de DNA que o genótipo para o Schnauzer Miniatura Branco é "e / e" no MC1r (comumente referido como o "E" locus). 

O "E", uma extensão normal de preto, permite que a série A-alelos para mostrar, através, e "e" recessiva, vermelho / amarelo, substitui qualquer gene está presente no locus A para produzir um cão que mostra apenas phaeomelanin pigmento o casaco. 

Pele e cor dos olhos mostram aparentemente normais eumelanina , apesar de alguns ", e e" cachorros parecem mostrar reduzida de pigmento sobre o nariz, especialmente no inverno (nariz de neve), mas depois de apanhar sol em dias quentes, eles recuperam o marrom pigmento escuro em seus narizes , bem como seres humanos para obter
um bronzeado no verão. 

A maioria dos Schnauzers miniatura branco com brasões original dura vai ter uma raia amarela em suas costas e na cabeça quando seu cabelo é lado despojado e as extremidades tornam-se queimado ou morto. Supõe-se é por isso que eles foram originalmente chamado de "amarelo" em registros alemão. 

Existem duas formas de melanina (pigmento) em 'cabelo casacos mamíferos. O primeiro é chamado
eumelanina. A forma de base de eumelanina é negra. Eumelanina também podem aparecer marrons (muitas vezes chamado de fígado em cães) ou azul-cinza. 

O segundo pigmento, que varia de creme pálido até tons de castanho, amarelo e vermelho / alaranjado é chamado feomelanina.  Todos os cães têm alelos em cada locus. Nem todos os alelos proposta ter sido provada a existir. 

Os locos de cor geralmente reconhecidos em cães são referidas como: A (cutia), B (marrom), C (série albino), D (diluição azul) E (extensão), G (envelhecimento), M (merle), R ( roaning), S (manchas brancas) e T (ticking.) Pode haver mais, ainda não reconhecida série de genes, e em uma determinada raça, fatores modificadores podem afetar drasticamente a aparência atual. 

O último lugar proposto é o locus K para o preto dominante em certas raças, incluindo o Schnauzer Miniatura. White Miniature Schnauzer não possuem a "d" alelo, o que é comumente conhecido como o gene responsável diluição para diluir tanto do pigmento eumelanina e feomelanina. Esta é a razão porque verdade Schnauzer miniatura branca tem pigmentação da pele negra e olhos escuros. Genótipos para o branco Schnauzer são propostos como se segue, mostrando que eles podem "transportar" para qualquer uma das outras três cores sólidas preto, B & S ou S & P. 

Aw, aw  D, D  e, e  k, k (branco para realização S & P)
aw, na  D, D  e, e  K, k (branco para realização S & P, B & S, e preto)
menos, a  D, D  e, e  K, k (branco realização de B & S, e preto)
Este "e, e" genótipo para o branco Schnauzer prova que todas as outras 3 cores pode transportar um gene para o branco e também que nenhum dos três Schnauzer cor raça schnauzer para outro de qualquer cor que está carregando um "e" gene pode produzir um filhote branco de que o acasalamento. 

Portanto, um B & S com o genótipo de menos, a, E, E, K, k cruzado com outro de B & S com o mesmo genótipo pode produzir um filhote de cachorro branco. As probabilidades estatísticas são: 50% serão: no, no, E, E, K, k, (B & S) 25% serão: no, no, E, E, K, k (B & S) 25% serão: no, no, E, E, K, k (branco)

Acasalamento branco 2 Schnauzer miniatura, em conjunto, produzem filhotes 100% branco porque branco é um gene recessivo fenótipo duplo. 
Controvérsia hoje dois anos, branco, com cauda cortada e as orelhas cortadas Hoje, o American Miniature Schnauzer Club e American Kennel Club padrão descreve o White Miniature Schnauzer como uma desqualificação da mostra de conformação. 

A American Miniature Schnauzer Club e AKC manter as cores padrões da raça original. Criadores do crédito variante branca que estes cães não têm sabido ou congênitas letais teorias gene branco. 

Eles não são cães albinos, e cães brancos descrito como Schnauzer miniatura são afetuosos e cães robustos que apresentam todas as qualidades de seus colegas coloridos . A Federação Cinológica Internacional (FCI) reconhece agora branco na raça normas estabelecidas pelos países de origem da raça. 

The White Miniature Schnauzer podem competir no AKC sancionada outros eventos, como agilidade, bom cidadão canino, obediência, ou ensaios Earthdog, mas não em competição de conformação.  The White Miniature Schnauzer podem ser mostradas em Conformações mostra sancionada pela FCI emcompetições internacionais, ea variante branco está se tornando muito popular na Europa como um cãode show.



The White Miniature Schnauzer iniciativa foi estabelecida em 2006 na Alemanha para os amigos e criadores da White Miniature Schnauzer mundial para promover o interesse e proporcionar uma rede de informação para compartilhar idéias e informações e para dar a criadores a oportunidade de trocar e expandir seus genes.

quinta-feira, janeiro 01, 2015

Cachorro de Madagascar.



Cachorro de Madagascar: Coton de Tulear é uma raça nativa do Madagascar, e descendente de cachorros Franceses da época colonial. E alem de ter se originado na Ilha de Madagascar, na costa da África, ainda é a raça oficial de Madagascar. Os ancestrais do Coton de Tulear chegaram em Madagascar por volta do século XVI, a bordo de navios mercantes e piratas, onde estes haviam estabelecido uma colônia. Os cachorros viajavam nos navios para caçar ratos e tambem para fazer companhia. E a raça preferida era a Maltês, pois podia ser trocada por favores com as mulheres do porto de Toliara (Tulear), e o cruzamento desses Malteses com outros cachorros levados à ilha originaram a raça Coton de Tulear, que muito se assemelha ao Bichon Tenerife e ao Tenerife Terrier.

Também são próximos do Bichon Frise e Bichon Havanês, todos esses descentes da raça Maltês, inclusive o Coton de Tulear antigo era muito apreciado pelas mulheres da tribo Merina de Madagascar. Através dos sucessivos cruzamentos, aprimoramentos e talvez de alguma mutação surgiu a exuberante pelagem do Coton de Tulear que hoje é uma das características da raça. E o Coton de Tulear pela sua beleza, temperamento dócil e cativante logo conquistou a nobreza da Ilha de Madagascar, inclusive com o tempo foi proibido a pessoas que não pertencessem à nobreza ter um Coton de Tulear.

No ano de 1970 começaram ser levados para a França, porem só após permissão especial, e em 1973 foi permitido ao Dr. Robert Jay Russel levar alguns exemplares da raça para os Estados Unidos. No Brasil a raça chegou oficialmente em 2001 importada pelo Canil Royal Windsor, sendo que a raça ficou conhecida no mundo como “O cachorro da nobreza de Madagascar”. E quanto a aparência, o Coton de Tulear normalmente são descritos como uma “bola de algodão” , de pelo macio, olhos expressivos e com um nariz negro e proeminente.

Sua pelagem é integralmente de cor branca, podendo ter manchas ao redor dos olhos, nas orelhas e no dorso das cores preta, marrom ou creme, e o seu comprimento varia de 10 a 15 cm. E tambem a raça é hipoalergênica, ou seja não causa alergia, não perde pelos além de não possuir um odor, como acontece na grande maioria das outras raças. E o seu tamanho, porte e peso são de altura variando entre 22 à 29 cm, e o seu peso é de 4 a 6 kg.

No Brasil a principal entidade de registro da raça é a CBKC (Confederação Brasileira de Kennels Clubs). O Coton de Tulear é uma raça extremamente recomendada para crianças por causa de seu temperamento dócil, cativante e amigavél. A família canina Bichon consiste em várias raças distintas, inclusive o Coton de Tulear. Em ordem de popularidade da família Bichon nos EUA, estão em ordem crescente estas raças, Maltês, Bichon Frisé, Havanese, Löwchen, (Pequeno Cão Leão) Bichon Havanês e o Bolonhês.




COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado

.COMO ACABAR COM AS PULGAS!