quinta-feira, setembro 30, 2010

Cachorros - Giardiase Zoonose.



Cachorros - Giardiase Zoonose: A Zoonose Giardiase é uma doença infecciosa causada por um parasita intestinal, mais especificamente um protozoário denominado Giardia Lamblia. E a Zoonoze Giardiase pode acometer tanto crianças quanto adultos, entretanto geralmente é assintomática, ou seja não apresenta sintomas, e quando estes se manifestam quase sempre são de forma leve e efemêra, como diarreia e cólicas abdominais. Mas a infecção pode se tornar cronica e apresentar um quadro de maior gravidade como diarreia intermitente com consequente desidrataçao, dilatação na região abdominal, forte flatulência, anêmia com consequente perda de peso e debilitação física. 

A contaminação acontece por ingestão indireta e involuntária dos cistos infectantes existentes nas fezes das pessoas contaminadas, pois as fezes contaminam a agua, os alimentos e até objetos de uso comum. E após a ingestão, os cistos ao passarem pelo estômago se transformam pela ação do suco digestivo em trofozoitos, e os trofozoitos fixam-se aderindo nas paredes do intestino delgado, se desenvolvem e reproduzem-se, originando novos cistos que são eliminados e disseminados nas fezes da pessoa acometida por esta zoonose

E o diagnóstico, pode ser feito através de um simples exame de fezes da pessoa com suspeita de contaminação, e o tratamento por medicamentos anti-protozoarios, anti-bacterianos como metronidazol, omidazol e tinidazol. Entretanto só utilize medicamentos com prescrição medica, pois os mesmos podem apresentar contra-indicações graves. Porem a melhor maneira de se evitar a contaminação, é tomando precauções higiênicas e alimentares, como lavar as mãos sempre que for se alimentar, e lavar os alimentos antes de consumi-los. Pois o cloro não elimina o protozoário Giardia lamblia, e alimentos e agua tratados somente com cloro não ficam isentos de contaminação.                                                                                                                                                                                                                                                                                               

Cachorros - Leptospirose Canina/Tratamento.



Cachorros - Leptospirose Canina/Tratamento: A Leptospirose Canina É uma doença infecciosa provocada por uma bactéria aerobia do genero Leptospira, que tem o corpo em formato cilíndrico e se movimenta de forma ondulante semelhante a um parafuso (espiroquetas). E a leptospira se reproduz exclusivamente em seu hospedeiro, e sua existência fora do hospedeiro só e possível em condições ambientais bastante propicias, como locais com muita umidade ou com agua parada, e em meio a está situação ambiental favorável a bactéria leptospira consegue sobreviver por ate 190 dias. E a Leptospirose Canina acomete comumente os cachorros atigindo orgões vitais como os rins e fígado, mas pode também dependendo do grau de infecção, se disseminar e atingir outros orgões como baço, sistema nervoso central e até os olhos. E em todos as situações pode deixar sequelas graves nos orgões afetados, podendo inclusive, até mesmo dependendo do grau e da extensão da infecção causar o óbito do cachorro. 

E a contaminação, geralmente ocorre pela penetração da bactéria pelas mucosas ou por uma eventual lesão cutânea no cachorro sadio, através do contato com cachorros contaminados, ou em ambientes infectados pela bactéria Leptospira. E os sintomas apresentados pela Leptospirose, e que se manifestam nos cachorros infectados pela bactéria Leptospira, são muito relativos e dependem de alguns fatores como a idade e a capacidade imunológica do cachorro infectado, como tambem a intensidade e o grau de virulência da infecção. E a Leptospira após penetrar no organismo do cachorro, em um prazo médio de 5 a 11 dias já consegue alcançar a corrente sanguínea (bacteremia). E a partir dai, migra e infecciona vários orgões, se multiplicando de forma muito rápida e exponencialmente. 

E criando um quadro de leptospiremia aguda, que em cachorros com baixa resistência imunológica pode levar rapidamente a septicemia ou a insuficiência renal ou hepática e consequentemente ao óbito. No inicio da fase de leptospiremia ocorrem febre, aumento do numero de glóbulos brancos na corrente sanguínea (leucocitose), perda de proteína que é eliminada pela urina (albuminuria), hemorragias em vasos sanguíneos e hematomas com manchas vermelhas e roxas na pele (petequias/equitomoses), alterações na pigmentação  da pele e dos olhos causando uma coloração amarelada da pele e um branco total nos olhos (ictericia) devido a colestase. E estes sintomas são ocasionados pela invasão da bactéria Leptospira em varios orgões como rins, fígado, baço, sistema nervoso central e olhos. 

E na fase final da leptospiremia, que ocorre de 6 a 11 dias do inicio da infecção, os sintomas se abrandam e a bactéria é eliminada da corrente sanguínea pelo sistema imunológico, e o cachorro que conseguir sobreviver a está fase critica, mesmo ficando com sequelas, geralmente se recupera. E esta recuperação se processa de forma mais rápida e abrangente, quanto menores forem os danos causados nos orgões pela bactéria Leptospira. Entretanto as bactérias que invadiram e se fixaram em orgões onde o sistema imunológico não atinge como as córneas e os tubulos renais, podem provocar uma uveite (inflamação dos olhos) crônica e um quadro de leptospiruria. E o diagnóstico da doença infecciosa Leptospirose Canina, é feito através de exames laboratoriais de sangue ou de urina, para a detecção da presença da bactéria Leptospira no organismo do cachorro com suspeita de infecção. E os exames laboratoriais incluem hematologia, sorologia e urinalises completas, e também exame dos tecidos (biopsias) para uma definição do grau, intensidade e variedade da infecção. 

É o tratamento da doença infecciosa Leptospirose Canina, é feito com medicamentos a base de antibióticos, com o propósito de se evitar a multiplicação da bactéria Leptospira. E para se prevenir ou minimizar-se as lesões e complicações nos orgões infectados, principalmente rins e fígado e também tentar extinguir a leptospiruria, utiliza-se simultâneamente um conjunto de antibióticos como a penicilina, ampicilina, amoxicilina, doxiciclina. Para aumentar seu poder anti-bacteriano e viral, visando a eliminação do quadro agudo de leptospiremia e leptospiruria. Entretanto o melhor tratamento para a Leptospirose é o preventivo através da vacinação, pois apesar de todos os medicamentos e tratamento empregados, são altas as percentagens de óbito e sequelas deixadas pela doenças nos cachorro infectados. Entretanto somente utilize medicamentos nos cachorros, com a prescrição e a orientação veterinária.                                                                  



                                                                                                                              

Cachorros - Leptospirose Canina/Diagnostico.



Cachorros - Leptosporose Canina/Diagnóstico: A Leptospirose Canina É uma doença infecciosa provocada por uma bactéria aerobia do genero Leptospira, que tem o corpo em formato cilíndrico e se movimenta de forma ondulante semelhante a um parafuso (espiroquetas). E a leptospira se reproduz exclusivamente em seu hospedeiro, e sua existência fora do hospedeiro só e possível em condições ambientais bastante propicias, como locais com muita umidade ou com agua parada, e em meio a está situação ambiental favorável a bactéria leptospira consegue sobreviver por ate 190 dias. E a Leptospirose Canina acomete comumente os cachorros atigindo orgões vitais como os rins e fígado, mas pode também dependendo do grau de infecção, se disseminar e atingir outros orgões como baço, sistema nervoso central e até os olhos. E em todos as situações pode deixar sequelas graves nos orgões afetados, podendo inclusive, até mesmo dependendo do grau e da extensão da infecção causar o óbito do cachorro. 


E a contaminação, geralmente ocorre pela penetração da bactéria pelas mucosas ou por uma eventual lesão cutânea no cachorro sadio, através do contato com cachorros contaminados, ou em ambientes infectados pela bactéria Leptospira. E os sintomas apresentados pela Leptospirose, e que se manifestam nos cachorros infectados pela bactéria Leptospira, são muito relativos e dependem de alguns fatores como a idade e a capacidade imunológica do cachorro infectado, como tambem a intensidade e o grau de virulência da infecção. E a Leptospira após penetrar no organismo do cachorro, em um prazo médio de 5 a 11 dias já consegue alcançar a corrente sanguínea (bacteremia). E a partir dai, migra e infecciona vários orgões, se multiplicando de forma muito rápida e exponencialmente. 

E criando um quadro de leptospiremia aguda, que em cachorros com baixa resistência imunológica pode levar rapidamente a septicemia ou a insuficiência renal ou hepática e consequentemente ao óbito. No inicio da fase de leptospiremia ocorrem febre, aumento do numero de glóbulos brancos na corrente sanguínea (leucocitose), perda de proteína que é eliminada pela urina (albuminuria), hemorragias em vasos sanguíneos e hematomas com manchas vermelhas e roxas na pele (petequias/equitomoses), alterações na pigmentação  da pele e dos olhos causando uma coloração amarelada da pele e um branco total nos olhos (ictericia) devido a colestase. E estes sintomas são ocasionados pela invasão da bactéria Leptospira em varios orgões como rins, fígado, baço, sistema nervoso central e olhos. 

E na fase final da leptospiremia, que ocorre de 6 a 11 dias do inicio da infecção, os sintomas se abrandam e a bactéria é eliminada da corrente sanguínea pelo sistema imunológico, e o cachorro que conseguir sobreviver a está fase critica, mesmo ficando com sequelas, geralmente se recupera. E esta recuperação se processa de forma mais rápida e abrangente, quanto menores forem os danos causados nos orgões pela bactéria Leptospira. Entretanto as bactérias que invadiram e se fixaram em orgões onde o sistema imunológico não atinge como as córneas e os tubulos renais, podem provocar uma uveite (inflamação dos olhos) crônica e um quadro de leptospiruria. E o diagnóstico da doença infecciosa Leptospirose Canina, é feito através de exames laboratoriais de sangue ou de urina, para a detecção da presença da bactéria Leptospira no organismo do cachorro com suspeita de infecção. E os exames laboratoriais incluem hematologia, sorologia e urinalises completas, e também exame dos tecidos (biopsias) para uma definição do grau, intensidade e variedade da infecção. 

É o tratamento da doença infecciosa Leptospirose Canina, é feito com medicamentos a base de antibióticos, com o propósito de se evitar a multiplicação da bactéria Leptospira. E para se prevenir ou minimizar-se as lesões e complicações nos orgões infectados, principalmente rins e fígado e também tentar extinguir a leptospiruria, utiliza-se simultâneamente um conjunto de antibióticos como a penicilina, ampicilina, amoxicilina, doxiciclina. Para aumentar seu poder anti-bacteriano e viral, visando a eliminação do quadro agudo de leptospiremia e leptospiruria. Entretanto o melhor tratamento para a Leptospirose é o preventivo através da vacinação, pois apesar de todos os medicamentos e tratamento empregados, são altas as percentagens de óbito e sequelas deixadas pela doenças nos cachorro infectados. Entretanto somente utilize medicamentos nos cachorros, com a prescrição e a orientação veterinária.                                                                  


Cachorros - Leptospirose Canina/Sintomas.



Cachorros - Leptospirose Canina/Sintomas:  A Leptospirose Canina É uma doença infecciosa provocada por uma bactéria aerobia do genero Leptospira, que tem o corpo em formato cilíndrico e se movimenta de forma ondulante semelhante a um parafuso (espiroquetas). E a leptospira se reproduz exclusivamente em seu hospedeiro, e sua existência fora do hospedeiro só e possível em condições ambientais bastante propicias, como locais com muita umidade ou com agua parada, e em meio a está situação ambiental favorável a bactéria leptospira consegue sobreviver por ate 190 dias. E a Leptospirose Canina acomete comumente os cachorros atigindo orgões vitais como os rins e fígado, mas pode também dependendo do grau de infecção, se disseminar e atingir outros orgões como baço, sistema nervoso central e até os olhos. E em todos as situações pode deixar sequelas graves nos orgões afetados, podendo inclusive, até mesmo dependendo do grau e da extensão da infecção causar o óbito do cachorro. 

E a contaminação, geralmente ocorre pela penetração da bactéria pelas mucosas ou por uma eventual lesão cutânea no cachorro sadio, através do contato com cachorros contaminados, ou em ambientes infectados pela bactéria Leptospira. E os sintomas apresentados pela Leptospirose, e que se manifestam nos cachorros infectados pela bactéria Leptospira, são muito relativos e dependem de alguns fatores como a idade e a capacidade imunológica do cachorro infectado, como tambem a intensidade e o grau de virulência da infecção. E a Leptospira após penetrar no organismo do cachorro, em um prazo médio de 5 a 11 dias já consegue alcançar a corrente sanguínea (bacteremia). E a partir dai, migra e infecciona vários orgões, se multiplicando de forma muito rápida e exponencialmente. 

E criando um quadro de leptospiremia aguda, que em cachorros com baixa resistência imunológica pode levar rapidamente a septicemia ou a insuficiência renal ou hepática e consequentemente ao óbito. No inicio da fase de leptospiremia ocorrem febre, aumento do numero de glóbulos brancos na corrente sanguínea (leucocitose), perda de proteína que é eliminada pela urina (albuminuria), hemorragias em vasos sanguíneos e hematomas com manchas vermelhas e roxas na pele (petequias/equitomoses), alterações na pigmentação  da pele e dos olhos causando uma coloração amarelada da pele e um branco total nos olhos (ictericia) devido a colestase. E estes sintomas são ocasionados pela invasão da bactéria Leptospira em varios orgões como rins, fígado, baço, sistema nervoso central e olhos. 

E na fase final da leptospiremia, que ocorre de 6 a 11 dias do inicio da infecção, os sintomas se abrandam e a bactéria é eliminada da corrente sanguínea pelo sistema imunológico, e o cachorro que conseguir sobreviver a está fase critica, mesmo ficando com sequelas, geralmente se recupera. E esta recuperação se processa de forma mais rápida e abrangente, quanto menores forem os danos causados nos orgões pela bactéria Leptospira. Entretanto as bactérias que invadiram e se fixaram em orgões onde o sistema imunológico não atinge como as córneas e os tubulos renais, podem provocar uma uveite (inflamação dos olhos) crônica e um quadro de leptospiruria. E o diagnóstico da doença infecciosa Leptospirose Canina, é feito através de exames laboratoriais de sangue ou de urina, para a detecção da presença da bactéria Leptospira no organismo do cachorro com suspeita de infecção. E os exames laboratoriais incluem hematologia, sorologia e urinalises completas, e também exame dos tecidos (biopsias) para uma definição do grau, intensidade e variedade da infecção. 

É o tratamento da doença infecciosa Leptospirose Canina, é feito com medicamentos a base de antibióticos, com o propósito de se evitar a multiplicação da bactéria Leptospira. E para se prevenir ou minimizar-se as lesões e complicações nos orgões infectados, principalmente rins e fígado e também tentar extinguir a leptospiruria, utiliza-se simultâneamente um conjunto de antibióticos como a penicilina, ampicilina, amoxicilina, doxiciclina. Para aumentar seu poder anti-bacteriano e viral, visando a eliminação do quadro agudo de leptospiremia e leptospiruria. Entretanto o melhor tratamento para a Leptospirose é o preventivo através da vacinação, pois apesar de todos os medicamentos e tratamento empregados, são altas as percentagens de óbito e sequelas deixadas pela doenças nos cachorro infectados. Entretanto somente utilize medicamentos nos cachorros, com a prescrição e a orientação veterinária.                                                                  

Cachorros - Leptospirose Canina.


Cachorros - Leptospirose Canina: A Leptospirose Canina É uma doença infecciosa provocada por uma bactéria aerobia do genero Leptospira, que tem o corpo em formato cilíndrico e se movimenta de forma ondulante semelhante a um parafuso (espiroquetas). E a leptospira se reproduz exclusivamente em seu hospedeiro, e sua existência fora do hospedeiro só e possível em condições ambientais bastante propicias, como locais com muita umidade ou com agua parada, e em meio a está situação ambiental favorável a bactéria leptospira consegue sobreviver por ate 190 dias. E a Leptospirose Canina acomete comumente os cachorros atigindo orgões vitais como os rins e fígado, mas pode também dependendo do grau de infecção, se disseminar e atingir outros orgões como baço, sistema nervoso central e até os olhos. E em todos as situações pode deixar sequelas graves nos orgões afetados, podendo inclusive, até mesmo dependendo do grau e da extensão da infecção causar o óbito do cachorro. 


E a contaminação, geralmente ocorre pela penetração da bactéria pelas mucosas ou por uma eventual lesão cutânea no cachorro sadio, através do contato com cachorros contaminados, ou em ambientes infectados pela bactéria Leptospira. E os sintomas apresentados pela Leptospirose, e que se manifestam nos cachorros infectados pela bactéria Leptospira, são muito relativos e dependem de alguns fatores como a idade e a capacidade imunológica do cachorro infectado, como tambem a intensidade e o grau de virulência da infecção. E a Leptospira após penetrar no organismo do cachorro, em um prazo médio de 5 a 11 dias já consegue alcançar a corrente sanguínea (bacteremia). E a partir dai, migra e infecciona vários orgões, se multiplicando de forma muito rápida e exponencialmente. 


E criando um quadro de leptospiremia aguda, que em cachorros com baixa resistência imunológica pode levar rapidamente a septicemia ou a insuficiência renal ou hepática e consequentemente ao óbito. No inicio da fase de leptospiremia ocorrem febre, aumento do numero de glóbulos brancos na corrente sanguínea (leucocitose), perda de proteína que é eliminada pela urina (albuminuria), hemorragias em vasos sanguíneos e hematomas com manchas vermelhas e roxas na pele (petequias/equitomoses), alterações na pigmentação  da pele e dos olhos causando uma coloração amarelada da pele e um branco total nos olhos (ictericia) devido a colestase. E estes sintomas são ocasionados pela invasão da bactéria Leptospira em varios orgões como rins, fígado, baço, sistema nervoso central e olhos. 


E na fase final da leptospiremia, que ocorre de 6 a 11 dias do inicio da infecção, os sintomas se abrandam e a bactéria é eliminada da corrente sanguínea pelo sistema imunológico, e o cachorro que conseguir sobreviver a está fase critica, mesmo ficando com sequelas, geralmente se recupera. E esta recuperação se processa de forma mais rápida e abrangente, quanto menores forem os danos causados nos orgões pela bactéria Leptospira. Entretanto as bactérias que invadiram e se fixaram em orgões onde o sistema imunológico não atinge como as córneas e os tubulos renais, podem provocar uma uveite (inflamação dos olhos) crônica e um quadro de leptospiruria. E o diagnóstico da doença infecciosa Leptospirose Canina, é feito através de exames laboratoriais de sangue ou de urina, para a detecção da presença da bactéria Leptospira no organismo do cachorro com suspeita de infecção. E os exames laboratoriais incluem hematologia, sorologia e urinalises completas, e também exame dos tecidos (biopsias) para uma definição do grau, intensidade e variedade da infecção. 


É o tratamento da doença infecciosa Leptospirose Canina, é feito com medicamentos a base de antibióticos, com o propósito de se evitar a multiplicação da bactéria Leptospira. E para se prevenir ou minimizar-se as lesões e complicações nos orgões infectados, principalmente rins e fígado e também tentar extinguir a leptospiruria, utiliza-se simultâneamente um conjunto de antibióticos como a penicilina, ampicilina, amoxicilina, doxiciclina. Para aumentar seu poder anti-bacteriano e viral, visando a eliminação do quadro agudo de leptospiremia e leptospiruria. Entretanto o melhor tratamento para a Leptospirose é o preventivo através da vacinação, pois apesar de todos os medicamentos e tratamento empregados, são altas as percentagens de óbito e sequelas deixadas pela doenças nos cachorro infectados. Entretanto somente utilize medicamentos nos cachorros, com a prescrição e a orientação veterinária.                                                                        

COMPARTILHE A POSTAGEM.

COMPRE E RECEBA EM CASA! COM TODA COMODIDADE, SEGURANÇA E RAPIDEZ.

,

,

CURSO DE VIOLÃO: EBOOK + VIDEO AULAS - TOTALMENTE GRATIS!