.

sábado, maio 30, 2015

Cachorros - Menor Terrier.





Cachorros - Menor Terrier: A raça Norfolk Terrier é a de menor tamanho do grupo Terrier, porem somente em 1960 passou a ser reconhecido como uma raça independente, sendo antes considerado uma variação do Norwich Terrier. O Norfolk Terrier é um cachorro pequeno, forte e valente, com instinto para esportes e temperamento constante, e se adapta a qualquer tipo de condição. Apesar ser muito valente nunca tem um comportamento agressivo, inclusive ele é um cachorro de trabalho, não meramente um brinquedo. É um caçador, leal ao seu mestre e portador de grande charme, sua pelagem é dupla com subpêlo espesso. O pêlo é rijo e liso, um pouco mais duro e longo nos ombros e pescoço formando uma juba.


Tem pêlos curtos na cabeça, orelha e na cana nasal, pequenas sobrancelhas, bigodes e cavanhaque, e a cor da pelagem é preto e castanho, acizentado e castanho, vermelho ou vermelho trigueiro. Na aparência geral ele é o menor dos terriers, mas é extremamente dinâmico para o seu talhe, tem substância e ossatura e as orelhas são portadas caídas, e a cauda não obrigatoriamente amputada. A história do Norfolk e do Norwich Terrier são completamente interligadas em sua origem e hoje, o que realmente diferencia ambas as raças é o formato e posicionamento das orelhas, que no caso do Norfolk são caídas, enquanto que as do Norwich são eretas.


A origem de ambas as raças remonta ao final do século passado, quando, nos distritos de Cambridge e de Norwich, no condado de Norfolk, existiam pequenos Terriers cor de fogo, ainda menores que a maioria dos Terriers. Utilizavam-nos na caça à raposa e ao texugo, particularmente, os que Fred Law tinha chegaram inclusive a ganhar uma certa fama no país, a ponto de vir a ceder alguns deles à matilhas de cães que caçavam veados, em especial às matilhas de Jack Cooke e Jodrel Hopkins. Sem dúvida e apesar de toda a audácia de que estes cachorros podiam estar dotados, é pouco provável que fossem usados para ajudar os Staghounds a caçar raposas.


O mais certo é que sua missão consistisse em eliminar os roedores das casas e suas cercanias. Segundo boa parte dos historiadores, a origem dos Norwich e Norfolk Terriers reflete uma série de acasalamentos de raças bastante distintas, como Bedlington Terrier (que ainda não tinha o seu aspecto moderno) e o Staffordshire Bull Terrier, assim como um Terrier Dourado, uma espécie de Irish Terrier de patas curtas. O principal objetivo dos fazendeiros era desenvolver uma raça de cachorros que pudesse trabalhar a terra de maneira eficiente, além de perseguir pequenos animais que invadissem as plantações ou rebanhos. Precisavam de um cachorro que pudesse afugentar animais escondidos no solo, para tanto, este cachorro deveria ter pelagem protetora, espírito aguçado para a caça e constituição forte.


E o Norfolk Terrier apresenta todos estes traços, além disso, por seu pequeno tamanho, estes estupendos e rústicos cachorros também passaram a ser utilizados como cachorros de companhia. Apesar de sua antiguidade, a raça só foi reconhecida oficialmente pelo The Kennel Club em 1932, com o nome de Norwich Terrier. Nesta época não havia uma determinação quanto ao porte das orelhas que variava de exemplar para exemplar conforme o resultado do acasalamento. E mesmo quando se acasalavam 2 exemplares com o mesmo tipo de orelhas, os filhotes não necessariamente portavam o mesmo tipo de orelhas dos pais. Como os criadores realmente não conseguiam chegar a um acordo quanto ao tipo de orelhas que desejavam, foi solicitado ao The Kennel Club que dividisse a raça em duas, e cada uma delas teria um formato específico de orelhas.


Essa divisão ocorreu em 1965, quando ficou definido que todos os Norwich com orelhas empinadas receberiam o nome de Norwich Terrier e os com orelha caída o nome de Norfolk Terrier. Apesar de serem uma das menores raças do grupo, são cachorros "inteiramente Terrier", ou seja, muito energéticos e exímios caçadores. No lar, os Norfolk Terrier têm uma personalidade encantadora e são leais ao seu responsável. São cautelosos com estranhos, mas aceitam bem todos a quem são apresentados, são cachorros bastante inquietos e ativos e essa característica é tão marcante que o padrão da raça inclui o termo "pequeno demônio"  para descrever estes cachorros.


Sua personalidade extremamente extrovertida e alegre faz com que estejam sempre absolutamente prontos para qualquer atividade e praticamente incansáveis, o que faz deles bons companheiros para crianças mais velhas, que saberão conviver com estes pequenos cachorros. Apesar do tamanho reduzido e do temperamento alegre, são cachorros bastante rústicos e que não tem nada de ´bichos de pelúcia´ ou cachorros de colo. Inclusive são excelentes como cachorros de alarme, e são cachorros que se adaptam facilmente à vida dentro de casa desde que lhes seja garantido espaço e exercícios para que gastem suas energias, tambem são exímios na prática do agility, dada sua conformação e agilidade.


Na classificação do pesquisador Stanley Coren, em seu livro ‘A Inteligência dos Cães’, o NorfolkTerrier ocupa a 56ª posição entre as 133 raças pesquisadas. Como são cachorros extremamente ativos e determinados, é altamente recomendável que desde cedo o responsável inicie um programa de adestramento de obediência com seu cachorro, com o objetivo de tornar a convivência mais fácil para ambas as partes. A educação do filhote requer, acima de tudo, paciência, especialmente quando o filhote já tiver aproximadamente 6 meses e estiver trocando seus dentes, deve-se evitar que os móveis sejam seu alvo preferencial. Para isso, convém fornecer brinquedos próprios para esta fase.


Como os adultos, os filhotes são muito ativos e curiosos e devem ser educados desde cedo. O adestramento básico de obediência é extremamente recomendável para cachorros que possuam estas características de independência e, de maneira geral, os resultados aparecem tanto mais rápido quanto maior for o envolvimento do responsável no processo de treinamento. Não devem ser deixados sozinhos por longos períodos, uma vez que sua curiosidade e necessidade de atividade farão com que procurem alguma distração, o que nem sempre trará resultados agradáveis para os seus responsáveis. Como seus demais parentes de ´pelo duro, estão entre as raças que não enfrentam a muda na mudança de estações.


Apesar disso, precisam de cuidados para que seu pelo se mantenha saudável e bonito. Sua pelagem repele a maioria do pó e não necessita tosa e escovação freqüentes, algo que o diferencia de outros Terriers. Os cachorros de exposição nunca podem ser cortados com tesoura uma vez que essa prática muda a consistência da pelagem e pode até mesmo a tonalidade original dos marcas. As tosas de exemplares de pista devem ser feitas à base do stripping, que consiste na retirada manual dos pelos com a ajuda de uma faquinha apropriada, inclusive este procedimento só deve ser realizado por profissionais competentes. O Norfolk Terrier, de maneira geral, é um cachorro rústico, sem muitos problemas de saúde. Os registros dos clubes americanos da raça enfatizam especialmente a presença de alguns distúrbios de fundo genético como Epilepsia e Alergias.




Aprenda os Segredos dos Melhores Adestradores ...!

Finalmente! Você poderá adestrar e educar o seu cachorro, com apenas alguns treinamentos básicos, fáceis e de simples execução. 
E o seu cachorro irá lhe obedecer fielmente de uma forma facil e natural.

Você mesmo poderá ensiná-lo a deixar de destruir suas coisas, a latir só quando necessário, ou o melhor a fazer suas necessidades no lugar correto e ainda irão passear sem arrastar você junto...



Nenhum comentário:

COMPARTILHE A POSTAGEM.

.

.
.

Visualizações de página do mês passado