.

domingo, setembro 28, 2014

Ancylostoma Caninum/Verme - Cachorros.



Ancylostoma Caninum/Verme - Cachorros: O Ancylostoma Canuinum é um parasita nematodeo, vulgarmente e geralmente chamados de vermes redondos, pois é um tipo de verme que possui o corpo alongado e simétrico, com secão em formato cilíndrico e sem sub-divisões. E um verme já adulto, tem um comprimento médio variando entre 11 e 23 milímetros, tendo a pele lisa e flexível. Possuem também um sistema digestivo completo com boca e ânus, e sua cápsula bucal possui dentes proporcionalmente grandes, e que usam para fixar-se nos locais determinados. Se locomovem por contração muscular e respiram de forma aerobia (epiderme), e sua reprodução se faz de maneira sexuada. Havendo um disformismo entre os sexos, ou seja uma diferença de tamanho entre os machos e as fêmeas, em que as fêmeas normalmente são maiores que os machos.  O parasita Ancylostoma Caninum infecta os cachorros, causando-lhes a verminose Ancilostomose Animal, e nos seres humanos causam uma Zoonose através da  larva Migrans Cutanea.


E a reprodução e o desenvolvimento do ciclo biológico do parasita Ancylostoma Caninum se processa de forma tão intensa, que faz com que facilmente uma infecção transforme-se rapidamente em uma infestação do parasita no organismo dos hospedeiros (Cachorros/Pessoas), se não forem tomadas as devidas providências para o diagnóstico e tratamento para eliminação e cura da verminose. Pois as fêmeas do parasita Ancylostoma Caninum tem uma capacidade de postura de ate 18000 (dezoito mil) ovos por dia, e que são disseminados no ambiente através das fezes do cachorro acometido pela verminose.  E ao chegarem ao solo trazidos pelas fezes, os ovos dependendo de condições climáticas como temperatura e umidade do ambiente, rapidamente eclodem. Transformando-se em larvas Rabtitoides e em um prazo de tempo variando entre 6 e 8 dias, as larvas Rabtitoides transformam-se em larvas Filarioide. E após esta tranformação adquirem a capacidade de infectar seus potenciais hospedeiros, que são os cachorros e os seres humanos.

A verminose Ancilostomose Animal que acomete os cachorros apresenta vários sintomas que se manifestam na forma de bronquites/alveolites nos pulmões, ulçeras intestinais devido a ação hisitiofagica e hematofagica do verme Ancylostoma Caninum na sua fase adulta, diarreias, vómitos, prostação, perda de apetite, perda de peso e de pelos e consequentemente anemia. O que acarreta em um enfraquecimento do sistema imunológico do cachorro, deixando-o vulnerável e suscetivel de ser acometido por outras enfermidades. E caso não se faça um tratamento adequado com a orientação de um veterinário, a contaminação pelo parasita Ancylostoma Caninus pode evoluir, transformando-se em uma infestação e podendo causar o óbito do cachorro. Entretanto nos seres humanos a variante desta verminose conhecida vulgarmente como Bicho Geográfico  causa somente inflamações caracteristicas na pele (edema cutâneo) não afetando orgões como pulmões ou intestino.                                                                                                                                    

O diagnóstico e o tratamento da verminose Ancilostomose Animal devem ser feitos por um veterinário e com sua respectiva orientação e acompanhamento. O diagnóstico pode ser feito pela simples constatação visual da presença de ovos do parasita nas fezes do cachorro, ou através de exames de sangue para para uma verificação preventiva sobre a presença ou não do parasita Ancylostoma Caninum em sua fase larval (filarioide) no organismo do cachorro. O tratamento para a cura e a eliminação da verminose Ancilostomose Animal e feito através da administração de vermicidas caninos específicos para este tipo de verminose. E juntamente junto aos vermicidas faz-se necessário também a administração de complexos vitaminicos e proteicos para uma total recuperação da saúde do cachorro.  Devido a perda de sangue e de nutrientes causados no organismo do cachorro pela ação parasitária do verme Ancylostoma Caninum.

E a prevenção contra a infecção pelo parasita Ancylostoma Caninum, causador da verminose Ancilostomose Animal, consiste a principio em se evitar a expor o cachorro de forma demorada ou constante a ambientes potencialmente propícios e suscetiveis há uma contaminação. Que geralmente são locais públicos em que há uma grande aglomeração ou transito de cachorros, como parques, jardins ou áreas com areia ou gramados. Locais estes em que há consequentemente, presença de fezes dos cachorros, e que servem também de abrigo e encubadeira para as larvas do parasita Ancylostoma Caninum em seu estagio infectante de larva filarioide. Como também deve-se tomar precauções e cuidados inclusive durante visitas a clínicas veterinárias ou em qualquer local em que haja uma possível concentração de cachorros. E ao passear com o seu cachorro, leve também material para recolhimento de eventuais fezes feitas pelo mesmo.    

E a higienização para eliminação da presença do parasita Ancylostoma Caninum e suas respectivas larvas. Inicia-se a principio com uma limpeza constante do ambiente em que o cachorro vive, lavando-se frequentemente os vasilhames de agua e de ração, e retirando-se as fezes do cachorro do ambiente diariamente para eliminação de possíveis focos de infecção. Inclusive as larvas do verme Ancylostoma Caninum, podem contaminar também as pessoas, por ter esta verminose a Ancilostomose animal a sua variante Zoonose (Bicho Geográfico). Deve-se  utilizar preferencialmente para a desinfecção dos utencilios e do ambiente do cachorro, produtos de limpeza específicos para o controle e a eliminação eficaz do parasita (Ancylostoma Caninum) e suas larvas infectantes (filarioides). Causadores da verminose Ancilostomose Animal e sua variante Zoonose, produtos estes que são anti-sépticos e desinfectantes a base de amoniacos, amónia quaternária podendo-se usar também agua sanitária  diluída em agua, porem com uma concentração de 50% para aumentar e seu poder anti-séptico e germicida. Estes são os procedimentos necessários para se garantir a eliminação dos ovos e das larvas do parasita Ancylostoma Caninum e também uma possível recontaminação do ambiente.




                                                                                                                         






Nenhum comentário:

COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado