COMPARTILHE A POSTAGEM.

Seja bem-vindo. Hoje é

SEGUIR NO TWITTER.

Follow CachorrosBlogs on Twitter

15 setembro, 2010

Cachorro - Fungos (Dermatofitose/Sintomas).


Cachorros - Fungos (Dermatofitose/Sintomas):  Os fungos transmissores de doenças infecciosas como as dermatoses são os fungos da espécie Microsporum Canis, e que transmitem estas doenças infecciosa através do contato direto entre os cachorros, e o Microsporum Gypsem Fulvum que transmite a infecção através do contato do cachorro com a terra. Sendo que o fungo da espécie Microsporum Canis é o agente responsável pelo maior incidência de casos de dermatose infecciosa, e a sua pior variante que é a Zoonose Dermatofitose, e que por ser uma zoonose, acomete tanto os cachorros quanto os seres humanos. E a Dermatofitose é uma Zoonose altamente infectuosa, então deve-se assim que for diagnosticada por um veterinário através dos exames laboratorias caracteristicos, tomar-se imediatamente todos os cuidados e providências para a sua total eliminação e consequente cura. A dermatofitose é também conhecida vulgarmente como tinha, e apresenta diversos sintomas e sinais clínicos. 

E a Zoonose Dermatofitose, apresenta sintomas que se manifestam nos cachorros como perda de pelos (alopecia), e com aparência das falhas em forma de círculos, lesões com inflamações e postulas, vermelhidão na pele (eritema) devido a inflamações nos folículos dos pelos, e também com descamações e irritações cutâneas (prurido) intensas. E as lesões cutâneas causadas pelo fungo Microsporum Canis, concentram-se geralmente no cachorro em locais como as patas, face, e em volta da boca, orelhas e cauda. E estas lesões com inflamações e postulas são consequências de uma reação alérgica do cachorro aos fungos. Entretanto nem todos os cachorros infectados pelo fungo Microsporum Canis apresentam evolução da doença infecciosa Dermatofitose ou manifestam seus sintomas, sendo portanto estes cachorros portadores assintomatico da doença. 

E para se ter um diagnóstico confiável e preciso da presença da Zoonose Dermatofitose no cachorro com suspeita de infecção, faz-se necessário por parte do veterinário um exame microscopico do material recolhido das lesões decorrentes, para analise e confirmação da ocorrência da Dermatofitose e de seu respectivo tipo de fungo. Existem também outros tipos de exames, que são utilizados para diagnosticar a presença da Dermatofitose, como o teste feito por uma lâmpada especifica denominada lâmpada de Wood. Que entretanto, não permite a obtenção de resultados precisos pois há uma variação percentual de ate 50% na possibilidade de detecção ou não da presença da Dermatofitose. E um resultado que não indique a presença desta Zoonose, feito pela lâmpada de Wood não pode ser determinado como definitivo, pois é possível haver a ocorrênçia da Dermatofitose, mesmo que o teste com a lâmpada indique um resultado negativo sobre a presença da doença. Sendo então o exame microscopico o mais completo e preciso, para obtenção e confirmação do diagnóstico da Dermatofitose. Como também elimina a possibilidade de confusão no diagnóstico com outras enfermidades dermatologicas que possuam  sintomas semelhantes no resultado do diagnóstico.

E os procedimentos aplicados no tratamento da Dermatofitose, consistem na utilização de medicamentos para uso externo como xampus, sabonetes e loções medicinais e antifungicidas em forma de comprimidos. E existem diversas marcas de remédios com diferentes tipos de princípios ativos, e que tem um desempenho satisfatorio na eliminação e na cura da Dermatofitose. Entretanto deve-se consultar o veterinário para um diagnóstico preciso sobre a presença da enfermidade, e uma prescrição segura dos medicamentos utilizados. Pois existe a possibilidade de efeitos colaterais graves no organismo do cachorro, devido ao uso inadequado de medicamentos. Atualmente existem estudos para o desenvolvimento de vacinas especificas para a prevenção da Dermatofitose, e tambem de medicamentos para substituição de alguns princípios ativos utilizados no momento, e que possuem um alto grau de toxidade. Entretanto estes medicamentos ainda estão em fase de estudos nos laboratórios, e não foram liberados para uso no mercado. 

E a prevenção e os cuidados necessários para se evitar a contaminação pelo fungo parasita Microsporum Canis, e consequentemente se adquirir a Zoonose Dermatofitose. Passam por evitar-se locais ou regiões em que haja possibilidades de ocorrência de esporos dos fungos, ai incluindo-se também o fungo do tipo Microsporum Gypsem Fulvum, que apesar de menor ocorrência, predominam em locais com muita terra ou areia. Deve-se também evitar-se principalmente locais públicos urbanos, onde habitualmente ocorram grandes concentrações de cachorros, como parques, praças, locais com gramados extensos e similares. Pois é grande a possibilidade de existirem esporos dos fungos Microsporum Canis/Microsporum Gypsem Fulvum nestes ambientes. Inclusive durante caminhadas com o cachorro é recomendável não se parar nestes locais, pois são um foco não só dos fungos causadores da Zoonose Dermatofitose, como também de diversos outros tipos de parasitas que tambem acometem os cachorros.                             

E para uma total eliminação da infestação dos fungos parasitas Microsporum Canis, e também para evitar-se uma provável re-infecção da Zoonose Dermatofitose. Deve-se simultâneamente ao tratamento feito no cachorro para a cura da  Dermatofitose, fazer-se uma higienizaçao constante do ambiente onde o cachorro vive e também dos objetos utilizados por ele como casa, toalhas, escovas, brinquedos etc... Acompanhado também por uma desinfecção semanal do ambiente, e de todos os objetos com a utilização de desinfetantes específicos ou uma solução caseira de agua sanitária diluída em agua com uma proporção de 5 partes de agua para 1 de agua sanitária. E é de fundamental importância a eliminação dos focos dos fungos parasitas no ambiente em que o cachorro vive, pois mesmo que o tratamento feito diretamente no cachorro tenha sido feito de forma eficaz e eliminado e doença, se persistirem os focos dos fungos parasitas e praticamente certa a ocorrência de uma re-infecção.                                                                                                                          

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMPARTILHE A POSTAGEM.

SEGUIR NO TWITTER.

Follow CachorrosBlogs on Twitter

Seguidores