.

sexta-feira, julho 29, 2011

Cachorros - Tosse Canina.



Cachorros - Tosse Canina: A tosse Canina ou Infecciosas Tracheobronchitis, e vulgarmente conhecida tambem como tosse dos canis, é uma doença que se caracteriza por ter sintomas semelhantes aos da bronquite, ou de um resfriado mais forte nos seres humanos e geralmente cura-se por conta própria, sem necessidade de intervenção veterinária ou medicamentos. Entretanto, sob certas circunstâncias,  pode inclusive ser fatal, e requer cuidados e tratamento eficazes. Descrevere-mos adiante informações básicas sobre esta doença, e tambem de como saber quando procurar auxilio veterinário.
Como os cães se infectam com tosse do canil?
O trato respiratório de um, normal cão saudável tem medidas de salvaguarda contra a invasão de agentes infecciosos. A salvaguarda mais importante é chamado a escada rolante mucociliar. A escada rolante é composta de cabelo, pequenas estruturas semelhantes, chamados cílios, que se projetam a partir de células que revestem o trato respiratório.
Há uma camada de muco ao longo dos cabelos e os entulhos armadilhas mucosas, incluindo agentes infecciosos, e os cílios movem o muco e os detritos presos até a garganta, onde ela é ou tossiu e / ou ingestão.
A escada rolante mucociliar podem ser danificados por:

O estresse de ser enviado
Estresse da superlotação
Exposição à poeira pesada
Exposição à fumaça de cigarro
Agentes infecciosos virais, tais como adenovírus reovírus, parainfluenza e cinomose
A exposição prolongada ao frio
Má ventilação
Sem a escada rolante mucociliar, bactérias invasoras pode simplesmente invadir as vias aéreas do cão desimpedida.
A bactéria chamada Bordetella bronchiseptica pode causar muito sofrimento em cães, pois tem defesas contra a escada rolante mucociliar:
Dentro de três horas de contato, pode anexar ao cílios, deixando-os incapazes de se mover.
Em seguida, segrega uma substância que desativa as células do sistema imunológico que normalmente consomem e destroem bactérias.
Desde Bordetella normalmente invade o corpo do cão com uma outra bactéria ou vírus, tais como as mencionadas acima, tosse do canil é na verdade o resultado de múltiplos ataques e não por um agente.
A maioria dos cães são infectados quando eles estão contidos em uma área quente, cheio de gente que recebe a circulação de ar pobre, mas muito ar quente, como um canil , aulas de obediência , um abrigo de animais ou hospital, ou uma preparação de salão. Tosse mais aguda em cães é devido a uma infecção e geralmente é alguma forma de tosse do canil.
Como é contagiosa tosse do canil?
Bordetella infecção não é contagiosa para os humanos (apesar de ser semelhante a coqueluche), mas podem ser passadas através muitos animais. É particularmente contagiosa entre os cães que estão estressados, não tiveram a vacinação contra ele, e têm sido expostos a outros vírus de menor importância.
Os cães devem ser mantidos atualizados sobre a vacinação suas Bordetella porque você não pode sempre ter certeza de quando eles podem ser colocados em uma situação que os expõe ao vírus.
Como é tratada a tosse do canil?
Maioria dos casos de tosse do canil ir embora por conta própria, mas alguns médicos prescrevem antibióticos na esperança de matar o organismo Bordetella. Você também pode dar ao cão infectado vet-aprovado antitussígenos para proporcionar conforto, enquanto ele luta contra a doença. Seu veterinário pode prescrever uma combinação de antibióticos e antitussígenos para o conforto ideal e tempo de recuperação.
Quando a tosse do canil é considerada uma doença grave?
Pode ser muito sério para filhotes , especialmente se tiverem sido enviados recentemente, tais como filhotes loja de animais. Eles são especialmente propensos a casos graves de bronquite infecciosa que freqüentemente evoluem para pneumonia. Além disso, desde que o vírus incubado por 2-12 dias, um proprietário pode de repente encontrar-se com um filhote de cachorro muito doente.
Se um cão que tem o vírus da cinomose é exposto a Bordetella o potencial para sérios problemas é extremamente elevado.
Opções de vacinação
Existem duas opções para a vacinação de tosse do canil: 
Uma injeção é o método de escolha para cães agressivos , que podem tentar morder se sua focinho é contido. Injeções fornecer imunidade sistêmica bom se os cães são dadas duas doses depois que eles são quatro meses de idade e receber um reforço anual. É possível que a vacina injetada só pode levar à infecção menos severa, ao invés de prevenção total da infecção.
Vacinação intranasal pode ser administrado a filhotes tão jovem quanto duas semanas, com a imunidade em geral com duração de 10-12 meses. Normalmente, o cão deve receber uma dose de reforço anualmente. A vantagem da vacina intranasal é que a imunidade é estimulada nas fossas nasais, exatamente onde a infecção natural tenta tomar posse.
Intranasal de vacinação precisa de quatro dias para ser eficaz, de modo a tentar prever quando seu cão pode ser exposto e vacinar em conformidade. Alguns cães vão espirrar ou ter algum corrimento nasal por até uma semana após a vacinação intranasal. Normalmente a vacinação nasal fornece mais rápido do que a imunidade de vacinação injetado.
Se seu cão já está incubando tosse do canil, a vacinação é inútil.
Meu cão foi infectado. E se os sintomas não estão melhorando?
Enquanto a tosse do canil geralmente desaparece por si só, não deve haver isenção parcial após uma semana de tratamento. Se não houver melhora, consulte o seu veterinário sobre trazer o seu cão para um check-re. Ele pode aconselhar a fazer radiografia de tórax no momento.

quinta-feira, julho 28, 2011

Cachorros - Síndrome da Agitação.



Cachorros-Síndrome da Agitação: A síndrome de Agitação é uma desordem generalizada de tremores e agitação que acomete e se manifesta principalmente em cachorros de pequeno porte. Foi primeiramente diagnosticado em cachorros de pelagem branca, em quais tambem tem uma maior incidência, devido a isto é também chamada de Síndrome Branco Dog Shaker. No entanto, este nome não é utilizado com tanta frequência, como também está síndrome tambem acomete cachorros de cores diferenciadas e de qualquer raça. Sendo que os cachorros que têm essa síndrome apresentam sintomas caracteristicos como tremores finos e cronicos em todo o corpo, havendo tambem mais alguns outros sintomas associados a esta síndrome. 

Que são anormalidades no sistema neurológico como a cabeça se inclinando para os lados, fraqueza nos membros e convulsões. E estes sintomas, dependendo da gravidade podem ser da baixa intensidade, causando um  leve inconveniente para os cachorros, ou de alta intensidade, causando um grande incomodo, em decorrencia de fortes e frequentes tremores, sendo totalmente incapacitantes para os cachorros. Embora seja mais frequentemente diagnosticada em cachorros de raças menores, pode ocorrer tambem em cachorros de médio e grande portes. 

Porem, está doença se tratada corretamente geralmente é facilmente controlável e na maioria das vezes não é fatal, entretanto não é curável. E excessos de exercícios, estresse, excitação e agitação podem desencadear a doença, devido a isto é importante manter o cachorro em um ambiente tranquilo, e que não induza o cachorro a manifestar este tipo de comportamento. Mesmo que seja um cachorro naturalmente muito ativo, em que realmente é difícil limitar os exercícios e a consequente excitação, é necessário e recomendável se limitar estas praticas, principalmente durante o período de tratamento da doença.

quarta-feira, julho 27, 2011

Cachorros - Produtos de Limpeza/Cancer.



Cachorros-Produtos de Limpeza/Cancer: Alguns produtos de limpeza doméstica contem quantidades significativas de substancias químicas, que podem ser prejudiciais para os cachorros após um periodo de exposição media ou prolongada. Pois atualmente, as taxas de câncer canino estão tendo um grande aumenta percentual, e estãpo seguindo as mesmas tendências das taxas de cânceres em seres humanos, o que fez os os especialistas da area pesquisarem com mais esfase e atenção a respeito dos motivos, origens e possibilidades de intoxicação por substancias quimicas potencialmente canceriginas para os cachorros e que são provinientes do ambiente residencial. Pois o ambiente residencial de uma casa típica é em média de 2-5 vezes mais poluído que o ambiente exterior, e em casos extremos, pode ser até muito mais contaminado, e em grande parte por causa de produtos de limpeza. E principalmente os cachorros e outros animais são mais suscetiveis e estão em risco ainda maior da sua saude, devido ao seu metabolismo ser mais rápido e os seus pulmões menores, e processam esses produtos químicos em um ritmo mais rápido e absorvem mais destas toxinas em sua corrente sanguínea como eles respiram-los em mais rapidamente.

terça-feira, julho 26, 2011

Cachorros - Envenenamentos e Intoxicações.




Cachorros - Envenenamentos e Intoxicações: Deve-se ter precauções e cuidados ao se manusear e armazenar certas substancias potencialmente tóxicas ou venenosas, não somente em relação as crianças. Mas tambem com relação aos cachorros e outros animais domésticos, deve-se tomar igualmente todas as precauções pois há grande numero de diferentes tipos de substâncias tóxicas ou venenosas que podem eventualmente vir a intoxica-los. Como certos tipos de alimentos e remédios, álcool, tabaco, produtos de limpeza, pesticidas que se ingeridos ou inalados podem se tornar um sério risco à saúde dos cachorros e outros animais domésticos, e deixa-los em estado critico ou até mesmo serem fatais. E se o cachorro acidentalmente vier a consumir ou até inalar excessivamente qualquer uma destas substancias tóxicas ou venenosas, com algumas tendo até efeitos neurológicos, pode manifestar sintomas como excesso de  suor e de salivação, diarréia, vômitos, tremores, fraqueza muscular, taquicardia e dificuldades respiratorias e os sintomas podem variar dependendo da quantidade e do tipo de substancia tóxica. E caso o cachorro venha a ingerir ou inalar grandes quantidades destas substâncias, isto pode leva-lá à inclusive um estado de coma ou a morte súbita. É por isso que é tão importante manter todas estas substancias potencialmente tóxicas ou venenosas fora do alcance dos cachorros, e mantê-lo sempre distante sempre que for utilizar estes tipos de produtos. Às vezes, produtos de limpeza domésticos ou higiene pessoal de uso comuns como desinfetantes ou shampoos podem conter substancias que cause envenenamento, e até mesmo a lata de lixo pode abrigar bactérias potencialmente perigosas para os cachorros, bactérias que podem causar vómitos crónicos, distensão abdominal e diarréia sanguinolenta. E caso o cachorro venha a apresentar eventualmente algum destes sintomas caracteristicos, e que se possa suspeitar que tenha ingerido alguma destas substancias venenos, é importantíssimo leva-lo ao veterinário imediatamente. E se for possível identificar o produto, leve a embalagem do mesmo ou ao menos uma amostra da substância que se suspeite que o cão tenha ingerido. Pois o atendimento medico veterinário rapido e imediato é fundamental e imprecindivel, e pode fazer a diferença entre a vida e a morte do cachorro. No entanto, o melhor tratamento para um acidente deste tipo com o cachorro envolvendo envenenamento ou intoxicação é a prevenção, e basta se seguir algumas orientações simples e praticas, para se reduzir em muito os riscos e se evitar estas situações de perigo que podem ser graves ou até fatais, E são precauções que podem fazer uma grande diferença, minimizando e até eliminando os fatores de risco de envenenamentos acidentais para os cachorros.


segunda-feira, julho 25, 2011

Cachorros - Raças Agressivas.



Cachorros - Raças Agressivas: Os cachorros das raças Pitbull, Rotweiller, Dobermann, e Fila-Brasileiro, são cachorros de grande porte e que dependendo das circunstancias, devido ao seu tamanho e força podem até ser consideradas perigosos, sendo que na grande maioria das vezes. 

Quando ocorre um acidente envolvendo uma destas raças, é muito mais por causa da irresponsabilidade, negligência e prepotência dos seus responsáveis, do que dos próprios cachorros, pois estes conduzem seus cachorros em locais públicos e bastante movimentados de uma forma inadequada. 

Sem nenhuma segurança ou proteção e que inclusive tambem muitas vezes incutem nos cachorros e os induzem a terem um comportamento agressivo e anti-social, fazendo injustamente recair sobre estas raças todo um estigma de violência e agressividade, pois a maioria dos cachorros, até por serem animais. 

E terem uma tendência a serem levados pelo instinto, como atacar outro animal ou uma pessoa que possam vir a considerar uma ameaça, pois independente do seu porte, ou de serem de raça ou vira-latas podem reagir com violência motivados pelo ambiente e pelas circunstancias. 

E o que realmente diferência o grau de agressividade e violência destas raças, que são consideradas e estigmatizadas erronêamente como natural e expontanêamente violentas, das outras raças de cachorro é única e exclusivamente o seu porte avantajado e a sua grande força. 

O que faz com que os acidentes ocorridos com estas raças tenham uma maior gravidade, podendo inclusive até serem fatais. O que consequentemente de uma forma precipitada e preconceituosa, faz com que a muitos setores da midia sem nenhum embazamento ou conhecimento de causa. 

Divulguem manchetes sensacionalistas e aterradores, induzindo a população e a opinião publica em geral a terem um conceito totalmente equivocado a respeito destas raças ditas violentas, Quando os grandes responsáveis pelos maioria dos acidentes. E pela própria violência manifestada por estes cachorros. 

São os seus proprios responsáveis, sendo que porem, somente os cachorros são sumariamente condenados e punidos, passando de uma maneira geral a terem uma reputação de violento e sanguinário, sendo estgmatizados, desprezados e até atacados e mortos pela população, e quando da ocorrência de algum acidente, acabão sendo geralmente penalizados com a eutanazia.     


domingo, julho 24, 2011

Cachorros - Centros de Controle e Zoonoses.



Cachorros - Centros de Controle e Zoonoses: Os Centros de Controle de Zoonoses apesar de ainda serem avaliados de uma maneira negativa pela população, principalmente devido as consequencias da dificil e complexa realidade enfrentada por estes, sem verbas, mão de obra e infra estrutura suficientes e adequadas. e que tambem são decorrentes do constante e excessivo abandono de cachorros e consequentemente uma superpopulação destes nas ruas. 

O que acaba lamentavelmente transformando-os na pratica em verdadeiros campos de concentração e exterminio de cachorros, que tanto podem sacrifica-los aos poucos em virtude das carências e sofrimentos que lhes são oferecidos durante o seu confinamento, ou como acontece na grande maioria dos CCZs do Brasil, quando vence o prazo de sua "estadia" que é um verdadeiro martilio, estas inocentes, deserdadas e infelizes criaturas são sumariamente sacrificados, ou entregues para Faculdades de Veterinaria para serem utilizados em aulas de anatomia, em que muitas vezes são dissecados ainda vivos. 

Entretanto, apesar desta fria e cruel realidade que é imposta aos cachorros pela grande maioria dos CCZs do Brasil, houve significativos avanços e mudanças positivas no decorrer do tempo em relação ao procedimento das CCZs, por parte do poder publico no tratamento tanto dado aos cachorros, com mais solidariedade e respeito a sua dignidade como ser vivo, quanto aos grandes problemas apresentados por está dificil questão. Pois até o final da decada de 80 no Brasil, os cachorros perdidos ou abandonados nas ruas, eram considerados rigorosa e estritamente uma questão de saúde pública. 

Entretanto já na década seguinte, devido ao sucesso alcançado no combate à raiva por meio da vacinação em massa dos cachorros, com a superação do temor de uma infecção decorrente da raiva, a propria população passou a se interar mais com os cachorros e se relacionar de uma forma mais intensa e carinhosa com eles, deixando de considera-los apenas como um animal que tinha uma função restrita simplesmente a guarda e vigia, transformando-os praticamente em membros da familia. 

E juntamente com esta nova mentalidade e cultura tanto por parte da população como tambem das autoridades publicas, houve um maior interesse não apenas em combater as zoonoses relacionadas e decorrentes dos cachorros , mas como também no seu proprio bem estar, e proporcionar aos um tratamento mais digno e humanitário. E mais recentemente conceitos como uma posse humanitária e responsável, e um efetivo controle populacional atraves da castração, foram assimilados e implementados de uma forma efetiva, e tornaram-se procedimentos comuns e habituas tanto pelas Autoridades Publicas, Ongs, Defensores dos Animais e a população em geral.

sábado, julho 23, 2011

Os Sentidos dos Cachorros.




Os Sentidos dos Cachorros:  Os seres humanos, naturalmente não possuem os sentidos tão eficientes e aguçados quando comparados a outros animais, e principalmente aos cachorros. E até hoje não conseguimos ainda compreender toda a dimensão, potencial e a capacidade dos sentidos dos cachorros. E mesmo sendo os sentidos caninos os mesmos que os dos humanos, ou seja o sentido da visão, do paladar, do olfato, da audição e do tato. Entretanto não somente a percepção, mas tambem a sua capacidade sensorial e a adaptabilidade dos cachorros em suas diferentes funções sensoriais, alem de não se assemelhar é tambem em quase todos os sentidos bem superior aos dos seres humanos. Pois o desenvolvimento dos sentidos dos cachorros está diretamente relacionado as heranças genéticas e ambientais de seus ancestrais. O sentido da visão, nos cachorros é utilizado e focado essencialmente na caça predatória, pois nos cachorros elas suprem as suas necessidades relativas mas voltadas à sua sobrevivência alimentar, ou seja a caça e a respectiva predação. E tambem a visão noturna dos cachorros é muito melhor e mais adaptada que a dos humanos. Pois as células de sua retina têm uma a capacidade bem maior de assimilar e concentrar informações luminosas. E a sua privilegiada visão crepuscular, vem da sua capacidade de adaptação à caçada noturna, um dos genes herdados dos hábitos dos seus ancestrais. Sendo porem que os cachorros possuem uma menor capacidade de focalização que os humanos, o que faz com que tenham uma tendência a hipermetropia, mas que entretanto não prejudica em absoluto na sua função principal que é a excepcional percepção dinâmica dos movimentos, ou seja a capacidade de perceber uma eventual presa se movimentando. Tendo tambem uma imensa habilidade de perceber estes movimentos à grande distância, entretanto tem certa dificuldade, e não conseguem distinguir com precisão objetos fixos que estejam distantes. E tambem inclusive a maioria dos cachorros não possuem a capacidade de perceber ou assistir a televisão. Mesmo que fiquem atentos ao som e consigam ficar observando algumas imagens, não conseguem entretanto distinguir e  reconhecer estes imagens, pois neste aspecto sua visão é bastante deficiente, quando comparada a visão dos humanos. Pois estudos e experiências feitas por especialistas em oftalmologia canina demonstra-ram  que as oscilações de luz geradas pela televisão são extremamente lentas para que os cachorros possam focalizar um imagem completa. E com relação a capacidade dos cachorros em distinguir cores, apesar de conseguir enxerga-las, o seu espectro de cores e a sua diversidade tambem é bastante reduzida e limitado quando comparada a capacidade dos seres humanos. Inclusive, entre os diferentes tipos e raças de cachorros, existem grandes variações na sua capacidade visual. Pois o ângulo de visão das diferentes raças e tipos de utilização dos cachorros em função da adaptação a seu trabalho foi se adequando proporcionalmente as exigências e peculariedades das funções exercidas. Por exemplo, cachorros utilizados em pastoreio, como o border collie, o pastor alemão, o old english sheepdog entre outros precisam ter um campo de visão bastante panoramico, ou seja bem largo. Já os cachorros utilizados para caça, como os sabujos, os tipo terriers, hounds, e sabujos possuem um campo de visão binocular restrito e bastante direcionado, com os seus olhos anatomicamente posicionados na parte anterior da cabeça. E o sentido olfativo,ou o paladar dos cachorros há evidências e indícios de que a sua capacidade degustativa ou palatabilidade seja bem diferente da dos seres humanos. Pois os cachorros antes de degustar um alimento, o cheiram primeiro, e isto sim é imprencindivel e importante para os cachorros poderem avaliar um alimento, ou seja, o seu paladar está diretamente interligado e associado ao seu olfato. Pois a percepção do paladar ou o sabor pelos os cachorros é sentido nas papilas gustativas presentes nas mucosas da sua língua, do palato e da faringe. E quando comparados o potencial humano na percepção dos sabores, com o potencial dos cachorros, a capacidade humana é em media doze vezes maior. E principalmente é devido a isto, que os cachorros conseguem se habituar facilmente a consumir o mesmo alimento com frequência diária, sem manifestar monotonia ou enjoo. 




sexta-feira, julho 22, 2011

Cachorros - Esquecimento/Abandono.



Cachorros - Esquecimento/Abandono: O esquecimento e até mesmo o abandono de cachorros e outros animais domesticos por decorrencia de viagens ou mudanças de domicilio, apesar de ser um absurdo, é algo muito comum de acontecer. Pois não é difícil encontrar cachorros esquecidos sozinhos em casas, enquanto os seus responsaveis partem para demoradas viagens, ou até mesmo mudam de casa e simplesmente se descartam e deixam os seus cachorros abandonados dentro dos quintais ou casas, sem comida e, muitas vezes, acorrentados e em uma area abrigo e cobertura contra o sol ou a chuva.

E agoniados e desesperados pela fome,sede, solidão e medo, só resta a estes infelizes e angustiados cachorros expressam e manifestam o seu sofrimento com amargurados latidos, ou incessantes uivos de choro. E todo este desespero e sofrimento, manifestados por latidos e uivos, não somente incomodo, mas como tambem comove muitas pessoas que gostam e se incomodam com o bem estar dos animais e se comovem com toda esta situação dramática de sofrimento e solidão, entretanto a questão é, como proceder para ajudar e resgatar um cachorro nestão situação.

Sem correr o risco de ser confundido e até poder ter a sua ação solidaria ser enquadrado criminalmente como invasão de propriedade. Pois está é uma questão pertinente e importante tanto para as pessoas que fazem o resgate, quanto para os proprietarios do imovel, e eventualmente policiais e advogados, ou seja, em que situação a entrada em propriedades particulares é permitida para o resgate de cachorros e outros animais que estejam sofrendo, e com a sua saude e sobrevivência em risco e comprometidas em virtude da solidão e do abandono.

quinta-feira, julho 21, 2011

Cachorros - Registros/Identificação.


Cachorros - Registro/Identificação: O registro e a respectiva identificação dos cachorros, como já acontece em alguns países, sem duvida alguma seria uma medida importantíssima e essencial para um monitoramento estatisco e tambem um efetivo controle dos cachorros, tanto geral quanto individual existentes nas cidades, e sua implantação traria uma maior possibilidade e facilidade de se identificar e resgatar um cachorro perdido, e devolve-lo ao seu lar. Ou se for o caso, identificar e responsabilizar o responsável pelo cachorro que tenha sido vitima de um eventual abandono, maus tratos, ou até por um ataque que cause danos a terceiros, motivado por sua negligência.E a importância da identificação dos cachorros é uma unanimidade entre os especialistas da área. E as diversas Secretaria da Saúde e órgãos similares em todo o Brasil empenhados nesta questão, tem declarado de forma conjunta e unânime que a implantação de um registro nacional de cachorros seria a melhor maneira, e a forma mais rápida e pratica para se conhecer, dimensionar e monitorar a população canina global e individualmente. O que seria uma imprencindivel auxilio no planejamento para as políticas de saúde pública. E primordialmente, o registro e a respectiva identificação dos cachorros, deveria ser essencialmente a primeira etapa de todo um processo que viesse a permitir eficazmente um quase que total monitoramento e controle dos cachorros em uma determinada cidade ou região do Brasil. Entretanto, efetivamente por que está eficiente e providêncial medida não consegue ser implementada no Brasil. A principio, pode ser por questões culturais, pois no Brasil, não existe o habito individual, coletivo ou governamental da organização, e poderia vir a ser mais uma lei que não sairia do papel, tanto no âmbito federal, estadual e municipal, principalmente se anexado a estas leis vier juntamente a cobrança de algum tipo de taxas e impostos. E os especialistas, tanto os veterinários quanto as autoridades publicas da área, são enfáticos em declarar que no Brasil a cobrança de taxas para o registro dos cachorros, antes de ser implementada e estar efetivamente assimilada a cultura da identificação pela população, é um fator inibidor e uma grande barreira para o sucesso e a viabilidade deste fundamental e importante projeto, e com toda certeza este é um dos principais motivos pelo qual o projeto do registro e identificação dos cachorros não ter conseguido obter êxito e ter sido cultural e gradualmente assimilado pela população.

quarta-feira, julho 20, 2011

Cachorros - Abrigos Particulares.



Cachorros - Abrigos Particulares: Com o já conhecido descaso e as cronicas e inerentes caracteristicas deficiências do serviço público, para com o grave e cruel problema crescente que é o abandono de cachorros no Brasil. O que acaba ocasionando uma legião de milhares de cachorros desnorteados, doentes e famintos, perdidos pelas ruas, carentes de proteção, atenção, abrigo e carinho. E diante desta trágica e cruel, a existência dos abrigos particulares, que são criados e geridos, muitas vezes somente com a cara e a coragem e de forma totalmente improvisada, por pessoas aguerridas e abnegadas, são uma tentativa quase que desesperada para se tentar mudar ou ao menos minimizar está trágica realidade. Entretanto, apesar de todos obstáculos enfrentados, e com muitas carências e improvisos, se faz necessário que se adeqúem a determinadas condutas e regras para que possam funcionar de uma maneira aceitável, adequada e correta.

Pois mesmo sem uma regulamentação ou legislação formalizada, os Conselhos Regionais de Medicina Veterinária de cada respectiva região ou estado. determina alguns procedimentos e condutas básicas e essências. Sendo estes procedimentos e pré-requisitos exigidos dos abrigos particulares, semelhante aos aplicados nos abrigos públicos, pois ambos tem o mesmo propósito e fundamento funcional, que é recolher os cachorros abandonados, proporciona-lhes alimento e abrigo, e encaminha-los para a adoção. Entretanto, mesmo com todas as limitações e carências de recursos materiais e humanos, os abrigos particulares conseguem proporcionam aos cachorros abrigados, um tratamento mais carinhoso, digno e humano, ao contrario dos abrigos públicos, que em sua maioria são verdadeiros depósitos de cachorros, que funcionam mais como uma fabrica de tortura e extermínio em massa de cachorros.

Alguns importantes pontos do Manual de Responsabilidade Técnica determinam que as instalações de um canil devam ser individuais, de alvenaria, com área compatível com o tamanho do animal, paredes lisas, impermeabilizadas. Vários fatores devem ser observados para a garantia do bem estar animal. Como oferecer conforto térmico, acesso ao sol, alimentação adequada e instalações que atendam as necessidades, e as exigências legais quanto à manutenção da condição sanitária. Pois os cuidados com a estrutura física são determinantes para um bom grau de salubridade do local, e tambem para a saúde e o bem estar dos próprios cachorros. Porem infelizmente, devido a grande demanda causada pelo incessante numero de cachorros abandonados, e que muitas vezes, devido as suas péssimas e lastimáveis condições de saúde necessitam urgentemente de abrigo e tratamento medico veterinário.

O que na maioria das vezes acaba ocasionando tambem uma   superpopulação de cachorros no abrigo. O que compromete e inviabiliza a qualidade do tratamento dado aos cachorros, como tambem a existência e a manutenção do próprio abrigo, o que geralmente acarreta na sua saturação e falência, basta observar o exemplo recente da crise na Suipa, em que virou um local de referência onde as pessoas de uma forma hipócrita, para tentarem enganar as suas próprias consciências, ao invés de largarem os cachorros nas ruas, simplesmente os largavam na Suipa, de uma maneira fria e indiferente, sem se importarem em que condições o cachorro iria ficar ou como seria tratado, e para estás pessoas, as suas consciências estão tranquilas, pelo simples fato de não terem abandonado os seus cachorros, criaturas que dependiam e viviam em função deles, largado nas ruas, mas sim "digna e civilizadamente" telos entregue a um abrigo.

Pois os gestores responsáveis pela administração dos abrigos no Brasil, principalmente os particulares, que em sua grande maioria trabalham de uma forma heróica, insesante e arduamente tentando constantemente fazer o impossível para tentar mudar este cenário triste e caótico. Devem apesar de toda está situação dramática, saber superar a emoção, e estipular racionalmente um limite máximo de cachorros abrigados, e que seja proporcional a capacidade do abrigo na quantidade total de cachorros. Total este, em que se permita dar aos cachorros assistidos pelo abrigo, um mínimo de atenção e um tratamento digno e adequado, caso contrario, apesar de toda as nobres intenções, ocorre-rá uma degeneração em todo o processo virtuoso.

E que acaba-rá transformando o abrigo em um deposito de cachorros, com os cachorros vivendo amontoados uns nos outros, brigando pela comida, adquirindo e transmitindo doenças, e não poderem desfrutar do bem estar e de uma vida digna, sem o devido carinho e atenção. Ou seja, os gestores dos abrigos, não podem ter a pretensão de tentarem resolver sozinhos este grande, incessante, cronico e complexo problema, e devem aprender a saber respeitar as suas próprias limitações, e em todos os sentidos pessoais, emocionais, estruturais e financeiras, saber dizer não e não recolher cachorros alem do limite máximo permitido. sob o risco eminente de comprometer toda a eficiência e viabilidade da gestão e a qualidade do tratamento fornecido, e consequentemente o bem estar e a integridade física e a saúde dos cachorros abrigados sob sua responsabilidade.

Pois muitas pessoas movidas principalmente pela emoção e por otimos propósitos, intencionam montar um abrigo, sem um local e uma estrutura adequados, e sem as mínimas condições financeiras. E apesar  darem e fazerem o seu melhor e de toda coragem e determinação, acabão solitárias e exaustas, enfrentando diariamente todo tipo de dificuldades, desde de recolher cachorros nas ruas, procurar adotantes, tentar fornecer as mínimas condições necessárias aos cachorros abrigados, e tambem desesperadamente cumprir compromissos financeiros, já que as doações e a consequente captação de recursos são mínimas, e inexiste qualquer tipo de ajuda por parte dos órgãos públicos. E terminam quase que de maneira inconsciente e involuntária criando verdadeiros depósitos com estoques de cachorros aprisionados, doentes e famintos.














terça-feira, julho 19, 2011

Cachorros - Protetoras.


Cachorros - Protetoras: Existem milhares de cachorros e outros animais abandonados nas ruas das cidades do Brasil, passando as piores privações e sofrimentos como, fome, frio, doenças, desabrigo e solidão. Entretanto apesar de todo o terrível sofrimento que lhes são infringidos devido as indignas e precárias condições de sua miserável existência. Os cachorros abandonados, apesar deste dramático quadro, em que são desprovidos e deserdados de tudo e por todos, tem tambem os seus anjos de guarda. E estes anjos, se materializam em forma de um verdadeiro exercito da salvação, composto em sua grande maioria por milhares de mulheres, que estão presentes de forma emocionante, abnegada e heróica em cada rua, bairro e cidade nos quatro cantos do Brasil. 

Agido, fazendo e promovendo todo e qualquer tipo de auxilio e socorro, ajudando a minimizar o sofrimento e a triste e cruel existência destas inocentes criaturas que são os cachorros abandonados, e podemos imaginar o quanto pior seria as suas deploráveis existências, sem o socorro e a assistência destas abnegadas protetoras, que são mulheres que muitas vezes se sacrificam em prol dos cachorros abandonados, dedicando seu tempo, seus recursos financeiros e dando atenção e carinho, e na maioria das vezes agindo sozinhas, sem nenhuma ajuda, atuando como verdadeiros anjos protetores. 

Pois elas alimentam, resgatam, pagam os custos da assistência veterinária e das castrações, promovem a adoção, divulgando e procurando adotantes para os cachorros resgatados e recuperados, e apesar do dramático quadro e da cruel realidade, e sem nenhum incentivo e apoio, atuam como um verdadeiro exercito de incansáveis batalhadoras. E em função da triste realidade, que são a dos cachorros abandonados, e as demandas que se fazem necessárias mediante muitas vezes os custos veteriunarios, de uma eventual necessidade de internações e operações em alguns cachorros resgatados, em virtude de acidentes como brigas, atropelamentos ou doenças. 

Estas fies e aguerridas mulheres são capazes de abdicarem de suas próprias prioridades pessoais, chegando mesmo a tira-rem dinheiro do próprio bolso e até se ausentarem do convívio familiar em um eventual feriado ou final de semana, para prestarem auxilio e socorro aos cachorros abandonados. E são mulheres que fazem um esforço tamanho, e dedicam praticamente todo o seu tempo, energia e atenção, a estas pobres e inocentes criaturas que foram excluídos de uma existência digna, e que são vitimas indefesas e sofrem constantes maus tratos, estão desnutridos, famintos, tomados por parasitas e muitos vezes encontram-se muito machucados e doentes . 

segunda-feira, julho 18, 2011

Cachorros - Agressividade Domestica.


Cachorros - Agressividade Domestica: No Brasil anualmente são registradas em média, 450 mil ocorrências envolvendo acidentes que são resultados de mordidas, ataques, e arranhaduras ocasionados por cachorro. E que em 85% dos casos, estes acidentes tem o ataques provocados por cachorros da própria família da pessoa vitimada.E estes são realmente números bastante expressivos, e para se entender e esclarecer está questão, e saber o motivo do porquê desses números tão elevados, para poder se apresentar formas e alternativas de uma melhor prevenção, Deve-se analisar e saber que a origem da agressividade domestica nos cachorros pode ser motivada por inúmeras causas, que pode ter influencia inclusive das características herdadas dos seus ancestrais caninos.  Avaliar o cachorro em seu comportamento normal, e do porque da ocorrência de uma eventual disfunção comportamental, e tambem os mitos e verdades sobre este assunto.


Pois as causas mais comuns da agressividade domestica nos cachorros segundo especialistas em comportamento canino, são o medo, a dominância, frustrações, disputa por territorialidade, dor ou doença. Porém, são também causas determinantes para acidentes a falta de socialização dos filhotes, e deficiências da criação do cachorro analisando-se o aspecto emocional e o seu bem-estar físico, como por exemplo, constantes agressões verbais e físicas. E entre todas as causas citadas, a dor está entre uma das principais causas da agressividade domestica, devido a isto é preciso ficar bastante atento à saúde do cachorro, uma vez que são muito comuns os casos de acidentes provocados por ataques com mordeduras quando os cachorros estão sentindo uma dor muito intensa.


E cachorros com estas dores intensas, que geralmente são provocadas por artrite ou inflamações graves nos ouvidos ou nos dentes, por exemplo, podem acabar mordendo os seus próprios responsáveis ou familiares, involuntariamente devido ao desespero e a agonia causados por as estas dores intensas. E há tambem ainda inúmeros casos, provocados por maus-tratos, em situações em que os cachorros são mantidos constantemente presos por correntes, sendo torturados, e tambem vítimas de vários tipos de abuso, e ao morderem alguém, para até se defende-rem são logo estigmatizados e condenados como cachorros incontroláveis, perigosos e violentos, e considerados verdadeiros vilões, quando na realidade, estes cachorros é que são verdadeiramente as principais vítimas.

domingo, julho 17, 2011

Cachorros - Raiva/Chacaras e Sitios.


Cachorros - Raiva/Chacaras e Sitios:  As campanhas de vacinação têm obtido grande êxito, demonstrando que a vacinação é a melhor forma de se prevenir a raiva, e conseguem imunizar praticamente quase a totalidade da população de cachorros, principalmente os das grandes regiões urbanas do país, exceto obviamente os cachorros abandonados. Porem mesmo assim, os casos de ocorrência da doença continuam a aparecer, e muitos cachorros são infectados e morrem de raiva todos os anos, e ocasionalmente acabam atacando e mordendo pessoas que tem que serem submetidas a tratamento profilático anti-rábico (soro ou vacina), para não serem infectadas. Entretanto, são os animais silvestres, que natural e geralmente são encontrados em chacaras, sítios e nas regiões rurais os principais transmissores da doença aos cachorros.

E na sua grande maioria não são cachorros abandonados, mas sim cachorros saudáveis que possuem responsáveis e moradia, e que por esquecimento e negligência não foram vacinados por seus responsáveis. E os cachorros, que viajam de forma frequente ou mesmo ocasionalmente para estas regiões, ou que habitem em residências próximas a esses locais, estão mais propensos a contatos com estes animais, como morcegos, gambas, canídeos silvestres e primatas, e devido ao grande risco de haver algum tipo de contato do cachorro com estes animais, os seus responsáveis não podem prescindir e devem obrigatoriamente estarem atentos à vacinação anual. Pois há uma grande incidência de raiva em animais silvestres, e consequentemente tem aumentado proporcionalmente os registros da doença transmitida aos cachorros através destes animais.

Havendo mais de 100 especies de animais silvestres já identificados com a doença, e entre estas espécies, em maior numero estão os morcegos hematófagos, que são os que se alimentam de sangue, e tambem os não hematófagos. No Brasil, o cachorro é a principal fonte de infecção e transmissão da raiva para o homem, no entanto é importante lembrar que o cachorro não é a única fonte de transmissão da doença, pois a maior ocorrência é devido essa aos cachorros terem uma maior convívio social com o homem. Porem, não são os cachorros, mas sim os animais silvestres que são os maiores reservatórios primários da raiva.

E isto ocorre em quase todo o mundo. É imprencindivel então, que os responsáveis pelos cachorros que viagem ou habitem estas localidades ou áreas rurais tenham atenção redobrada, pois a transmissão é feita rápida e facilmente por meio de lambidas ou mordidas, ou seja, do contato direto da saliva contendo o vírus rábico. Pode ocorrer tambem, o contágio através de arranhões, pois a salivação intensa dos animais doentes contamina tambem as suas unhas. E a prevenção ainda é a única forma de se evitar e se eliminar a ocorrência da doença.

sábado, julho 16, 2011

Cachorros - Castração/Cuidados.


Cachorros - Castração/Cuidados: Com muita superação, dedicação e trabalho, a ignorância das pessoas, devido ao desconhecimento dos fatos e os respctivos mitos e preconceitos criados em relação a castração foram superados, e as pessoas em geral e tambem o poder publico passaram a ver, aceitar e a utilizar o procedimento da esterilização como uma das principais soluções para diminuir e minimizar o grande e grave problema que é o abandono de cachorros, em todas as grandes cidades do Brasil. No entanto, é necessário, e imprencindivel tambem que as pessoas em geral fiquem alertas a respeito da importância da qualidade e da segurança proporcionadas aos cachorros durante estes procedimentos. Pois devido ao aumento da procura, e a consequente popularização deste método eficiente, pratico e definitivo de se evitar a gestação indesejada, e a consequente explosão populacional dos cachorros. Acarretou o aparecimento generalizado de campanhas de castração, com mutirões de profissionais nem sempre “aptos”, e em condições nem sempre seguras e adequadas para a realização de cirurgias.   E estas são questões que não podem, nem devem serem ignoradas por ninguem, tanto os responsáveis pelos cachorros, quanto os profissionais responsáveis que coordenam e organizam estes eventos e tambem os profissionais que realizam os procedimentos cirurgicos de esterelização dos cachorros.  A castração é um procedimento, relativamente simples e definitivo, e mais do que necessário, para se minimizar este grave problema, que são os cachorros abandonados, tanto em relação ao sofrimento dos cachorros, quanto a disseminação de zoonoses. no entento é preciso cuidado e atenção, poiso grande aumento no numero de cirurgias, fez aumentar proporcionalmente, em muito alem do aceitável o número de erros e problemas nestes procedimentos, erros estes, que põem em grande risco a saude e a vida dos cachorros, podendo inclusive na maioria das vezes serem fatais.  Pois são necessarios critérios para a escolha precisa e correta quanto ao tipo de anestésico mais coerente e adequado ao perfil e ao volume de trabalho, cuidados com a segurança e a higiene, a qualidade dos medicamentos, ou seja deve-se ter todos os cuidados necessarios com a saude e o bem-estar dos cachorros, para que se minimize os riscos e se possa aumentar as possibilidades de exito e o sucesso do procedimento, pois mesmo sendo um procedimento relativamente simples e rapida, trata-se de uma cirurgia. E são frequentes e em grande numeros os casos de Infecções pós-cirúrgicas por falta de assepsia, de sangramento interno e principalmente erro na dose de anestésico, e estes erros e falhas estão entre os mais comumente cametidos, e são responsáveis por comprometer gravemente a saúde de varios cachorros, inclusive levando muitos ao obito. 

sexta-feira, julho 15, 2011

Cachorros - Doenças Articulares.


Cachorros - Doenças Articulares: Não são somente os seres humanos que diminuem as suas atividades fisicas e perdem o vigor fisico, acabando por modificar os seus hábitos cotidianos, conforme o avanço da idade. Os cachorros e tambem passam por este processo natural de desgaste e envelhecimento fisico, e os cachorros começam a tornar perceptivel este processo quando apresentam dificuldades locomotivas, e por não mas conseguirem, evitam ou relutam, pular ou subir parapeitos ou escadas, ou tambem começam a andar com dificuldades de forma claudicante e apresentando dor, é a partir deste momento em que o cachorro manifesta certas limitações fisicas, que é preciso ficar atento. Pois quando o cachorro, reluta ou a tem dificuldades em subir escadas ou pular, principalmente se este cachorro era até então dinamico e ativo, e que tambem não seja em decorrência e resultante de algum trauma recente. 


É bastante provavel que ele esteja com problemas nas articulações, que pode ser nas articulações de seus membros (patas), ou nas articulações ou cartilagens vertebrais, ou até mesmo ser de origem genética como a displasia, e todos estes sintomas e fatores caracterizam a ocorrência da Doença Articular Degenerativa (DAD), que está entre as doenças que mais levam cachorros a serem internados em clinicas veterinarias.  E naturalmente, são os cachorros de grande estatura ou porte e tambem os gigantes, que estão entre os mais suscetiveis a desenvolverem está doença, Porem há ocorrência da DAD, mesmo com menor incidencia tambem em cachorros de pequeno e médio porte. E as causas mais freqüentes do desenvolvimento da DAD nos cachorro, são problemas nas articulações, ruptura dos ligamentos e displasias. 


Entretanto qualquer enfermidade decorrente das articulações pode desencadear a DAD, inclusive o sedentarismo, devido a falta de movimentos articulares, tambem pode provocar a degeneração articular. E um diagnóstico precoce, é essencial e pode facilitar e minimizar em muito o tratamento indicado,  que dependendo da rapidez do diagnostico, o caso pode ser clínico ou cirúrgico. Devido a isto, ao primeiro sinal de dificuldade de locomoção manifestado pelo cachorro, deve-se imediatamente procurar o auxilio de um médico veterinário, principalmente se estes sintomas se manifestarem em cachorros ainda filhotes. Pois há o perigo de não se perceber a presença da doença, e o DAD, caso não seja diagnosticado e tratado , tende a se agravar e causar problemas mais sérios com o passar do tempo. 


Inclusive, um dos principais fatores decorrentes do aparecimento da doença é o peso do cachorro, que implica na carga aplicada em suas articulações. Pois é sabido, estatisticamente que cachorros em forma, com o peso considerado adequado, manifestam menos lesões articulares, tendo tambem uma melhor qualidade e expectativa, ou seja vivem melhor e por mais tempo. E tambem com o avançar da idade, cachorros que tem o habito de fazer movimentos não-naturais, como pulos em excesso ou andar sobre as patas traseiras, pois estes movimentos forçados e não naturais, podem tambem vir a desencadear a doença. Sendo necessario então, como medida preventiva a pratica de exercicios fisicos, como passeios e caminhadas diarias, e o ideal é que os cachorros sejam criados em pisos que não sejam lisos, e com espaço para poderem brincar e se exercitar, e tenham um controle no seu peso e uma alimentação de boa qualidade. 


Além disso, existem reguladores da posição da comida para cachorros altos, e tambem almofadas acolchoadas que podem evitar o aparecimento de calos de apoio nos cachorros de grande porte. E quanto ao tratamento, há  diversas opções, vão desde medicamentos para cessar ou amenizardor, para reduzir do avanço de degeneração articular, e dependendo da gravidade do caso inclusive cirurgias. Há também, tratamentos complementares como reabilitação física, acupuntura e homeopatia. Pois melhorar a qualidade de vida do cachorro e retardar a progressão da doença são os objetivos dos tratamentos, entretanto infelizmente, apesar de todas os recursos e alternativas disponiveis para o tratamento, não é possivel a cura DAD.

quinta-feira, julho 14, 2011

Cachorros - Esfolados e Mutilados.


Cachorros- Esfolados e Mutilados: O cachorro que foi apresentado ao mundo, e denominado como  o "cão de duas caras", é um exemplar canino da raça Beagle, e que teve grande parte da pele de seu rosto retirado, aproximadamente um quarto do total da área da pele, incluindo uma orelha e palbebras, onde nesta área que foi mutilada e esfolada, foi transplantado de outro cachorro que foi igualmente mutilado e teve tambem a pele do rosto retirada com a sua respectiva orelha e pálpebra, e tlansplantadas no cachorro recebedor. sendo posteriormente o cachorro doador, que alem de mutilado e desfigurado, sem nenhum respeito por sua dignidade, foi tambem foi sacrificado. Esta macabra operação, que se intitu-lá como uma avançada experiência medico/cientifica, que auxilia imensamente , e cria grandes paramêtros cirúrgicos para as pesquisas sobre transplantes e enxertos de rostos humanos. Mas que porem está mais para o nazismo e doutor Fransksten, do que propriamente para a evolução cientifica da humanidade. 


E está extraordinaria, brilhante e sensacional experiência cientifica, que grandes avanços trouxe para a evolução da humanidade. Ocorreu na província de Fuzhou na China, e estas sinistras e abomináveis experiências cirúrgicas já vem sendo realizadas há dois anos, sendo que está foi a que obteve maior êxito. E o cirurgião plástico-chefe do Hospital Provincial de Fujian, em Fuzhou, Zhen Shengwu tem agora a filantropia perspectiva financeira de explorar o promissor nicho de chineses e cidadãos ocidentais milionários interessados na cirurgias para mudança de face, e que obviamente podem pagar por estas igualmente milionárias cirurgias. E acrescenta que o rosto de um cachorro está perto de um ser humano, é uma boa referência para futuros transplantes de rosto humano." Entretanto o doutor alega que que para pacientes cujos rostos estejam muito danificados por causa de queimaduras, de acidentes de carro, ataques de animais ou tumores, a cirurgia de face pode proporcionar uma mudança positiva e melhorar significativamente a qualidade de vida destes pacientes, 


E acrescenta que devido a semelhança das terminações nervosas e músculos faciais, o rosto de um cachorro e bem parecido ao de um ser humano, o que é uma boa referência para futuros transplantes de rosto humano. Obviamente desde que estes mesmos pacientes, possam pagar por estas caríssimas cirurgias, pois baseando-se nos propósitos monetários destas operações, as mesmas estão restritas somente a elite milionária. Inclusive a utilização de cachorros como cobaias, e a sua cruel mutilação e sacrifício, e algo que causa uma imensa indignação e é absolutamente desprezível, injustificavel e totalmente desnecessário. Pois já existem pesquisas e experimentos médicos/científicos com operações muito bem sucedidas relacionadas aos diversos acidentes decorrentes de queimaduras, acidentes automobilisticos, ataques de animais, e tambem doenças, e que apresentam resultados considerados otimos e excelentes, inclusive recentemente, como visto nos noticiários, tambem transplante de face humana, realizados com grande êxito. E com todos estes avanços e evoluções medico/cientificas, já alcançados e consolidados. Não há nenhuma alegação com bases cientificas que possa justificar a utilização de cachorros com cobaias, e a sua desumana, repugnante, covarde, cruel e abominável esfolação e mutilação. Há não ser a de servir aos propósitos nazi-financeiros de criaturas desalmadas, despreziveis e repugnantes.   


quarta-feira, julho 13, 2011

Cachorros - Leishmaniose/Verdades e Mitos.


Cachorros - Leishmaniose/Verdades e Mitos: A leishmaniose canina ainda cria um enorme pavor na grande maioria da população, devido principalmente a ignorância e a má informação. E a informação verdadeira, certamente é a maior arma contra a doença e a favor dos milhares de cachorros que são sacrificados constantemente nos Centros de Controle de Zoonoses em todo o Brasil. 

E a intenção aqui é proporcionar as pessoas em geral, a informação correta e verdadeira. Baseada em pesquisas e análise de textos acadêmicos, documentos jurídicos, e textos em veículos de diversas mídias; para o esclarecimento de questionamentos e dúvidas referentes a leishmaniose canina. 

Pois a leishmaniose ainda tem vários mitos, e sem duvida o maior deles é julgar os cachorros infectados como os grandes ou, muitas vezes, os únicos responsáveis pela disseminação da leishmaniose. Entretanto, o maior problema da disseminação da leishamaniose canina são as questões  sócio-econômicas, que estão entre as muitas das principais situações mal resolvidas no Brasil. 

Pois se não houver um saneamento básico e uma alimentação adequada que inclua todos os brasileiros, a leishmaniose continua-rá a se disseminar sem possibilidades eficazes de controle e extinção , e não é justo os cachorros pagarem o preço. Controlar a leishmaniose implica primeiramente em resolver estas questões básicas. 

Dar condições e qualidade de vida para a população, com uma alimentação de qualidade, pois acabando com a desnutrição; consequentemente, ninguém ficará suscetivel e será um alvo fácil para a leishmaniose e outras doenças oportunistas. Porem o absurdo maior, que chega a ser no mínimo arbitrário, insensível, cruel e desumano, é a proibição de tratamento para os cachorros acometidos pela doença. 

Entretanto, atualmente por meio da via jurídica já é possível conseguir superar está abominável arbitrariedade, pois várias ONGs de proteção animal têm conseguido o direito de tratar os cachorros por meio de ações na justiça, pois o tratamento não é um crime, e sim direito a vida e a dignidade dos cachorros. 

Pois o tratamento para leishmaniose canina, apresenta algumas similaridades. com o tratamento da leishmaniose humana, que são os seguintes, na cura clínica tanto o ser humano quanto o cachorro não apresentam sinais da doença. Na cura epidemiológica, tanto o ser humano como o cachorro não são mais transmissores da doença. 

Porém o cachorro é mais suscetível e, portanto, pode ter muitas recaídas. E ambos, tanto o cachorro quanto o homem, não apresentam cura parasitológica, pois o parasita ficará para sempre tanto no organismo do homem quanto no organismo do cachorro.

terça-feira, julho 12, 2011

Cachorros - Objetos de Consumo.


Cachorros - Objetos de Consumo: Devido ao fato de diversas celebridades nacionais e internacionais tornarem popular a utilização de cachorros de raça de pequeno porte. E que acaba influenciando e induzindo a milhares de tietis imitadores de celebridades da moda, mundo afora a usarem e tranforma-rem os cachorros de raças, principalmente os de pequeno porte em acessórios fashion da moda e em meros e superfa-los objetos de desejo que proporcionam status social, o que está acarretando nas grandes cidades dos países ocidentais, principalmente nos países latinos americanos e tambem nos Estados Unidos uma super população de cãozinhos de raça abandonados, que já virou uma epidemia principalmente entre Chihuahua e Podlles Segundo dados de sociedades protetoras de animais dos Estados Unidos, somente  na cidade de Los Angeles, estima-se que existam mais de 60.000 entre Chihuahuas, Podles e outros cachorros de raça de pequeno porte abandonados, e o número continua crescendo. E as sociedades protetoras estão se mobilizando, e fazendo de tudo para tentar resolver ou minimizar o problema da super população de cãozinhos abandonados em Los Angeles. Inclusive,este fenômeno aumentou muito na Califórnia depois de filmes como ‘Legalmente loura’ e ‘Beverly Hills Chihuahua’, que popularizaram a ideia de ter um cachorro como um mero acessório da moda. E a aparição de celebridades como Paris Hilton e Britney Spears, que começaram a ser fotografadas com cachorrinhos, também ajudou no problema”, acrescentam as entidades protetoras. A questão é que cachorros, são seres vivos, e não são meros objetos da moda ou acessórios de luxo ou status social, e que quando deixam de ser lindos e fofos filhotinhos, perdem a graça e o encanto e são dispensados e descartados de forma fria e indiferente como se fossem lixo, pois perderam o status e saíram de moda, alem tambem de tomarem tempo e darem trabalho para serem cuidados, então é muito mais fácil e comodo abandonar e jogar no lixo. Pois muitas jovens os compram como se fossem um objeto de luxo da moda que lhes proporciona-ra prestigio e status social momentanêo, mas somente até o momento em que este cachorro deixar de ser filhote e crescer, perdendo então o status de fofinho, bichinho da moda, e ai elas se cansam muito rápido deles, e cruel friamente os descartam. Infelizmente estes cachorros acabam sendo vitimas indefesas, de jovens cruéis, fúteis e problematicas, que na verdade, essencialmente são criaturas de cabeça vazia, imediatistas e consumistas desprovidas de cultura e de qualquer sentimento de humildade, nobreza e dignidade. No Brasil, a situação não é muito diferente, pois há uma menor concientização e uma grande indiferença tanto por parte das pessoas quanto das autoridades. e a cada dia é maior o numero de cachorros abandonados nas grandes cidades, entre os quais se encontram inclusive muitos cachorros de raça, tendo aumentado em muito ultimamente o percentual de cachorros de raça, tanto de pequeno ou de grande porte entre os cachorros abandonados na rua, e eles são os que mais sofrem, não que os vira-latas não sofram, porem os cachorros de raça são bem menos resistentes e adaptados ao ambiente hostil das ruas, e portanto muito mais suscetiveis a contraírem doenças e parasitas, e tambem sentem mais profunda e intensamente a tristeza e a melancolia causadas pela dor do abandono. 

segunda-feira, julho 11, 2011

Molossos Americanos - Cachorros.



Molossos Americanos - Cachorros: Atualmente os descendentes dos molossos do velho mundo representados por suas diversas raças, estão presentes em praticamente todos os paises do novo mundo, ou seja as americas do sul, central e do norte. Um número surpreendente de cães das raças menos conhecidas, como o cão de Akbash, o Tatra, o cão Kangal, o Maremma, servir no seu papel como guardiões antigos de gado em fazendas norte-americanas e pastagens. E tambem os molossos desenvolvidos na propria America como o Mastiff Americano, e tambem outras raças derivadas de cruzamentos com molossos europeus, lá eles são bem conhecidos como protetores de ovinos e bovinos de leão de montanha, bobcat, coiote, lobo, e até mesmo o urso Grizzly. América do Sul, da mesma forma, tem desenvolvido a sua própria mastins, o Dogo Argentino e Fila Brasileiro, raças projetado especificamente para as fazendas da América do Sul e plantações.
Hoje os descendentes dos antigos mastiff estão espalhados por todo o mundo e vêm em uma incrível variedade de formas, tamanhos e cores. No entanto, a maioria ainda compartilhar algumas das características físicas que colocá-las fora dos tipos de outra raça milhares de anos atrás. Ainda mais importante, eles ainda são conhecidos por sua coragem, sua determinação e sua atitude vigilante. O mastiffs moderna ainda funcionar como protetores potencialmente feroz do homem e suas posses.

domingo, julho 10, 2011

Molossos Europeus - Cachorros.



Molossos Europeus - Cachorros: Todos os molossos europeus da atualidade, quanto os seus ancestrais da Grecia e Roma antigas são descentes diretos do antigo Mastiff tibetano asiatico, que está entre as raças de cachorro mais antigas do mundo. E os molossos ou mastiffs foram trazidos inicialmente da India na Asia para toda Grécia Helenica por Alexandre o Grande por volta de 300 aC. E posteriormente os romanos, ficaram admirados com o tamanho e a força dos molossos, e os utilizaram, devido ao seu grande porte e ferocidade em seus combates de circo, e tambem em conflitos belicos e principalmente devido a isto, os molossos foram levados pelos romanos para a Grã-Bretanha e depois se espalharam por toda a Europa. Dando origem a diversas raças como o Buldog Ingles, Boxer, Rottweiler, Bullmastiff, Mastim Napolitano, São Bernardo entre outras.


sábado, julho 09, 2011

Braco Italiano - Cachorros.



Braco Italiano - Cachorros: O Bracco ou italiano Pointer-deve ser atlético e poderoso na aparência, mais se assemelha a um cruzamento entre um Pointer alemão de cabelos curtos e um Bloodhound, mas não é nada como eles no caráter. Tem pendentes lábios superior e orelhas longas que criam uma expressão séria. Deve ser "quase quadrado", o que significa que sua altura na cernelha deve ser quase o mesmo que o comprimento de seu corpo. Não deve, contudo, ser realmente quadrado como este tornaria a sua condução traseira famoso empurrar e frente / extensão traseira para ser comprometida, perdendo assim grande parte de sua poderosa graça. A cauda pode ser encaixado, principalmente devido à forte possibilidade de lesão em terrenos acidentados / densa quando a caça, no entanto, tem havido uma mudança radical na Itália, com alguns trabalhando agora a raça com a cauda completa. A pelagem é curta, densa e brilhante. A textura deve ser bastante difícil, embora um pouco mais curto e mais macio na cabeça, garganta, ouvidos, pernas e pés. Derramamento acontece algumas vezes por ano, e uma luva hound realmente ajuda na eliminação de pêlos mortos.
As cores mais comuns são Bianco-Arancio - Branco-laranja e ruão marrom - ruão Brown, castanha ou 
âmbar manchas coloridas no rosto, orelhas, base da cauda e corpo.
Preto na pelagem é uma falha, como são "três cores" cães, tais como laranja / branco com castanha 
spottings acima dos olhos, no focinho e pernas, como o padrão de um Doberman ou Rottweiler. peso é 
de 25-40 kg.
Movimento: A marcha, quando a caça, começa como um galope, mas retarda a um trote por muito tempo como o cão entra em perfume. Este trote deve ser longo e fluido, com abundância do alcance e da unidade (o "quase quadrado" corpo contribui para isso). Como um Bracco vem cada vez mais perto cheiro, a marcha retarda a um rastejamento, e depositada em um não-movimento "point", com uma perna da frente geralmente realizada na posição de cão clássico apontando. A cabeça deve ser realizada acima da linha superior, o que facilita a scenting ar para que esta raça é conhecida. A Bracco bem 
construído, com uma cobertura completa e musculatura desenvolvida, é um motor atraente e cobre um 
lote de terreno.
Temperamento: Braccos são muito um cão-loving pessoas e prosperar em companhia humana, tendo uma forte necessidade de estar perto de seu povo. Eles são um cão da família particularmente bom, e muitos têm uma forte amor das crianças. Eles se dão bem com outros cães e animais de estimação, se treinados a fazê-lo - é, afinal, uma raça de caça - e deve ser ensinada sobre o que perseguir eo que não. Eles estão muito dispostos a favor desde que eles decidiram que sua idéia é melhor que a deles. Treinamento de obediência é uma obrigação para um Bracco, e quanto mais se pede delas, o melhor que fazem. Repreensões ásperas não funcionam com esta raça, a menos que a reprimenda é justa - e aspereza deve ser usada, ocasionalmente, com alguns cães para lembrá-los que é realmente no comando. Embora não seja uma raça agressiva, Braccos muitos alerta se há uma razão, e alguns vão latir ou rosnar se há uma boa razão. A raça gosta de caçar , e eles se superam nisso - na verdade, um Bracco não caça não é uma Bracco feliz, e vai agir em várias outras formas. Caça sem uma arma é uma área em que o Bracco pode excel e esta pode ser uma grande oportunidade para treinar o cão para se conectar com o proprietário. Eles são uma raça ativa, mas requer o exercício mais mental do que o exercício físico para mantê-los felizes, mas correndo livre regulares realmente entreter tanto a mente e os sentidos de forma satisfatória e por isso deve ser incentivada.
História: O Bracco Italiano origem na Itália, e há escritos sobre a raça que datam do BC séculos 4 e 5. Acredita-se ser um cruzamento entre um Italiano Segugio (um cão correndo) e do Mastiff asiática.
Existem duas variações da raça. O primeiro teve origem no Piemonte, e foi por isso conhecido como o 
Pointer piemontês. O outro teve origem na Lombardia , e era conhecido como o Pointer Lombard. O 
Bracco de Piemonte é mais leve na cor e em construir, provavelmente devido ao terreno montanhoso lá. 
O Pointer Lombard é de cor escura e mais grossa no corpo. Foi bem estabelecido pela Idade Média. O 
Bracco prosperou durante o Renascimento e foi criado por ambos os Medici e Gonzaga famílias.
Antes da Segunda Guerra Mundial e mais tarde é destacado o trabalho feito pelo criador e juiz 
internacional de cães e Commendatore Paolo Cavaliere Ciceri, que foi presidente e fundador do SABI e 
considerado o Pai da Bracco Italiano. Muitos livros foram escritos por este homem até sua morte, os 
cães em seu canil, dei Ronchi, foram considerados o padrão da raça. Alguns deles foram até mesmo 
introduzido na América por seu filho Giancarlo Ciceri.
Eles eram procurados pela aristocracia e usado para a caça de penas. No final do século 19 e início 
do século 20 a raça quase se extinguiu. Ultimamente, ele foi salvo principalmente pelos esforços 
combinados do italiano criador de Ferdinando Delor Ferrabouc e - durante as Guerras Mundiais depois 
- de uns poucos staunch criadores italianos, cujas famílias já tinham se dedicado ao Bracco longo de 
vários séculos. O italiano padrão para a raça foi lançado em 1949 a partir da SABI (Societá Amatori Bracco Italiano), em Lodi, Lombardia . Ele veio para a Inglaterra em 1989 . É praticamente inédito pela maioria no Estados Unidos , embora tenha um grupo pequeno, mas firme, de apoiantes lá.

Molossos Asiaticos - Cachorros.



Molossos Asiaticos - Cachorros: Os grandes molossos asiáticos foram os ancestrais de muitas raças classificadas como molossos, desde os atuais molossos asiaticos como o Mastim do Tibet, Tosa Inu, Alabai, Alangu até as diversas raças contemporanias de molossos europeus. Pois os molossos asiáticos, acompanharam as tropas de Alexandre o Grande quando estas retornavam da Ásia para a Europa e seus descendentes então se espalharam por quase toda a Europa. E despertaram admiração e respeito, por serem cachorros robustos, imponentes e poderosos, inclusive em seu livro sobre a Ásia. 

Marco Polo relatou sobre a existência de cachorros “grandes como cavalos”, e que eram muito eficientes como cachorros de combate, proteção e guarda, sendo muito utilizados pelas grandes civilizações e imperios asiaticos como no Tibet, Mongolia, India, China e toda a Asia Central. E eram usados para ajudar a proteger e guardar desde grandes cidades, até povoados e aldeias , contra invasõs e ataques. Pois além de seu grande porte, e imensa força, ferocidade e destemor, e seu latido é considerado um dos mais poderosos entre os cachorros, sendo comparável a um rugido, o que contribui para tornar os molossos um dos melhores guardiões entre as raças caninas. 

sexta-feira, julho 08, 2011

Molossos Assirios - Cachorros.



Molossos Assirios - Cachorros: Os Molossos Assirios tem origens milenares, pois remontam cerca de 3.200 AC, sendo contempôranios dos grandes imperios da historia antiga como os Babilonios, os Assirios, os Romanos, Gregos entre outros. E deles se originaram as outras raças de molossos europeus, sendo entretanto, todos descendentes do Mastim Tibetano, que é a origem de todos os cães molossóides, E o termo Molosso é utilizado para a classificação tipica de todas as raças de cachorros de grande porte, massivo e robusto, que possuem a cabeça grande, o focinho curto, e a pele relativamente solta. Pois existem 4 tipos de Canis Familiaris Leineri, que deram origem aos lebreiros. Os Canis Familiaris Matris Optimae, que deram origem aos pastores. Os Canis Familiaris Intermedius, que deram origem aos bracóides e aos cães de presa. 


E os Canis Familiaris Inostranzewi, que deram origem aos molossóides, e há ainda a variedade de pelo longo como os São Bernardo, que se desenvolveram nas montanhas e os de pelo curto nas planícies. E encontra-se no British Museum, um baixo relevo encontrado no Palácio Real de Nínive, do séc. VII AC. Trata-se de uma cena de caça com o rei Assurbanipal. Os cães que aparecem junto dele, são grandes, fortes, musculosos e compactos, focinho curto e pelo raso. Pois os Sumérios, Babilônios, Hititas, Assírios criaram, aprimoraram e desenvolveram  esses grandes, fortes e ferozes cachorros. Sendo então os molossos difundidos entre todos os povos da antiguidade que viviam no Mediterrâneo adquirindo caractéres étnicos próprios. O filósofo grego, e pai da zoologia, Aristóteles, escreveu sobre este grandes cachorros. 


Pois Já nessa época falava-se e interessava-se muito sobre os tipos e raças de cachorros e suas origens. Chamando-os pelos nomes de regiões de onde vinham ou onde eram encontrados. Como Cão do Egito, Cão de Esparta, por exemplo. O cão grego era conhecido como o molosso de Épiro, um Estado da Grécia Antiga na região da Molosside ou Molossia. Quando Alexandre esteve na Äsia ficou entusiasmado com os portes e tipos de cachorros que encontrou e trouxe muitos para a Grécia. No livro III da obra "De animalisbus história" de Stagirita, temos: "Na verdade, em Épiro, são grandes os quadrúpedes, mas especialmente os bois e cães..." O molosso de Épiro, como ficou conhecido, deu origem alem de outros molossos, tambem ao atual Mastim Napolitano. Ele pode ter entrado na Itália com os conquistadores que formaram a Magna Grécia, ocupando toda a Itália meridional, na altura do séc. VIII AC..De certo, alguns cães já vieram nesta época. 


Podem Ter sido trazidos outros, mais tarde pelos romanos que conquistaram o Oriente em 160 AC e também se encantaram com os animais que viram por lá. Em Roma, conhecidos como lutadores imbatíveis, temidos, ferozes, os mastins acompanharam os romanos pelas terras conquistadas, sendo usados na guerra na caça, na guarda do acampamento e lutavam em arenas e circos contra cristãos e leões. Das arenas, passaram para a guarda pessoal, mantendo os estranhos e indesejáveis, afastados. Em cerâmicas de 1.660 DC, vemos cenas de caças onde estes cães aparecem com as orelhas amputadas. No museu de San Martino por exemplo, em Nápoles, encontramos um presépio feito em argila, belíssimo, com centenas de figuras, bem coloridas, com os mínimos detalhes, feito em mais ou menos 1.700 DC, e entre homes , mulheres e crianças, bois e cabras, vemos os molossos semelhantes aos de hoje.

quinta-feira, julho 07, 2011

Berne/Miíase Furunculoide - Cachorros.


Berne/Miíase Furunculoide - Cachorros: Tambem denominada de miíase primária, em sua forma furunculóide ou vulgarmente berne. Caracterizada por uma lesão nodular, medindo em média 1 a 3cm de tamanho, é revestida por pele eritematosa, apresentando um orifício central de onde flui secreção serosa. Algumas vezes, vê-se a larva protundindo-se por este orifício. A lesão é dolorosa, o cachorro paciente tem a sensação de uma ferroada, devido aos movimentos da larva em seu interior.  É semelhante ao furúnculo, podendo haver uma só ou várias lesões. A larva permanece na lesão em torno de 50 dias e após atingir a maturidade, cai ao solo para completar sua sua evolução a inseto adulto.  Forma migratória: forma clínica primária na qual a larva percorre caminhos na pele em vez de ficar localizada, como na forma furunculóide. 




quarta-feira, julho 06, 2011

Miíase - Cachorros.


Miíase - Cachorros; Miíase é uma doença produzida pela infestação de larvas de moscas na pele ou outros tecidos de cachorros e outros animais. E caracteriza-se pelo desenvolvimento e crescimento de larvas de moscas sobre os tecidos.  A miíase pode ser classificada em: Miíase primária, a larva da mosca (geralmente a Dermatobia hominis) invade o tecido sadio e nele se desenvolve. Essa infestação é também conhecida por berne. Miíase secundária, a mosca conhecida como varejeira, coloca seus ovos em ulcerações na pele ou mucosas e as larvas se desenvolvem nos produtos de necrose tecidual, e a miíase secundária pode se  apresentar sob três formas, a forma cutânea, a cavitária ou a intestinal.

E o tratamento, deve-se procurar orientação de um veterinario, para que seja limpa a ferida, e posteriormente se retire as larvas com uma pinça e prescreva remedios especificos em forma de comprimidos ou aplicar remedios topicos em forma de spray, e posteriormente fazer curativos. São consideradas miíases específicas aquelas causadas moscas cujas larvas são parasitas obrigatórios, pois nutrem-se de tecidos vivos. As miíases são divididas em três formas conforme sua localização: cutânea (depósito de ovos de mosca em ulcerações de pele), cavitária (depósito de ovos de moscas nas cavidades nasal, oral, anal, auditiva, orbital, etc.) e intestinal ( por ingestão de larvas em bebidas ou alimentos contaminados)

Nos cachorros, as miíases são causadas principalmente por moscas da família Cuterebride, principalmente da espécie Dermatobia hominis – que causam uma miíase furunculóide  primária denominada popularmente como “berne” e por moscas da família Calliphoridae, pricipalmente da espécie Cochliomyia hominivorax que causam uma miíase ou cavitária denominada popularmente como bicheira. A Cochliomya hominivorax realiza as posturas em ferimentos recentes da pele ou cavidades, cada fêmea colocando até 350 ovos aglomerados,  podendo efetuar várias posturas com intervalos de 3 a 4 dias.  Em condições ótimas de temperatura e umidade do ar, o ciclo evolutivo completa-se em 21 a  23 dias.

As larvas possuem enzimas proteolíticas, responsáveis pela digestão dos tecidos do hospedeiro. A lesões aumentam gradativamente e exalam um odor repulsivo. De acordo com a localização da míiase, poderá ocorrer peritonite, claudicação, cegueira, afecções dentárias, etc. Os animais ficam inquietos, deixam de se alimentar e emagrecem. A morte pode ocorrer por toxemia, hemorragia ou infecções bacterianas secundárias. Para o tratamento da miíases cutâneas e cavitárias, são indicados tradicionalmente a limpeza do local, depilação (se necessário), debridamento de tecidos necrosados, remoção das larvas, terapia antimicrobiana local e/ou sistêmica, tratamento local com repelentes e larvicidas e terapia de suporte, se necessário . Os médicos veterinários brasileiros tem utilizado como medicação larvicida prévia a limpeza da
miíase a droga nitenpyram (Capstar - Novartis saúde Animal).

Muito embora tal medicamento não tenha essa indicação pelo fabricante, nem encontra-se relatos de uso ou experimentos disponíveis na literatura médico-veterinária que embasem tal utilização. O nitenpyram  é indicado para tratamento de rápida ação nas infestações de pulgas em cães e gatos, sendo sua ação iniciada entre 15 a 30 minutos após a administração oral, matando todas as pulgas que estejam no animal em até seis horas. Permanece ativo nos cães por 24 horas e nos gatos por 48 horas. A dose recomendada é de 1 mg/kg por quilo corporal, ou, um comprimido de 11,4 mg para gatos, independente do peso, e um comprimido de 11,4 mg para cães até 11,4 kg e um comprimido de 57 mg para cães acima de 11,4 kg. O nitenpyram é uma droga pertencente ao grupo dos nicotinóides, que agem no sistema nervoso central dos insetos e mamíferos, causando bloqueio pós-sináptico irreversível nos receptores nicotinérgicos da acetilcolina.

COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado