.

sábado, março 08, 2014

Classificam como Esporte - Cachorros.


Classificam como Esporte - Cachorros:  Qual o limite que pode chegar um ser humano diante de uma situação de extrema miséria? E o que acontece os nossos sentimentos de piedade e compaixão, que fazem nos orgulharmos de sermos considerados humanos? Esse é um dos tópicos que mais chama a atenção no livro Ensaio sobre a Cegueira, de José Saramago, que destaca a miserabilidade da condição humana diante do desespero, da falta de condições dignas. Pois diante da indignidade, o ser humano se torna ainda menos digno.E está é a mesma impressão que se tem lendo a notícia do jornal The New York Times, divulgada pela Folha de 
S.Paulo, contando detalhes sobre as brigas de cachorros realizadas em Cabul (Afeganistão). 

Que é uma região de extrema miséria, e nestas condições a aposta em brigas de cachorros estimula a imaginação de apostadores que sonham embolsar uma boa quantia, e tambem incentivam os criadores que se absolvem da culpa argumentando que os cachorros são bem tratados e alimentados. Então se eles têm um bom tratamento, com boa comida e teto, o que é uma insignificante luta cruel,sangrenta e mortal, que causa grande sofrimento e inclusive a morte violenta de muitos cachorros, para impedir a oportunidade de obtenção de grandes lucros pelos donos dos cachorros, apostadores e tambem para divertir a plateia, formada por milhares de homens e meninos? especialmente em um país tão pobre. 

Pois a defesa para a proliferação desta barbaridade, que eles classificam como “esporte” é a busca de diversão em uma terra com poucas oportunidades e tambem uma vocação natural, que é herança de décadas de guerra. Então, para distrair as massas, as autoridades constituídas não só ignoram como tambem incentivam estes eventos sanguinários, bem no estilo pão e circo, e a luta sanguinária e mortal entre os cachorros passa a ser uma consequencia funesta da miséria humana. e são colocados para brigar até a morte não somente cachorros, mas tambem galos, cabras, carneiros, camelos, e estes verdadeiros teatros de barbárie, são realizados no minimo duas vezes por semana, em que os atores são inocentes e inconscientes animais que são cruel e sanguinariamente barbarizados.

Entretanto na cultura ocidental, incluindo o Brasil, que trata os cachorros como um integrante da família, a simples menção de uma cena de cachorros lutando de forma sangrenta até a morte, choca e revolta. Pois aqui no Brasil, os cachorros têm nomes, como Ted, Rex, Lulu e tantos outros, e tem casinha, cobertor e laço na cabeça. E a maioria das pessoas se sentem indignados e revoltados com tamanha barbárie. Entretanto, muitos desses responsáveis por cachorros e outros animais de estimação escolhidos para fazerem parte de nossa convivência, reservam um espaço nas suas agendas para se divertirem em rodeios, participarem de brigas de galo, torcerem na farra do boi ou bater palma para o elefante forçado a fazer graça no circo, quanta indiferença e hipocrisia. 

Pois em Cabul, eles pelo menos têm a desculpa da falta de diversão. E nós, com acesso a emissoras de TV do mundo todo, uma vida cultural rica com teatro, cinema, esportes,livros, com paisagens maravilhosas para conhecer, internet acessível, que desculpa temos para fazer do sofrimento dos animais a nossa diversão?  Até que ponto vai a miserabilidade humana que nos torna indignos mesmo quando podemos viver com dignidade? Até onde vai a presunção dos seres humanos, em achar que os animais são seres inferiores, e estão aqui para nos servir, ou então que eles devam ser preservados para que as gerações futuras possam velos, como se eles vive-sem em função dos interesses humanos, entretanto independente da especie humana e seus interesses, os animais devem ter a sua integridade e sua dignidade respeitados pelo fato de serem uma vida, e nenhum "animal" por mais sanguinário e primitivo que seja, desrespeita tanto a vida, como o próprio ser humano.  


Nenhum comentário:

COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado