sábado, março 31, 2012

Rações/Cachorros Grandes.




Rações/Cachorros Grandes: Cachorros de raças de grande porte devem ser alimentados somente 2 vezes ao dia quando adultos. pois este procedimento evita que ele venha a consumir grandes quantidades de alimento de uma vez e possa vir a ter problemas de torção do estômago. Situação em que o estômago se dilata e gira sobre o seu próprio eixo, com o alimento ficando retido e o cachorro não conseguindo esvazia-lo. Cachorros de raças grandes devem receber dieta adequada e sem excessos, para terem um desenvolvimento equilibrado e uniforme, pois uma alimentação excessiva pode trazer problemas de calcificações no futuro.

Cachorros de tamanhos diferentes tem necessidades nutritucionais diferenciadas, pois um cachorro pequeno tem uma maior exigência de alimentos mais rico em nutrientes do que cachorros grandes, e também possuem um metabolismo mais rápido e precisam comer mais vezes ao dia, entretanto os cachorros grandes conseguem comer por vez uma quantidade maior de alimentos pra suprirem suas necessidades. O que muda mesmo na composição das rações para portes diferentes são certos nutracêuticos que os fabricantes incluem nas fórmulas para beneficiar alguns aspectos da saúde que são particulares de acordo com o porte. Por exemplo: é comum as rações para raças grandes e gigantes conterem protetores articulares (condroitina e glucosamina).

Enquanto as rações para cachorros pequenos contêm quelantes minerais para reduzirem a formação de “tártaro”; ou ômegas 3 para melhorar a qualidade das pelagens. E também os cachorros pequenos apresentam o trato gastrintestinal maior (7% do peso do corpo) proporcionalmente ao peso do corpo, do que os de porte grande (2,7% do peso do corpo). e portanto necessitam de uma maior quantidade de alimentos proporcionalmente, do que os cachorros grandes. e também têm um sistema digestivo maior e mais eficiente capaz de aproveitar melhor os alimentos. Já os cachorros grandes, com menos espaço gastrintestinal proporcionalmente, para acondicionar alimentos e digeri-los adequadamente, são propensos a síndromes de má digestão e absorção, diarreias cronicas e a temida dilatação-torção gástrica, e por isto requerem uma dieta de excelente valor nutricional.

sexta-feira, março 30, 2012

Pelos/Escovação - Cachorros.



Pelos/Escovação - Cachorros: Há cachorros que são bastantes tranquilos e não apresentam qualquer problema no momento em que são escovados. Entretanto geralmente os cachorros filhotes e cachorros com um comportamento ativo ou agressivos necessitam de maiores cuidados no momento da escovação.  Deve-se inicialmente deixar o cachorro tranquilo e em uma posição confortável, apresente a escova ao cachorro para ele possa conhecer o acessório e sentir que não e uma ameaça para ele, só não permita que eles mordam a escova, principalmente se forem filhotes.  Porem se o cachorro ou o filhote forem hiperativos ou agressivos, pode-se optar por mantê-lo preso na coleira e na corda da guia, amarrando a corda da guia em um local que permita pentear o cachorro de forma confortável.

E não use enforcador para prender o cachorro quando for escova-lo, pois ele pode-ra associar a escovação a eventuais momentos desagradáveis quando ele tentar forçar para sair ou reagir a escovação e o enforcador pressionar o seu pescoço. E também caso o cachorro seja agressivo, para uma maior segurança pode-se utilizar uma  focinheira para evitar-se mordidas durante a escovação, porem deve-se utilizar focinheiras de cesta, para que o cachorro tenha mais conforto e possa respirar com segurança. Não comece a escovação do cachorro pelas patas, pois são as partes do corpo em que os cachorros possuem maior sensibilidade. E se o seu cachorro é do tipo dominante, deve-se dedicar mais tempo, comece primeiramente escovando o dorso, mais precisamente na parte de cima das costas no sentido em que cresce o pelo e depois no sentido contrario.

E posteriormente, passe a escovar o peito e as laterais do corpo dele, e atrás das orelhas, atrás das patas e da cauda costumam embolar mais o pelo e por isso merecem mais atenção. Se o pêlo do cachorro estiver muito embolado, com a raqueadeira de metal ou com um pente, escove os pêlos embolados sempre da pontinha para a raiz, pois isso ajuda a ir desfazendo os nós aos poucos, com cuidado para não dar puxões, e causar dor e desconforto. Pórem se o cachorro estiver com o pelo muito embolado, deve-se leva-lo preferencialmente a um profissional. E não tente cortar os pelos em casa, pois existe o risco da pele do cachorro estar presa no meio do bolo de pêlos, e é muito grande o risco de machuca-lo.

quinta-feira, março 29, 2012

Cachorros - Prevenção Acidentes/Mordidas.




Cachorros - Prevenção Acidentes/Mordidas: E embora as mordidas de cachorros sejam de ocorrência mais frequente, elas uma menor possibilidade de infeccionar, e são muito menos perigosas do que as mordidas de outros animais domésticos, como por exemplo os gatos, que tem os seus dentes mais afiados e penetram mais profundamente na pele. Porem as mordidas dos cachorros e outros animais domésticos, podem causar uma variedade de problemas, que vão desde infecções leves na pele até doenças mais graves, como tétano e raiva. Devido a estas graves consequencias, não é recomendável se prevenir e não se expor a risco de acidentes, principalmente com cachorros ou outros animais estranhos.

Mas caso ocorra algum acidente, como arranhados e mordidas, lave imediatamente e de forma cuidadosa o local ferido com sabão e agua abundante por alguns minutos, e depois ponha algum antisseptico ou álcool na ferida. E logo após procure procure auxilio medico, principalmente se a mordida ou o arranhão, for nas mãos ou nos dedos, pois mordidas nestes locais são mais propensas a desenvolverem infecções graves, e precisam ser tratadas mais rápido e cuidadosamente. E mesmo que após a consulta medica, nada tenha sido constatado a principio, Se nos próximos dias houver manifestação de febre e/ou inchaço progressivo, vermelhidão e dor no local da mordida, deve-se retornar ao medico imediatamente.

Para que sejam feitos os exames necessários para confirmar e se assegurar de que não houve contaminação e não se contraiu nenhuma infecção através da mordida. Pois há um grande número de bactérias, vírus e germes que podem ser encontrados na boca dos cachorros e outros animais domésticos. Como bactérias estafilococos, estreptococos, e Pasteurella multocida, que podem levar a infecções serias e potencialmente perigosas, que podem se espalhar por todo o organismo como tendões, ossos e corrente sanguínea. e vírus como o Clostridium tetani, que causa de tétano e o vírus Rhabdovirus RNA que causa raiva, que é uma infecção que afeta todo o sistema nervoso e o cérebro e em 99% dos casos é fatal.

E as crianças são as que estão mais propensas a estes acidentes e consequentemente correm um maior risco de serem mordidas ou arranhadas, por cachorros ou outros animais domésticos. Por elas não tem conciencia ou noção de como se deve proceder e tratar e o perigo que representa a possibilidade de uma eventual reação agressiva principalmente por parte dos cachorros a uma brincadeira bruta ou incomoda feita pelas crianças. e crianças do sexo masculino, ou seja meninos com idades variando entre 5 e 9 anos estão mais propensos a sofrerem este tipo de acidente e apresentam um maior risco de serem mordidos por cachorros.

Sendo que a grande maioria dos acidentes são reativos por parte dos cachorros, pois os cachorros apenas reagem ou se defendem de uma brincadeira bruta, ação agressiva ou provocação por parte das crianças. E as medidas e formas mais efetivas de se prevenir estes acidentes e as eventuais infecções é é saber controlar e conter em uma abordagem dupla tanto o comportamento da criança, quanto o comportamento do cachorro. Educando e orientando as crianças de como devem proceder ao lidar com os cachorros e outros animais, e treinar, orientar e conter os cachorros em relação a seu comportamento com as pessoas, principalmente com as crianças da família.

Os cachorros que estão habituados a viver cercados por muitas pessoas são menos propensos a se tornarem agressivos ou se envolverem em acidentes deste tipo. porem cachorros que passam muito tempo sozinhos, e tem pouco contato com crianças, tem um tendência a serem mais impacientes e agressivos, tanto com estranhos, quanto com situações que os incomodem ou os provoquem. Se necessário treine ou contrate um adestrador para ensinar o cachorro a controlar a sua tendência agressiva. E tambem ensinar as crianças que não deve-se brincar ou provocar cachorros ou outros animais estranhos. Pois mesmo um pequeno gatinho, pode reagir com um arranhão ou uma mordida, que podem ser ter graves consequencias.

E principalmente que as crianças evitem provocar os cachorros, com chutes, empurrões, puxões ou ou perseguições. E tambem a nunca incomodar um cachorro que está comendo ou dormindo. E mantenha a vacinação em dia, principalmente a vacina contra raiva, e caso haja algum acidente, não exista a possibilidades de infecção por este vírus fatal. Neutralize tambem a propenso comportamento agressivo do cachorro através do procedimento da Castração, pois cachorros e outros animais castrados são mais calmos e menos propensos a reagirem agressivamente. Se informe com o seu veterinário, sobre as vantagens deste procedimento, e o momento mais apropriado para se fazê-lo.


Cachorros - Sentimentos/Emoções.



Cachorros - Sentimentos/Emoções: Segundo estudos de especialistas em comportamneto canino e de  Institutos de Ciências Biomédicas e Veterinaria. Os cachorros são capazes de sentir e interpretar as emoções humanas, inclusive houve a constatação pelos pesquisadores de que os cachorros tem a percepção, e podem assimilar as emoções de seus responsaveis. Isto em diversas situações e de forma imediata, mesmo que o responsavel não esteja interagindo com ele naquele exato momento.

De acordo com os estudos, os cachorros não copiam simplesmente as emoções que estão ao seu redor, mas tambem tem a percepção de presenti-las. Mesmo que não estejam participando, ou envolvidos diretamente com a situação que as ocasionou. Pois os cachorros podem ficar tão sentidos, aprensivos e tristes quanto uma criança quando criados em um ambiente familiar em que aconteçam brigas constantes. E podem inclusive pedir por ajuda a terceiros, no caso de presentirem situações de perigo ou emergências.

O que evidencia, um grande grau de percepção em relação a situação, e tambem um sentimento de proteção e empatia, para com o seu responsavel e familiares. E os cachorros tem um grau de percepção e sensibilidade tão apuradas, que conseguem distinguir, se os acontecimentos são simulados ou reais. Como por exemplo uma simulação de briga, ou o fingimento de um acidente ou um mal estar, pois não é fácil enganar um cachorro. Os cachorros podem a principio até ficaram confusos, mas logo concluem que aquela situação não passa de uma brincadeira, e ficam tranquilos.

Para os pesquisadores, isso acontece porque o cachorro tem a capacidade de sentir e interpretar, não somente as atitudes e movimentos corporais. Mas tambem outros sinais, como cheiro, respiração, sons e a tonalidade da voz. Ou seja, uma discussão real em voz alta, já põe o cachorro em alerta, e uma simulação de brigas, ele logo percebe que é uma brincadeira, e vai querer participar tambem. E inclusive os cachorros, que são utilizados em terapias com pacientes especiais ou idosos, acabão sendo afetados emocionalmente tanto pelo seu trabalho, quanto pelos proprios pacientes.

E de acordo com os estudiosos e especialistas, os cachorros são afetados pelas emoções humanas por serem descendentes dos lobos, que são caninos sociais, cooperativos e que sentem empatia pelos integrantes de sua familia ou do seu grupo. E a evolução do seu grau de integração com os humanos, e a consequente domesticação, teriam feito com que os cachorros conseguissem sincronizar as suas emoções com as emoções humanas. Outra razão tambem sugerida pelos estudiosos, teria sido a seleção e o aprimoramento artificial das raças. Que objetivou sempre, cachorros com caracteristicas especificas, que integrassem e se adequassem ao padrão, a rotina e ao tipo de vida das pessoas na sociedade humana.

terça-feira, março 27, 2012

Adotar é tudo de Bom - Cachorros.



Adotar é tudo de Bom - Cachorros: È muito grande o número de cachorros abandonados na rua, infelizmente, e segundo estimativas de entidades e organizações protetoras de animais existem aproximadamente 28 milhões de cachorros abandonados, sendo que ao menos 60% destes cachorros ainda conseguem ser recolhidos em abrigos, entretanto 90% destes cachorros não serão adotados e nunca conseguiram sair dos abrigos, tendo que viver precariamente, devido a grandes dificuldades como carência de recursos financeiros e de pessoal e também falta de apoio geral aos abrigos de animais abandonados, tanto por parte dos governos, quanto por parte das pessoas e empresas.

E por isto que é louvável a atitude e a iniciativa da Pedigree em lançar uma campanha de adoção de cachorros e auxilio financeiro aos abrigos de cachorros, o que certamente e um grande auxilio e estimulo para começar a mudar para melhor esta triste e cruel realidade. A campanha é super interessante e beneficia um grande numero de abrigos pré-selecionados e cadastrados, a qual se inicia com a venda dos produtos Pedigree, isto é, a cada produto vendido desta marca, é realizada uma doação para auxiliar os abrigos de cachorros participantes da campanha, e a nova meta da empresa é alcançar o valor de mais de 1 milhão de reais em doações até o final de 2010. Desde o início da campanha em 2008 já foram adotados mais de 13 mil cães em todo o Brasil.

E a empresa tem a finalidade de duplicar, triplicar, enfim, aumentar ainda mais este número de finais felizes através do sistema denominado de pilares da campanha, o qual é divido em três pilares: sensibilizar, conscientizar e mobilizar; educar sobre a posse responsável; e a parceria nacional com as ONGs. Para tais planos é necessário atingir o maior número de pessoas possíveis, assim existe o plano de comunicação denominado de 360 graus, que se inicia desde os funcionários da empresa, passando pela mídia e chegando até os adotantes. De acordo com dados recentes passados pela representante da Pedigree na palestra, são mais de 38 ONGs cadastradas, no entanto, o cadastramento das ONGs na campanha não é tão simples quanto parece.

Sendo que é preciso que as mesmas se enquadrem em todas as exigências e critérios de seleção, como espaço, saúde animal, veterinário próprio e iniciativa, sendo esta última forma de incentivar a população a adotar cachorros abandonados, sejam através de feiras, exposições, passeatas e de outras formas. As ONGs cadastradas na campanha ‘Adotar é tudo de bom’ recebem uma bonificação a cada adoção realizada para que tal ato seja incentivado ainda mais e que a ONG abra espaço para mais um cachorro que se encontra na rua, sendo esta bonificação, um saco de ração Pedigree de 10kg. Já a pessoa que adota o animal através de uma das ONGs cadastradas passa por uma triagem, isto é, há um super controle quanto a estes cachorros.

E como brinde e incentivo pela adoção, recebe um kit Pedigree. Para o grande sucesso  da campanha é necessário envolvimento de toda a cadeia, como já dito, desde seus funcionários, passando pela população e por fim, à adoção. Assim, a presença de artistas vestindo a camisa da campanha ‘Adotar é tudo de bom’ é de grande importância, o que proporciona maior força e incentivo, principalmente para seus fãs. Além disso, através do site oficial da campanha (www.adotaretudodebom.com.br) é possível visualizar todos os finais felizes, visualizar todas as ONGs cadastradas, procurar um cão conforme suas características (tamanho, sexo, pelo e idade), participar do fórum e conversar com outros apaixonados por animais.

Conhecer a várias formas de ajudar a campanha, visualizar os selos para inserção em blogs e muito mais. Parabéns a Pedigre pela nobre iniciativa, e que campanhas como esta se multipliquem e sirvam não somente para prestarem socorro aos cachorros desprezados e abandonados de forma cruel e covarde na rua e auxiliarem os abrigos e organizações protetora dos animais, mas principalmente para concientizar as pessoas a participarem ativamente adotando cachorros e outros animais abandonados, fazendo doações para entidades protetoras e abrigos de animais abandonados.

Já que existe o habito comum e frequente de contribuir financeiramente com as religiões, o que é louvável e respeitável. Por que não se criar também o habito de ajudar aos cachorros e outros animais abandonados, pois são criaturas emotivas, sensíveis, fies e que amam e se apegam as pessoas, mas são totalmente dependentes e não sabem sequer falar, quando são abandonadas por estas mesmas "pessoas" pura e simplesmente na rua, como se fossem uma coisa, um lixo descartavel e muitas vezes estes cachorros ainda se encontram  doentes e debilitados.

É difícil até de acreditar que uma "pessoa" seja capaz de tamanho covardia e crueldade, mas esta e a triste realidade atual, e para muda-la não basta somente ter pena ou se indignar, tem que participar ativamente, criando o habito de ajudar as entidades ou abrigos para cachorros e outros animais, ou doando dinheiro ou ração, ou até mesmo adotando um cachorro abandonado da rua ou dos abrigos, e assim transformar-mos positivamente esta realidade cruel que aflige milhares de cachorros e outros animais abandonados. Para você pode ser apenas uma ação nobre e um bicho que você vai dedicar um tempo e dar agua e ração, mas para o cachorro com certeza absoluta você será o "tudo" da vida dele.        

segunda-feira, março 26, 2012

Deficiência Fisica - Cachorros.



Deficiência Física - Cachorros: Muitos animais de estimação, principalmente cachorros são abandonados por seus responsáveis, e largados à própria sorte nas ruas todos os dias. E estes cachorros acabam sofrendo maus-tratos, passam fome, frio, ficam doentes e melancolicos, e muitos não resistem e acabam morrendo. Pois para o cachorro, o abandono por parte do seu responsável é uma experiência devastadora, da qual ele dificilmente se recupera, e diversos estudos comprovam que cachorros abandonados podem entrar em depressão, e ate morrer de tristeza. E Infelizmente, para os cachorros sem raça definida, cachorros com doenças cronicas ou cachorros idosos é muito difícil encontrar um novo lar. 

Porem para um grupo muito especial esta dificuldade é ainda maior, pois raramente conseguem encontrar um novo responsável e um novo lar, e este grupo muito especial é o dos cachorros deficientes físico. Pois entre eles, o número de abandonos é ainda maior, e são justamente estes os cachorros mais carentes, e que mais precisam de um novo lar. E ao contrário do que muitos pensam, o fato de serem portadores de algum tipo de deficiência física, geralmente não afeta em nada a sua rotina, quando comparada a de um cachorro normal, inclusive eles costumam ser até mais independentes e mais carinhosos com os seus responsáveis. E a SAVA (Solidariedade a vida animal) que é uma ONG que realiza um trabalho maravilhoso e louvável. 

Promovendo feiras de animais deficientes em São Paulo, assim define os cachorros especais através das palavras de Roberta Roperto “Eles são seres extraordinários e especiais, que superaram a doença, o abandono, enfrentaram a fase da morte e a venceram. São campeões, que triunfaram sobre a tragédia e nos reafirmam a cada dia o poder do milagre da vida”. E também temos o relato da fisioterapeuta Fernanda Macedo que conta como encontrou com a cadelinha Cacau numa tarde chuvosa de domingo. “Logo percebi que se tratava de um animalzinho especial, pois ela não tem uma das patinhas. Quando eu a vi naquela situação, na chuva e passando frio não pensei duas vezes e a levei para casa”. 

Fernanda conta que ela é uma cachorrinha muito carinhosa, brinca, corre e apesar de ter apenas três patas nada a impede de ter uma vida normal. E é por situações como estas, que apresentam quadros tristes e lastimáveis, que temos que nos indignar, e dizer 'Não ao Abandono', e procurar alertar e concientizar a todos sobre este serio e grave problema que é o abandono de cachorros nas ruas, e o sofrimento por que passam os cachorros que são vitimas inocentes destes atos abomináveis, cruéis e desumanos, e que é uma covardia maior ainda se o cachorro for deficiente fisico. Porem infelizmente praticas como estas só tem aumentado, em todo o Brasil. 

domingo, março 25, 2012

Cachorros - Vermifugação.



Cachorros - Vermifugação: Muitos responsáveis por animais, principalmente de animais domésticos como cachorros, não sabem ou não dão a importância devida para a vermifugação destes. E acabam ignorando que a grande maioria dos parasitas que colocam em risco a saúde de seus cachorros,  são parasitas classificados como zoonóticos, isto é, parasitas que também podem contaminar e causar enfermidades aos seres humanos, enfermidades estas que são denominadas de zoonoses.

Geralmente, os sintomas e as lesões estão causadas por estas zoonoses, estão associados com a espécie do parasita e também com a quantidade do mesmo no organismo do cachorro.  Mostrare-mos abaixo, qual é o período e o prazo correto, e a frequência adequada  para se fazer a vermifugação nos cachorros, mas para melhores resultados, e também para uma maior garantia da saúde de seu cachorro, é recomendável consultar um médico veterinário. Para os filhotes de mães não vermifugadas, a primeira dose de vermífugo deve ser administrada aos 21 dias de idade, e a segunda aos 36, e a terceira aos 57 dias de idade.

Em seguida, repete-se 1 ou 2 vezes este procedimento antes do término das vacinas, que geralmente ocorre num prazo de 150 dias. E após os 60 dias de vida, é necessário que se realize o exame de fezes, o chamado coproparasitológico. Para os filhotes de mães vermifugadas, a primeira dose de vermífugo deve ser administrada com 40 a 35 dias de vida, e após 15 dias a dose deve ser repetida, repetindo-se a o procedimento 1 ou 2 vezes ao longo da vacinação. E também, após os 60 dias de vida, é preciso que se realize o exame de fezes, ou coproparasiotológico.

Para os cachorros adultos, a vermifugação deve ser realizada de 2 a 3 vezes por ano, sendo válido ressaltar que a vermifugação é essencial para todos os cachorros. Sendo que o melhor, e o mais recomendado é que a vermifugação, seja realizada logo nos primeiros dias de vida do cachorro e posteriormente durante todas as fases de sua vida, desde a fase jovem, passando por adulto até idoso, e deve ser feita pelo menos 1 vez ao ano. No entanto, a frequência da vermifugação vai depender também do ambiente em que o cachorro vive, e da quantidade de cachorros existentes neste mesmo local. E mais importante, o seu cachorro só deve ser vacinado somente quando estiver totalmente livre dos parasitas causadores de verminoses.

Dentre os sintomas que podem indicar a presença de verminoses encontram-se, falta de apetite, vômitos frequentes, emagrecimento, anêmia, fezes amolecidas ou com sangue, sintomas de pneumônia e tosse, barriga estufada ou abdômem distendido, estes são os sintomas mais comuns e perceptíveis, e que são resultantes do aparecimento de vermes parasitas no intestino do cachorro, inclusive há ainda parasitas extra-intestinais, que circulam pelo organismo do cachorro, atingindo orgões vitais como os pulmões, rins e coração. Consulte um medico veterinário para maiores orientações e esclarecimentos.

Cachorros - Campanhas de Esterilização.



Cachorros - Campanhas de Esterilização: Todas as pessoas envolvidas e que analisam e convivem com esta questão, como veterinários, especialistas de Ongs e protetores de animais. Tem plena consciência e experiência do dia a dia, para poder afirmar com toda certeza, que a castração é o método mais pratico e efetivo. Para controlar o crescimento descontrolado da população de cachorros e gatos, e se evitar os consequentes abandonos. Pois os dados são claros e explícitos, em um prazo de seis anos, uma cadela principalmente as abandonada nas ruas ou mesmo as que tenham um responsável, porem sem o devido controle.

Pode normalmente gerar aproximadamente 64.000 descendentes, e este número é ainda maior em relação às gatas, devido a esta triste e real estatística, é de fundamental importância o controle populacional de cachorros e gatos. Para que haja uma redução no numero, de cachorros e gatos sofrendo abandonados nas ruas. E a defesa da esterilização cirúrgica (castração) é feita por este grupo de pessoas de forma atuante e constante. O que é um passo muito importante para a concientização da população, e tambem uma forma de pressionar e cobrar uma maior participação positiva por parte do poder publico.

Pois já existe uma participação efetiva que gera resultados positivos, na questão da raiva canina que esta praticamente erradicada e sob controle nas principais cidades do Brasil. Entretanto somente depois de métodos crueis,erróneos e precipitados como a pratica do extermínio nas décadas anteriores. Em nome de um suposto controle da doença, de que nada adiantou, pois o numero de cachorros e gatos continuou a crescer e se multiplicar, e a população de cachorros e gatos abandonados nas ruas acabou aumentando ainda mais. E somente após a cobrança e a intervenção das Ongs, das Sociedades Protetoras dos Animais e das pessoas que se dedicam e defendem a causa animal.

É que o poder publico mudou a extrategia de extermínio em massa, para a vacinação em massa, e que resultou em uma politica com um programa altamente abrangente, satisfatoria e eficiente. No entanto, a política adotada pelo poder público para controlar o número de cachorros e gatos abandonados nas ruas, ainda guarda resquícios dos métodos empregados anteriormente para a erradicação da raiva. E é uma herança do modelo anterior, ou seja, continuou a mesma de antes, que é a pura e simples eliminação dos cachorros e gatos recolhidos das ruas e entregues aos CCZs.

E a castração, ou a esterilização cirúrgica é uma solução viável e efetiva, para a médio prazo minimizar e diminuir de forma considerável e significativa o cruel e gravíssimo problema, que são os cachorros e gatos abandonados nas ruas. E acabar definitivamente com a pratica da eliminação ou eutanásia, que é o sombrio e triste destino dos cachorros e gatos que são recolhidos nas ruas e entregues as CCZs, em decorrencia tambem de os abrigos de cachorros e gatos abandonados estarem superlotados. E há um consenso entre as ongs, os veterinários, a midia em geral e a própria sociedade.

De que a castração cirúrgica é o meio mais eficaz de se evitar a procriação sem controle, e o consequente abandono e dramático sofrimento de cachorros e gatos nas ruas. Falta somente a vontade politica, e a participação e a atuação concreta e efetiva do poder publico, lançando campanhas nacionais de esterilização de cachorros e gatos com atuação conjunta do governo federal, estados e municípios, assim como é feito com a campanha anti-rabica. Pois o problema dos cachorros e gatos abandonados nas ruas, não afeta e faz sofrer somente os mesmos, por ser tambem um serissimo problema de saúde publica.

E já está mais do que provado, que o método puro e simples do recolhimento e eliminação, através da eutanazia dos cachorros e gatos não ameniza, muito menos resolve o problema. Pois alem de ser um método cruel e ineficaz, tambem perpetua um ciclo de sofrimento de gerações e gerações de cachorros e gatos abandonados nas ruas. Faz-se então necessário uma maior pressão e cobrança por parte da midia e da sociedade em geral, já que que está atitude já existe através das Ongs, das Sociedades Protetoras dos Animais, veterinários e ativistas da causa animal.

De ações publicas preventivas desta magnitude, como campanhas nacionais de castração de cachorros e gatos através do poder publico em suas três esferas, federal, estadual e municipal. Para resolver definitivamente este grave problema de saúde publica, e tambem acabar com o drama do abandono e sofrimento por que passam cachorros e gatos cruel e covardemente largados nas ruas. 

sábado, março 24, 2012

Cachorros - Fabrica de Filhotes.



Cachorros - Fabricas de Filhotes: Muito se tem debatido, sobre a super-população dos abrigos de cachorros e outros animais abandonados, sobre os milhares que cachorros que ficam a mercê da fome, da chuva e do frio largados e perdidos pelas ruas das cidade de todo o Brasil. E tambem sobre o comércio inescrupuloso, cruel e avarento, implementado por criadores e pet-shops que exploram de forma desumana, os cachorros tanto as fêmeas genitoras quanto os filhotes. Como se fossem as fêmeas maquinas matrizes, e os filhotes produtos fabricados, que depois são expostos nas gaiolas dos pet-shops ou "vitrines". Como mercadorias de uma forma inocente, emotiva e sedutora, omitindo totalmente o que realmente acontece no interior destas verdadeiras fabricas de horrores.

Porem nada, realmente nada, de efetivo se tem  feito para mudar está triste e cruel realidade, não só por parte da sociedade ignorante, dispersa e omissa. Mas principalmente tambem por parte do poder publico, que mas parece uma máfia institucionalizada, que só atua por interesses eleitoreiros e financeiros. Na realidade, as autoridades "competentes", se é que as podemos chama-las assim, são as grandes responsáveis por toda está anomalia social. E que se expande cada vez mais, atingindo sempre os mais fracos e os que não tem como se defender, que no caso vem a ser os pobres cachorros e tambem outros animais. E que os grandes cúmplices, desse imenso martírio por que passam os cachorros abandonados ou tratados como mera mercadoria. 

Estão atuando livremente, e continuam a maltratar, a engaiolar, a vender e a abandonar nas sarjetas, as centenas de caixinhas com filhotinhos indesejáveis, amontoados uns sobre os outros como lixos que devam ser descartados. Se já se sabe que para combater toda está cruel insanidade, deve-se a principio implementar um programa de esterilização em massa dos cachorros abandonados nas ruas, que estão entre as partes mais importantes e cruciais destas questões. Entretanto, por que não é implementado efetivamente este programa ou um projeto semelhante? Por que tambem não se coibir a venda de cachorros e outros animais em pet shops, feirinhas e etc. Pois todos estes processos e atitudes, são sabidamente geradores de abandonos e crueldades contra os indefesos cachorro. 

E por que até hoje não foram sequer feitas campanhas educativas, para a conscientização da população sobre estas graves questões? Será que o poder publico, ou as pessoas omissas, têm a ilusão de que o problema dos cachorros e outros animais abandonados e perdidos nas ruas, vão se resolver automaticamente por si só? Pensam que a totalidade de cachorros abandonados nas ruas, são tratados e alimentados regularmente por pessoas que se sensibilizam com seu sofrimento? Pensam que o lugar dos cachorros é pelas ruas revirando latas de lixo, sendo maltratados e escorraçados ou sendo vítimas de crueldades? Será que é isto que pensam as pessoas omissas ou desinformadas, e tambem as nossas autoridades "competentes".

Existe coisa mais deprimente, deplorável ou revoltante do que ver cachorros e outros animais expostos e exprimidos em gaiolas minúsculas nas "vitrines" dos pet-shops, ou lojas de animais. Um tipo de exposição indigna a que são submetido os cachorros, que seduz e incentiva as pessoas desinformadas a comprarem os filhotes. E sustentarem inconscientemente, a ganância e os lucros exorbitantes dos criadores e comerciantes. Nesta verdadeira industria avarenta e cruel que fabrica filhotes em serie, para depois serem vendidos como mercadorias sedutoras. Mas tão cruel e desumano, quanto esta industria que não passa de uma fabrica de horrores, são as pessoas que compram os filhotes, pois quando estes deixam de ser sedutores filhotinhos ou saem de moda, são simplesmente descartados como meras mercadorias e jogadas no lixo ou abandonados nas ruas.

Quem nunca se deparou com filhotes sendo carregados ou arrastados de um lado para outro sendo oferecidos como tomates, bananas, ou qualquer outra mercadoria? Quem nunca presenciou e se revoltou ao observar em uma loja de animais, cachorros ou outros animais, aprisionados e espremidos em uma gaiola sem água e comida, sendo tratados como objetos ou coisas, e não seres vivos, que são no minimo merecedores de respeito e dignidade. E cenas como estas se repetem aos milhares diariamente, sem absolutamente nenhum tipo de fiscalização por parte das autoridades "responsáveis" e "competentes". Que possivelmente devam estar fazendo projetos para novos impostos, ou tramando novos mensalões ou os os fiscais foram fi$calizados.

Os abrigos de cachorros municipais e particulares estão repletos de cachorros, que tem uma vida triste e carente, e tem cachorro de todo tipo, de todas as raças, esperando por um pouquinho que seja atenção, amor e carinho. Então não engrossem a fila da omissão e da insensibilidade, não incentivem um comércio deplorável onde só o lucro é importante, não interessando ou importando a exploração, sofrimento e crueldade a que são submetidos os inocentes e infelizes cachorros. Pois milhares de cachorros e tambem outros animais estão passando por estas barbaridades. Por falta de humanidade e sensibilidade de alguns seres humanos, que os vêem como criaturas sem vida e sem dignidade.

Mas sim objetos ou mercadorias altamente lucrativas. Porem a culpa pela existência destes verdadeiros mercados e fabricas de horrores, que causa tanto sofrimento e posteriormente um alto índice de abandonos não é só de quem vende, mas tambem principalmente de quem compra. E que condena milhares de cachorros a um lastimavel destino que é o deploravel abandono nas ruas. Sendo que para uma grande maioria destes cachorros, a opção a este deploravel destino são os C.C.Z. ( Centro de Controle de Zoonoses), e o final deles, acaba sendo igualmente cruel. E se cada cidadão ceder um espaço em sua consciência, um pequenino espaço no quintal do seu coração, e se as autoridades fizerem um trabalho sério de conscientização e esterilização, certamente, milhares de cachorros estariam livres da crueldade e do sofrimento, a que são submetidos por estas fabricas de horrores e pela covardia e crueldade dos "humanos" que os abandonam fria e covardemente nas ruas.

quinta-feira, março 22, 2012

Raças Mais Inteligentes - Cachorros.



Raças Mais Inteligentes - Cachorros: De acordo com os estudiosos e especialistas no assunto, como S. Soren, autor do livro “A inteligência dos cachorros”, existem diferentes tipos de inteligência que são apresentadas e que podem ser avaliadas nos cachorros. Entre todas, três são as que mais se destacam, como a inteligência adaptativa, que é a capacidade que o cachorro tem de resolver problemas e de aprender.  A inteligencia instintiva, que e a capacidade que os cachorros desenvolvem de evoluir e se adaptar as circunstancias ambientais no decorrer do tempo.  E a inteligencia para o trabalho, que é a capacidade que o cachorro possui de entender e acatar as orientações para um determinado tipo de trabalho especifico. E entre as raças que conseguiram obter os melhores desempenhos em testes baseados nestes critérios e requisitos temos.             

Border Collie:
O Border Collie é um cachorro de personalidade voluntariosa, sendo bastante ativo, brincalhão e simpático e também muito dedicado ao trabalho, se adaptando facilmente aos mais diversos tipo de adestramento, entretanto é uma raça que não se adapta a apartamento, ou a ambientes fechados, e também não sendo recomendável, pois o Border precisa gastar sua energia, e se não o fizer certamente ficara muito nervoso e agitado.

Poodle:
O Poodle é um dos cachorros mais populares no mundo, sendo de origem francesa. E é considerado por especialistas, como um dos cachorros mais inteligentes. sendo capaz de aprender com extrema facilidade, caracteristica que juntamente com a fidelidade ao responsável o tornou muito apreciado em todo o mundo. Além dessas qualidades, deve-se também levar em consideração a sua beleza e originalidade. sendo um cachorro anatomicamente bem constituído. É um excelente companheiro. De aspecto inteligente, constantemente alerta e ativo. É notável a sua fidelidade, e aptidão para o adestramento, obediência, o que faz dele um otimo cachorro de companhia.

Pastor Alemão:
E uma raça que demonstra coragem, inteligência e combatividade. Além disso, são fortes, velozes, e particularmente resistentes às grandes caminhadas e à intempérie. O Pastor Alemão, é o mais conhecido cão pastor. É utilizado hoje em dia, principalmente como guardião e protetor, como auxiliar na luta contra o tráfico de entorpecentes, eficaz para resgate de pessoas feridas, guia de cegos, além de ser um companheiro insuperável. É, sem dúvida um cachorro muito inteligente. Gosta do trabalho, e aprende com muita facilidade. Um ótimo companheiro, o Pastor Alemão deve também demonstrar coragem e dureza, em defesa do dono e de seus bens. É vigilante, fiel e manso com as crianças e os outros animais. Diante de estranhos demonstra desembaraço, e segurança. O caráter é uma de suas qualidades mais importantes. Possui um sistema nervoso equilibrado, grande desenvoltura, vigilância, fidelidade, incorruptibilidade, e, além disso, coragem e engenho na defesa.

Golden Retriever:
Alegre, ágil, forte, de movimentos leves, expressão mansa e caráter dócil. Essas características resumem os principais traços deste belíssimo cachorro de caça, que adora aprender e está sempre pronto ao trabalho. É muito inteligente, obediente e está apto a realizar as mais diversas funções.

Doberman:
Um elegante cachorro de trabalho e guarda, de andadura elástica e leve, capaz de cobrir terrenos extensos, especialmente apto a defesa e a guarda. Tem qualidades físicas e psíquicas fantásticas. É atento, obediente, muito fiel e de fácil adestramento devido à sua inteligência, à sua aptidão natural para a guarda, ao seu ótimo olfato, à sua vontade de trabalhar e à sua obediência. De constituição muito robusta, o Dobermann é muito resistente, suporta bem às intempéries e, em qualquer circunstância está disposto a sacrificar a própria vida para proteger o dono.

Shetland Sheepdog:
O Shetland Sheepdog, descendente do Collie Escocês Pêlo Duro ou do Yakki islandês, desenvolveu-se nas Ilhas Shetland, distante das costas da Escócia. Trazido para essas ilhas por navios baleeiros, cuidava de rebanhos de pequenas ovelhas nativas. A raça atingiu sua forma moderna no início deste século, quando sua exportação mundial teve início. Hoje, assemelha-se a seus primos da raça Collie, que têm um porte maior, mas não chega a crescer tanto. Atinge uma altura aproximada de 40 cm e tem pelagem longa, que exige trato frequente. Devido a suas antigas características como pastor, é ágil corredor e saltador, sendo também um animal de estimação obediente e dócil.

Labrador Retriever:
Retriever do Labrador, é uma das mais conhecidas raças de cachorro Notabiliza-se por sua amabilidade, inteligência e obediência. Devido a estas características, são frequentemente treinados para caça, de assistência, como cães-guia ou de serviço. A raça Labrador é uma das mais populares em todo o mundo, em especial nos Estados Unidos e Europa, e é um otimo cachorro de companhia.                                                                                        

Papillon:
Ele viveu sobre colos nobres das cortes europeias, como o de Maria Antonieta, Luís 14 e Madame de Pompadour. Foi retratado por mestres do calibre de Rembrandt, Boucher, Fragonard, Ticiano, Van Dyck, Watteau e West. Quais as razões para tanto prestígio? Para começar, o tamanho diminuto, fácil de carregar. Depois, a união do temperamento meigo e tranquilo com jeito garboso e diferenciado pelas orelhas em formato de asas de borboleta. Daí o nome Papillon, que em francês é borboleta. O Papillon sempre se destacou pelo desejo de agradar ao homem. Tanto que entre as raças pequenas só perde em obediência para o Poodle, Supõe-se que a raça tenha nascido da fusão do já extinto Spaniel Anão da Bélgica com algum cão de raízes orientais.  Sua primeira representação conhecida é do início do século 14, em afrescos de uma igreja de Assisi, na Itália, pintados por Giotto. Frequentou por cerca de duzentos anos as cortes europeias,  Lá tornou-se muito estimado e um dos seus símbolos,  perpetuadas por criadores belgas. A raça ganhou novo impulso na França, Bélgica e Inglaterra a partir da Primeira Guerra. É considerada oficialmente como franco-belga. O charme das orelhas levantadas fez o Papillon ser mais cobiçado que o Phalene, bastante raro no mundo.

Rottweiler:
As origens desta raça são remotas, e várias as hipóteses propostas. Os alemães asseguram que o Rottweiler é de criação absolutamente germânica, tendo a cidade de Rottweil como a origem do nome da raça. O Rottweiler teria, assim, se originado do Mastim do Tibet, que servia os romanos como guarda e para condução do gado. É um cão acima do tamanho médio, nem pesado nem leve. Não é alto, seu corpo é curto, compacto e robusto. Sua inteligência é notável, e sua devoção e dedicação ao trabalho são extraordinárias, assim como sua obediência, incorruptibilidade, sua força e sua tenacidade. O aspecto geral da raça demonstra, à primeira vista, espontaneidade e coragem. Seu olhar tranquilo denota suavidade e fidelidade absoluta. Seu caráter está isento de inquietação e nervosismo, não tem malícia, nem falsidade. Seus olhos, de tamanho médio e cor castanho-escuro expressam ternura e fidelidade. A pelagem do Rottweiler é curta, densa, de pêlo reto. Sem sub-pêlo no pescoço, e de tamanho mais longo somente nos membros anteriores, posteriores, e na cauda, enquanto no resto do corpo tem uma pelagem mais curta e bem aderente. A altura desejada, medida na cernelha, é de 60 à 68 cm. para os machos, e de 55 à 65 para as fêmeas, sempre em harmonia com a estrutura geral.

Australian Cattle Dog:
É um cachorro para trabalho com gado (pastoreiro), sendo largamente utilizado nas fazendas dos EUA, Austrália e Canadá. De temperamento calmo, porém desconfiado com estranhos, e muito apegado ao dono e sua morada, o Australian Cattle Dog pode ser o cachorro ideal para guarda de propriedades rurais, Vem sendo muito utilizado no Brasil por fazendeiros, devido a sua incansável vontade de trabalhar e também a sua obediência com o dono ou tratador. 

quarta-feira, março 21, 2012

Envelhecimento - Cachorros.



Envelhecimento - Cachorros: Quando o Bill chegou, ele era um lindo e charmoso filho- tinho de poodle, com pêlo espesso e macio, todo preto, e era tão bonito que rendia elogios por onde passava. Entretanto cerca de 10 anos depois, o mascote da família começou a dar sinais que não era mais o mesmo, não tinha mas aquela energia e vitalidade de antes.  Mesmo que aos olhos dos responsáveis, os cachorros nunca envelhecem, e os filhotes nunca crescem. No entanto, a realidade surgiu de repente, ao reverem uma foto antiga, o seu pêlo que era motivo de tanto orgulho, não exibia mais a mesma cor e brilho, as manchas ao redor dos olhos e os cílios também se tornaram totalmente grisalhos, e os indícios eram mais que evidentes, Bill estava envelhecendo.

E saber identificar os sinais que os cachorros apresentam nessa fase da vida, é estar consciente dos cuidados que devem ser tomados nesta fase vulnerável e delicada de sua vida, fase esta em que o cachorro precisa-rá de todo amor e carinho. Pois para os cachorros, os sinais do tempo do relógio da vida tem uma contagem diferente, sendo que no caso dos cachorros eles também são divididos pelo tamanho, os maiores são considerados idosos a partir dos 7 anos e os menores depois dos 9, e a senilidade pode aparecer a partir do nono ano. Porem velhice não é sinônimo de doença, mas pede uma maior atenção, e deve-se ficar atento, sempre que o cachorro sinalizar quando sente alguma dor ou desconforto. 

Os sintomas manifestados na velhice, e que são apontados como os mais comuns, são o cansaço, a tosse noturna, o emagrecimento sem causas aparentes, aumento na ingestão de líquidos e na produção de urina, dificuldades para defecar, diminuição da audição e visão, dificuldades em subir e descer escadas. E estes sintomas, são indicativos que podem camuflar doenças graves como diabetes, câncer e até Doença Articular Degenerativa (DAD). O cansaço, tosse noturna e intolerância ao exercício, podem ser indícios de uma alteração cardíaca, e o tratamento e a terapia são feitos a base de dieta, atividade fisica especifica, medicamentos, controladores de pressão e diuréticos.

O emagrecimento progressivo pode ser indicio de verminose, doença periodontal, diabetes, insuficiência renal, doenças metabólicas e infecciosas, e o tratamento é feito com soroterapia, alimentação parenteral e vitaminas. Muita sede e excesso de urina, podem ser indícios de Diabetes e/ou insuficiência renal, o tratamento é feito com uma dieta específica, insulinoterapia, e castração. E volumes internos, abcessos, verrugas, cistos, tumores e câncer, o tratamento é feito com quimioterapia, laserterapia e cirurgia.Dificuldade em defecar, obstrução intestinal, constipação, hérnias, problemas de coluna, neoplasias e vermes, tratamento é feito com cirurgias, alterações na dieta, enemas e medicamentos. Opacidade ocular, menor produção de lágrimas, secreção ocular crônica e "olhos vermelhos" catarata, tratamento feito com cirurgias, e colirios específicos

Diminuição da audição, otites e surdez, tratamento feito a base de medicamentos. Dificuldade em locomover-se, andar enrijecido e problemas nas articulações, tratamento a base de Condroitina, antiinflamatórios especificos, acupuntura, homeopatia, fisioterapia e deve-se também evitar-se escadas. Aumento de peso, obesidade, tratamento a base de dieta com ração específica e fisioterapia Mau-hálito, perda de dentes, dificuldade mastigatória e acúmulo de tártaro, doença periodontal, tratamento com remoção cirúrgica, limpeza periodíca com escovação e produtos comestíveis E um simples exame de sangue e urina pode diagnosticar problemas nos rins, fígado e diabetes, já a insuficiência cardíaca pode ser detectada com auscultação, eletrocardiogramas e radiografias.

Reveja também o tipo de ração fornecida, inclusive existem no mercado muitas opções de rações especificas para cachorros idosos. Uma nutrição adequada fortalece o organismo e a saúde do cachorro, controla o seu peso evitando a obesidade e impede a formação de tártaro. E este problema bucal que é o principal causador de mau-hálito nos cachorros, e pode levar a perda de seus dentes e também facilita a entrada de bactérias em sua corrente sanguínea, causando problemas cardíacos e renais. Então evite fornecer ao seu cachorro, alimentos que facilitem o acumulo de resíduos na sua gengiva e nos seus dentes, de preferência por oferecer ração, e evite dar comida caseira ao cachorro, pois ela deixa muitos resíduos.

E escove os dentes do cachorro ao menos uma vez por semana, e a limpeza e remoção do tártaro deve ser feita anualmente no veterinário. E além de contar com os remédios tradicionais, atualmente os peludos dispõem também de tratamentos alternativos. Como a acupuntura e a homeopatia, que retardam o aparecimento de enfermidades e aliviam as dores, aumentando o bem-estar e a qualidade de vida dos cachorros. A acupuntura ajuda no tratamento de problemas articulares, e os colírios homeopáticos podem diminuir a progressão de processos oftálmicos senis etc...

Entretanto esgotadas todas as possibilidades de cura e tratamento de uma enfermidade, que compromete a qualidade de vida do cachorro, juntos o responsavel e veterinário devem decidir o que fazer. E esta decisão de extrema responsabilidade e nada simples, feita sempre com o devido acompanhamento médico veterinário, pode significar a última demonstração de amor ao querido companheiro, que é o procedimento da eutanásia. Pois qualquer sentimento de culpa deixa de existir, quando todas as possibilidades de tratamento foram levantadas, e esta é uma necessidade que se mostra absoluta, a eutanásia, que é uma palavra de origem grega, que significa Boa Morte.

Cachorros - DAPP/Pulgas.




Cachorros - DAPP/Pulgas: No pensamento popular, é normal um cachorro ter pulgas, e que de certa forma elas são ate inofensivas. Mas o sofrimento, que esses parasitas hematofagos podem causar aos cachorros, entre coceiras, feridas graves e doenças é muito maior do que se pensa. E as pulgas, levam muito mais cachorros aos veterinários do que se imagina. Pois as doenças alérgicas, por picada deste ectoparasita (pulga), estão em segundo lugar nos atendimentos de clínicas e hospitais veterinário no Brasil. E de acordo, com pesquisadores e veterinários especialistas em dermatologia, entre 50 e 80% das manifestações de pele que atingem os cachorros, são causadas por picadas de pulgas. No Brasil, essas reações alérgicas recebem o nome de Dermatite Alérgica a Picada de Pulga (DAPP). A alergia não é provocada somente pela picada, mas tambem, pelo contato da saliva da pulga com a pele do cachorro.

Nos cachorros a DAPP pode ser reconhecida pela queda acentuada de pêlos, e o vermelhidão na região dorsal próxima à cauda, região conhecida como triângulo da DAPP, seguidas sempre por intensa coceira. E o cachorro deve ser levado imediatamente ao veterinário, assim que for percebida e constatada a irritação. Pois essas lesões tendem a piorar rapidamente, por causa da coceira que a alergia desencadeia. E deve-se enfatizar que a demora do responsável em levar o cachorro ao veterinário, pode trazer serias complicações. Pois as feridas e crostas vão aumentando, e podem levar o cachorro a desenvolver uma Piodermite grave, que é uma seria infecção na pele, cujo tratamento é bem mais complicado que a DAPP”. E além da coceira, se não houver um tratamento adequado, com orientação veterinária, pode ocorrer a evolução das lesões por todo o corpo. Com áreas de vermelhidão, inclusive feridas úmidas com crostas e a presença de sangue e pus.

E no verão se acentuam, e são mais frequentes os casos de DAPP, isto acontece porque o calor acelera o desenvolvimento e o ciclo de crescimento da pulga, fazendo com que a pulga se torna adulta de forma mais rápida. E tambem, a atitude mais comum dos responsáveis, ao constatar que o seu cachorro está com este ectoparasita, que é a pulga, é dar um banho anti-pulgas em casa ou em um pet shop e aplicar produtos tópicos em forma de talcos ou sprays que matam o inseto. Mas muitas vezes devido ao seu alto grau de toxidade, acabam tambem intoxicando o cachorro. E mesmo assim, essas medidas surtem efeito apenas temporariamente, pois atingirão apenas as pulgas presentes momentaneamente no cachorro, se a casa ou o quintal estiverem infestados, o que é algo comum em cachorros nesta situação. O cachorro será novamente parasitado e infestado, assim que os produtos perderem o efeito, e voltaram novamente a manifestar os sintomas da alergia (DAPP).

Prevenir esses problemas é a melhor solução, e isto significa, eliminar as pulgas residuais do ambiente, em todas as suas fases e ciclos de vida, desde ovos, pulpas, larvas e pulgas adultas e mante-las longe. Fazendo procedimentos com ações de higiene básica, como banhos regulares no cachorro e manter o seu ambiente limpo, contribuem de forma concreta e efetiva para se alcançar esse objetivo. Pois qualquer residência ou ambiente, está sujeita a uma infestação de pulgas, e basta a presença de uma fêmea adulta fecundada para que sejam colocados cerca de 20 ovos diariamente até o final do seu ciclo de vida. Pois esses ectoparasitas são um exército invisível, e além de terem tamanho microscópio, são resistentes a baixas temperaturas, sensíveis à luz e se escondem em fendas nos pisos, sofás, carpetes, ninhos e locais de repouso dos cachorros, durante a maior parte do seu ciclo de vida. E apenas quando estão na sua fase adulta passam a residir no corpo dos cachorros, nos pelos e sob a sua pele, para se alimentarem do seu sangue.

Pois apenas 5% da quantidade do total das pulgas, é que se alojam e vivem sob os cachorros, e o restante das pulgas, em todas as suas fases e ciclos de vida estão espalhadas pelo meio ambiente, na fase do ovo, da larva ou da pupa e adulta. Sendo que a pulga adulta pode permanecer por até 6 meses no ambiente, sem se alimentar, na espreita de um hospedeiro para poder parasitar. Então o controle do ambiente é fundamental, e deve ser um dos focos principais para se eliminar e manter esses ectoparasitas afastados. Pois enquanto estiver sendo parasitado e picado, o cachorro alérgico continuará a sofrer e a se mutilar devido ao prurido ou coceira, provocada pela alergia (DAPP). Deve-se tambem ficar alerta para os cuidados na hora de combater as pulgas que estão dentro de casa ou no quintal. Pois a grande maioria dos produtos destinados para este fim, são altamente venenosos e não devem em hipótese alguma serem aplicados no cachorro. Inclusive o cachorro deve ser retirado do ambiente, enquanto o produto estiver sendo aplicado, e deve retornar somente alguns dias depois, quando o ambiente estiver totalmente seco. Devendo-se tambem sempre solicitar a orientação de um veterinário antes do uso de qualquer substância toxica e anti-parisiticida.

segunda-feira, março 19, 2012

Cachorros/Latidos.



Cachorros/Latidos: Fazer sujeira onde não se deve, ou roer os sapatos ou o pé da cadeira, afeta unica e exclusivamente, a família e o responsavel pelo cachorro. No entanto, os excessos de latidos transpõem os limites da casa e incomodam toda vizinhança ao redor. Pois o cachorro que late de forma excessiva, e muitas vezes sem motivo ou necessidade, incomodando a todos, pode acabar ganhando a antipatia da vizinhança. Pois é muito comum, pessoas serem surpreendidas ao passarem em frente das casas na calçada, por um susto, devido a sonoros latidos de um cachorro que estava na espreita. Ou então acordou no meio da madrugado porque os cachorros da vizinhança (ou os seus próprios) resolveram latir ao mesmo tempo.

Latir é uma forma natural e expontanea do cachorro se expressar, porem em excesso, pode se transformar num grave distúrbio comportamental que precisa ser tratado. Inclusive para a proteção do proprio cachorro, pois o excesso de latidos é um problema que vai além do barulho incômodo. Para as famílias que vivem em apartamentos, a simples pressão do condomínio é capaz de motivar a desistência ou até o abandono do cachorro. Já quem vive em casa está sujeito a fúria e a crueldade de determinados tipos de vizinhos que podem chegar até a cometer a crueldade de envenenar o seu cachorro. Em ambas as situações, quem acaba sendo o maior prejudicado é o próprio cachorro. E em um levantamento feito nos EUA, com uma amostra de aproximadamente 2000 cachorros que vivem em abrigos, os incomodos e inconvenientes do barulho provocado pelos excessos de latidos estão classificados em 10o lugar na lista de motivos e razões para o abandono.

E o repúdio aos latidos incessantes, e sem duvida desagradaveis é algo que pode ser considerado ‘justificável’”, pois este é considerado um dos mais inconvenientes e incomodos disturbios comportamentais nos cachorros segundo os especialistas em Comportamento canino. E a principal gravidade da questão está nas conseqüências negativas, sofridas pelos proprios cachorros, como maus-tratos e o cruel e abominavel abandono, por isso não negligencie ou menospreze este assunto, pois este disturbio comportamental que é o excesso de latidos nos cachorros é uma coisa muito séria, e pode gerar consequencias muito desagradaveis e tristes, para todos. Então, não se precipite, e antes de ter qualquer atitude, como entrar em atrito com os vizinhos ou agredir inutilmente o cachorro, procure um médico veterinário, ou um treinador ou especialista em comportamento canino, para uma orientação e uma avaliação do cachorro de uma forma correta, precisa e profissional.

Pois tudo e somente uma questão de saber orientar e educar o cachorro. Pois está enganado quem acha que a culpa é do cachorro, pois a origem deste comportamento, geralmente está ligada ao proprio responsavel pelo cachorro que dá atenção ao mesmo quando ele expressa este tipo de comportamento. Pois se o responsavel não ensina o filhote a se controlar, nem o estimula a desenvolver outra forma de comunicação, ele dificilmente irá entender que seus latidos incomodam. E o pior é que o cachorro vai usar esse recurso constantemente, principalmente quando estiver se sentindo carente ou sozinho, pois está foi a unica forma que o cachorro aprendeu de comunicar a sua insatisfação com a uma situação que para ele é bastante desagradavel e até assustadora. Diante desta questão, então a primeira coisa a ser feita é descobrir quando, e por quanto tempo o cachorro desenvolve este comportamento de latir de forma escessiva. Se este comportamento aconteçe somente enquanto o responsavel está ausente, ou se é de maneira geral, e independe desta circunstancia. Deve-se identificar o perfil do cachorro, e ver onde ele se enquadra, pois normalmente os cachorros que apresentam este disturbio comportamental, se dividem em dois grupos.

E o grupo que manifesta este disturbio de maneira menos acentuada, e portanto com menor gravidade, é o grupo de cachorros que somente late em situações específicas, como quando ao avistar um estranho ele pode se exceder na freqüência e na intensidade dos latidos, mas é capaz de se controlar, não emitindo latidos excessivos fora da determinada situação. E o outro grupo, já apresenta uma situação comportamental, mais agravada e preocupante, segundo os especialistas em comportamento canino, pois são aqueles cachorros que já perderam o controle sob o motivo e a intensidade dos latidos, e os sons acontecem fora do contexto e mesmo na ausência de estímulos aparentes. Nos dois casos a manifestação deste comportamento pode ser um sintoma ou sinal de que o cachorro precisa liberar energia, está ansioso ou sente alguma ameaça ao próprio território. E então, após classificar em qual grupo o cachorro se enquadra, o fundamental agora, e o mais importante é buscar as causas para este distúrbio. E geralmente são quatro as principais causas e motivos para o cachorro apresentar este grave e irritante disturbio comportamental.

1 - Tédio ou solidão: Devido ao cachorro ficar sozinho por longos períodos de tempo, em um ambiente que não a companhia de outros cachorros ou brinquedos, ter menos de três anos e não tem outros meios para gastar energia. e é de uma raça dinamica, que precisa de uma atividade fisica para extravasar a energia. As recomendações são de que se deve passear com o cachorro pelo menos duas vezes ao dia. pois o exercício o ajuda e o estimula fisica e mentalmente. Dê brinquedos para o cachorro e se divirta com ele, jogue uma bolinha, aproveite e Ensine e pratique tambem comandos ou truques básicos. E se o cachorro latir para chamar sua atenção, dedique um tempo diario suficiente para certos cuidados como (carinhos, higiene, brincadeiras e exercícios). Estas atividades devem ser feitas preferencialmente todos os dias, mas caso não tenha tempo disponivel, contrate um profissional para ao menos caminhar com o cachorro. geralmente os preços são bem acessiveis, e está é uma terapia simples e natural e que surte efeitos bastante positivos, pois socializa e tranquiliza o cachorro,

2 - Questão territorial: Os latidos geralmente acontecem devido a presença ou a proximidade de estranhos no seu territorio, como carteiros, crianças correndo, pessoas na calçada, ou outros cachorros. As recomendações são de quando o cachorro começar a latir para um transeunte, repreenda-o verbalmente, mas sem gritar, interrompendo os seus latidos, e se necessario espirre água no mesmo. Normalmente está atitude cessa os latidos do cachorro imediatamente. E após o cachorro parar com os latidos, e quando já estiver calmo, ensine-o, elogie e recompense a sua obediência. Para que o cachorro possa associar um comportamento tranquilo, equilibrado e obediente com atenção, carinhos, elogios e recompensas. E que coisas boas acontecem para ele Toda vez que ele obedecer e não latir, pois pode ganhar recompensas como biscoitos, brincadeiras, atenção e carinho. E quando estiver em casa e seu cachorro começar a latir, chame-o e pratique os comandos básicos de obediência (“Fica!”, “Senta!”, “Junto!”). Não se esqueça de agradá-lo quando estiver comportado. Não o incentive latir para os estímulos de fora. A esterilização também é um recurso recomendavel e bastante eficiente recomendável, pois cachorros castrados tendem a latir menos.

3 - Medo ou fobia: Acontece quando ele é exposto a ruídos intensos, como tempestades, fogos de artifício, ou barulhos de carros. E s postura caracteristica adotada pelo cachorro mediante uma situação que lhe inspira medo são as orelhas para trás e rabo para baixo. E as recomendações são a que se Identifique o que o assusta e trabalhe para ao menos tentar minimizar estes temores. Se necessario, solicite a ajuda de um profissional durante o processo, que pode ser um treinador ou veterinario, para auxilia-lo no processo de modificação do comportamento do cachorro. Se for necessario, deixa-lo sozinho, Deixe o cachorro em uma área confortável, a televisão ou o rádio ligados tambem ajudam passando a imprensão que tem alguem na casa, E quando o cachorro apresentar um comportamento de medo ou temor, evite mimá-lo, para que ele não associe que está sendo recompensado por seu comportamento medroso.

4 - Ansiedade: O cachorro começa a latir logo após o seu responsavel sair de casa, devido o horario e a rotina do responsavel pelo cachorro ou de seus familiares ter sofrido alterações, como a esposa que passou a trabalhar, e agora o cachorro passa mais tempo sozinho. Esta é a situação que vai exigir mais paciência e dedicação, pois uma mudança na rotina das pessoas que convivem com o cachorro, principalmente nas raças mais sensiveis e apegadas, repercute intensamente no comportamento do cachorro, gerando muita carência e ansiedade no mesmo. E é recomendavel o auxilio de um veterinario para ajudar no processo de adaptação do cachorro a nova situação para diminuir a ansiedade decorrente da falta da presença do responsavel e seus familiares.

E com em relação as coleiras anti-latidos, que se utilizam de choques, sons e spray de citronela, para controlarem os latidos dos cachorros, não são absolutamente recomendadas por não resolverem o problema e principalmente ainda trazerem complicações para a saúde dos cachorros. Pois antes de pensar em corrigir, deve-se entender a causa, e por falta de paciência e tempo para cuidar de seus cachorros, muitas pessoas buscam soluções rapidas e faceis, e reprimir os latidos dos cachorros causando medo e desconforto ao mesmo, pode a principio até funcionar a curto prazo, porem o cachorro não assimila e não aprende nada com estes metodos, e aprender a controlar seus instintos e emoções é mais importante para os cachorros que se condicionar a não ter certo comportamento por medo de choques, sons ou sprays de citronela. Antes de tomar qualquer atitude, consulte um bom profissional e respeite o bem-estar do seu bichinho. Não existe uma saída simples e imediata para solucionar qualquer problema comportamental de cachorros, e certamente a dedicação e o comprometimento dos responsaveis é decisivo. Pois a principio, e da propria natureza do cachorro latir, porque é esta a maneira que eles se comunicam com os seus proximos, que podem ser outros cachorros ou principalmente com as pessoas. E o fundamental é saber reconhecer e controlar os excessos e garantir uma melhor qualidade de vida para o seu cachorro.

domingo, março 18, 2012

Cachorros - Adoção/Adultos.



Cachorros - Adoção/Adultos: Para quem pensa em ter um cachorro, adotar um cachorro já adulto pode ser não uma boa, mas sim a melhor opção. Pois por não terem os atributos de um filhote, que tanto seduz e leva muitas vezes a pessoa a agir por impulso, eles aguardam, durante muito tempo, por uma chance. Mas, a exemplo de outros países como os Estados Unidos, onde a maioria das pessoas preferem os adultos quando vão adotar um cachorro, e em muitos estados norte americanos há carência de cachorros nesta faixa etária para adoção.

E esta é uma prova para desmentir algumas pessoas que dizem que os cachorros adotados já adultos, não reconhecem seus adotantes como donos, pois isto não passa de puro preconceito. A história do motorista Luiz Eduardo é um bom exemplo de que este pensamento não passa de um mito, pois ele adotou um Pastor Alemão de três anos, que morava em uma oficina que iria ser desativada, e era utilizado apenas como cão de guarda. Não interagiam e nem se relacionavam muito com ele, e era tido como um cachorro anti-social e agressivo, conta Luiz Eduardo.

E com o fechamento da oficina, o cachorro que só era utilizado como vigia, e recebia pouca atenção, ficaria sem destino e seria consequentemente abandonado. Para evitar isto, Luiz Eduardo resolveu levá-lo para casa, a adaptação ao novo lar aconteceu em poucos dias e revelou ser falso o estigma que cercava o cachorro. Aos poucos ele foi se adequando ao meio, mostrando gratidão e fidelidade e se tornando um cachorro extremamente carinhoso. Hoje o motorista Luiz Eduardo diz com orgulho que ele é o melhor de todos os sete cachorros que possui, e ainda faz questão de desfazer o preconceito de que cachorros adultos, inclusive os ditos problematicos, não se afeiçoam aos seus donos.

Afinal, o Pastor Alemão de nome Cley, convive em paz com mais seis companheiros, e hoje, alem de ser um cachorro fiel, amoroso e tranquilo, continua a ser um otimo cão de guarda. E Joana Souza, comerciante, também não teve problemas com os cachorros que adotou já adultos, pois dos dez cachorros que ela mantém em sua casa, em suas lojas e no sítio que possui, a maioria foi recolhida das ruas, já adultos, e alguns até idosos, e quanto mais velhos, mais gratos, fies e carinhosos eles são. Bill, outro cachorro da família, um mestiço de Labrador com Pit Bull, é outro exemplo de fidelidade, quando ele tinha dois anos, o irmão da comerciante o resgatou, junto com a polícia, de uma casa onde vivia amarrado com uma corda tão curta que nem permitia que se deitasse.

O cachorro, de porte médio para grande, pesava menos de 20 quilos e estava infestado de verminoses, aos poucos ele foi se recuperando e hoje é cachorro fiel, carinhoso e super protetor. Segundo Joana Souza, é gratificante adotar e recolher cachorros abandonados já adultos, pois eles retribuem com muita fidelidade, amor e carinho, porque cachorros recolhidos de abrigos ou da rua são mais agradecidos. E é muito mais fácil cuidar deles, são mais carinhosos e menos exigentes.

E tambem a grande vantagem de se adotar um cachorro com mais de dois anos é que ele já tem personalidade e tamanho definidos, o que torna possível encontrar o cachorro ideal para cada pessoa. Além disso, geralmente eles já tomaram as primeiras doses de vacina, que são as mais custosas. Joana Souza lembra de que esses cachorros, em sua maioria, são muito carinhosos e podem proporcionar grandes momentos de felicidade. E os lares transitórios, feiras e centros de adoções estão cheios desses cachorros muito fieis e super carinhosos, e que precisam muito de um dono que lhes dê cuidado, carinho, atenção e amizade.

sábado, março 17, 2012

Crianças/Cachorros.



Crianças/Cachorros: Existem varias experiências edificantes e positivas que o seu filho pode obter, ao se relacionar e cultivar amizade e carinho para com os cachorros, e dependendo do grau e da intensidade desta amizade, isto pode tornar essa relação uma experiência positiva e inesquecível, que seu filho leva-rá como uma bonita e emocionante lembrança para a sua vida adulta. Pois a relação entre uma criança e um cachorro pode trazer muitos benefícios para ambos, e além da companhia e amizade, os cachorros podem proporcionar auto-estima ao seu filho, ensina-lo a ter zelo e responsabilidade e inspira-lo a ter empatia e respeito pela vida animal. Tudo começa na escolha de ter ou não um cachorro, a família inteira deve estar disposta a dedicar um pouco do seu tempo às necessidades básicas do novo morador. 

É importantíssimo para a criança participar desta discussão, pois assim, ela terá uma maior noção das necessidades que o novo habitante da casa terá. E se for decidido que este não é o melhor momento para ter um cachorro, poderá entender mais facilmente os motivos dessa decisão. A idade mínima aconselhável para que uma criança comece a conviver com um cachorro é de seis anos. Antes disso, como as crianças ainda não têm noção de sua força, podem sem querer brincando ferir os cachorros, e serem revidados pelo cachorro com mordidas e arranhões. E dependerá dos pais estabelecer o limite das atitudes toleráveis tanto aos filhos como aos cachorros e evitar disputas de espaço e atenção, de um tempo para que ambos se conheçam, porem deve-se ficar atento ao comportamento do cachorro. 

E é preciso deixar claro para a criança, que o cachorro não é um brinquedo, pois eles sentem dor e também se machucam, ficam doentes, e precisam de atenção e carinho, e também deve-se evitar brincadeiras ou agarramentos que possam machuca-los e provocar uma reação defensiva, porem agressiva dos cachorros. E para evitar acidentes, o cachorro preferencialmente deve ter pelo menos seis meses, fase em que já tem capacidade de fugir de uma situação sufocante ou que o coloque em perigo. O melhor tamanho para cachorros que convivem com crianças, são os cachorros de porte médio e grande, e que possuam uma personalidade brincalhona e dinâmica para poderem acompanhar o ritmo das crianças. 

E a criança não deve assumir todas as responsabilidades sobre o cachorro, pois desta maneira as atividades entre os dois ganharão conotação de obrigação e a criança deixará de usufruir e ter um prazer natural com o seu amigo e companheiro. A missão da criança a principio deve ser cuidar para que seus brinquedos não fiquem ao alcance do cachorro para não correr o risco de que o cachorro os danifique ou destrua. E é tarefa dos adultos educarem os cachorros para que respeitem as regras da casa, e como os cachorros dependendo do tamanho, têm brincadeiras um pouco bruscas, devem aprender a serem mais tranquilos e comedidos com as crianças. 

E até os 10 anos, o convívio com os cachorros ou outros animais deve ser supervisionado por um adulto. É importante que uma relação saudável seja incentivada, convide seu filho para participar da escovação, do recolhimento das fezes, do passeio com o cachorro e das brincadeiras. Assim, a criança desenvolverá um senso de responsabilidade e compaixão e, aos poucos, naturalmente cria-ra seus próprios elos de amizade e carinho no relacionamento com o cachorro. Porem se o cachorro começar a demonstrar um comportamento de disputa de espaço com a criança,rosnar e ficar com ciumes é preciso tomar uma atitude imediata para evitar que ocorra um acidente, não permitindo que a criança brinque ou fique sozinha com o cachorro. E gradualmente ir entrosando e acostumando com cuidado a criança com o cachorro, e ir orientando e repreendendo se necessário o cachorro a aceitar a gostar da presença da criança. 

Geralmente este é um comportamento emocional e passageiro nos cachorros, mas caso seja necessário é recomendável que se consulte um veterinário ou um especialista em comportamento de cachorros. Seu filho quer ter um cachorro, porem antes de adotar o seu novo amigo, considere se o seu filho é maior de seis anos, pois assim poderá interagir melhor com o novo companheiro. Analise inclusive se você terá tempo para cuidar do cachorro, e não deixe a criança se sentir totalmente responsável pelo cachorro, pois a relação dos dois deve ser apenas de amizade. E também de preferência a adoção de um cachorro com mais de seis meses de vida, e ensine a criança a ter responsabilidade a cuidar e guardar de seus brinquedos para o cachorro não os danificar. Ensine também seu filho a fazer carinho no cachorro, porem sem machucar, deixando claro para a criança que o cachorro não é um brinquedo, que tem sentimentos, sente dor, fica triste, e que precisa de atenção e carinho para ser feliz.

sexta-feira, março 16, 2012

Cachorros - Vomitos/Diarreias.



          
              

Cachorros - Vomitos/Diarreias: A diarreia apresenta como principal sintoma um aumento na frequência da evacuação, e com as fezes tendo uma consistência fluidica e abundante. Sendo tambem a diarreia uma das afecções que mais comumente acometem os cachorros, e normalmente é ocasionada por uma intoxicação ou infecção alimentar, decorrentes de envenenamento ou alimentação inadequada. Ou tambem, devido a verminoses no sistema digestivo ou gastro-intestinal, ou por problemas hepáticas, e tambem por infecções provocadas por bactérias e vírus. E deve-se ficar sempre atento ao motivo que ocasionou a diarreia, pois mesmo que geralmente a diarreia seja ocasionada por problemas sem gravidade, e com tratamento e cura simples e rápidos. 

A diarreia tambem pode ter a sua origem, ou estar associado a graves doenças infecciosas ou hepáticas, sendo que o vômito, pode ser motivado e ocorrer em diversas situações, como devido a enjôos ou vertigens provocados por viagens longas de carro, problema conhecido como mal do movimento ou cinetose, por obstrução gastrointestinal, gastroenterites, úlcera, intoxicação por medicamentos, corpos estranhos, infecções bacterianas e virais, ou por excesso ou alimentação inadequada. Porem normalmente não há uma maior gravidade na sua manifestação e ocorrência, entretanto é importante ficar atento caso a ocorrência do vomito se torne cronica, pois pode ser sintoma de uma doença de maior gravidade. 

E tanto a diarreia quanto o vomito, provocam uma desidratação que pode variar de intensidade, dependendo da enfermidade que as tenham originado ou estejam associadas, e conforme a gravidade desta enfermidade, a mesma pode comprometer seriamente a saúde do cachorro, podendo inclusive ocasionar o seu óbito. E deve-se principalmente, se ter um maior cuidado com cachorros filhotes e jovens, que podem vir a perder grandes quantidades de água de seu organismo em um curto espaço de tempo. Pois o responsável, deve estar atento a estas ocorrências e manifestações, tanto na ocorrência da diarreia ou do vomito, e caso os mesmos se tornem cronicos ou constantes, deve-se levar imediatamente o cachorro ao médico veterinário. 

É importante também, que se saiba informar a frequência dos episódios de vomito e/ou diarreia, se ocorrem antes ou depois das refeições, e o seu aspecto geral como a cor, o odor, e o volume, se apresentam partículas sólidas, se tem presença de sangue, entre outros. Pois estas são informações simples, mas que são fundamentais, pois auxiliam e orientam o médico veterinário para que possa agilizar, e fazer tanto o diagnóstico como o procedimento de tratamento, com maior rapidez e precisão. E tambem deve-se seguir corretamente os esquemas de vacinação e vermifugação orientados pelo veterinário, fornecer uma alimentação adequada, cuidar de forma correta de higiene, e fazer visitas periódicas ao médico veterinário. Pois estas são as melhores maneiras, de se prevenir a ocorrência desses e de outros problemas que comprometem a saúde e o bem-estar dos cachorros.

COMPARTILHE A POSTAGEM.

COMPRE E RECEBA EM CASA! COM TODA COMODIDADE, SEGURANÇA E RAPIDEZ.

,

,

CURSO DE VIOLÃO: EBOOK + VIDEO AULAS - TOTALMENTE GRATIS!